[Maná] O poder do pouco a pouco

“Eu os expulsarei aos poucos, até que vocês sejam numerosos o suficiente para tomarem posse da terra” (Êxodo 23:30).

Você já pediu a Deus que fizesse algo importante e sentiu-se desapontado diante da ação paulatina dEle, quando você esperava tudo de uma só vez?

É possível que você tenha um hábito que sabe não ser saudável. Já pediu a Deus que o eliminasse, mas desanima quando o progresso parece pouco significativo. Ou talvez, como os israelitas, se veja diante de ataques de adversários que parecem concentrar-se em sua destruição pessoal ou profissional. Por que Deus não nos concede vitória imediata ou aniquila os que tanto nos prejudicam?

Não há resposta simples. Essa passagem, porém, oferece uma pista sobre a natureza da atividade de Deus: Ele age de acordo com o próprio cronograma. A vontade divina é determinada pelo que é melhor para nós. As Escrituras dizem que “para o Senhor um dia é como mil anos, e mil anos como um dia. O Senhor não demora em cumprir a SUA promessa, como julgam alguns. Ao contrário, Ele é paciente com vocês” (2 Pe 3:8,9). Nosso Pai trabalha para o nosso bem eterno, mas cumpre Seu propósito a Seu modo e em Seu tempo.

Anime-se quando suas orações revelam progresso, mesmo que pareça mínimo. Deus está operando em sua vida e na dos que a rodeiam. Não demorará muito para que importantes transformações ocorram.

Reflita sobre isso no dia de hoje e ore comigo agora: “Deus, ajuda-me a ter paciência para esperar em Ti. Confesso que gostaria que todas as respostas surgissem agora, mas sei que o Teu tempo é perfeito. Capacita-me a perceber cada passo do progresso que está acontecendo. Em nome de Jesus, amém!”

Fonte

Descansar no Senhor…

“Veio uma voz de cima do firmamento que estava sobre a sua cabeça. Parando eles, abaixavam as suas asas”. (Ez 1.25.)

 

 

O que é este abaixar de asas? Muitas vezes as pessoas dizem: “Como é que se ouve a voz do Senhor?” Aqui está o segredo. Eles paravam e abaixavam as asas.

 

Todos nós já vimos um passarinho adejando as asas; embora parado, suas asas continuam bulindo. Mas aqui lemos que aqueles seres pararam e abaixaram as asas.

 

Algumas vezes, quando nos ajoelhamos diante de Deus, temos a sensação de um adejar em nosso espírito. Não ficamos realmente quietos na sua presença.

 

Uma pessoa amiga falou-me, há alguns dias, de um assunto sobre o qual tinha orado. “Mas”, disse ela, “não esperei até a resposta chegar”.

 

Ela não soube conservar-se quieta para ouvi-lo falar, mas desistiu de esperar e tomou suas próprias providências. O resultado foi desastroso e ela depois teve de voltar atrás.

 

Ah, quanta energia desperdiçada! Quanto tempo perdido por não deixarmos de agitar o nosso espírito e não permanecermos bem quietos diante dele! Oh, a calma, o descanso, a paz que nos vêm quando esperamos na sua presença até ouvirmos a sua resposta!

 

Então, ah, então podemos sair imediatamente, sem nenhuma hesitação, e seguir avante na direção que o Espírito nos indicar (Ez 1.1,20).

 

Fonte: Manaciais no Deserto