[Testemunho] Depois de alguns anos, a Banda Catedral faz um vídeo, onde conta toda a Verdade!

catedral1

O Início

Os boatos de que a banda negaram sua fé começaram a partir de 2000, quando a banda assinou contrato com uma grande gravadora secular, a Warner Music. O Catedral na época pertencia ao cast da gravadora MK Music e quando apareceu a oportunidade na Warner, o contrato que a banda e a gravadora MK Music tinham foi rescindido por acordo mútuo.

No processo de divulgação da nova gravadora, a banda concedeu entrevista para o site “Usina do Som”. Quando a entrevista foi publicada, nela constavam diversas frases supostamente ditas pelos componentes da banda e que ofendia a igreja e o mercado evangélico. A banda Catedral negou veementemente que quaisquer membro da banda tenha feito aquelas afirmações e acusou o site de ter distorcido o que fora realmente dito.

Após a publicação da entrevista no site “Usina do Som”, a gravadora MK Music divulgou que a rescisão ocorrera por não querer vincular-se à banda, já que fora demonstrado na entrevista que esta não tinha compromisso cristão. Em diversos pontos afirmava que a saída da banda do cast da gravadora havia sido uma espécie de punição.

Diante do abalo da imagem da banda, esta processou a gravadora MK Music e, após 10 anos, a banda saiu vitoriosa. Clique aqui e confira a notícia publicada no Gospel+ sobre este processo.

Catedral no Programa do Jô

Um dos boatos que espalhou de maneira mais eficiente no meio cristão foi o de que a banda Catedral teria participado do Programa do Jô e lá teria negado a Cristo três vezes, assim como o apóstolo Pedro. A equipe do Gospel+ procurou na internet evidências da particpação da banda, se possível um vídeo, mas nada encontrou.

No blog de Kim, vocalista do Catedral, ele fala sobre o assunto quando questionado: “Agora sobre o boato do Jô partir da nossa produção, só se você for louco pra pensar isso!  Quem inventou isso inventou de uma maneira tão diferente que mesmo sendo a coisa mais estúpida que eu já vi,  pegou como se fosse uma verdade sem ter cabimento algum pois nunca fizemos esse programa. O que podemos fazer? Nada…”.

Marcos Honorato, fã da banda Catedral, trouxe a um grupo de emails sobre a banda uma prova de que tal entrevista nunca teria ocorrido. Na mensagem enviada ao grupo, Marcos encaminhara um email que seria a resposta da produção do Programa do Jô ao seu questionamento sobre se havia ocorrido a entrevista com a banda Catedral – uma resposta negativa, afirmando que a banda nunca teria participado do programa. Clique aqui e confira o email.(ou veja foto abaixo)

catedralJo

Em entrevista recente para o site “Creio”, Kim afirmou: Só nós sabemos o que passamos. Fomos injustiçados por inverdades. Fomos massacrados”.

É Cristã?

Levando em conta que o principal boato que colocava a fé da banda “em xeque” nunca foi provado, que uma entrevista com afirmações aparentemente manipuladas tenha manchado a fama da banda e que a grvadora MK Music teria agido precipitadamente ao afirmar que a banda não tinha compromisso cristão, questionamos: podemos afirmar que a banda Catedral é cristã?

Obviamente não cabe a nós julgar o compromisso da banda com Deus. Entretanto, faz se importante destacar que antes de levarmos adiante algum boato, devemos pesquisar se aquilo que afirmamos é, de fato, verdade ou não.

Deixamos este espaço aberto para todo aquele que tem alguma informação extra sobre o assunto. Colabore comentando esta matéria com todos os dados que você tiver sobre o assunto.

Fonte: Gospel+

SUPLEMENTO

A Banda Catedral deixou de ser Gospel há alguns anos, pois entenderam que não possuíam um “Ministério de Louvor“, mas sim uma “Profissão Artística“. Ao contrário de muitos que têm enganados os neófitos da Fé, eles assumiram ser “Profissionais da Música” e nem por isso deixaram de ser cristãos. Veja o depoimento do Kim sobre isso, abaixo:

Para entenderem que a atitude tomada pela Banda não foi de Apostasia, assista ao vídeo abaixo, onde o Yago Martins explica bem a diferença entre o Ministério de Louvor e a Profissão Musical:

Abaixo segue o recente vídeo feito pela Banda dando o seu Testemunho sobre a Calúnia que sofreram. Assistam e fiquem por dentro de toda VERDADE. Fiquei chocado, pois também fui enganado e deixei de ouvir as músicas da Banda por causa dessa MENTIRA. Também já sofri muito por causa de calúnia, então sei o que eles passaram e sentiram.

Anúncios

[e-News] Projeto de bancada evangélica propõe legalizar ‘cura gay’

Projeto de bancada evangélica propõe legalizar ‘cura gay’

ANNA VIRGINIA BALLOUSSIER
DE SÃO PAULO

O paciente deita no divã e pede: não quero mais ser gay. O psicólogo deve ajudá-lo a reverter a orientação sexual? Parlamentares evangélicos dizem que sim e tentam reverter uma resolução do Conselho Federal de Psicologia.

Um projeto de decreto legislativo quer sustar dois artigos instituídos em 1999 pelo órgão. Eles proíbem emitir opiniões públicas ou tratar a homossexualidade como um transtorno.

Segundo o projeto do deputado João Campos (PSDB-GO), líder da Frente Parlamentar Evangélica, o conselho “extrapolou seu poder regulamentar” ao “restringir o trabalho dos profissionais e o direito da pessoa de receber orientação profissional”.

O conselho de psicologia questiona se o projeto pode interferir na sua autonomia. Para o presidente do órgão, Humberto Verona, estão lá normas éticas para combater “uma intolerância histórica”.

Deve-se curar a “síndrome de patinho feio”, e não “a homossexualidade em si”, diz Toni Reis, presidente da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais. Para ele, é o preconceito que leva um gay a procurar tratamento.

“[Ninguém diz] ‘cansei de ser hétero, vim aqui me transformar'”, completa Verona.

FREUD EXPLICA?

O estudante de direito e homossexual Fábio Henrique Andrade, 18, foi mandado para o psicólogo pela primeira vez com dez anos. O filho deveria “tomar jeito” antes que virasse gay, na opinião de sua família adotiva.

A voz fina tirava o pai do sério. “Falava que era de veado.” E também o fato de ele só brincar com as meninas.

Para o pastor e deputado Roberto de Lucena (PV-SP), cruel é deixar “um homem em conflito” ao léu psicológico. Ele é relator do projeto de Campos, hoje sob análise da Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara.

A princípio, Lucena crê que os pais têm o direito de mandar seus filhos para redirecionamento sexual. Mas reconhece que o tema deve ser discutido em audiência pública, prevista para as próximas semanas em Brasília.

Fonte: Folha.com

Postem seus comentários!! Paz…