[Vida com Propósito] Dia 40 – Vivendo com propósitos

Muitos são os planos no coração do homem, mas o que prevalece é o propósito do SENHOR. Provérbios 19.21; NVI

Pois Davi […] serviu aos propósitos de Deus em sua geração. Atos 13.36; NASB

Viver com propósitos é a única maneira de viver de verdade.

Todo o resto é apenas existir.

A maioria das pessoas luta com as três questões básicas da vida. A primeira é a identidade. “Quem sou eu?”. A segunda é a importância: “Significo alguma coisa?”. A terceira é o impacto: “Qual o meu lugar na vida?”. As respostas a todas as três perguntas são encontradas nos cinco propósitos que Deus tem para você.

No cenáculo, quando Jesus concluiu seu último dia de ministério junto aos discípulos, ele lavou os pés deles como exemplo e disse:

Agora que vocês sabem estas coisas, felizes serão se as praticarem [Jo 13.17].

Uma vez que saiba o que Deus quer que você faça, a bênção vem quando você põe em prática o que aprendeu. Como chegamos ao fim de nossa jornada de quarenta dias, você agora sabe o propósito de Deus para sua vida, e será abençoado se o puser em prática.

Isso provavelmente quer dizer que você deverá parar de fazer outras coisas. Existem muitas coisas “boas” que você pode fazer com sua vida, mas os propósitos de Deus são os quatro fundamentos que você precisa fazer. Infelizmente, é fácil se distrair e esquecer o que é mais importante. É fácil se desviar do que realmente importa e lentamente abandonar o curso. Para evitar que isso aconteça, você deve fazer uma declaração dos propósitos de sua vida e examiná-la regularmente.

O que é uma Declaração dos Propósitos para sua vida?

É uma declaração que resume os propósitos de Deus para sua vida. Você afirma com suas próprias palavras seu compromisso com os cinco propósitos de Deus para sua vida. Uma declaração de propósitos não é uma lista de objetivos. Os objetivos são temporários; os propósitos são eternos. A Bíblia diz:

Mas o que o SENHOR planeja dura para sempre, as suas decisões permanecem eternamente [Sl 33.11].

É uma declaração que aponta a direção de sua vida. Colocar seus propósitos no papel irá forçá-lo a pensar especificamente sobre o rumo de sua vida. A Bíblia diz:

Saiba para onde você está indo, e estará em terreno sólido [Pv 4.26].

Uma declaração dos propósitos de sua vida não apenas especifica o que você pretende fazer com seu tempo, sua vida e seu dinheiro, mas também sugere o que você não irá fazer. Provérbios diz:

Quem tem juízo procura a sabedoria, mas o tolo não sabe o que quer [Pv 17.24].

É uma declaração que define o que é “sucesso” para você. Ela afirma o que você acredita ser importante, e não o que o mundo acredita ser importante. Ela esclarece seus valores. Paulo disse:

Eu quero que compreendam o que realmente importa [Fil 1.10].

É uma declaração que esclarece suas funções. Você terá diferentes funções em diferentes etapas na vida, mas seus propósitos jamais serão alterados. Eles são maiores que qualquer função que você possa ter.

É uma declaração que expressa sua FORMA. Ela reflete a exclusividade que Deus lhe deu. Leve o tempo que for necessário para escrever sua declaração de propósitos. Não tente completá-la de uma só vez, e não adianta tentar atingir a perfeição em seu primeiro rascunho; apenas anote seus pensamentos conforme lhe ocorrerem. É sempre mais fácil editar do que criar. A seguir apresento cinco questões que devem ser levadas em conta na preparação de sua declaração.

As cinco grandes questões da vida

O que será o centro de minha vida? Essa é a questão da adoração. Para quem você irá viver? Em torno de que você construirá sua vida? Você pode basear sua vida em torno de sua carreira, sua família, um esporte ou um passatempo, dinheiro, diversão ou em torno de muitas outras atividades. Todas essas coisas são boas, mas não fazem parte do centro de sua vida. Nenhuma delas é suficientemente forte para mantê-lo a salvo quando a vida começar a desmoronar. Você precisa de um centro inabalável.

O rei Asa ordenou ao povo de Judá que centrassem sua vida em Deus [2 Cr 14.4]. Na verdade, o que quer que esteja no centro de nossa vida é o nosso deus. Quando comprometeu a sua vida com Cristo, ele se moveu para o centro, mas você precisa mantê-lo lá por meio da adoração. Paulo diz:

Oro para que […] Cristo habite no coração de vocês mediante a fé [Ef 3.17].

Como você sabe quando Deus está no centro da sua vida? Quando Deus está no centro de sua vida, você adora. Quando não está, você fica preocupado. A ansiedade é a luz de advertência, que indica que Deus foi empurrado para o lado. Você voltará a ter paz no instante em que o coloca de volta ao centro. A Bíblia diz:

A consciência da completitude de Deus […] dará paz a vocês. É maravilhoso quando Cristo desfaz a preocupação que está no centro de sua vida [Fil 4.7].

Qual será o caráter de minha vida? Essa é a questão do discipulado. Que tipo de pessoa você será? Deus está muito mais interessado em quem você é do que no que você faz. Lembre-se: você irá levar seu caráter para a eternidade, mas não sua carreira. Faça uma lista das características que você quer trabalhar e desenvolver em seu caráter. Você deve começar com o fruto do Espírito Santo [Gal 5.22-23] ou com as bem-aventuranças [Mt 5.3-12].

Pedro disse:

Não percam um minuto em edificar sobre o que lhe foi dado, complementando sua fé básica com bom caráter, entendimento espiritual, disciplina alerta, paciência apaixonada, admiração reverente, amizade calorosa e amor generoso [2 Pe 1.5].

Não desanime ou desista quando tropeçar. É necessária toda uma vida para construir um caráter semelhante ao de Cristo. Paulo disse a Timóteo:

Cuide atentamente do seu caráter e do que ensina. Não se deixe distrair. Tão-somente persista [1 Tm 4.16].

Qual será a contribuição de minha vida? Essa é a questão do serviço. Qual será seu ministério no corpo de Cristo? Conhecendo sua mistura de formação espiritual, opções do coração, recursos pessoais, modo de ser e áreas de experiência (FORMA), qual papel lhe seria mais adequado na família de Deus? Como você pode fazer alguma diferença? Tem a formação adequada para servir em algum grupo específico do corpo de Cristo? Paulo apontou dois benefícios maravilhosos em cumprir seu ministério:

Porque isso que vocês fazem não somente ajuda o povo de Deus que está necessitado, mas também faz com que eles façam muitas orações de gratidão a Deus [2 Co 9.12].

Embora você tenha sido formado para servir os outros, nem mesmo Jesus alcançou as necessidades de todos enquanto estava na terra. Você deve escolher a quem pode ajudar melhor, com base na sua vocação. Você precisa perguntar: “A quem eu desejo mais ajudar?”. Jesus disse:

Eu que vos escolhi e vos designei para irdes e produzirdes fruto e para que o vosso fruto permaneça [Jo 15.16].

Cada um de nós dá frutos diferentes.

Qual será a mensagem de minha vida? Essa é a questão de sua missão junto aos incrédulos. Sua declaração de missão faz parte de sua declaração de propósitos. Ela deve incluir seu compromisso de dar seu testemunho aos outros sobre o evangelho. Você também deve listar as lições de vida, assim como as paixões que Deus lhe concedeu para que compartilhasse com o mundo. Conforme for crescendo em Cristo, Deus poderá lhe dar um grupo especial de pessoas nas quais você deverá se concentrar para alcançar. Não deixe de pôr isso na sua declaração.

Se você for mãe ou pai, parte de sua missão é educar seus filhos para que conheçam a Cristo, ajudá-los a compreender os propósitos da vida deles e enviá-los pelo mundo na missão que Deus lhes reservou. Você poderia incluir na sua declaração a declaração de Josué:

Mas eu e a minha família serviremos ao SENHOR [Js 24.15].

É obvio que nossa vida deve reforçar e confirmar a mensagem que passamos. Antes de grande parte dos incrédulos aceitar a credibilidade da Bíblia, eles querem saber se nós temos credibilidade. É por isso que a Bíblia diz:

O mais importante é que vocês vivam de acordo com o evangelho de Cristo [Fil 1.27].

Qual será a comunidade de minha vida? Essa é a questão de sua comunhão. Como você irá demonstrar seu compromisso com os outros crentes e sua ligação com a família de Deus? Onde você irá praticar com outros cristãos os mandamentos do tipo “uns aos outros”? A qual igreja local você irá se juntar como membro ativo? Quanto mais você amadurecer, mais irá amar o corpo de Cristo e desejará se sacrificar por ele. A Bíblia diz:

Cristo amou a igreja e deu a sua vida por ela [Ef 5.25].

Você deve incluir em sua declaração uma manifestação de seu amor pela igreja de Deus.

Ao pensar nas respostas para essas questões, inclua qualquer trecho das Escrituras que fale ao seu coração sobre esses propósitos. Existem muitos neste livro. Poderá levar semanas ou meses para que você possa elaborar sua declaração de propósitos exatamente da forma que deseja. Ore, pense sobre ela, converse com amigos íntimos e medite na Bíblia. Ela poderá passar por várias redações até chegar ao seu formato final. E mesmo então você provavelmente fará pequenas alterações com o passar do tempo e à medida que Deus lhe der um maior discernimento sobre sua vocação.

Além de escrever uma declaração de propósitos detalhada, também é de grande auxílio ter um curto enunciado ou slogan que resuma os cinco propósitos para sua vida de uma forma fácil de decorar e que inspire você. Dessa forma, você poderá se recordar diariamente. Salomão aconselhou:

Será uma satisfação guardá-los no íntimo e tê-los todos na ponta da língua [Pv 22.18].

Eis alguns exemplos:

• “Meu propósito de vida é adorar a Cristo com todo o meu coração, servi-lo com minha vocação, ter comunhão com sua família, desenvolver um caráter como o dele e cumprir minha missão no mundo para que ele receba a glória.”

• “Meu propósito de vida é ser membro da família de Cristo, exemplo de seu caráter, ministro de sua graça, mensageiro de sua palavra e um engrandecedor de sua glória.”

• “Meu propósito de vida é amar a Cristo, crescer em Cristo, compartilhar Cristo e servir a Cristo por meio de sua igreja; e levar minha família e os outros a fazer o mesmo.”

• “Meu propósito de vida é firmar um compromisso firme com o Grande Mandamento e a Grande Comissão.”

• “Meu objetivo é me tornar semelhante a Cristo; minha família é a igreja; meu ministério é _____________; minha missão é ______________; meu motivo é a glória de Deus.”

Você deve pensar: “E quanto à vontade de Deus para meu emprego, casamento, lugar em que devo viver ou a escola?”. Falando com franqueza, essas questões são secundárias na sua vida, e devem existir inúmeras possibilidades que estejam de acordo com a vontade de Deus para sua vida. O que mais importa é cumprir os propósitos eternos de Deus, a despeito de onde você viver ou trabalhar ou de com quem você se casar. Essas decisões devem respaldar os seus propósitos. A Bíblia diz:

Muitos são os planos no coração do homem, mas o que prevalece é o propósito do SENHOR [Pv 19.21].

Concentre-se nos propósitos de Deus para sua vida, e não nos seus planos, uma vez que são aqueles que durarão para sempre.

Certa vez, ouvi uma sugestão para que a declaração de propósitos fosse baseada no que você gostaria que as outras pessoas dissessem sobre você no seu enterro. Imagine o elogio perfeito, e então construa a declaração a partir dele. Francamente, é uma péssima idéia. No final de sua vida, não terá nenhuma importância o que as pessoas disserem a seu respeito. Só importará o que Deus disser a seu respeito. A Bíblia diz:

…nosso propósito é agradar a Deus, não às pessoas [1 Ts 2.4].

Algum dia Deus irá analisar nossas respostas a essas questões da vida. Você pôs Jesus no centro de sua vida? Você desenvolveu o seu caráter? Você dedicou sua vida a servir os outros? Você comunicou a mensagem de Deus e cumpriu a missão que ele lhe deu? Você amou e participou em sua família na igreja? Essas são as únicas questões que irão contar. Como disse Paulo:

Nosso objetivo é estar à altura do plano de Deus para nós [2 Co 10.13].

Deus quer usar você

Há cerca de trinta anos, reparei em uma pequena frase em Atos 13.36 que iria alterar para sempre a direção da minha vida. Eram somente dez palavras, mas pareciam uma marca de ferro em brasa, palavras que marcariam minha vida para sempre: Pois Davi […] serviu aos propósitos de Deus em sua geração. Só então compreendi por que Deus chamou Davi de homem segundo o meu coração [At 13.22]. Davi dedicou a vida a cumprir os propósitos de Deus na terra.

Não existe maior epitáfio que essa declaração! Imagine isso esculpido na sua lápide: que você serviu aos propósitos de Deus na sua geração. Oro para que as pessoas possam dizer isso sobre mim quando eu morrer. Também oro para que as pessoas possam dizer isso de você. Foi por isso que escrevi este livro para você. Essa frase é a descrição definitiva de uma vida bem vivida. Você faz o que é eterno e atemporal (os propósitos de Deus), à maneira contemporânea e atual (na sua geração). Uma vida com propósitos trata exatamente disso. Nem as gerações passadas, nem as futuras podem servir a Deus nesta geração. Somente nós podemos. Tal qual Ester, Deus o criou para um momento como este [Et 4.14].

Deus ainda procura pessoas que possam ser usadas. A Bíblia diz:

Os olhos do SENHOR procuram por toda a terra a fim de fortalecer aqueles cujos corações estejam completamente comprometidos com ele [2 Cr 16.9].

Você seria uma pessoa que Deus pode usar para seus propósitos? Você serviria aos propósitos de Deus na sua geração?

Paulo teve uma vida dirigida por propósitos. Ele disse:

Corro direto para o alvo, com um propósito a cada passo [1 Co 9.26].

Seu único motivo para viver era cumprir os propósitos que Deus tinha para ele. Ele disse:

Porque para mim o viver é Cristo e o morrer é lucro [Fil 1.21].

Paulo não tinha medo de viver, nem de morrer. De qualquer maneira, ele iria cumprir os propósitos de Deus. Ele não podia perder!

Algum dia, a história será encerrada, mas a eternidade seguirá para sempre. William Carey disse: “O futuro é tão brilhante quanto as promessas de Deus”. Quando parecer difícil cumprir seus propósitos, não ceda ao desânimo. Lembre-se de sua recompensa, a qual durará para sempre. A Bíblia diz:

Pois os nossos sofrimentos leves e momentâneos estão produzindo para nós uma glória eterna que pesa mais do que todos eles [2 Co 4.17].

Imagine como será naquele dia, quando todos apresentarmos nossa vida perante o trono de Deus, louvando a Cristo com profunda gratidão. Juntos nós diremos:

Tu, SENHOR e Deus nosso, és digno de receber a glória, a honra e o poder, porque crias te todas as coisas, e por tua vontade elas existem e foram criadas [Ap 4.11].

Nós o louvaremos por seus planos e viveremos para seus propósitos — eternamente.

DIA 40

PENSANDO SOBRE MEU PROPÓSITO

Um tema para reflexão: Viver com propósitos é a única maneira de viver de verdade.

Um versículo para memorizar: Pois Davi […] serviu aos propósitos de Deus em sua geração (Atos 13.36; NASB).

Uma pergunta para meditar: Quando irei parar para escrever minhas respostas às cinco grandes questões da vida? Quando colocarei meu propósito no papel?

Anúncios

[Vida com Propósito] Dia 39 – Equilibrando sua vida

Portanto, vivam com o devido senso de responsabilidade, não como homens que não conhecem o significado da vida, mas como aqueles que o conhecem. Efésios 5.15; CH

Não permitam que os erros dos ímpios levem vocês pelo caminho errado e façam vocês perderem o equilíbrio. 2 Pedro 3.17; CEV

Bem-aventurados os equilibrados, pois subsistirão mais do que todos.

Uma das competições das Olimpíadas de verão é o pentatlo. Ele é composto de cinco modalidades: tiro-ao alvo, esgrima, equitação, corrida e natação. O objetivo do pentatlo é vencer todas as cinco, e não apenas uma ou duas.

Sua vida é um pentatlo com cinco propósitos, que devem ser mantidos em equilíbrio. Esses propósitos foram praticados pelos primeiros cristãos em Atos 2, explicados por Paulo em Efésios 4 e exemplificados por Jesus em João 17, mas estão resumidos no Grande Mandamento e na Grande Comissão de Jesus. Essas duas declarações resumem todo este livro — os cinco propósitos de Deus para sua vida:

l. “Ame a Deus de todo o seu coração”: você foi planejado para o prazer de Deus; logo, seu propósito é amar a Deus por meio da adoração.

2. “Ame ao próximo como a ti mesmo”: você foi formado para servir; então seu propósito é demonstrar amor pelas outras pessoas por meio do ministério.

3. “Vão e façam discípulos”: você foi feito para uma missão; então seu propósito é compartilhar a mensagem de Deus por meio da evangelização.

4. “Batize-os em…”: você foi formado para fazer parte da família de Deus; então seu propósito é se identificar com sua igreja por meio da comunhão.

5. “Ensine-os todas as coisas…”: você foi criado para se tornar semelhante a Cristo; então seu propósito é amadurecer por meio do discipulado.

Um compromisso sério com o Grande Mandamento e a Grande Comissão fará de você um grande cristão.

Manter os cinco propósitos em equilíbrio não é tarefa fácil. Todos tendemos a exagerar nos propósitos que nos despertam maior paixão e negligenciar os outros. As igrejas fazem a mesma coisa. Mas você pode manter sua vida equilibrada e firme no caminho, juntando-se a um pequeno grupo para prestar contas uns aos outros, avaliando regularmente sua saúde espiritual, registrando seu progresso em um diário pessoal e passando o que aprendeu para os outros. Essas quatro atividades são importantes para um viver dirigido por um propósito. Se você prima por se manter no caminho certo, precisará desenvolver esses hábitos.

Converse sobre o assunto com um companheiro espiritual ou em um grupo pequeno. A melhor maneira de assimilar as idéias deste livro é discuti-las com outras pessoas no ambiente de um grupo pequeno. A Bíblia diz:

Como o ferro afia o ferro, da mesma maneira as pessoas podem ajudar a melhorar umas às outras [Pv 27.17].

Aprendemos melhor em comunidade. Nossa mente fica mais aguçada e nossas convicções mais intensas por meio da conversa.

Eu o exorto veementemente a juntar um pequeno grupo de amigos e formar um grupo de leitura de Uma vida com propósitos, a fim de rever esses capítulos semanalmente. Vocês devem discutir as implicações e aplicações de cada capítulo. Devem perguntar: “E daí?”, “E agora?”, “O que isso significa para mim, minha família e nossa igreja?”, “O que vou fazer a respeito disso?”. Paulo disse:

Ponham em prática o que vocês receberam e aprenderam [Fil 4.9].

Um pequeno grupo de leitura proporciona muitos benefícios que não podem ser alcançados somente por um livro. Vocês podem dar e receber opiniões sobre o que estão aprendendo. Podem tratar de exemplos da vida real. Podem orar, incentivar e apoiar uns aos outros à medida que começarem a viver esses propósitos. Lembrem-se de que fomos feitos para crescer juntos, e não separadamente. A Bíblia diz:

Encorajem uns aos outros e dêem forças uns aos outros [1 Ts 5.11].

Também o encorajo a estudar a Bíblia individualmente. Registrei como notas ao fim do livro os mais de mil trechos da Bíblia utilizados neste livro, para que você possa estudá-los em seu contexto. Leia por gentileza o “Apêndice 3”, que explica o porquê de terem sido utilizadas paráfrases e diferentes traduções. Visando a manter estes capítulos adequados à leitura diária, me foi impossível explicar o fascinante contexto da maioria dos versículos utilizados. Entretanto, a Bíblia foi feita para ser estudada por parágrafos, capítulos e até mesmo livros inteiros. O meu livro pode ajudá-lo a realizar estudos indutivos.

Faça em si mesmo uma inspeção espiritual periódica. A melhor forma de equilibrar os cinco propósitos na sua vida é fazer uma avaliação periódica de si mesmo. Deus dá grande valor ao hábito da autoavaliação. Somos orientados pelo menos cinco vezes nas Escrituras a verificar e a examinar nossa saúde espiritual. A Bíblia diz:

Examinem-se para terem certeza de que estão firmes na fé. Não se desviem, achando que tudo está garantido. Realizem em si mesmos exames regulares […] testem-se. Se falharem no teste, façam algo a respeito [2 Co 13.5].

Para manter a saúde física, você precisa de exames regulares com o médico, para que possa avaliar seus sinais vitais — pressão sangüínea, temperatura, peso e assim por diante. Para sua saúde espiritual, você precisa verificar regularmente os cinco sinais vitais da adoração, comunhão, crescimento do caráter, ministério e missão. Jeremias aconselhou:

Vamos fazer um bom exame na maneira que estamos vivendo e reorganizar nossa vida debaixo da autoridade de Deus [Lm 3.40].

Na Saddleback, desenvolvemos uma ferramenta simples de avaliação pessoal que tem auxiliado milhares de pessoas a permanecer no propósito de Deus. Você ficará surpreso ao ver como essa pequena ferramenta o ajudará a alcançar o equilíbrio para uma vida saudável e de crescimento. Paulo disse:

Que a idéia entusiástica do princípio seja igualada pela ação realista do presente [2 Co 8.11].

Anote seu progresso em um diário. A melhor forma de consolidar seu progresso no cumprimento dos propósitos de Deus para sua vida é manter um diário espiritual. Não se trata do registro de acontecimentos, mas de lições de vida que você não gostaria de esquecer. A Bíblia diz:

Por isso é preciso que prestemos maior atenção ao que temos ouvido, para que jamais nos desviemos [Hb 2.1].

Podemos nos lembrar do que registramos.

Escrever ajuda a esclarecer o que Deus está fazendo na sua vida. Dawson Trotman costumava dizer: “Os pensamentos se desembaraçam quando passam pelos nossos dedos”. A Bíblia traz vários exemplos em que Deus manda as pessoas manterem um diário espiritual. Ela diz:

Conforme orientação do SENHOR, Moisés manteve um registro de seu progresso [Nm 33.2].

Não lhe deixa contente o fato de Moisés ter obedecido à orientação de Deus de registrar a jornada espiritual de Israel? Se ele fosse preguiçoso, nos seriam subtraídas as poderosas lições de vida presentes no livro de Êxodo.

Embora seja improvável que seu diário espiritual seja tão amplamente lido como o de Moisés, ele ainda é importante. A Nova Versão Internacional diz: Por ordem do SENHOR, Moisés registrou as etapas da jornada deles. Sua vida é uma jornada, e uma jornada merece um diário. Espero que você escreva sobre as fases de sua jornada espiritual, ao ter uma vida dirigida por propósitos.

Não anote apenas o que for agradável. Tal qual fez Davi, registre suas dúvidas, temores e lutas com Deus. Nossas maiores lições vêm do sofrimento, e a Bíblia diz que Deus mantém um registro de nossas lágrimas [Sl 56.8]. Sempre que ocorrer um problema, lembre-se de que Deus os utiliza para cumprir todos os cinco propósitos para sua vida. Os problemas o forçam a atentar para Deus, trazem-no para uma comunhão mais íntima com os outros, constroem um caráter semelhante ao de Cristo, lhe fornecem um ministério e lhe provêm um testemunho. Todo problema é dirigido por propósitos.

Bem no meio de uma experiência sofrida, o salmista escreveu:

Que isso fique escrito para que os nossos descendentes saibam o que o SENHOR Deus fez e para que o louvem aqueles que ainda vão nascer [Sl 102.18].

Você deve às futuras gerações a preservação do relato de como Deus o ajudou a cumprir os propósitos dele na terra. Trata-se de um testemunho que continuará a ser dado muito após você estar no céu.

Transmita aos outros aquilo que você sabe. Se você quer continuar crescendo, a melhor forma de aprender mais é transmitir o que já aprendeu. O livro de Provérbios diz:

Quem abençoa os outros é abundantemente abençoado; os que ajudam os outros serão ajudados [Pv 11.25].

Aqueles que passam adiante suas percepções obtêm ainda mais de Deus.

Agora que compreende o propósito da vida, você tem a responsabilidade de levar essa mensagem aos outros. Deus o está chamando para ser seu mensageiro. Paulo disse:

Agora, quero que você diga essas mesmas coisas a seguidores confiáveis para que as possam dizer aos outros [2 Tm 2.2].

Neste livro, passei a você o que aprendi com outras pessoas sobre o propósito da vida; agora é a sua vez de transmitir esses conhecimentos a outras pessoas.

Você provavelmente conhece centenas de pessoas que não sabem qual o propósito da vida. Compartilhe essas verdades com seus filhos, amigos, vizinhos e aqueles com quem trabalha. Se você der este livro a um amigo, adicione um bilhete pessoal na página da dedicatória. Quanto mais você sabe, mais Deus espera que você use tal conhecimento para ajudar os outros. Tiago disse:

Quem sabe que deve fazer o bem e não o faz comete pecado [Tg 4.17].

O conhecimento aumenta a responsabilidade. Porém, transmitir o propósito da vida é mais do que uma obrigação; é um dos grandes privilégios da vida. Imagine como o mundo seria diferente se todos conhecessem seu propósito. Paulo disse:

Se você transmitir essas instruções aos irmãos, será um bom ministro de Cristo Jesus [1 Tm 4.6].

Tudo se destina à glória de Deus

O motivo pelo qual transmitimos o que aprendemos é a glória de Deus e o crescimento do seu Reino. Na noite anterior à crucificação, Jesus disse ao Pai:

Eu te glorifiquei na terra, completando a obra que me deste para fazer [ Jo 17.4].

Quando Jesus orou com essas palavras, ainda não tinha morrido por nossos pecados, então que “obra” ele havia completado? Nesse caso, ele estava se referindo a algo distinto da expiação. A resposta está no que ele disse, nos vinte versículos seguintes de sua oração [Jo 17.6-26].

Jesus disse ao Pai o que havia feito nos últimos três anos: a preparação dos discípulos para viver para os propósitos de Deus. Ele os ajudou a conhecer e amar a Deus (adorar), ensinou a amarem uns aos outros (comunhão), deu-lhes a Palavra para que amadurecessem (discipulado), mostrou-lhes como servir (ministério) e enviou-os a levar o evangelho aos outros (missão). Jesus foi o exemplo de uma vida dirigida por propósitos, e também ensinou aos outros como vivê-la. Essa foi a “obra” que glorificou a Deus.

Hoje em dia, Deus chama a cada um de nós para realizarmos a mesma obra. Ele não quer apenas que vivamos seus propósitos, mas que ajudemos as outras pessoas a fazer o mesmo. Deus quer que apresentemos Cristo às pessoas, trazendo-as para a comunhão, ajudando-as a amadurecer e a descobrir como servir e então que tornemos a enviá-las para que mais pessoas sejam alcançadas.

É disso que se trata uma vida dirigida por propósitos. Independentemente de sua idade, o resto de sua vida pode ser a melhor parte dela, e você pode começar hoje a viver com propósitos.

DIA 39

PENSANDO SOBRE MEU PROPÓSITO

Um tema para reflexão: Bem-aventurados sejam os equilibrados.

Um versículo para memorizar: Portanto, vivam com o devido senso de responsabilidade, não como homens que não conhecem o significado da vida, mas como aqueles que o conhecem (Efésios 5.15; CH).

Uma pergunta para meditar: Quais das quatro atividades vou iniciar para permanecer no caminho e equilibrar os cinco propósitos de Deus para minha vida?

[Vida com Propósito] Dia 38 – Tornando-se um cristão de primeira classe

Jesus disse aos seus seguidores: “Vão pelo mundo todo e contem as boas-novas a todas as pessoas”. Marcos 16.15; NCV

Assim saberemos por onde ele quer que nós andemos. Assim, todas as nações conhecerão a sua salvação! Salmo 67.2; BV

A Grande Comissão é sua comissão.

Você tem uma escolha a fazer. Ou você é um cristão da melhor qualidade, ou é um cristão mundano.

Cristãos mundanos buscam principalmente a satisfação pessoal. Eles estão salvos, mas são egoístas. Adoram comparecer a reuniões de louvor e a seminários edificantes, mas você jamais os achará em conferências sobre missões, porque não estão interessados. Suas orações se concentram em suas próprias necessidades, bênçãos e felicidade. É a fé do “eu primeiro”: “Como Deus pode tornar minha vida mais confortável?”. Eles querem usar a Deus para seus propósitos, em vez de serem usados por Deus para os propósitos dele.

Os cristãos de primeira classe, em contrapartida, sabem que foram salvos para servir e feitos para uma missão. Eles são ávidos por receber uma missão pessoal e se entusiasmam com o privilégio de ser usados por Deus. Os cristãos de primeira classe são as únicas pessoas totalmente vivas neste planeta. Sua alegria, confiança e entusiasmo contagiam, porque sabem que são relevantes. Acordam a cada manhã na expectativa de que Deus opere por meio deles de formas novas. Que tipo de cristão você quer ser?

Deus o convida a participar na mais magnífica, ampla, multiforme e importante causa da história — o seu Reino.

A história é sua história. Ele está formando sua família para a eternidade. Nada é mais importante e nada durará tanto. Por meio do livro de Apocalipse, sabemos que a missão global de Deus será cumprida. Algum dia, a Grande Comissão se tornará a Grande Consumação. Nos céus, uma enorme multidão de pessoas de todas as nações, tribos, povos e línguas [Ap 7.9], estará um dia perante Jesus Cristo para adorá-lo. Envolver-se como cristão de primeira classe lhe permitirá experimentar um pouco do céu antecipadamente.

Quando Jesus ordenou aos seus seguidores “irem por todo o mundo e pregarem o evangelho a todas as pessoas”, o pequeno bando de pobres discípulos do Oriente Médio ficou pasmado. Eles deveriam ir a pé ou cavalgar pequenos animais? Era tudo que tinham para o transporte, e não existiam barcos capazes de atravessar um oceano; logo, existiam verdadeiras barreiras físicas que os impediam de ir por todo o mundo.

Hoje, temos aviões, trens, ônibus e automóveis. No final, é um mundo pequeno, que encolhe a cada dia. Você pode voar sobre o oceano em questão de horas e estar em casa no dia seguinte, se for necessário. As oportunidades para que cristãos normais, do nosso dia-a-dia, possam se envolver em missões internacionais de curta duração são praticamente ilimitadas. Cada canto do mundo está ao seu alcance — pergunte à industria do turismo! Não temos desculpas para não espalharmos o evangelho.

Agora, com a Internet, o mundo está ficando ainda menor. Além dos telefones e aparelhos de fax, qualquer crente com acesso à Internet pode se comunicar pessoalmente com pessoas de praticamente todos os países do mundo. Todo o planeta está na ponta dos seus dedos!

Até mesmo os mais remotos vilarejos têm acesso a e-mail, portanto, você pode hoje entabular conversas evangelísticas com pessoas do outro lado do mundo, sem nem ao menos sair de casa! Nunca na história foi tão fácil cumprir a incumbência de ir por todo o mundo. Os maiores obstáculos já não são a distância, o custo ou o transporte. O único obstáculo é nossa forma de pensar. Para ser cristão de primeira classe, você deve se dispor a algumas mudanças mentais. Sua perspectiva e suas atitudes devem mudar.

Como pensar como cristão de primeira classe

Troque o raciocínio egoísta pelo raciocínio altruísta. A Bíblia diz:

Irmãos, não pensem como crianças. […] Sejam adultos no seu modo de pensar [1 Co 14.20].

Esse é o primeiro passo para se tornar um cristão de primeira classe. As crianças só pensam em si; já as pessoas maduras pensam nas outras pessoas. Deus ordena:

Não pensem somente em seus próprios interesses, mas estejam interessados nos outros também [Fil 2.4].

É claro que essa é uma mudança de mentalidade difícil de ser realizada, pois somos naturalmente voltados para nós mesmos, e quase todas as propagandas nos incentivam a pensar em nós mesmos. A única forma de alterar esse padrão é sermos dependentes de Deus a cada momento. Felizmente, ele não nos abandona para lutar sós. Deus nos deu o seu Espírito. É por isso que não pensamos da mesma forma que as pessoas deste mundo [1 Co 2.12].

Comece pedindo ao Espírito Santo que o ajude a pensar nas necessidades espirituais daqueles que não crêem toda vez que for falar com eles. Com a prática, você poderá desenvolver o hábito de orar silenciosamente, nada além de um murmúrio, por aqueles com quem se encontrar. Diga: “Pai, ajuda-me a compreender o que está impedindo essa pessoa de conhecer você”.

Seu objetivo é verificar onde os outros se encontram em sua jornada espiritual, fazendo então todo o possível para levá-los a conhecer a Cristo. Você pode aprender a fazer isso, adotando a mentalidade de Paulo, que disse:

Não estou procurando o meu próprio bem, mas o bem de muitos, para que sejam salvos [1 Co 10.33].

Deixe de raciocinar de forma restrita e raciocine de forma global. Deus é um Deus global. Ele sempre se preocupou com o mundo inteiro. Deus tanto amou o mundo… [Jo 3.16]. Desde o início, ele quis membros para sua família de todas as nações que criou. A Bíblia diz:

De um só homem ele criou todas as raças humanas para viverem na terra. Antes de criar os povos, Deus marcou para eles os lugares onde iriam morar e quanto tempo ficariam lá. Ele fez isso para que todos pudessem procurá-lo e talvez encontrá-lo [At 17.26-27].

Grande parte do mundo já pensa de forma global. Os maiores conglomerados de comunicação e negócios são multinacionais. Nossa vida e a vida de pessoas em outras nações se tornam cada vez mais entrelaçadas, à medida que compartilhamos moda, entretenimento, música, esportes e até fast-food.

É provável que a maioria das roupas que você está vestindo e grande parte do que você come hoje em dia tenham sido produzidos em outro país. Nós estamos mais unidos do que percebemos.

Estamos vivendo dias emocionantes. Atualmente, existem mais cristãos sobre a terra do que em qualquer outra época. Paulo estava certo: A mesma boa-nova que chegou até vocês está saindo pelo mundo todo. Ela está transformando vidas em todas as partes, tal como transformou a de vocês…. [Col 1.6].

A melhor forma de começar a pensar de maneira global é começar a orar por países específicos. Cristãos de primeira classe oram pelo mundo. Consiga um Atlas ou um mapa e ore pelos países por nome. A Bíblia diz:

Se você me pedir, eu darei a você as nações; todos os povos da terra serão seus [Sl 2.8].

A oração é a ferramenta mais importante na sua missão no mundo. As pessoas podem recusar nosso amor ou rejeitar nossa mensagem, mas não têm defesas contra nossas orações. Como um míssil intercontinental, você pode apontar uma oração para o coração de uma pessoa, esteja você a um metro ou a 16 mil quilômetros de distância.

Qual deveria ser o alvo das suas orações? A Bíblia diz que devemos orar por oportunidades para testemunhar [Col 4.3; Rm 1.10], por coragem para falar [Ef 6.19], por aqueles que irão crer [Jo 17.20], para que a mensagem se espalhe rapidamente [2 Ts 3.1] e por mais obreiros [Mt 9.38]. As orações o tornam parceiro de muitas outras pessoas ao redor do mundo.

Você também deve orar pelos missionários e por todas as outras pessoas envolvidas na colheita ao redor do mundo. Paulo disse a seus companheiros de oração: Vocês nos ajudam com suas orações [2 Co 1.11].

Outra forma de desenvolver um raciocínio global é ler ou ver o noticiário com “olhos de quem assumiu a Grande Comissão”. Sempre que houver mudanças ou conflitos, esteja certo de que Deus irá usar tais situações para trazer pessoas a si. As pessoas são mais receptivas a Deus quando estão sob tensão ou em transição. Pelo fato de estar aumentando a quantidade de mudanças em nosso mundo, mais pessoas estão abertas como nunca a ouvir as boas-novas.

A melhor forma de passar a pensar de maneira global é tão-somente se levantar e partir para algum projeto missionário de curto prazo, em outro país! Simplesmente não há como substituir a participação ativa, na vida real, em outra cultura. Pare de estudar e discutir sua missão, e realize-a! Eu o desafio a ir até o fim. Em Atos 1.8, Jesus nos deu um padrão para nosso envolvimento:

[Vocês] serão minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judéia e Samaria, e até os confins da terra.

Seus seguidores teriam de alcançar sua comunidade (Jerusalém), seu país (Judéia), outras culturas (Samaria) e outras nações (até os confins da terra). Repare que nossa comissão é simultânea, e não consecutiva. Embora nem todos tenham o dom de missões, todo cristão é chamado a participar de uma missão, junto a todos os quatro grupos, de alguma forma. Você é um cristão nos moldes de Atos 1.8?

Estabeleça o objetivo de participar de um projeto missionário direcionado a cada um desses quatro alvos. Insisto com você para que poupe dinheiro suficiente e faça o que for necessário para participar de uma viagem missionária de curto prazo ao exterior, o mais rápido possível. Quase todas as organizações missionárias podem ajudá-lo nisso. Isso aumentará seu amor, ampliará sua visão, aumentará sua fé, aprofundará seu sentimento de compaixão e o encherá de um tipo de alegria que você jamais experimentou. Pode ser um divisor de águas na sua vida.

Substitua o pensamento imediatista pelo pensamento com perspectiva eterna. Para aproveitar ao máximo seu tempo na terra, você deve manter uma perspectiva eterna. Isso irá evitar que você dê importância excessiva a questões menores e o ajudará a distinguir entre o que é urgente e o que é eterno. Paulo disse: Fixamos os olhos, não naquilo que se vê, mas no que não se vê, pois o que se vê é transitório, mas o que não se vê é eterno [2 Co 4.18].

Muitas das coisas em que empenhamos nossas energias já não significarão nada daqui a um ano, quanto mais pela eternidade. Não troque sua vida por coisas temporárias. Mas Jesus lhe disse:

Todo aquele que se deixa desviar do trabalho que eu planejo para ele não está apto para o Reino de Deus [Lc 9.62].

E Paulo alertou:

[Tratem] das coisas deste mundo como se não estivessem ocupados com elas. Pois este mundo como está agora, não vai durar muito [1 Co 7.31].

O que você está permitindo que se interponha entre você e sua missão? O que o está impedindo de se tornar um cristão de primeira classe? O que quer que seja, abandone-o.

Afastemos de nós qualquer coisa que nos torne vagarosos ou nos atrase [Hb 12.1].

Jesus nos disse:

Acumulem para vocês tesouros nos céus [Mt 6.22].

Como podemos fazer isso? Em uma de suas declarações mais incompreendidas, Jesus disse: Por isso, eu lhes digo:

Usem a riqueza deste mundo ímpio para ganhar amigos, de forma que, quando ela acabar, estes os recebam nas moradas eternas [Lc 16.9].

Jesus não quis dizer que você deve “comprar” amigos com dinheiro, mas que você deve usar o dinheiro que Deus lhe deu para levar pessoas a Cristo. Eles então serão seus amigos por toda a eternidade, os quais o recepcionarão quando chegar ao céu! Esse é o melhor investimento financeiro que você pode fazer.

Você provavelmente já ouviu a expressão “Você não pode levar isso consigo” — mas a Bíblia diz que você pode enviá-lo adiante de si, ao investir em pessoas que estão indo para lá! A Bíblia diz: Fazendo isso, eles estarão acumulando um tesouro real para si mesmos no céu — este é o único investimento seguro para a eternidade! E estarão levando uma vida cristã frutífera aqui na terra também [1 Tm 6.19].

Pare de pensar em desculpas e comece a pensar em formas criativas de cumprir seu compromisso. Se você estiver decidido, há sempre uma forma de fazê-lo, e existem organismos que irão auxiliá-lo. Eis algumas desculpas mais comuns:

• “Além do português, só sei falar inglês”. Isso é, na verdade, uma vantagem em muitos países, onde milhões de pessoas querem aprender a falar a língua inglesa e estão ávidas para praticá-lo.

• “Não tenho nada a oferecer”. Sim, você tem. Cada habilidade e experiência na sua formação pode ser utilizada de alguma forma.

• “Estou muito velho (ou muito jovem)”. A maioria das organizações missionárias têm projetos de curto prazo adequados a cada faixa etária.

Da mesma forma que Deus rejeitou as desculpas de Sara, quando ela disse estar muito velha para ser usada, ele também rejeitou as de Jeremias, quando este disse ser muito jovem. Não diga isso, respondeu o SENHOR, pois você tem de ir aonde quer que eu o enviar e dizer o que quer que eu diga a você. Não tenha medo do povo, pois eu estarei com você e cuidarei de você [Jr 1.7-8].

Pode ser que você acreditasse ser necessário um “chamado” especial de Deus e estivesse esperando alguma sensação ou experiência sobrenatural. Mas Deus já anunciou seu chamado repetidamente. Somos todos chamados para cumprir os cinco propósitos de Deus para nossa vida: adorar, ter comunhão, crescer semelhantes a Cristo, servir e sair em missão, com Deus, pelo mundo. Deus não quer usar apenas algumas pessoas; ele quer usar todas as pessoas. Somos todos chamados para participar de uma missão para Deus. Ele quer que toda a igreja leve todo o seu evangelho a todo o mundo.

Muitos cristãos deixaram passar os planos de Deus para sua vida porque nem ao menos perguntaram a Deus se ele os queria servindo como missionários em algum lugar. Seja por medo, seja por ignorância, eles automaticamente fecharam a mente à possibilidade de servir como missionários residentes em um ambiente de culturas diversificadas. Se sua tendência é dizer não, deve checar todas as diferentes formas e possibilidades atualmente disponíveis (você irá se surpreender) e orar e perguntar seriamente a Deus o que ele desejará de você nos anos que se seguem. Incontáveis milhares de missionários residentes são desesperadamente necessários nesse ponto crítico da história, quando tantas portas estão se abrindo, como nunca aconteceu.

Se você quer ser semelhante a Jesus, deve ter misericórdia do mundo inteiro. Você não pode se dar por satisfeito apenas com sua família e amigos vindo a Cristo. Existem mais de seis bilhões de pessoas na terra, e Jesus quer achar todos os seus filhos que estão perdidos. Jesus disse: Se você insistir em salvar a sua própria vida, você a perderá. Somente aqueles que põem de lado a sua vida por minha causa e por causa da Boa Nova é que saberão realmente o que significa viver [Mc 8.35]. A Grande Comissão é sua comissão, e fazer sua parte é o segredo para ter uma vida de grande valor.

DIA 38

PENSANDO SOBRE MEU PROPÓSITO

Um tema para reflexão: A Grande Comissão é minha comissão.

Um versículo para memorizar: Assim saberemos por onde ele quer que nós andemos. Assim, todas as nações conhecerão a sua salvação! (Salmos 67.2; BV).

Uma pergunta para meditar: Que providências posso tomar a fim de me preparar para experimentar uma missão de curta duração no ano que vem?

[Vida com Propósito] Dia 37 – Partilhando sua mensagem de vida

Quem crê no Filho de Deus tem o testemunho de Deus nele. 1 João 5:10a; GWT

A vida de vocês ecoa a Palavra do Senhor […] as notícias sobre sua fé em Deus são conhecidas. Já não temos que dizer mais nada — vocês são a mensagem! 1 Tessalonicenses 1.8; Msg

Deus lhe deu uma mensagem de vida para partilhar.

Quando você se tornou cristão, da mesma forma se tornou mensageiro de Deus. Deus quer falar ao mundo através de você. Paulo disse:

[Nós] falamos diante de Deus com sinceridade, como homens enviados por Deus [2 Co 2.17].

Você pode sentir que não tem nada para compartilhar, mas isso é apenas o Diabo tentando mantê-lo em silêncio. Você tem um depósito de experiências que Deus deseja utilizar para trazer outras pessoas para a família que é a igreja. A Bíblia diz:

Quem crê no Filho de Deus tem em si mesmo esse testemunho [1 Jo 5.10].

Sua mensagem de vida está dividida em quatro partes:

• Seu testemunho, a história de como você iniciou um relacionamento com Jesus.

• Suas lições de vida. as mais importantes lições que Deus lhe ensinou.

• Suas paixões de origem divina: as questões pelas quais você mais se interessa, segundo a forma que Deus lhe deu.

• As boas-novas, a mensagem da salvação.

Sua mensagem de vida inclui seu testemunho. O testemunho é a história de como Cristo foi importante na sua vida. Pedro nos diz que fomos escolhidos por Deus para fazer sua obra e falar por ele, a fim de dizer aos outros, noite e dia, a diferença que ele fez para vocês [1 Pe 2.9]. Esta é a essência do testemunho: simplesmente partilhar suas experiências pessoais no que diz respeito ao Senhor. Em um tribunal, não se espera que a testemunha debata o caso, comprove a verdade ou insista em determinado veredicto. Esse é o trabalho dos advogados. A testemunha simplesmente conta o que lhe aconteceu ou o que viu.

Jesus disse:[Vocês] serão minhas testemunhas [At 1.8], e não “Vocês serão meus advogados”. Ele quer que você conte sua história para os outros. Dar seu testemunho é uma das partes principais de sua missão na terra, porque é original. Não há outra história exatamente igual à sua, então somente você pode contá-la. Se você deixar de partilhá-la, ela será perdida para sempre. Você pode não ser um estudioso da Bíblia, mas é uma autoridade quando se trata de sua vida; também porque é difícil argumentar com uma experiência pessoal. Na prática, seu testemunho pessoal é mais eficaz que um sermão, porque as pessoas que não crêem vêem os pastores como vendedores profissionais, mas vêem a você como um “cliente satisfeito”; logo, lhe dão mais credibilidade.

Histórias pessoais também são mais fáceis de relatar do que princípios, e as pessoas adoram ouvi-las. Elas captam nossa atenção e ficam em nossa memória por mais tempo. Os incrédulos provavelmente perderiam o interesse se você começasse a citar teólogos, mas têm uma curiosidade natural sobre experiências que nunca tiveram. Histórias compartilhadas criam uma ponte de relacionamento por onde Jesus pode atravessar de seu coração para o delas.

Outro mérito do testemunho é o fato de ele contornar as defesas intelectuais. Muitas pessoas que não aceitariam a autoridade da Bíblia irão dar ouvidos a uma modesta história pessoal. Foi por isso que, em seis ocasiões distintas, Paulo usou seu testemunho, em vez de citar as Escrituras [At 22-26]. A Bíblia diz:

Estejam sempre prontos para responder a qualquer pessoa que pedir que expliquem a esperança que vocês têm. Contudo, façam isso com mansidão e respeito [1 Pe 3.15-16].

A melhor forma de “estarmos preparados” é escrever nosso testemunho e então decorar os pontos principais. Divida-o em quatro partes:

1. Como era a minha vida antes de conhecer Jesus.

2. Como percebi que precisava de Jesus.

3. Como comprometi minha vida com Jesus.

4. A diferença que Jesus faz na minha vida.

Você logicamente tem muitos outros testemunhos, além do relato de sua salvação. Você tem um relato para cada experiência na qual Deus o auxiliou. Você deve fazer uma lista de todos os problemas, circunstâncias e crises das quais Deus o salvou.

Então seja sensível e utilize o relato que melhor se relacione com seu amigo incrédulo. Situações diferentes pedem testemunhos diferentes.

Sua mensagem de vida inclui suas lições de vida. A segunda parte de sua mensagem de vida são as verdades que Deus lhe ensinou a partir de suas experiências com ele. Existem lições e discernimentos que você aprendeu sobre Deus, relacionamentos, problemas, tentações e outros aspectos da vida. Davi orou:

Deus, ensina-me as lições da vida, para que eu me mantenha no curso [Sl 119.33].

Deploravelmente, muitas vezes deixamos de aprender com várias coisas que nos acontecem. Sobre os israelitas, a Bíblia diz:

Repetidas vezes Deus os resgatou, mas eles nunca aprenderam — até que finalmente seus pecados os destruíram [Sl 106.43].

Você provavelmente já conheceu pessoas assim.

Embora seja sábio aprender com nossas experiências, é ainda mais sábio aprender com as experiências dos outros. Não há tempo suficiente para aprender tudo na vida por tentativa e erro. Devemos aprender com as lições de vida dos outros. A Bíblia diz:

Quando alguém está querendo aprender, o conselho de uma pessoa experiente vale mais do que anéis de ouro ou jóias de ouro puro [Pv 25.12].

Escreva as principais lições de vida que aprendeu, para que possa partilhá-las com os outros. Devemos ser gratos a Salomão por tê-lo feito, pois ele nos deu os livros de Provérbios e Eclesiastes, os quais estão repletos de lições práticas de vida. Imagine quantas frustrações inúteis poderiam ser evitadas se aprendêssemos com cada lição de vida das pessoas que nos cercam.

Pessoas maduras desenvolvem o hábito de extrair lições das experiências do dia-a-dia. Eu o encorajo a fazer uma lista de suas lições de vida. Você não deve ter tido a oportunidade de ponderar a respeito delas, a menos que as tenha anotado. Eis algumas perguntas para cutucar sua memória e fazê-lo começar:

• O que Deus me ensinou com o fracasso?

• O que Deus me ensinou com a falta de dinheiro?

• O que Deus me ensinou com a dor, tristeza ou depressão?

• O que Deus me ensinou pela expectativa?

• O que Deus me ensinou com a doença?

• O que Deus me ensinou com a decepção?

• O que aprendi com minha família, minha igreja, meus relacionamentos, meu grupo pequeno e com os que me criticam?

Sua mensagem de vida inclui partilhar as paixões que Deus lhe deu. Nosso Deus é um Deus apaixonado. Ele ama apaixonadamente algumas coisas e apaixonadamente detesta outras. À medida que você se aproximar dele, ele lhe dará uma enorme paixão por algo que realmente importa a ele, de modo que você possa ser seu porta-voz no mundo. Pode ser uma paixão por um problema, por um princípio ou por um grupo de pessoas. O que quer que seja, você se sentirá compelido a falar a esse respeito e a fazer o que estiver a seu alcance para mudar a situação.

Você não consegue deixar de falar sobre aquilo que mais lhe importa. Jesus disse:

… o coração do homem determina o que ele fala [Mt 12.34].

Dois exemplos disso são: Davi, que disse:

O grande interesse que tenho por ti e pela tua casa arde como uma fogueira dentro de mim [Sl 69.9].

E Jeremias, que disse:

A tua mensagem fica presa dentro de mim e queima como fogo no meu coração. Estou cansado de guardá-la e não posso mais agüentar [Jr 20.9].

Deus dá a algumas pessoas o ardor para defender uma causa. É geralmente um problema que foi sentido na pele, como violência, vício, esterilidade, depressão, doença ou alguma outra dificuldade. Algumas vezes Deus dá às pessoas uma paixão para falar em nome de grupos que não podem falar por si sós: os que ainda não nasceram, os perseguidos, os pobres, os encarcerados, os maltratados, os desprovidos e os que não tiveram direito à justiça. A Bíblia está cheia de orientações para defendermos os indefesos.

Deus usa pessoas apaixonadas para impulsionar o seu Reino. Ele poderá lhe dar o ardor de começar novas igrejas, fortalecer famílias, financiar traduções da Bíblia ou treinar líderes cristãos. Você pode ter recebido uma paixão, dada por Deus, para alcançar determinado grupo de pessoas com o evangelho: homens de negócios, adolescentes, estudantes estrangeiros, jovens mães ou os que praticam determinado esporte ou passatempo. Se você pedir a Deus, ele fará seu coração arder por um país ou por um grupo étnico específico que precise desesperadamente de um vigoroso testemunho cristão.

Deus nos dá diferentes paixões, para que se concretize tudo que ele quer que seja feito no mundo. Você não deve esperar que alguém se entusiasme pela sua paixão. Em vez disso, devemos ouvir e valorizar as mensagens de vida uns dos outros, porque ninguém tem como dizer tudo. Jamais menospreze a paixão dada por Deus a outra pessoa. A Bíblia diz:

É bom sempre ser zeloso pelo bem [Gal 4.18].

Sua mensagem de vida inclui as boas-novas. O que são as boas-novas, ou evangelho? No evangelho é revelada a justiça de Deus, uma justiça que do princípio ao fim é pela fé [Rm 1.17]. Pois Deus estava em Cristo, reconciliando o mundo consigo mesmo, não levando mais em conta o pecado das pessoas contra ele. Essa é a maravilhosa mensagem que ele nos deu para contar aos outros [2 Co 5.19]. As boas notícias são que, quando confiamos na graça de Deus para nos salvar pelo que foi realizado por Jesus, nosso pecados são perdoados, passamos a ter um propósito para viver e nos é prometido um futuro lar no céu.

Existem centenas de ótimos livros que ensinam a pregar o evangelho. Mas nem todo o treinamento do mundo irá motivá-lo a testemunhar de Cristo enquanto você não tiver assimilado as cinco convicções expressas no capítulo anterior. O mais importante é que você aprenda a amar aos perdidos da forma que Deus os ama.

Deus nunca deu vida a uma pessoa por quem não sentisse amor. Todos importam para ele. Quando Jesus estendeu os braços na cruz, ele estava dizendo: “Eis o tanto que o amo!”. A Bíblia diz:

Pois o amor de Cristo nos constrange, porque estamos convencidos de que um morreu por todos [2 Co 5.14].

Sempre que você se sentir apático sobre sua missão no mundo, passe algum tempo pensando sobre o que Jesus fez por você na cruz.

Você deve se preocupar com os que não crêem, porque Deus se preocupa. O amor não lhe dá outra escolha. A Bíblia diz:

No amor não há medo; o amor que é totalmente verdadeiro afasta o medo [1 Jo 4.18].

Um pai se lançaria para dentro de um prédio em chamas a fim de salvar o filho, porque seu amor por aquele filho é maior que seu medo. Se você tem medo de partilhar o evangelho de Deus com aqueles que estão ao redor, peça a Deus que encha seu coração de amor por essas pessoas.

A Bíblia diz:

[Deus] não quer que ninguém se perca, mas que todas as pessoas mudem seu coração e sua vida [2 Pe 3.9].

Assim que você conhece uma pessoa que não conheça a Cristo, você precisa começar a orar por ela, servindo-a com amor e partilhando as boas-novas. E, enquanto existir uma única pessoa em sua comunidade que não faça parte da família de Deus, sua igreja precisa insistir em buscá-lo. A igreja que não quer crescer está dizendo ao mundo: “Vocês podem ir para o inferno”.

O que você está disposto a fazer para que as pessoas que você conhece possam ir para o céu? Convidá-las a vir à igreja? Contar sua história? Presentear-lhes este livro? Levá-las para jantar? Orar por elas diariamente até que sejam salvas? Seu campo missionário está ao seu redor. Não perca as oportunidades que Deus está lhe dando. A Bíblia diz:

Aproveitem o máximo das suas oportunidades para contar a Boa-Nova aos outros. Sejam sábios em todos os seus contatos com eles [Col 4.5].

Alguém irá para o céu por sua causa? Será que alguém no céu poderá lhe dizer “Eu gostaria de lhe agradecer. Estou aqui porque você se importou o suficiente para me falar do evangelho”? Imagine a alegria de encontrar no céu pessoas que você ajudou a chegar lá. A salvação eterna de uma única vida é mais importante que tudo o mais que você possa conseguir na vida. Somente as pessoas irão durar para sempre.

Neste livro, você aprendeu os cinco propósitos de Deus para sua vida na terra: ele o fez para ser membro de sua família, exemplo de seu caráter, alguém que engrandece sua glória, ministro de sua graça e mensageiro do evangelho. Desses cinco propósitos, o quinto pode ser realizado somente na terra. Os outros quatro você continuará exercendo na eternidade, de uma forma ou de outra. Por isso é tão importante propagarmos as boas-novas; você só tem um curto espaço de tempo para partilhar sua mensagem de vida e cumprir sua missão.

DIA 37

PENSANDO SOBRE MEU PROPÓSITO

Um tema para reflexão: Deus quer dizer algo ao mundo por meu intermédio.

Um versículo para memorizar: Estejam sempre prontos para responder a qualquer pessoa que pedir que expliquem a esperança que vocês têm. Porém façam isso com educação e respeito (1 Pedro 3.15 b, 16a; NTLH).

Uma pergunta para meditar: Ao refletir sobre minha história pessoal, percebo que ela é mais adequada a essa ou àquela pessoa. Com quem Deus gostaria que eu a partilhasse?

[Vida com Propósito] Dia 36 – Feito para uma missão

Do mesmo modo que me deste uma missão no mundo, eu dei a eles uma missão no mundo. João 17.18; Msg

A coisa mais importante é que eu cumpra minha missão, o trabalho que o Senhor Jesus me deu para fazer. Atos 20.24; Msg

Você foi feito para uma missão.

Deus está atuando no mundo e quer que você se junte a ele. Essa atribuição é conhecida como sua missão. Deus quer que você tenha tanto um ministério no corpo de Cristo quanto uma missão no mundo. Seu ministério é seu serviço junto aos que crêem [Col 1.25], e sua missão é seu serviço junto aos que não crêem. Cumprir sua missão no mundo é o quinto propósito de Deus para sua vida.

A missão de sua vida é tanto comum quanto específica. Parte dela é uma responsabilidade compartilhada com todos os outros cristãos, e a outra parte é uma tarefa separada exclusivamente para você. Veremos ambas as partes nos próximos capítulos.

A palavra “missão” tem sua raiz na palavra latina para “remeter”, ou “enviar”. Ser cristão inclui ser enviado ao mundo como representante de Jesus Cristo. Jesus disse:

Assim como o Pai me enviou, eu os envio [Jo 20.21].

Jesus entendeu nitidamente a missão de sua vida sobre a terra. Quando estava com doze anos de idade, ele disse:

Não sabeis que me convém tratar dos negócios de meu Pai [Lc 2.49].

E, 21 anos mais tarde, morrendo na cruz, ele disse:

Está consumado[Jo 19.30].

Como capa e contracapa de um livro, essas duas declarações emolduram uma vida plena, que foi dirigida por um propósito. Jesus completou a missão que lhe foi confiada pelo Pai.

A missão de Jesus na terra agora é nossa missão, pois somos o corpo de Cristo. Por que devemos continuar na igreja, que é seu corpo espiritual, o que ele fez em seu corpo físico? Que missão é essa? Apresentar Deus às pessoas! A Bíblia diz:

Deus […] por meio de Cristo, nos transforma de inimigos em amigos dele. E Deus nos deu a tarefa de fazer com que os outros também sejam amigos dele [2 Co 5.18].

Deus quer resgatar os seres humanos de Satanás e reconciliá-los consigo, para que possamos cumprir os cinco propósitos para os quais ele nos criou: amá-lo, ser parte de sua família, tornar-nos semelhantes a ele, servi-lo e contar aos outros a respeito dele. Uma vez que pertençamos a ele, Deus nos usará para alcançarmos outras pessoas. Ele nos salva e então nos envia. A Bíblia diz:

Estamos aqui falando em nome de Cristo [2 Co 5.20].

Somos os mensageiros de Deus e espalhamos as boas-novas de seu amor e de seus propósitos para o mundo.

A IMPORTÂNCIA DE SUA MISSÃO

Cumprir sua missão na terra é parte essencial de viver para a glória de Deus. A Bíblia apresenta várias razões pelas quais sua missão é tão importante.

Sua missão é uma continuação da missão de Jesus sobre a terra. Como seus seguidores, devemos continuar o que Jesus começou. Jesus não nos chama apenas para vir a ele, mas também para ir por ele. Sua missão é tão importante que Jesus a repetiu cinco vezes, de cinco formas diferentes, em cinco livros diferentes da Bíblia [Mt 28.19-20; Mc 16.15; Lc 24.47; Jo 20.21; At 1.8]. É como se ele estivesse dizendo: “Eu realmente quero que você leve isso a sério”! Estude essas cinco incumbências dadas por Jesus, e você aprenderá os detalhes de sua missão na terra — quando, onde, por que e como.

Na Grande Comissão, Jesus disse:

Vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a obedecer a tudo o que eu lhes ordenei [Mt 28.19-20].

Essa incumbência foi dada a todos os seguidores de Jesus, não somente a pastores e missionários. Esse é o seu compromisso com Jesus, e não se trata de algo opcional. As palavras de Jesus não são a “Grande Sugestão”. Se você faz parte da família de Deus, sua missão é compulsória. Desprezá-la seria um ato de desobediência.

Você talvez não esteja ciente de que Deus o pôs como responsável pelos incrédulos que vivem a sua volta. A Bíblia diz:

Você deve adverti-los para que eles possam viver. Se você não falar, não advertir os ímpios a parar de praticar o mal, eles morrerão em seus pecados, mas eu colocarei sobre você a responsabilidade pela morte deles [Ez 3.18].

Você pode ser o único cristão que algumas pessoas jamais irão conhecer, e sua missão é contar a eles sobre Jesus.

Sua missão é um privilégio formidável. Embora seja uma grande responsabilidade, é também uma incrível honra ser usado por Deus. Paulo disse:

Todas essas novas vêm de Deus, que nos trouxe de volta a si mesmo por meio daquilo que Cristo Jesus fez. E Deus nos deu o privilégio de insistir com todos para que se tornem aceitáveis diante dele e se reconciliem com ele [2 Co 5.18].

Sua missão envolve dois grandes privilégios: trabalhar com Deus e representá-lo. Somos parceiros de Deus na construção de seu Reino. Paulo nos chama colaboradores e diz que somos companheiros de trabalho no serviço de Deus [2 Co 6.1].

Jesus assegurou nossa salvação, aceitou-nos em sua família, deu-nos seu Espírito Santo e então nos tornou seus representantes no mundo. Que privilégio! A Bíblia diz:

Somos representantes de Cristo. Deus nos usa para persuadir homens e mulheres a deixar de lado suas diferenças, a entrar no trabalho de Deus e a fazer as coisas corretas entre eles. Estamos falando por Cristo agora: Tornem-se amigos de Deus [2 Co 5.20].

Contar aos outros como obter a vida eterna é a melhor coisa que você pode fazer por eles. Se seu vizinho tivesse câncer ou AIDS e você soubesse a cura, seria criminoso reter tal informação. Ainda pior seria guardar segredo sobre o caminho para o perdão, o propósito, a paz e a vida eterna. Temos a melhor de todas as novidades do mundo, e partilhá-la é o maior carinho que podemos mostrar a qualquer um.

Um problema dos cristãos que se converteram há muito tempo é terem esquecido de como é viver sem Cristo. Devemos nos lembrar de que, não importa quanto as pessoas pareçam estar felizes e bem-sucedidas, sem Cristo, elas estão irremediavelmente destinadas à separação eterna de Deus. A Bíblia diz que Jesus é o único que pode salvar o ser humano [At 4.12]. Todos precisam de Jesus.

O valor de sua missão é eterno. Ela fará diferença no destino eterno das outras pessoas; logo, é mais importante que qualquer emprego, realização ou objetivo que você possa alcançar durante sua vida na terra. As conseqüências de sua missão irão durar para sempre, mas as conseqüências de seu emprego não. Nada que você faça pode ser mais importante que ajudar as pessoas a estabelecer um relacionamento eterno com Deus.

Por isso precisamos ser diligentes com nossa missão. Jesus disse:

Todos nós devemos rapidamente cumprir as tarefas que nos foram entregues por aquele que me enviou, pois resta pouco tempo antes que caia a noite e todo trabalho chegue ao fim [Jo 9.4].

O relógio que controla a missão de sua vida está correndo, então não perca mais um dia. Inicie agora sua missão de trazer outras pessoas a Cristo! Teremos toda a eternidade para celebrar com aqueles que trouxemos a Jesus, mas só temos o período de nossa vida para alcançá-los.

Isso não significa que você tenha de desistir de seu trabalho para se tornar evangelista em tempo integral. Deus deseja que você partilhe as boas-novas no lugar onde estiver. Estudante, mãe e dona-de-casa, professor, vendedor, gerente: qualquer que seja a sua atividade, você deve sempre buscar as pessoas que Deus coloca em seu caminho, e com elas partilhar o evangelho.

Sua missão traz significado à sua vida. William James disse: “O melhor uso que se pode dar à vida é empregá-la em algo que sobreviva a ela”. A verdade é que somente o Reino de Deus irá permanecer. Todo o resto acabará desaparecendo. É por isso que devemos ter uma vida dirigida por propósitos — vidas empenhadas na adoração, na comunhão, no crescimento espiritual, no ministério e no cumprimento de nossa missão na terra. Os resultados dessas atividades irão durar — e para sempre!

Se falhar em cumprir a missão que Deus lhe deu na terra, você terá desperdiçado a vida que Deus lhe concedeu. Paulo disse:

Minha vida não tem nenhum valor, a menos que eu a use para realizar a obra que me foi confiada pelo Senhor Jesus — obra de contar aos outros as boas-novas sobre a maravilhosa bondade e sobre o amor de Deus [At 20.24].

Existem pessoas neste planeta que somente você poderá alcançar, em virtude de onde você vive e do que Deus o fez ser. Se ao menos uma pessoa for para o céu por causa de você, sua vida terá sido relevante para a eternidade. Comece a olhar em torno, em seu campo missionário pessoal, e ore: “Deus, quem você pôs na minha vida para que eu contasse a respeito de Jesus?”.

O cronograma de Deus para a finalização da história está relacionado à conclusão de nossa incumbência. Hoje em dia, há um interesse crescente na segunda vinda de Cristo e no fim do mundo. Quando isso ocorrerá? Logo antes de Jesus ter subido aos céus, os discípulos lhe fizeram a mesma pergunta, e a resposta foi bastante reveladora. Ele disse:

Não lhes compete saber os tempos ou as datas que o Pai estabeleceu pela sua própria autoridade. Mas receberão poder quando o Espírito Santo descer sobre vocês, e serão minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judéia e Samaria, e até os confins da terra [At 1.7-8].

Quando os discípulos quiseram conversar sobre as profecias, Jesus rapidamente mudou a conversa para o evangelismo. Ele queria que eles se concentrassem em sua missão no mundo. Em essência, ele disse: “Os detalhes da minha volta não são da sua conta. O que é da conta de vocês é a missão que lhes foi dada. Concentrem-se nisso!”.

Especular sobre o momento exato do retorno de Cristo é inútil, pois Jesus disse:

Quanto ao dia e à hora ninguém sabe, nem os anjos dos céus, nem o Filho, senão somente o Pai [Mt 24.36].

Como Jesus afirmou não saber nem o dia nem a hora, por que você deveria tentar calculá-lo? O que sabemos com certeza é isto: Jesus não irá voltar até que todas as pessoas que Deus separou para ouvir sua Palavra a tenham ouvido. Jesus disse:

As boas novas sobre o Reino de Deus serão pregadas em todo o mundo e a todas as nações. Depois virá o fim [Mt 24.14].

Se você quer que Jesus volte o mais rápido possível, concentre-se em cumprir sua missão, e não em desvendar a profecia.

É fácil nos distrairmos e desviarmos de nossa missão, porque Satanás nos prefere fazendo qualquer coisa, exceto partilhando a fé. Ele o deixará fazer todo tipo de boa ação, contanto que não leve ninguém para o céu consigo. Mas, no instante em que você começar a levar sua missão a sério, fique certo de que o Diabo irá lançar todo tipo de distração contra você. Quando isso acontecer, lembre-se das palavras de Jesus:

Todo aquele que se deixa desviar do trabalho que eu planejo para ele, não está apto para o Reino de Deus [Lc  9.62].

Quanto lhe custará cumprir sua missão

Cumprir sua missão irá exigir que você abandone seus planos pessoais e assuma os planos de Deus para sua vida. Você não pode apenas acumulá-la com todas as outras coisas que gostaria de fazer. Você deve dizer, tal qual disse Jesus:

Pai […] não seja feita a minha vontade, mas a tua [Lc 22.42].

Submeta seus privilégios, expectativas, sonhos, planos e ambições a Deus. Pare de fazer orações egoístas como: “Deus, abençoe o que quero fazer”. Em vez disso, ore: “Deus, ajude-me a fazer o que estás abençoando”! Entregue a Deus uma folha em branco, com seu nome assinado embaixo e peça para ele preencher. A Bíblia diz:

Antes entreguem-se inteiramente a Deus — o corpo todo — pois que vocês voltaram da morte e desejam ser instrumentos nas mãos de Deus, usados para seus bons propósitos [Rm 6.13].

Comprometendo-se com a realização de sua missão, aconteça o que acontecer, você irá experimentar a bênção de Deus de uma forma que poucas pessoas já experimentaram. Não há quase nada que Deus não faça pelo homem ou mulher que se comprometer em servir o Reino de Deus. Jesus prometeu:

[Deus] lhes dará tudo de que precisam no dia-a-dia se vocês viverem para ele e fizerem do Reino de Deus a sua preocupação primária [Mt 6.33].

“Mais um para Jesus”

Meu pai foi pastor por mais de cinqüenta anos, servindo principalmente em igrejas pequenas da zona rural. Ele era um simples pregador, mas era um homem com uma missão. Sua atividade favorita era levar equipes de voluntários ao exterior, a fim de erguer igrejas para pequenas congregações. Durante sua vida, papai ergueu mais de 150 igrejas por todo o mundo.

Em 1999, meu pai morreu de câncer. Na última semana de vida, a doença o mantinha acordado em estado de semiconsciência, quase 24 horas por dia. Quando sonhava, falava alto sobre o que estava sonhando. Sentado ao lado de sua cama, aprendi muito sobre meu pai, apenas escutando seus sonhos. Ele revivia seus projetos de construção, um após o outro.

Certo dia, já próximo ao fim, enquanto minha esposa, minha sobrinha e eu estávamos ao seu lado, papai ficou subitamente agitado e tentou levantar-se da cama. Logicamente, ele estava muito fraco, e minha esposa insistiu em que ele voltasse a se deitar. Mas ele insistia em tentar sair da cama, então minha esposa acabou por perguntar: “Jimmy, o que você está querendo fazer?”. Ele respondeu: “Tenho de salvar mais um para Jesus! Tenho de salvar mais um para Jesus! Tenho de salvar mais um para Jesus!”. Ele começou a repetir essa frase sem parar.

Na hora que se seguiu, ele provavelmente repetiu a mesma frase mais de cem vezes. “Tenho de salvar mais um para Jesus!” Quando me sentei próximo a sua cama, com as lágrimas escorrendo, inclinei a cabeça para agradecer a Deus pela fé de meu pai. Naquele momento, papai estendeu o braço, pôs sua frágil mão sobre minha cabeça e disse, como se estivesse me comissionando: “Salve mais um para Jesus! Salve mais um para Jesus!”.

Pretendo que esse seja o lema do resto da minha vida. E também o convido a considerar esse objetivo o foco de sua vida, porque nada fará diferença maior na eternidade. Se você quer ser usado por Deus, deve se importar com o que mais importa para Deus; e o que mais importa para ele é a redenção das pessoas que ele fez. Ele quer que seus filhos perdidos sejam encontrados! Nada interessa mais a Deus; a cruz prova isso. Oro para que você esteja sempre atento, a fim de alcançar “mais um para Jesus”, de maneira que, no dia em que você estiver diante de Deus, você possa dizer: “Missão cumprida”.

DIA 36

PENSANDO SOBRE MEU PROPÓSITO

Um tema para reflexão: Fui feito para uma missão.

Um versículo para memorizar: Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a obedecer a tudo o que eu lhes ordenei. E eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos (Mateus 28.19,20; NVI).

Uma pergunta para meditar: Que temores me impedem de cumprir a missão da qual fui incumbido por Deus? O que me impede de contar aos outros as boas-novas?

[Vida com Propósito] Dia 35 – O PODER DE DEUS NA FRAQUEZA

Somos fracos […] mas, pelo poder de Deus, viveremos com ele para servir vocês. 2 Coríntios 13.4; NVI

Eu estou com você; isso é tudo que você precisa. 2 Coríntios 12.9a; BV

Deus realmente gosta de usar pessoas fracas.

Todo o mundo tem fraquezas. Na verdade, você tem uma coleção de defeitos e imperfeições: físicas, emocionais, intelectuais e espirituais. Você também pode viver situações incontroláveis que o enfraquecem, como obstáculos financeiros e de relacionamentos. O mais importante é o que você faz com isso. Normalmente, negamos nossas fraquezas, as defendemos, damos desculpas, escondemos — e tornamos a senti-las. Isso impede que Deus as use da forma que deseja.

Deus tem uma perspectiva diferente de sua fraqueza. Ele diz: Os meus caminhos são mais altos do que os seus caminhos, e os meus pensamentos, mais altos do que os seus pensamentos [Is 55.9]; então, ele muitas vezes age de forma diametralmente oposta ao que esperamos. Imaginamos que Deus quer usar somente nossos pontos fortes; mas ele também quer usar nossas fraquezas para sua glória.

A Bíblia diz:

Deus escolheu […] para envergonhar os poderosos […] o que o mundo acha fraco [1 Co 1.27].

Suas fraquezas não são um acidente. Deus as permitiu em sua vida deliberadamente, a fim de demonstrar seu poder por meio de você.

Deus nunca ficou impressionado com a força ou a auto-suficiência. Aliás, ele é atraído por pessoas que são fracas e admitem isso. Jesus considera os que reconhecem as próprias necessidades, “pobres em espírito”. Essa foi a primeira atitude a ser abençoada por ele [Mt 5.3].

A Bíblia é cheia de exemplos sobre como Deus adora usar pessoas comuns e imperfeitas para realizar coisas extraordinárias, a despeito de suas fraquezas. Se Deus só utilizasse pessoas perfeitas, nada jamais seria realizado, porque nenhum de nós é impecável. Deus utiliza pessoas imperfeitas: esse é um fato animador para todos nós.

A fraqueza, ou “espinho”, como Paulo a chamou [2 Co 12.7], não é um pecado ou vício de caráter que você possa mudar, como, por exemplo, exagerar na comida ou ser impaciente. A fraqueza é qualquer limitação que você herdou ou não tem meios de alterar. Poderá ser uma limitação física, como uma deficiência, uma doença crônica, a vitalidade naturalmente baixa ou uma inaptidão. Poderá também ser uma limitação emocional, como a seqüela de um trauma, uma lembrança dolorosa, um comportamento peculiar ou algum fator hereditário. Ou poderá ainda ser uma limitação intelectual ou de suas habilidades. Nem todos somos absolutamente brilhantes ou talentosos.

Quando você pensa nas limitações de sua vida, pode sentir-se tentado a concluir: “Deus nunca poderia me usar”. Mas Deus jamais fica limitado pelas nossas limitações. Aliás, ele gosta de pôr seu grande poder em embalagens comuns. A Bíblia diz:

Somos como vasos de barro nos quais esse tesouro é armazenado. O poder real vem de Deus, e não de nós [2 Co 4.7].

Como a cerâmica comum, somos frágeis, falhos e quebramos com facilidade. Mas Deus irá nos usar, se permitirmos que ele trabalhe por meio das nossas fraquezas. Para que isso aconteça, devemos seguir o exemplo de Paulo.

Admita as suas fraquezas. Confesse suas imperfeições. Pare de fingir que é perfeito e seja honesto sobre si mesmo. Em vez de viver dando desculpas e se recusando a aceitar, identifique sem pressa suas fraquezas pessoais. Você pode até fazer uma lista delas.

Duas grandes confissões do Novo Testamento demonstram o que é necessário para uma vida saudável. A primeira foi de Pedro, que disse a Jesus:

Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo [Mt 16.16].

A segunda confissão foi feita por Paulo, que disse a uma multidão que o idolatrava:

Nós também somos humanos como vocês [At 14.15].

Se você quer que Deus o use, deve saber quem é Deus e quem é você. Muitos cristãos, principalmente líderes, esquecem da segunda verdade: somos apenas humanos! Se forem necessários problemas graves para que você admita isso, Deus não irá hesitar em permiti-los, porque ele ama você.

Regozije-se na sua fraqueza. Paulo disse:

Portanto, eu me sinto muito feliz em me gabar das minhas fraquezas, para que assim a proteção do poder de Cristo esteja comigo. Eu me alegro também com as fraquezas […] pelas quais passo por causa de Cristo [2 Co 12.9-10].

Em princípio, isso não faz nenhum sentido. Queremos ser libertos de nossas fraquezas, e não nos regozijarmos nelas! Mas o regozijo é uma manifestação da fé na bondade de Deus. É como se ele dissesse: “Deus, eu sei que você me ama e sabe o que é melhor para mim”.

Paulo nos dá várias razões para ficarmos felizes com as fraquezas que nasceram conosco. Primeiro, elas nos fazem depender de Deus. Falando a respeito da própria fraqueza, que Deus se recusou a eliminar, Paulo disse:

Já que eu sei que tudo é para o bem de Cristo, sinto-me bem feliz com o “espinho”, e com os insultos, as durezas, as perseguições e as dificuldades; porque, quando estou fraco, então sou forte — quanto menos tenho, mais dependo dele [ 2 Co 12.10].

Sempre que se sentir fraco, Deus o estará relembrando de que você depende dele.

Nossas fraquezas também previnem a arrogância. Elas nos mantêm humildes. Paulo disse:

Para que eu não ficasse muito orgulhoso, me foi dado o dom de uma deficiência, para me colocar em constante contato com minhas limitações [2 Co 12.7].

Deus em muitos casos junta uma grande fraqueza com uma grande força para manter nosso ego sob controle. A limitação pode agir como o controlador que nos impede de ir rápido demais e passar à frente de Deus.

Quando Gideão recrutou um exército de 32 mil homens para combater os midianitas, Deus os reduziu a apenas trezentos homens. Isso fez que suas chances no combate contra as tropas inimigas, que possuía 135 mil homens, ficassem reduzidas à proporção de 1 para 450. Isso, aparentemente, era a receita para a ruína, mas Deus agiu assim para que Israel soubesse que havia sido o poder de Deus, e não a força deles, que os havia salvado.

Nossas fraquezas também incentivam a comunhão entre os crentes. Enquanto a força gera um espírito independente (“Não preciso de mais ninguém”), nossas limitações demonstram quanto precisamos uns dos outros. Quando tecemos as frágeis fibras de nossa vida, uns com os outros, surge uma corda de grande força. Vance Havner brincava: “Os cristãos são como flocos de neve: isolados, são frágeis, mas, juntos, param o trânsito”.

Acima de tudo, nossas fraquezas aumentam nossa capacidade de ministrar e de sentir compaixão. Elas nos tornam mais propensos a ser atenciosos e a sentir compaixão pelas fraquezas dos outros. Deus quer que você tenha sobre a terra um ministério semelhante ao de Cristo. Isso significa que as outras pessoas deverão achar cura em suas feridas. Suas mais profundas mensagens de vida e seu ministério mais eficiente surgirão de suas dores mais profundas. As coisas que o deixam mais constrangido, mais envergonhado, as quais você reluta em partilhar, são os mesmos instrumentos que Deus usará com mais poder para curar os outros.

O grande missionário Hudson Taylor disse: “Todos os gigantes de Deus são pessoas fracas”. A fraqueza de Moisés era seu gênio. Em virtude de seu temperamento, ele assassinou um egípcio, feriu a rocha com a qual deveria conversar e quebrou as tábuas dos Dez Mandamentos. Ainda assim, Deus transformou Moisés em um homem muito paciente, mais do que qualquer outro que havia na terra [Nm 12.3].

As fraquezas de Gideão eram a baixa auto-estima e profunda insegurança, mas Deus o transformou em um … poderoso homem de valor [Jz 6.12]. A fraqueza de Abraão era o medo. Não uma, mas duas vezes, ele afirmou que a esposa era sua irmã para se proteger. Mas Deus transformou Abraão no pai de todos os que crêem [Rm 4.11]. Impulsivo e sem força de vontade, Pedro se tornou pedra [Mt 16.12], o adúltero Davi se tornou homem segundo o meu coração [At 13.22] e João, um dos arrogantes “Filhos do Trovão”, se tornou o “Apóstolo do Amor”.

A lista poderia seguir interminavelmente. Não tenho tempo para falar de Gideão, Baraque, Sansão, Jefté, Davi, Samuel e os profetas, os quais pela fé […] da fraqueza tiraram força [Hb 11.32-34]. Deus é especialista em transformar fraqueza em força. Ele quer pegar sua maior fraqueza e transformá-la.

Partilhe suas fraquezas de forma sincera. O ministério começa com a vulnerabilidade. Quanto mais você abaixa a guarda, tira a máscara e conta suas lutas, mais Deus poderá usá-lo para servir aos outros. Paulo foi um exemplo de vulnerabilidade em todas as suas cartas. Ele contava abertamente.

Suas falhas: Quando quero fazer o bem, não o faço e, quando tento não cometer erros, acabo errando do mesmo jeito [Rm 7.19].

Seus sentimentos: Meus queridos amigos de Corinto! Eu contei-lhes tudo quanto sentia; eu os amo de todo o coração [2 Co 6.11].

Suas frustrações: Fomos esmagados e totalmente oprimidos. Pensamos que jamais iríamos sobreviver àquela situação [2 Co 1.8].

Seus medos: Quando vim até vocês, eu estava fraco, amedrontado e trêmulo [1 Co 2.3].

É lógico que a vulnerabilidade é arriscada. Pode ser assustador baixar as defesas e abrir a vida aos outros. Quando você expõe seus fracassos, sentimentos, frustrações e temores, você arrisca ser rejeitado. Mas os benefícios valem o risco. A vulnerabilidade liberta emocionalmente. Quando nos abrimos, aliviamos a tensão e dissipamos nossos medos, o que é o primeiro passo rumo à libertação.

Nós já vimos que Deus “dá graça ao humilde”, mas muitos não compreendem a humildade. Ter humildade não é se rebaixar ou negar a própria força, mas ser sincero sobre suas fraquezas. Quanto mais franco você for, mais terá da graça de Deus. E também receberá graça dos outros. A vulnerabilidade é uma qualidade cativante. Somos naturalmente atraídos por pessoas humildes. A pretensão traz aversão, mas a autenticidade atrai, e a vulnerabilidade é o caminho para a intimidade.

É por isso que Deus quer usar suas fraquezas, e não apenas seus pontos fortes. Se as pessoas só puderem ver seus pontos fortes, irão desanimar e pensar: “Bem, melhor para ele; mas nunca poderei fazer isso”. Entretanto, quando vêem Deus usá-lo apesar de suas fraquezas, animam-se e pensam: “Talvez Deus também possa usar-me”! Nossos pontos fortes criam competição, mas nossas fraquezas criam a vida em comunidade.

Em algum ponto da vida, você terá de decidir se quer impressionar ou influenciar as pessoas. Você pode impressionar as pessoas de longe, mas tem de chegar perto para influenciá-las; e, quando você fizer isso, elas poderão ver suas imperfeições. Não há nenhum problema. A qualidade essencial em um líder não é a perfeição, mas a credibilidade. As pessoas devem ser capazes de confiar em você, caso contrário não o seguirão. Como você constrói credibilidade? Não fingindo ser perfeito, mas sendo sincero.

Glorie-se na sua fraqueza. Paulo disse:

Duma experiência assim vale a pena gloriar-se, porém não vou fazê-lo. Vou apenas gloriar-me de quão fraco sou e quão grandioso é Deus para usar uma fraqueza dessas para sua glória [2 Co 12.5].

Em vez de posar como ícone de invencibilidade e autoconfiança, veja a si mesmo como um troféu da graça de Deus. Quando Satanás apontar as fraquezas que você tem, concorde com ele e encha o coração de louvores a Jesus, que compreende todas as nossas fraquezas [Hb 4.15], e ao Espírito Santo, que nos ajuda em nossa fraqueza [Rm 8.26].

Algumas vezes, entretanto, Deus transforma um ponto forte em fraqueza, a fim de nos usar ainda mais. Jacó foi um manipulador, passou a vida conspirando e então fugindo das conseqüências. Certa noite, ele lutou com Deus e disse: “Eu não o deixarei ir enquanto não me abençoar”. Deus disse “Tudo bem”, mas então lhe deslocou a coxa do quadril. O que significa tudo isso?

Deus tocou a força de Jacó (o músculo da coxa é o mais forte do corpo humano) e a transformou em fraqueza. Daquele dia em diante, Jacó passou a mancar, para que jamais voltasse a fugir. Isso o forçou a depender de Deus, quer desejasse, quer não. Se você quer que Deus o abençoe e o use de forma poderosa, deverá estar disposto a mancar pelo resto da vida, pois Deus usa pessoas fracas.

DIA 35

PENSANDO SOBRE MEU PROPÓSITO

Um tema para reflexão: Deus opera melhor quando admito minhas fraquezas.

Um versículo para memorizar: Minha graça é suficiente para você, pois o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza (2 Coríntios 12.9a; NVI).

Uma pergunta para meditar: É possível que eu esteja limitando o poder de Deus na minha vida por esconder minhas fraquezas? Sobre o que preciso ser sincero para que possa ajudar às pessoas?