[e-News] O fator Thalles Roberto, o movimento gospel e a idolatria da igreja

Thalles-Roberto-500x375 Hoje, depois da última manifestação pública de Thalles Roberto onde ele afirmou que encontra-se acima da média, e que os outros cantores evangélicos brasileiros são fracos, houveram por parte dos adeptos do movimento gospel uma veemente repulsa a fala do cantor.
 .
Pois é, os que outrora ovacionavam Thales demonstraram perplexidade com egocentrismo do artista.
 .
Caro leitor,  Thalles é fruto de uma igreja desnorteada que trocou as Escrituras pelo evangelho fácil. Ouso afirmar que os pastores são os maiores culpados por aquilo que vemos hoje em nossos arraiais.
 .
Sim! Culpados! Os pastores são culpados por terem cometido os seguintes erros:
1-) Permitiram que a direção de suas reuniões fossem terceirizadas entregando a liturgia do culto na mão do ministro de louvor.
 .
2-) Aceitaram a proposta do evangelho pragmático abandonando as verdades bíblicas em detrimento ao bem estar da congregação.
 .
3-) Abandonaram as Escrituras, relativizando a Palavra de Deus, criando assim ídolos na e dacongregação.
 .
4-)  Sacralizaram a música, “eudeusaram” os músicos e comercializaram a fé.
 .
5-) Sincretizaram a mensagem, negaram a piedade em nome de um falso evangelho cujo Deus é o dinheiro.
 .
6-) Fabricaram uma pseudo espiritualidade cuja característica principal encontra-se centrada no homem e suas vaidades.
 .
Diante do exposto chego a conclusão que Thalles é simplesmente a ponta do iceberg. Ele é consequência direta desse evangelho espúrio, filho bastardo de profetas e apóstolos e que através de suas pregações  nos escandalizam mostrando quão distante estamos do cristianismo bíblico.
 .
Pense nisso,
 .
 .

Assistam-no no vídeo abaixo:
.

SUPLEMENTO 1

Adriana Pinheiro
Goiânia, 17 de Julho de 2015

Há 24 anos, tenho servido ao Senhor na Cia Rhema e na igreja local com um grande encargo comissionado por Deus que é o de orar constantemente pelos artistas da Nação Brasileira.

Por isso fiquei muito triste ao ouvir (nesse vídeo) as palavras do cantor Talles Roberto a respeito do ministério e da Igreja do Senhor.

Precisamos parar de colocar em nossos púlpitos pessoas que se destacam somente pelo talento, sem antes serem aprovadas em seu caráter. Creio que o Caráter sempre é mais importante que o Carisma e o Talento.
Essa arrogante fala de Thalles Roberto mostra que nele não há encargo, e nem mesmo amor ao povo que o acolheu, e muito menos respeito a Deus e seus atributos.

Destaco abaixo algumas das frases absurdas que ele declarou no vídeo, e questiono em seguida entre parênteses:

Thalles:
“…estou acima da média, pois a música Gospel é tudo igual, e que qualquer um escreve e faz!! “

(Como assim qualquer um??? Não deve ser inspirado pelo Espírito Santo????)

Thalles:
“…música gospel é feita por um bando de gente fraca, e que fazer sucesso no meio cristão é igual a bater em bêbado!!!”

(Gente Fraca?? Hoje temos visto irmãos que não se balançam em sua fé nem diante da morte… mas permanecem firmes em seus princípios!)

Thalles:
“…música é mais poderosa que palavras…”

(Te convido a olhar fixamente a Jesus Cristo que, usando apenas PALAVRAS fez de seus ensinamentos um norte para todos os que nEle creem, ultrapassando fronteiras territoriais, línguas e culturas, perdurando até hoje, e subsistirá para sempre segundo a própria Escritura! Ele não precisou CANTAR para os discípulos, foram Palavras que Ele usou.)

Thalles:
“…eles me amam, me veneram…”

(Sem comentários!!!!!!!)

Thalles:
“… Deus me disse: Quero ver você no meio dos Grandes!! Lá fora…”

(Grandes?? Deus disse isso?? Na historia de Cristo, “grandes” são aqueles que servem, os humildes, sensatos e determinados a sempre colocarem Deus em evidência ao invés de estar no centro das atenções, ou satisfazendo os próprios desejos.)

Thalles:
“… quando eu gravar um CD falando de outras COISAS que não sejam Jesus, o Espírito Santo e a Cruz… vão falar que me desviei!”

(COISAS???!!! …Jesus, o Espírito Santo e a Cruz são coisas???? Você é um louco, e não tem temor!)

Olha Thalles, quanto a falar que você se desviou, não falarei, pois creio que o que você precisa é de uma verdadeira conversão em Cristo, algo que creio (avaliando suas palavras) que você ainda não teve.
Creio que Deus levanta ministros para diferentes obras, alguns dentro, e outros fora das paredes do prédio da Igreja, mas, o chamado (seja ele qual for) deve estar sujeito aos princípios da Palavra de Deus.

Mesmo os que trabalham fora das paredes precisam estar ligados ao corpo, ou então não são genuínos em sua conduta e ações.

Sei que a Igreja tem suas meninices, mas ela ainda é a Noiva de Cristo, e falar dela com arrogância ou de forma pejorativa, sem respeito e com desdém, pode provocar a IRA do Noivo, não acham?!!

Mesmo com o sucesso lhe subindo a cabeça, isso não lhe dá o direito de “cuspir” no prato que te alimentou, ou mesmo diminuir o trabalho de outros irmãos, que em minha opinião, tem muito a ensinar!

Lhe convido a olhar para: Asaph Borba, Adhemar de Campos, Ana Paula Valadão, Fernanda Brum, Alda Célia, e tantos outros milhares de servos, alguns anônimos, cheios do Espírito Santo que servem todos os domingos em suas localidades glorificando o nome de Deus em seus ministérios, e no dia a dia, conduzindo as pessoas a presença de Deus, que em minha opinião é o maior dos ministérios…

Você está falando de si mesmo como rico, famoso e inteligente, como alguém que não precisa de mais nada, nem de ninguém… mas quero te lembrar que: fama passa, dinheiro acaba, e inteligência não é sinônimo de sabedoria.

Que mancada Thalles!

Espero que você encontre a sanidade para perceber que só há um Deus! E nós, o restante, somos apenas servos!

Espero que quando você estiver em meio aos “grandes” (grandes na sua opinião) você possa perceber que só é GRANDE Aquele que te criou, e que, além dEle não há outro! E que GRANDE não é aquele que se destaca, mas sim aquele que executa os ensinamentos de Deus e Seus princípios.

Deus abate aos soberbos, mas exalta o humilde de coração! (Mateus 23.12, Lucas 14.11)

Minha oração é que Deus guarde todos os nossos irmãos que estão em evidência, para que se guardem de toda rebeldia, soberba, e arrogância, se submetendo ao Deus dos Céus, e cientes de que seus ministérios são para o crescimento da Igreja do Senhor, e não para eles mesmos!!

Adriana Pinheiro Diogo
Goiânia, 17 de Julho de 2015

“A soberba precede a ruína, e a altivez do espírito precede a queda.” (Provérbios 16:18)
“Abominação é ao Senhor todo o altivo de coração; não ficará impune mesmo de mãos postas.” (Provérbios 16:5)
“Portanto diz: Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes.” (Tiago 4:6)

 .

SUPLEMENTO 2

.

Outros fiascos dele:
.

Anúncios

[e-News] ABSURDO: Cobrança de Direitos Autorais sobre Músicas Gospel cantadas nos Cultos!

Amados, sei que a cada dia a nossa Igreja encontra-se mais SECULARIZADA, i.e., mais parecida com o PADRÃO DO MUNDO! Percebemos isso claramente na SECULARIZAÇÃO DO LOUVOR!

E, quando pensamos que não pode piorar, somos surpreendidos…

Gostaria de frisar que sou totalmente contrário a Pirataria, mas o que estão querendo fazer extrapóla o bom senso. Está escrito:

“Curai os enfermos, limpai os leprosos, ressuscitai os mortos, expulsai os demônios; de graça recebestes, de graça dai.Mateus 10:8

Imagine se Asafe, Davi e outros salmistas cobrassem das Sinagogas os direitos autorais por estarem usando os “seus salmos”(Salmos concedidos por inspiração do Espírito Santo) durante o Culto ao Senhor nosso Deus? Isso não seria no mínimo estranho?

Mas é isso que está para acontecer! Alguém mais tem dúvida de que o Louvor tornou-se mais um gênero comum do meio musical? Toda vez que algo SACRO torna-se COMUM, o termo Bíblico usado para expressar isso é PROFANAÇÃO! Misericóooooooordiaaaa……

Infelizmente, muitos que cantam Louvor, não são Levitas do Senhor e creio que são estes que têm profanado a adoração ao Senhor!

Vejam a seguir a Carta da CCLI que algumas Igrejas receberam sobre essa cobrança, e a resposta desse órgão responsável(CCLI) depois que a TEMPESTADE DE INDIGNAÇÃO se levantou no meio evangélico e tirem suas próprias conclusões!

Vergonha,querem cobrar direitos autorais das músicas dentro dos templos evangélicos, além de terem músicas que são uma miséria sem conteúdo, agora os ratos gospeis apareceram para tomar mais dinheiro do ‘mercado evangélico’.
.
Muito já foi dito em alguns Blogs como o do Bispo Walter McAlister, do Renato Vargens entre tantos outros e eu não quero render mais assunto.
.
Como alguém havia perguntado se tudo o que foi dito, principalmente no blog do Pr Walter havia documento, provas, aqui está o que eu recebi, tirem sua próprias conclusões.
.

.

Os que já aderiram segundo o folder é: Pr Jabes de Alencar, Dr Alexandre Rocha Maia (Sedde Nacional da Igreja Metodista), Pr Paulo Davi e Silva (Primeira Igreja Batista de Curitiba).

 No verso da carta folder abaixo está como funciona a quantidade de cultos (reuniões), frequência dos assistentes, tudo classificados por tam,anhos:
.
.
O tema dessa miséria é: REGULARIZE SUA IGREJA, como se as igrejas estivessem sem a devida regularização, veja abaixo
.
.
Será que algum servo de Deus que seja advogado poderia se pronunciar?
.
Já passou da hora de orar para que Deus levante realmente compositores inspirados pelo Espírito Santo e não seja mercadores da fé.
.
É, como disse o Bipo Walter “Animais de rapina”.
.

Bereiano.

Abaixo está a resposta da CCLI tentando colocar “pano quente” sobre a “saia justa” criada!

O Púlpito Cristão, ciente da polêmica relacionada a cobrança de taxas de músicas utilizadas nos cultos, e na tarefa de buscar um maior esclarecimento do caso, repassa o comunicado oficial da CCLI. Confira abaixo:

São Paulo, 13 de setembro de 2012.

Lamentamos profundamente qualquer manifestação que seja feita com o objetivo exclusivo de denegrir autores e ministros de música. Com a finalidade de isentar igrejas, pastores, músicos, autores e ministros de música que participam da CCLI, e em razão dos questionamentos sobre a possibilidade de cobrança de direitos autorais por músicas cantadas e tocadas dentro das igrejas, esclarecemos o seguinte:

A CCLI fiscaliza ou cobra igrejas pelo direito de cantar e tocar músicas de autores brasileiros e estrangeiros?

Não, esta informação tem sido divulgada de forma equivocada e imprudente. A CCLI nunca irá impor ou obrigar a participação de nenhuma igreja em seus programas.

A Igreja PODE ser cobrada por tocar e cantar músicas durante os cultos?

Não. A Lei Federal 9.610 atribui a responsabilidade pela arrecadação e distribuição do direito de execução pública (cantar, tocar, interpretar uma música) exclusivamente ao ECAD (www.ecad.org.br), que, atualmente, tem esclarecido sua política de não fiscalizar as atividades de igrejas realizadas dentro do templo.

Algum dia, a Igreja PODERÁ ser cobrada por tocar e cantar músicas durante os cultos?

Não. A cobrança pelo que é cantado ou tocado durante os cultos, inclusive, já foi julgada inconstitucional pelos Tribunais por ferir a liberdade de culto. Além disso, tramitam no Congresso Nacional diversos Projetos de Lei que pretendem alterar a Lei de Direitos Autorais brasileira para que as igrejas sejam expressamente isentas pelo pagamento de direitos autorais das músicas que são cantadas ou tocadas em seus cultos. A CCLI apoia esta proposta de alteração que, inclusive, segue a mesma direção da legislação já existente em outros países onde estamos presentes.

A CCLI notifica igrejas ou cobra algum tipo de imposto?

Não. A CCLI envia informativos pelo correio e também realiza outros tipos de campanhas de conscientização sobre a Lei Federal 9.610. Por ser inapropriado, o termo “notificação” nunca foi utilizado em nossos materiais e nenhum “imposto” é cobrado pela CCLI, algo que, a propósito, só pode ser feito pelo Poder Público. Os valores apresentados correspondem aos serviços que oferecemos.

Então, o que a CCLI realmente faz?

Oferecemos às igrejas uma ferramenta prática e acessível para regularizar algumas de suas atividades na área de música, de acordo o Artigo 29 da Lei Federal 9.610. A Licença de Direitos Autorais, portanto, supre a necessidade de obter uma autorização prévia dos autores e permite que músicas possam ser utilizadas corretamente em materiais impressos, arranjos personalizados, sistemas de projeção ou bancos de dados, e também em gravações do louvor ao vivo em áudio ou vídeo. Além disso, a CCLI auxilia igrejas e autores participantes no processo de autorização de traduções e versões de músicas.Toda comunicação oficial e todo material institucional da CCLI apresenta claramente qual o limite das coberturas que oferecemos às igrejas, conforme descrição acima.

Quem pode participar da CCLI?

Qualquer igreja ou autor de músicas cristãs pode participar da CCLI e, em nenhum caso, a participação é obrigatória. Igrejas podem solicitar uma assinatura dos serviços pelo site http://www.ccli.com.br/assinatura e autores podem enviar um email para direitosautorais@ccli.com.br para receberem informações adicionais.

Quais autores já participam da CCLI?

Esta consulta pode ser feita diretamente pelo site http://www.songselect.com.br. Através deste portal, também disponibilizamos materiais e dados completos sobre milhares de músicas, incluindo autoria, administração de direitos, referências de temas, trechos de gravações, letras, traduções autorizadas, cifras e partituras oficiais de milhares de músicas em português, inglês e espanhol. Muitos já utilizam o SongSelect como fonte gratuita de pesquisa para “descobrir” quem é o autor ou quem administra os direitos de uma música, um pesadelo para que quer tem o cuidado de atribuir o crédito dos autores.

O que a CCLI faz com os valores recebidos das igrejas?

Os valores que recebemos por estes serviços são proporcionalmente convertidos em créditos para os autores, de acordo com a utilização de suas músicas em nossos programas.

Há mais de 20 anos, orientamos milhares de igrejas ao redor do mundo que já tomaram a decisão de respeitar e honrar o trabalho de autores que vivem (ou não) do ministério da música. A CCLI, portanto, assessora igrejas e autores participantes em questões legais e burocráticas (contratos, legislação, administração de catálogos, etc) relacionadas a direitos autorais aqui no Brasil e no mundo.

Sabemos que, muitas vezes, a simples utilização do termo “direito autoral” acaba se tornando sinônimo de “ameaça” apenas por falta de conhecimento ou entendimentos equivocados.

Por isso, reafirmamos que a CCLI nunca irá obrigar ou fiscalizar a participação de nenhum autor ou igreja. Nosso objetivo em todos os países onde estamos presentes é contribuir para que a música cristã seja respeitada, e para que autores e igrejas tenham as informações necessárias para decidir o que fazer em relação a este assunto.

Nossos canais de comunicação estão sempre à disposição pelo 0800-600-2254 ou pelo email ccli@ccli.com.br. Se precisar esclarecer alguma dúvida sobre a CCLI ou sobre direitos autorais, estamos à sua disposição.

Atenciosamente,

Daniel Freitas
Gerente de Operações, CCLI Brasil

Que Deus nos conceda discernimento nesses últimos dias, em nome de Jesus. Amém!!

[Apostasia] Música Gospel – Secularização do “Louvor”

Pastores conservadores proíbem Oficina G3 de tocar em evento

Repare nas mãos dos integrantes à esquerda!

O grupo Oficina G3 não vai mais participar da Exposição Agropecuária da cidade de Goianésia (GO) porque os pastores mais tradicionais pediram aos organizadores do evento cancelar a apresentação por não concordarem com o estilo musical da banda.

A Pecuária 2011 é um evento tradicional da cidade que reúne exposição de animais, máquinas e barracas do comércio municipal e além disso também traz shows de grupos consagrados tanto bandas seculares como bandas cristãs, católicas e evangélicas.

Mas neste ano o Sindicato Rural teve que acatar o pedido dos pastores e cancelou a participação da banda que representaria os evangélicos no evento.

O pastor da maior denominação da cidade entende que a presença dos músicos Jean, Duca, Juninho Afram e Mauro seria um mau exemplo para a juventude da cidade.

Os jovens que curtem o som da banda fizeram um abaixo-assinado para tentar impedir a ação de alguns dos líderes religiosos, mas foi em vão.

Segundo Wilson Portilho, Presidente do Sindicato Rural, realizador da festa, o cancelamento do show não teve nada a ver com o Sindicato que apenas recebeu a opinião dos pastores em cancelar, da mesma maneira que recebeu para contratar antes.

O pastor que não teve o nome revelado chegou a dizer que, caso a banda participasse da feira, os fiéis estariam proibidos de visitar a festa, não somente na noite do show, mas a qualquer dia do evento.

Fonte: Gospel Prime

Triste! O Melhor título para essa matéria seria:

Pastores COMPROMISSADOS COM A SANTIFICAÇÃO, COM A PALAVRA E, PORTANTO, COM JESUS proíbem Oficina G3 de tocar em evento

Estamos vivendo numa época onde a inversão de valores é FATO. E, por mais triste que seja, o meio evangélico está passando pelo mesmo processo. Isso é o que chamamos de SECULARIZAÇÃO da Igreja. Em outras palavras, de forma bem clara, a aparente “Igreja”(coloquei aspas pois a verdadeira Igreja busca a santificação) está se tornando MUNDANA, ou seja, está se conformando com o MUNDO.

SANTIFICAÇÃO

O QUE É

A santificação é a separação de alguém ou de alguma coisa, do mal para Deus. Santificação é o processo pelo qual Deus conforma a vida e a conduta do crente à imagem de Cristo.

Quando alguém é justificado, Deus declara-o justo; é alguma coisa que Deus opera POR nós. Mas a santificação é algo que Deus opera EM nós.

A justificação coloca-nos em relação certa com Deus, mas a santificação manifesta o fruto daquela relação. O fruto manifesta-se por uma separação do mal, DO MUNDO e uma consagração a Deus.

A palavra santificar, na língua original da Bíblia, significa cortar ou apartar, portanto, representa como Deus nos aparta do mundo, e também aparta de nós o mundo. Santificação envolve:

1. Separação do mundo, de todo o mal e impureza

 “Ouvi-me, ó levitas, santificai-vos agora, e santificai a casa do Senhor, Deus de vossos pais, e tirai do santuário a imundícia II Crónicas 29:5

Outras passagens indicam que a santificação exige separação da impureza : II Crónicas 35:6; Êxodo 19:10, 15; I Crónicas 15:12; Josué 3:5 e Jó 1:5. Com bastante atenção leia cada um destes versículos e verá que todos falam da purificação pessoal.

2. Consagração a Deus

Uma pessoa, um lugar ou uma coisa separada ou dedicada exclusivamente para o serviço de Deus, é consagrada. No Velho Testamento lemos que casas eram santificadas ao Senhor:

E quando algum santificar a sua casa, para ser santa ao Senhor, o sacerdote a avaliará, seja boa ou seja má; como o sacerdote a avaliar, assim será”; também Salomão, depois que terminou, consagrou o templo a Deus; pessoas foram consagradas a Deus – por exemplo, Jeremias: Antes que te formasse no ventre, te conheci, e, antes que saísses da madre, te santifiquei (consagrei ); às nações te dei por profeta.

3. Vida Santa

O resultado da santificação, purificação do pecado e consagração a Deus, é uma vida santa. A nova natureza de alguém que foi recriado em Cristo deseja apenas o que é puro, justo e incontaminado. À medida que Deus santifica o crente e este se santifica a si mesmo, a natureza moral de Deus – a santidade – forma-se na sua vida. Através do processo de santificação, Deus está a preparar o crente para o Seu reino:

Como, também, nos elegeu nele, antes da fundação do mundo, para que fôssemos santos e irreprensíveis, diante dele em amor. Efésios 1:4

Portanto, a todo aquele que nasceu de novo, em Cristo, é-lhe requerido uma vida santa. Toda as nossas palavras, pensamentos e ações têm de estar sujeitos ao controle do Espírito de Deus. Viver uma vida santa é um mandamento das Escrituras:

Fala a toda a congregação dos filhos de Israel, e diz-lhes: Santos sereis, porque Eu, o Senhor, vosso Deus, sou santo. Levítico 19:2

Portanto, santificai-vos, e sede santos, pois eu sou o Senhor, vosso Deus . Levítico 20:7

Ao ler estes versículos, compreendemos que Deus quer que o seu povo se separe do mal e da impureza, que seja conhecido, pela sua conduta e desejo de servir apenas a Deus.

Mas, como é santo aquele que vos chamou, SEDE VÓS, TAMBÉM, SANTOS em toda a vossa maneira de viver; porquanto está escrito: SEDE SANTOS, PORQUE EU SOU SANTO. I Pedro 1:15, 16

Portanto temos que ser SEPARADOS, DISTINTOS, LUZ EM MEIO AS TREVAS. Agora lhes pergunto, quando vocês examinam bandas, como a citada acima, é fácil perceber a SEPARAÇÃO, a DISTINÇÃO, ou seja, a SANTIFICAÇÃO? Ou seus estilos são quase idênticos ao Mundo? Uma pessoa sem informação conseguiria perceber que se tratam de crentes em Jesus, evangélicos, critãos, só de olhar o comportamento dos mesmos no palco ou seria mais fácil achar que era um grupo MUNDANO? Reflitam!

Atualmente, de acordo com as novas estratégias desenvolvidas pelas Igrejas para se ganhar novos membros, há uma necessidade de buscar satisfazer o gosto de todos, para que eles possam se sentir acolhidos e, portanto, decidirem se tornar “evangélicos”. Parace que a pregação da Palavra, a tempo e fora de tempo, com a intervenção indispensável do Espírito Santo não são suficientes para se conquistar novas almas para o Reino. Com isso, criamos uma Geração Gospel, mas não CRISTÃ. A Palavra da Santificação para esses  continua sendo “loucura”. O que é um indício de que permanecem como homens “naturais“, ou seja, não passaram pelo novo nascimento para se tornarem espirituais e entenderem a Palavra de Deus. Paulo escreveu:

Mas nós não recebemos o espírito do mundo, mas o Espírito que provém de Deus, para que pudéssemos conhecer o que nos é dado gratuitamente por Deus.

As quais também falamos, não com palavras de sabedoria humana, mas com as que o Espírito Santo ensina, comparando as coisas espirituais com as espirituais.

Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente.

Mas o que é espiritual discerne bem tudo, e ele de ninguém é discernido.

Porque, quem conheceu a mente do Senhor, para que possa instruí-lo? Mas nós temos a mente de Cristo. 1 Co 2:12-16

Para aqueles que acham que a atitude tomada pelos Pastores é EXAGERADA. CUIDADO! Caso você realmente não vê problema nenhum na Oficina G3 e não consegue aceitar a decisão dos Pastores por não conseguir entendê-la, EXAMINE-SE, existe uma grande possibilidade de você NÃO ter tido um encontro com Cristo. O novo nascimento, onde nos tornamos seres espirituais, não ocorreu em você. E Jesus disse:

Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus.

Disse-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? Pode, porventura, tornar a entrar no ventre de sua mãe, e nascer?

Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus.

O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito.

Não te maravilhes de te ter dito: Necessário vos é nascer de novo. Jo 3: 3-7

Em resumo, Jesus disse que somente aqueles que possuem o Espírito Santo irão entrar no Reino de Deus. E Paulo afirma que somente esses, que passaram por esse novo nascimento, conseguem discernir bem tudo.

Portanto, regozige-se você que consegue aplaudir a decisão tomada pelos Pastores, pois já faz parte do Reino de Deus e ele tem lhe capacitado a ter amente de Cristo!

Caso você não aceita ou entende, esse é o momento de pedir a Deus sabedoria. Primeiro, peça perdão pelo tempo de ignorância ou resistência à vontade dEle e busque conhecê-lo mais por meio de sua Palavra, para que você venha a se tornar um verdadeiro e maduro cristão, pois Jesus disse:

Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente sereis meus discípulos;

E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará. Jo 8:31-32

Só permanecendo na Palavra é que você é LIBERTO da escravidão do PECADO, das trevas e da IGNORÂNCIA espiritual. Tornando-se assim um representante de Cristo, um Cristão!

Jesus o abençoe!

Arauto de Cristo

Desabafo de um Pastor Evangélico: “Estou Cansado!”

  .

 Cansei! Entendo que o mundo evangélico não admite que um pastor confesse o seu cansaço. Conheço as várias passagens da Bíblia que prometem restaurar os trôpegos. Compreendo que o profeta Isaías ensina que Deus restaura as forças do que não tem nenhum vigor. Também estou informado de que Jesus dá alívio para os cansados. Por isso, já me preparo para as censuras dos que se escandalizarem com a minha confissão e me considerarem um derrotista. Contudo, não consigo dissimular: eu me acho exausto.

Não, não me afadiguei com Deus ou com minha vocação. Continuo entusiasmado pelo que faço; amo o meu Deus, bem como minha família e amigos. Permaneço esperançoso. Minha fadiga nasce de outras fontes.

Canso com o discurso repetitivo e absurdo dos que mercadejam a Palavra de Deus. Já não agüento mais que se usem versículos tirados do Antigo Testamento e que se aplicavam a Israel para vender ilusões aos que lotam as igrejas em busca de alívio. Essa possibilidade mágica de reverter uma realidade cruel me deixa arrasado porque sei que é uma propaganda enganosa. Cansei com os programas de rádio em que os pastores não anunciam mais os conteúdos do evangelho; gastam o tempo alardeando as virtudes de suas próprias instituições. Causa tédio tomar conhecimento das infinitas campanhas e correntes de oração; todas visando exclusivamente encher os seus templos. Considero os amuletos evangélicos horríveis. Cansei de ter de explicar que há uma diferença brutal entre a fé bíblica e as crendices supersticiosas.

Canso com a leitura simplista que algumas correntes evangélicas fazem da realidade. Sinto-me triste quando percebo que a injustiça social é vista como uma conspiração satânica, e não como fruto de uma construção social perversa. Não consideram os séculos de preconceitos nem que existe uma economia perversa privilegiando as elites há séculos. Não agüento mais cultos de amarrar demônios ou de desfazer as maldições que pairam sobre o Brasil e o mundo.

Canso com a repetição enfadonha das teologias sem criatividade nem riqueza poética. Sinto pena dos teólogos que se contentam em reproduzir o que outros escreveram há séculos. Presos às molduras de suas escolas teológicas, não conseguem admitir que haja outros ângulos de leitura das Escrituras. Convivem com uma teologia pronta. Não enxergam sua pobreza porque acreditam que basta aprofundarem um conhecimento “científico” da Bíblia e desvendarão os mistérios de Deus. A aridez fundamentalista exaure as minhas forças.

Canso com os estereótipos pentecostais. Como é doloroso observá-los: sem uma visitação nova do Espírito Santo, buscam criar ambientes espirituais com gritos e manifestações emocionais. Não há nada mais desolador que um culto pentecostal com uma coreografia preservada, mas sem vitalidade espiritual. Cansei, inclusive, de ouvir piadas contadas pelos próprios pentecostais sobre os dons espirituais.

Cansei de ouvir relatos sobre evangelistas estrangeiros que vêm ao Brasil para soprar sobre as multidões. Fico abatido com eles porque sei que provocam que as pessoas “caiam sob o poder de Deus” para tirar fotografias ou gravar os acontecimentos e depois levantar fortunas em seus países de origem.

Canso com as perguntas que me fazem sobre a conduta cristã e o legalismo. Recebo todos os dias várias mensagens eletrônicas de gente me perguntando se pode beber vinho, usar “piercing”, fazer tatuagem, se tratar com acupuntura etc., etc. A lista é enorme e parece inexaurível. Canso com essa mentalidade pequena, que não sai das questiúnculas, que não concebe um exercício religioso mais nobre; que não pensa em grandes temas. Canso com gente que precisa de cabrestos, que não sabe ser livre e não consegue caminhar com princípios. Acho intolerável conviver com aqueles que se acomodam com uma existência sob o domínio da lei e não do amor.

Canso com os livros evangélicos traduzidos para o português. Não tanto pelas traduções mal feitas, tampouco pelos exemplos tirados do golfe ou do basebol, que nada têm a ver com a nossa realidade. Canso com os pacotes prontos e com o pragmatismo. Já não agüento mais livros com dez leis ou vinte e um passos para qualquer coisa. Não consigo entender como uma igreja tão vibrante como a brasileira precisa copiar os exemplos lá do norte, onde a abundância é tanta que os profetas denunciam o pecado da complacência entre os crentes. Cansei de ter de opinar se concordo ou não com um novo modelo de crescimento de igreja copiado e que vem sendo adotado no Brasil.

Canso com a falta de beleza artística dos evangélicos. Há pouco compareci a um show de música evangélica só para sair arrasado. A musicalidade era medíocre, a poesia sofrível e, pior, percebia-se o interesse comercial por trás do evento. Quão diferente do dia em que me sentei na Sala São Paulo para ouvir a música que Johann Sebastian Bach (1685-1750) compôs sobre os últimos capítulos do Evangelho de São João. Sob a batuta do maestro, subimos o Gólgota. A sala se encheu de um encanto mágico já nos primeiros acordes; fechei os olhos e me senti em um templo. O maestro era um sacerdote e nós, a platéia, uma assembléia de adoradores. Não consegui conter minhas lágrimas nos movimentos dos violinos, dos oboés e das trompas. Aquela beleza não era deste mundo. Envoltos em mistério, transcendíamos a mecânica da vida e nos transportávamos para onde Deus habita. Minhas lágrimas naquele momento também vinham com pesar pelo distanciamento estético da atual cultura evangélica, contente com tão pouca beleza.

Canso de explicar que nem todos os pastores são gananciosos e que as igrejas não existem para enriquecer sua liderança. Cansei de ter de dar satisfações todas as vezes que faço qualquer negócio em nome da igreja. Tenho de provar que nossa igreja não tem título protestado em cartório, que não é rica, e que vivemos com um orçamento apertado. Não há nada mais desgastante do que ser obrigado a explanar para parentes ou amigos não evangélicos que aquele último escândalo do jornal não representa a grande maioria dos pastores que vivem dignamente.

Canso com as vaidades religiosas. É fatigante observar os líderes que adoram cargos, posições e títulos. Desdenho os conchavos políticos que possibilitam eleições para os altos escalões denominacionais. Cansei com as vaidades acadêmicas e com os mestrados e doutorados que apenas enriquecem os currículos e geram uma soberba tola. Não suporto ouvir que mais um se auto-intitulou apóstolo.

Sei que estou cansado, entretanto, não permitirei que o meu cansaço me torne um cínico. Decidi lutar para não atrofiar o meu coração. 

Por isso, opto por não participar de uma máquina religiosa que fabrica ícones. Não brigarei pelos primeiros lugares nas festas solenes patrocinadas por gente importante. Jamais oferecerei meu nome para compor a lista dos preletores de qualquer conferência. Abro mão de querer adornar meu nome com títulos de qualquer espécie. Não desejo ganhar aplausos de auditórios famosos. 

Buscarei o convívio dos pequenos grupos, priorizarei fazer minhas refeições com os amigos mais queridos. Meu refúgio será ao lado de pessoas simples, pois quero aprender a valorizar os momentos despretensiosos da vida. Lerei mais poesia para entender a alma humana, mais romances para continuar sonhando e muita boa música para tornar a vida mais bonita. Desejo meditar outras vezes diante do pôr-do-sol para, em silêncio, agradecer a Deus por sua fidelidade. Quero voltar a orar no secreto do meu quarto e a ler as Escrituras como uma carta de amor de meu Pai. 

Pode ser que outros estejam tão cansados quanto eu. Se é o seu caso, convido-o então a mudar a sua agenda; romper com as estruturas religiosas que sugam suas energias; voltar ao primeiro amor. Jesus afirmou que não adianta ganhar o mundo inteiro e perder a alma. Ainda há tempo de salvar a nossa. 

 

Pr. Ricardo Gondim
Soli Deo Gloria.

Fonte: Blog do autor