[Exortação] Comprovado: tecnologia atrapalha o desenvolvimento intelectual da criança!

tecnologia

Atenção, mães e pais que desejam criar filhos mais inteligentes. Pesquisas diferentes apontam na mesma direção, aquela que os sábios de todos os séculos que nos antecederam já sabiam. Não é o Baby Einstein que vai fazer seu filho mais inteligente. Não é ouvir Discovery em inglês; não é CD com Mozart (nada contra!), nem brincar com joguinhos inteligentes no tablet ou no iphone ou no computador, nem ligar a TV nos programas “educativos”.

O que vai fazer seu filho mais inteligente, melhor, mais humano, mais bacana é interagir com:

1- gente;

2 – livros.

Inúmeras pesquisas já deixam claro: bebês não precisam de brinquedos caros nem ipads; bebês até ao menos 18 meses se beneficiam pouco da interação social em grupo com outras crianças (quem aproveita bem esse contato são os vírus e bactérias). A melhor estimulação para eles são as trocas afetivas diretas, a interação com o outro, os cuidados do dia a dia – banho, refeição, conversa, passeios, o brincar com o cuidador. E mais tarde, os brinquedos simples e os livros, que permitem que a criança crie seu próprio universo lúdico e imaginário. Naqueles momentos preciosos em que seu filho está interagindo com você, com livros, com bonequinhos, uma casinha, uma caixa de papelão e contando uma história pra si mesmo em voz alta, pode ter certeza de que ali ele está se tornando uma pessoa melhor.

E ainda me aparece essa reportagem:

http://oglobo.globo.com/economia/creches-hi-tech-proliferam-no-rio-chegam-custar-mais-de-2-mil-por-mes-7605446

… mostrando que creches mais caras do Rio, as que cobram 2.500 reais colocam ipads no berçário. É curioso, pois a exposição precoce às telinhas e a estimulação excessiva pelos tecnologia é exatamente uma atividade nociva para o bebê, que queremos evitar.

A criança brasileira detém o recorde mundial de tempo de televisão: mais de cinco horas. Pois é, mais que os americanos. Incrível? Não: nossas crianças passam em média 3 a 4 horas na escola, contra 6 a 8 horas da galerinha do norte. Nossos filhos estão sendo educados por publicitários. E eles não são bobos. Já se incluirmos tablets e telefones, os americanos chegam a incríveis sete horas e meia. Com a portabilidade, o tempo de exposição aumentou exponencialmente.

Temos muitos motivos para deixar nossos filhos em frente à TV ou ao computador/tablet. É nosso próprio hábito, acabamos sendo permissivos para com nossos filhos. Todos sabemos como é difícil evitar: como a vida moderna nos pressiona a deixá-los tempo demasiado à frente da telinha. Quem tem filhos em idade escolar sabe como a pressão dos pares e da sociedade em geral faz com que esses aparelhos dominem o mundo do entretenimento, da educação, do lazer, das relações interpessoais. Mas precisamos permitir o excesso, ou pior, expor os bebês?

É preciso no mínimo saber que é nocivo e desnecessário. O tempo recomendado máximo de TV/tablets recomendado pelos experts da Academia Americana de Pediatria para crianças até dois anos é: zero! (no entanto, mais de 50% dos apps da Itunes Store são direcionados para crianças pequenas). Criar o hábito muito precocemente – por exemplo, oferecer um tablet a cada vez que seu filho demonstra um pouco de tédio – pode conduzir a um comportamento quase compulsivo, e a uma incapacidade de lidar com a vida real, que às vezes é simplesmente tediosa. É nos momentos de tédio que as crianças tem a oportunidade de ser criativas, de usar a imaginação, de aprender a fazer companhia a si próprias e a lidar com o estar só.

O excesso pode ter conseqüências mais sérias. O tempo de telinha está diretamente ligado à obesidade (a relação é simples: quanto mais tempo, mais quilos) e às dificuldades de atenção; a TV deixa as crianças no chamado “estado passivo alfa”- onde aprendem pouco, não questionam, não refletem, apenas absorvem as mensagens publicitárias. E em média uma criança brasileira é submetida a 15 a 20 anúncios de junk food (comida-veneno) por dia de televisão, além de mensagens que estimulam o consumismo desenfreado, a erotização precoce, a futilidade.

O pior brinquedo para uma criança é aquele em que ela aperta um botão e a coisa responde com uma ação qualquer. Como não há nenhum espaço para a criatividade e a fantasia, ela se cansa em minutos. E aí ela pede outro – o que é ótimo para o mercado. Os tablets e computadores, por mais “educativos” que sejam, oferecem cenários prontos, interações fechadas, limitadas. Alguns jogos são geniais, admiráveis e sem duvida pedagógicos. Mas certamente muito limitados diante do mundo infinitamente belo e complexo que é a imaginação e a criatividade de uma criança.

Fonte: https://www.facebook.com/pediatriaintegral

Anúncios

[Estudo Bíblico] Os Efeitos do Mundanismo na Família

LEITURA BÍBLICA

Gênesis 2.18, 21-24.

18 – E disse o SENHOR Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma adjutora que esteja como diante dele.

21 – Então, o SENHOR Deus fez cair um sono pesado sobre Adão, e este adormeceu; e tomou uma das suas costelas e cerrou a carne em seu lugar.

22 – E da costela que o SENHOR Deus tomou do homem formou uma mulher; e trouxe-a a Adão.

23 – f disse Adão: Esta é agora osso dos meus ossos e carne da minha carne; esta será chamada varoa, porquanto do varão foi tomada.

24 – Portanto, deixará o varão o seu pai e a sua mãe e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne.

INTRODUÇÃO

O Diabo sempre intentou des­truir a família (1 Pe 5.8). Entretanto, Deus tem colocado à disposição do crente um verdadeiro arsenal do Es­pírito Santo através da Bíblia Sagra­da: a oração, o jejum, a leitura bíbli­ca, o poder do sangue de Cristo e a comunhão com o Espírito Santo; são armas poderosas que devemos utili­zar para combater o Maligno em sua fúria contra a família (2 Co 10.4,5; Ap 12.11; 2Ts 3.3; 1 Jo 2. 13,14).

Nesta lição, apresentaremos al­gumas maneiras pelas quais pode­mos vencer esta luta.

I. O CASAMENTO, O LAR E A FAMÍLIA

1. Origem do casamento.

Deus viu que a solidão não seria boa para o homem (Sl 68.6; l l 3.9). Por isso, fez-lhe uma adjutora para vi­ver em sua companhia (Gn 2.1 8, 21-23). Deus uniu o homem à sua mu­lher, a fim de serem “uma só carne” (Gn 2.24). Portanto, a união conju­gal tem de ser monogâmica, heterossexual e indissolúvel. Ou seja: o casamento bíblico é a união de um homem com uma mulher até que a morte os separe. Fora disso, qual­quer tipo de união conjugal é “abominação ao Senhor” (Lv 18.22; 20.13; Rm 1.27; I Co 6.10).

2. Origem da família.

Antes de estabelecer a Igreja, Deus criou a família e determinou regras para o seu desenvolvimento. Embora o Criador haja destinado apenas uma mulher para o homem, o pecado levou o ser humano à poligamia, à fornicação e ao adultério, ignoran­do o padrão da vida conjugal esta­belecido por Deus (Gn 2.24; 4.1).

3. Origem do lar.

O primeiro lar foi formado por Deus. Neste lar havia amor, paz, saúde e alegria (Gn 2.25). Até o trabalho era realizado sem estresse (Gn 2.5,1 5). O mais im­portante, porém, era a presença de Deus (Gn 3.8a). Sendo esta também indispensável ao lar cristão, deve ser buscada e cultivada por todos os membros da família.

II. OS ATAQUES CONTRA O CASAMENTO

1. O ataque no Éden.

O pri­meiro ataque ao casamento ocorreu no Éden. Daquele episódio, surgiu a inclinação inata do ser humano para pecar, trazendo como conseqüência a iniqüidade, as doenças, o envelhecimento e a morte  física e espiritual

2. Formas iníquas de união.

Nestes dias trabalhosos e difíceis, os ataques (e como sempre disfar­çados e “justificados”) contra o ca­samento são os mais diversos. O que dizer do divórcio? Ou do casamento homossexual (Lv 18.22; 20.13; 1 Co 6.9-10, 1 Tm 1.10). Quem assim procede, sofrerá o juízo divino (Gn 19,5,24; l Rs 14.24; Rm 1.26; Hb 13.4; Jd v.7; Cl 6.7). O homossexualismo é um ataque fron­tal ao casamento.

A Igreja do Senhor Jesus, como “coluna e firmeza da verdade” (l Tm 3.1 5), não pode deixar de protestar contra tais coisas. O matrimônio deve ser valorizado conforme reco­menda a Palavra de Deus (Hb 13.4a).

III. OS ATAQUES CONTRA A FAMÍLIA

1. O primeiro ataque da serpente à instituição familiar

No Éden, o Diabo atacou frontalmente o casamento e a família. Por causa do pecado, o primeiro casal foi expulso do jardim (Gn 3.23,24), geran­do uma série de males entre os quais o assassinato de Abel (Gn 4.2-8). O pecado transtornou, profanou e per­verteu o ser humano (Rm 7.8-24).

2. Ataques à família.

Ao lon­go dos tempos, o inimigo vem ata­cando continuamente à família de diversas maneiras:

a) Infidelidade conjugal.

A von­tade de Deus é que os cônjuges se amem mutuamente (Ef 5.25; Tt 2.4). Temos de fugir da infidelidade (1 Co 6. 1 8a). O começo pode ser um olhar, uma conversa, levando em seguida à consumação do pecado. Para evi­tar a infidelidade conjugal, os côn­juges podem adotar medidas sim­ples, mas eficazes, sempre com a graça de Deus:

  • Buscara Deus em oração – orando juntos, diária e constantemente, o casal fortalece os laços espiritu­ais e conjugais (Mt 26.41);
  • Ler a Bíblia diariamente – é indispensável ao casal ler a Bíblia  todos os dias. Alguns dizem que não há tempo, mas a verdade inconteste é que “há tempo para todo o propósito debaixo do céu” (Ec 3.1);
  • O esposo deve dar prioridade a sua esposa – volte a cultivar o cari­nho, o afeto, e a expressão do amor conjugal para com a mulher de sua mocidade (Ef 5.25-28).
  • A esposa deve dar prioridade a sua esposo (Ef 5.33) A mulher cristã, com prudência e amor, torna-se um esteio contra a infidelidade con­jugal. Buscando a sabedoria divina, ela haverá de preencher as necessi­dades emocionais e afetivas de seu cônjuge.

b) A ausência de Deus no lar.

Nada pode preencher a falta de Deus no lar, a não ser o próprio Deus. A ausência de Deus no lar é a causa de alguns problemas que afetam o casamento e a família como um todo. Como vencer esse terrível ini­migo?

  • Cada membro da família, a par­tir do casal, deve tomar a decisão de servirão Senhor, sem nunca descuidar-se do culto doméstico. Faça como Josué: “Eu e minha casa servi­remos ao Senhor” (Js 24.15). Além disso, freqüente a igreja juntamen­te com o seu cônjuge e filhos.
  • Levar a família a valorizar a igreja local (Sl 122.1; 27.4; 84.10; Ec 5.1). É importante que os pais dêem exemplo aos filhos, não ape­nas mandando-os para a igreja, mas indo com eles à casa do Senhor. In­centive-os a tomar parte nas atividades da igreja local.

IV. FORTALECENDO O LAR CONTRA OS ATAQUES DO MAL

1. Os ataques modernos à família e como vencê-los.

Confor­me já dissemos, são muitos os ata­ques à família nos dias atuais.

a) A inversão de valores.

A fa­mília está sendo destruída por no­velas iníquas, escritas e produzidas por pessoas distanciadas dos valo­res legitimamente cristãos, e pelas publicações que zombam da Pala­vra de Deus (Is 5.20).

b) A tecnologia como instrumento do mal. 

A televisão e a internet, por exemplo, vêm sendo traiçoeira­mente usados pelo Diabo para con­taminar preciosas vidas. A Igreja do Senhor Jesus precisa, no poder do Es­pírito Santo, reagir contra o uso ina­dequado e pecaminoso desses mei­os de comunicação em massa. Se não reagirmos, a família cristã sofrerá pe­sadas conseqüências.

2. É necessário tomar posição

Josué afirmou: “… porém eu e a minha casa serviremos ao Senhor” (Js 24. 15). A maior parte dos ataques contra a família tem sucesso, por­que os responsáveis pelos lares cris­tãos não tomam diante de Deus, uma posição firme e corajosa con­tra essa perversa inversão de valo­res (Ef 6.4b; Dt 22.8).

3. É necessário temer Deus e andar nos seus caminhos.

“Bem-aventurado aquele que teme ao Se­nhor e anda nos seus caminhos!” (Sl 128. l). As promessas de que trata q salmo são bênçãos extraordinárias sobre a família, incluindo o líder, a esposa, os filhos e os filhos destes conforme promete Deus. Mas há um preço a pagar: Deus exige santidade no lar de quem lhe professa o nome (Hb 12.14; l Pe 1.15).

4. É necessário edificar a casa sobre a Rocha (Mt 7.24; Sl 127.1).

Edificar a casa “sobre a ro­cha” é edificar o casamento, o lar e a família, sobre Cristo Jesus, que é a “a pedra”, ou a rocha dos séculos (Mt 21.42; Lc 20.17; 1 Pe 2.7). Mui­tos crentes edificam sua casa sobre a areia (Mt 7.27), e amargam as conseqüências. Como está você construindo o seu lar?

CONCLUSÃO

Hoje, mais do que nunca, é necessário manter a família nos padrões estabelecidos por Cristo. Quando tomamos uma firme posição de manter o nosso lar na Palavra de Deus, como o fez Josué(24.15) certamente levaremos a nossa família a entrar na Arca, que é Cristo(Gn7).