[Exortação] Qual o problema em ficar?

Ficar

Não é difícil escutar em conversas entre os jovens, comentários sobre com quem “ficaram” ou com quem estão “ficando”. O “ficar” é um termo atual não no sentido original, mas representando um relacionamento breve, passageiro, descompromissado e imediatista entre os jovens. “Essa moda começou nos anos 90 em nosso próprio país, antes o beijo e o carinho só acontecia quando o casal estava namorando ou dentro de um contexto de compromisso sentimental, diferente do que muitos pensam, não são todos os países que aderiram esse costume de beijar sem se envolver” afirma o psicoterapeuta Flávio Gikovate.

A questão do “ficar” também é assunto nas igrejas brasileiras, muitos jovens evangélicos acreditam que “ficar” é o primeiro passo para conhecer uma pessoa ou para começar um relacionamento, outros acreditam que não faz diferença em “ficar” ou “não ficar”. Já maioria dos pastores do cenário brasileiro descordam das “justificativas” dos jovens que beijam sem antes ter um compromisso, a maioria das igrejas não vem problema do casal se beijar no namoro, mas não aprovam o “ficar” antes do relacionamento começar. Mas por que seria errado “ficar”? Qual o problema nisso?

Para responder essa questão vamos analisar de uma forma diferente, já ouvi explicações de que “ficar” é um ato sem compromisso e agir sem um propósito desagrada a Deus (Provérbios 19:21), também já aprendi que é um grave erro querer conhecer alguém através do “ficar”, pois isso demonstra que nosso foco inicial não é conhecer a outra pessoa, tentar um relacionamento com alguém que você não conhece bem e sem direção de Deus é chamado de “vontade da carne” pela bíblia, ação que desagrada a Deus (Romanos 13:14). Também ouvi um pastor declarar a seguinte frase:

“Não se preocupe em conhecer a pessoa pelo beijo, ensinar a pessoa beijar depois é fácil, difícil é ensinar uma pessoa a ser fiel a Deus e a você”.

Acredito que essas justificativas são muito válidas, mas podemos analisar essa questão de uma forma diferente, tente imaginar como Jesus trataria esse tema, será que Jesus se importaria se estou “ficando” ou não?

O tema “ficar” em si não era algo da época de Jesus, mas o objetivo do evangelho nunca foi dizer se isso ou aquilo é errado, e sim transformar o coração das pessoas, o objetivo de Jesus não era proibir as pessoas de fazer algo e obriga-las a fazer outra coisa. Em 1 Corintios 6:12 está escrito:

“tudo me é permitido, mas nem tudo me convém, tudo me é permitido, mas eu não deixarei que nada me domine”

Você é livre pra fazer o que quiser, mas conforme o evangelho vai entrando em nosso coração percebemos o que convém e o que não convém fazer, percebemos o que agrada o Espirito de Deus e o que não agrada. Alguns podem descordar de mim, mas se Jesus estivesse em carne hoje não proibiria ninguém de ficar, imagino Jesus ensinando o evangelho do reino,  se relacionando conosco a ponto de percebemos quão besta e insignificante é o “ficar”, ou fazer qualquer outra coisa sem a direção de Deus e propósito. Se você ainda tem dúvida de qual o problema em ficar, a resposta é simples, tudo depende de quanto o evangelho está em você, tudo depende de até que ponto você está se relacionando com Deus. Temos que concordar em uma coisa, pense comigo, nós queremos experimentar a Deus sem compromisso e acabamos fazendo o mesmo nos relacionamentos com pessoas, se não conseguimos ter o compromisso com Deus em oração, em entrega e em amor, o que dizer sobre o “ficar”?

Bom é saber que Jesus continua atuando hoje, querendo transformar nosso coração, querendo nos levar até a sua vontade como está escrito em Romanos 12:2:

“Não vos conformeis com este mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, assim conheceram a vontade de Deus, que é boa, perfeita e agradável”.

Que Deus nos ajude e busquemos ao Senhor até seu evangelho nos desprender de nós mesmos. Amém!

Fonte: GospelPrime

SUPLEMENTO

Entendam como se desenvolve um Namoro Cristão:

[Exortação] Casamento não é pra você!

 

casamento

Estando casado apenas por um ano e meio, eu recentemente cheguei à conclusão de que casamento não é para mim. Agora, antes que você comece a imaginar coisas, continue lendo.

Eu conheci minha esposa na escola, quando tínhamos 15 anos. Nós éramos amigos havia dez anos, até que…  até que decidimos que não queríamos ser apenas amigos. Eu recomendo fortemente que melhores amigos se apaixonem. Haverá bons tempos para todos.

No entanto, me apaixonar por minha melhor amiga não me impediu de ter certos medos e ansiedades sobre me casar. Quanto mais eu e Kim nos aproximamos da decisão de nos casarmos, mais eu fui tomado por um medo paralisante. Eu estava pronto? Eu estava fazendo a escolha correta? Kim era a pessoa certa para mim? Ela me faria feliz?

Então, certa noite, eu compartilhei esses pensamentos e preocupações com meu pai.

Talvez cada um de nós tenha momentos em nossas vidas em que parece que o tempo fica mais lento, ou o ar fica parado, e tudo ao nosso redor parece encolher, marcando aquele momento que você nunca vai esquecer.

Meu pai dando suas respostas às minhas preocupações foi um grande momento para mim. Com um sábio sorriso ele disse, “Seth, você está sendo totalmente egoísta. Então eu vou simplificar as coisas: casamento não é para você. Você não se casa para ser feliz, você se casa para fazer alguém feliz. Mais que isso, seu casamento não é para você, você está casando para uma família. Não apenas para os parentes e todas essas besteiras, mas pelos seus futuros filhos. Quem você quer que te ajude a criá-los?  Quem você quer que os influencie? Casamento não é para você. Não é sobre você. Casamento é sobre a pessoa com quem você se casou.”

Foi nesse exato momento que eu soube que Kim era a pessoa certa para mim. Eu percebi que eu queria fazê-la feliz; vê-la sorrir todos os dias, vê-la gargalhar todos os dias. Eu queria ser parte da família dela, e a minha família queria que ela fosse parte da nossa. E lembrando de todas as vezes em que a vi brincando com meus sobrinhos, eu soube que ela era a pessoa com quem eu gostaria de construir nossa própria família.

O conselho de meu pai foi ao mesmo tempo chocante e revelador. Foi na contramão da “filosofia Walmart” de hoje, que é: se não te faz feliz, você pode devolver e pegar um novo.

Não, um verdadeiro casamento (e um verdadeiro amor) nunca é centrado em você. É centrado na pessoa que você ama – seus desejos, suas necessidades, suas esperanças, e seus sonhos. O egoísmo exige: “O que há aí para mim?”, enquanto o amor pergunta: “O que eu posso dar?”

Há algum tempo, minha esposa me mostrou o que é amar sem egoísmo. Por muitos meses, meu coração endureceu com uma mistura de medo e ressentimento. Então, quando a pressão chegou a um nível insuportável, as emoções explodiram. Eu era insensível. Eu era egoísta.

Mas, ao invés de se igualar ao meu egoísmo, Kim fez algo além do maravilhoso – ela mostrou um transbordamento de amor. Deixando toda a dor e angústia que eu havia causado, ela amorosamente me tomou em meus braços e acalmou minha alma. Eu percebi que tinha esquecido o conselho do meu pai. Enquanto o lado de Kim no casamento tinha sido me amar, meu lado do casamento era só sobre mim. Essa terrível descoberta me levou às lágrimas, e eu prometi à minha esposa que iria tentar ser melhor.

Para todos que estão lendo esse texto – casados, quase casados, solteiros, ou mesmo solteirão ou solteirona – eu quero que você saiba que casamento não é para você. Nenhuma relação de amor verdadeiro é para você. O amor é para a pessoa que você ama.

E, paradoxalmente, quanto mais você verdadeiramente ama essa pessoa, mais você recebe. E não apenas dessa pessoa, mas dos amigos dela e da família dela e milhares de outras pessoas que você nunca teria conhecido se seu amor permanecesse egoísta.

Na verdade, amor e casamento não são para você. São para os outros.

Fonte: http://zcla.wordpress.com/2013/11/07/casamento-nao-e-para-voce/

.

SUPLEMENTO

[Exortação] Namoro: o que a Bíblia diz sobre isso? – Wilson Porte

porte-namoro

Então, o que é o namoro? Uma vez que a Bíblia aparentemente não fala sobre isso, podemos praticá-lo como quisermos?

Pois é, nós não encontramos a palavra “namoro” na Bíblia. Todavia, a Palavra de Deus fala de compromissos pré-nupciais (noivado) e pós-nupciais (sexo/casamento).

Um bom exemplo que temos é o relacionamento entre José e Maria. Eles eram noivos e não se conheciam sexualmente (Mt 1.18 e Lc 1.27). Havia um compromisso sério entre eles, que, na época, eram provavelmente adolescentes. Casamentos aconteciam cedo há dois mil anos atrás. Diferentemente de nosso tempo.

O namoro é um traço de nossa cultura que não existia na época bíblica. Os cristãos dão ao namoro o mesmo peso do noivado, entendendo-o como uma preparação para o casamento. Para os cristãos, namoro não é curtição, mas preparação.

Cristãos não namoram para se conhecer. Cristãos namoram porque já se conhecem o suficiente para caminhar um tempo, rumo ao matrimônio. Eu costumo colocar o namoro na mesma categoria do noivado. A Bíblia não me dá a categoria “namoro”. Logo, eu a defino com aquilo que há de mais próximo dela, o noivado.

A Bíblia não reconhece um relacionamento entre cristãos que não estejam se preparando para o casamento. Há muitos que afirmam: “será que todos os casais cristãos namoram para casar?” Realmente, eu não sei. Mas, deveriam! Se não podem pensar em casar, não devem nem começar a namorar.

O que a Bíblia diz sobre a pessoa com quem o cristão deve namorar? Será com qualquer um?

Quando Deus criou o homem, ele disse: “Não é bom que o homem esteja só” (Gn 2:18). Deus nos criou para que nos relacionássemos com outras pessoas. E o primeiro relacionamento que Deus proporcionou ao primeiro homem, foi o relacionamento com uma mulher.

Adão e Eva eram puros e tinham comunhão com Deus. Ali se via um relacionamento perfeito e agradável a Deus. Todavia, ambos deram as costas a Deus e a beleza do relacionamento entre homem e mulher começou a ser manchada.

Quando os seres humanos começaram a voltar-se para Deus, Deus começou a falar do cuidado que eles deveriam ter em seus relacionamentos. E a principal orientação foi: “Agora, pois, vossas filhas não dareis a seus filhos, e suas filhas não tomareis para vossos filhos” (Ed 9:12).

O que Deus está dizendo aqui? Quando os judeus voltaram do cativeiro babilônico, a terra em que entrariam estava abarrotada de gente “normal”, alguns diriam hoje. Mas, segundo Deus, pessoas com almas imundas, cheias de pecado e violência. Ou seja, pessoas que não temiam a Ele.

O ponto não era o fato de serem ou não judeus, mas de não temerem a Ele e Sua Palavra. E o conselho que Deus deu foi este: afastem-se deles.

Quer namorar e ser fiel a Deus? Então, comece excluindo os candidatos e candidatas que não estejam “no Senhor” (1Co 7.39), ou seja, que não estejam ligadas a Cristo. A pessoa que está ligada a Cristo é aquela que está crucificada com Cristo, que morreu para este mundo e que vive para a glória de Deus. É uma pessoa que traz você para mais perto de Deus. Pense nisso antes de começar a namorar!

Qual o conselho de Deus para alguém que quer namorar um incrédulo?

Via de regra, o conselho de Deus no Antigo Testamento (Ed 9-10, Ne 13.26, Am 3.3) sempre foi que o Seu povo não se casasse nem se relacionasse de modo sério com pessoas que não O temessem.

No Novo Testamento, o conselho não mudou. Deus continuou aconselhando seus filhos e filhas a casarem-se somente com pessoas que fossem, como eles, “templo do Espírito Santo”, ou seja, pessoas regeneradas (2Co 6.14-7.1; 1Co 7.39b).

A tristeza de Esdras no capítulo 9 de seu livro é algo que falta na vida dos cristãos de nosso tempo. A razão de sua tristeza era que a maioria do povo havia se casado com pessoas que não temiam a Deus.

Hoje, não há arrependimento, mas remorso. Não há disposição para obedecer a Deus, mas ao próprio coração. A tristeza de Esdras nos lembra que é possível nos arrependermos de algo que fizemos, ainda que esse algo pareça ser tão inofensivo, tão bobo, tão pequeno.

Quer namorar e ser fiel a Deus? Então, esqueça aquele rapaz que “parece” um anjo, mas que, aos olhos de Deus, está repleto de trevas. Afinal, “que união há entre Cristo e Belial? Ou que parte tem o fiel com o infiel? E que consenso tem o templo de Deus com os ídolos? Porque vós sois o templo do Deus vivente” (2Co 6.14-16).

Se você é um filho de Deus e deseja ouvir o conselho de Seu Pai, então você deve deixar todo e qualquer namoro com um não-convertido, afastar-se dele, não tocá-lo, não andar mais com ele. Se você fizer isso, Deus promete que você será filho(a) dele, e que Ele será o seu Deus.

PS: ASSISTA AO VÍDEO E VEJA COMO PROCEDER NUM NAMORO!

Por Wilson Porte. www.wilsonporte.blogspot.com.br. Ministério Fiel © Todos os direitos reservados. Website: www.MinisterioFiel.com.br / www.VoltemosAoEvangelho.com. Original: Namoro: o que a Bíblia diz sobre isso? – Wilson Porte

[Exortação] Namorados que se masturbam cometem pecado?

Signo-carinho-Thinkstock_e_Getty_Imagesma
.

Eu nunca fui para a cama com o meu namorado. Nós não fazemos sexo com penetração, o problema é que as vezes nós nos masturbamos por acaso será isso um pecado?
 .
Por mais incrível que possa parecer essa tem sido a pergunta de muitos jovens cristãos. Na verdade, nossas igrejas estão repletas de jovens que masturbam-se mutuamente acreditando que com isso não estão pecando contra Deus. Eu mesmo já ouvi algumas pessoas dizendo que se não houver penetração, vale qualquer coisa.
 .
Caro leitor, ainda que as Escrituras em nenhum momento trate da masturbação, por razões claras e óbvias todos aqueles que se masturbam pecam contra o Senhor, isto porque,  a prática de estimular o próprio órgão sexual ou do namorado afronta o padrão de moralidade e decência estabelecido pelo Criador. Ora, a Bíblia é extremamente clara em afirmar que o prazer do sexo pertence exclusivamente aos casados e que aqueles que desfrutam de relacionamentos sexuais fora do casamento pecam contra Deus.
 .
Outro fato importante é que nunca soube de ninguém que se masturbasse sem que contudo cobiçasse outra pessoa.
 .
Prezado amigo, cobiçar o namorado ou a namorada constitui pecado e imoralidade. Se não bastasse isso, o namorado que estimula sexualmente a namorada e vice-versa, defrauda o seu irmão em Cristo tomando para sim algo que ainda não lhe pertence.
 .
Isto posto, afirmo sem titubeios que toques, intimidades e liberdades sexuais segundo as Escrituras é um direito exclusivo dos casados, portanto, se você é daqueles que ultrapassa os limites estabelecidos por Deus em sua Palavra,  desobedece as orientações do Senhor trazendo sobre si a condenação.
 .
Veja abaixo alguns versos bíblicos que tratam sobre a imoralidade sexual:
 .
“…mas, por causa da imoralidade, cada um deve ter sua esposa e cada mulher o seu próprio marido.” 1 Coríntios 7:2
 .
“Entre vocês não deve haver nem sequer menção de imoralidade sexual como também de nenhuma espécie de impureza e de cobiça; pois essas coisas não são próprias para os santos.” Efésios 5:3
 .
“Assim, façam morrer tudo o que pertence à natureza terrena de vocês: imoralidade sexual, impureza, paixão, desejos maus e a ganância, que é idolatria.” Colossenses 3:5
 .
“Também não se arrependeram dos seus assassinatos, das suas feitiçarias, da sua imoralidade sexual e dos seus roubos.” Apocalipse 9:21
 .
“Vocês não sabem que os perversos não herdarão o Reino de Deus? Não se deixem enganar: nem imorais, nem idólatras, nem adúlteros, nem homossexuais passivos ou ativos,, nem ladrões, nem avarentos, nem alcoólatras, nem caluniadores, nem trapaceiros herdarão o Reino de Deus.” 1 Coríntios 6:9-10
 .
“Ora, as obras da carne são manifestas: imoralidade sexual, impureza e libertinagem…” Gálatas 5:19
 .
“Entre vocês não deve haver nem sequer menção de imoralidade sexual como também de nenhuma espécie de impureza e de cobiça; pois essas coisas não são próprias para os santos. Não haja obscenidade, nem conversas tolas, nem gracejos imorais, que são inconvenientes, mas, ao invés disso, ações de graças. Porque vocês podem estar certos disto: nenhum imoral, ou impuro, ou ganancioso, que é idólatra, tem herança no Reino de Cristo e de Deus.” Efésios 5:3-5
 .
“A vontade de Deus é que vocês sejam santificados: abstenham-se da imoralidade sexual. Cada um saiba controlar o seu próprio corpo de maneira santa e honrosa…” 1 Tessalonicenses 4:3-4
 .
“Amados,peço-vos, que abstenhais das concupiscências carnais que combatem contra a alma; Tendo o vosso viver honesto entre os gentios; para que glorifiquem a Deus pelas obras que em vós observem” 1 Pe 2:11
 .

[Exortação] 10 Coisas que os Jovens em um Relacionamento Sério Devem Saber

10 Coisas que os Jovens em um Relacionamento Sério Devem Saber

Jared C. Wilson

Jared C. Wilson é pastor da igreja Middletown Springs Community em Middletown Springs, Vermont (EUA) e autor de vários livros. Jared é casado com Becky, com quem tem 2 filhas, Macy e Grace.
.
.

1. O seu desejo de fazer sexo com a pessoa amada não é ruim. Seria um problema diferente para nos preocuparmos caso você não desejasse. A chave é que o desejo de glorificar a Cristo deve ser maior do que o desejo de fazer sexo com quem você ama.

2. A chave para que o desejo de glorificar a Cristo seja maior do que o desejo de fazer sexo é que essa decisão deve ser tomada repetidamente.

3. As pessoas que estão em um relacionamento sério demonstram seu melhor comportamento. Portanto, seja qual for esse comportamento agora, pode-se esperar que, com o tempo, vai “piorar“. Conforme a intimidade aumenta, as pessoas tendem a baixar a guarda. O casamento não resolve um mau comportamento, mas sim, dá a ele mais liberdade para aparecer. Garotas, se o seu namorado é controlador, desconfiado, manipulador ou te menospreza, ele ficará pior e não melhor, à medida que durar o seu relacionamento. Quaisquer que sejam as desculpas que você inventar ou as coisas que você relevar agora, ficará cada vez mais evidente e difícil de ignorar à medida que durar o seu relacionamento. Você não conseguirá consertá-lo, e o casamento não vai endireitá-lo.

4. Quase todos os cristãos que conheço os quais se casaram com um não cristão declaram seu amor pelo seu cônjuge e não se arrependem de terem se casado; no entanto, eles têm vivenciado uma dor profunda e um descontentamento com seu casamento por causa desse jugo desigual e, hoje, não aconselhariam um cristão a se casar com alguém que não seja cristão.

5. Considerar que você é especial e diferente, e que as experiências dos outros não refletem a sua, é uma visão pequena, insensata e arrogante. As pessoas que te amam e te avisam/aconselham sobre seu relacionamento talvez sejam ignorantes. De fato, existem pessoas assim. Mas há uma probabilidade bem maior de que seus pais, seus pastores, seus amigos casados há mais tempo sejam mais sábios do que você pensa.

6. Morar juntos antes do casamento é um fator que pode matar seu casamento.

7. O sexo antes do casamento não incentiva o rapaz a crescer, ter responsabilidade e a liderar sua casa e família.

8. O sexo antes do casamento fere o coração de uma garota, talvez imperceptivelmente no início, mas sem dúvidas com o passar do tempo, conforme ela troca os benefícios de uma aliança, mas sem a segurança da mesma. Não foi assim que Deus planejou que o sexo nos trouxesse satisfação. Nunca entregue o seu corpo para um homem que não tenha prometido a Deus total fidelidade a você dentro da aliança de casamento, isso implica em prestar contas a uma igreja local. Resumindo, não entregue seu coração a um homem que não presta contas a alguém que dê a ele uma disciplina piedosa.

9. Todos os seus relacionamentos, inclusive seu relacionamento de namoro, têm o propósito maior de trazer glória a Jesus do que proporcionar a você uma satisfação pessoal. Quando a prioridade máxima em nossos relacionamentos é a satisfação pessoal, ironicamente, acabamos nos sentindo totalmente insatisfeitos.

10. Você é amado por Deus com uma graça abundante através da obra redentora de Cristo. E esse amor que nos envolve pela fé em Jesus nos dá poder e satisfação do Espírito Santo para buscar relacionamentos que honrem a Deus e, através deles, aumentem a nossa alegria.

Tradução: Isabela Siqueira
Fonte: The Gospel Coalition

[Exortação] 10 dicas para não se casar com a pessoa errada.

.

Com a taxa de divórcio acima de 50%, aparentemente muitas pessoas estão cometendo um grave erro ao decidir com quem pretendem passar o resto de sua vida. Para evitar tornar-se uma “estatística”, tente interiorizar estes dez pontos a fim de não entrar em uma “fria”.

1. Não queira alguém porque espera que ele/ela mude depois do casamento.

O erro clássico. A regra de ouro é: Se você não pode ser feliz com a pessoa como ela é agora, não se case. Portanto, quando se trata da espiritualidade, caráter, higiene pessoal, habilidade de se comunicar e hábitos pessoais de outra pessoa, assegure-se de que pode viver com estes como são agora.

2. Não escolha alguém se preocupando mais com a química do que com o caráter.

A química acende o fogo, mas o bom caráter o mantém aceso. Esteja consciente da síndrome “Estar apaixonado”. “Estou apaixonado” freqüentemente significa “Sinto atração física.” A atração está lá, mas você averiguou cuidadosamente o caráter dessa pessoa?

Aqui estão quatro traços de personalidade para serem definitivamente testados:

Humildade: Esta pessoa acredita que “fazer a coisa certa” é mais importante que o conforto pessoal?
Bondade: Esta pessoa gosta de dar prazer aos outros? Como ela trata as pessoas com as quais não tem de ser agradável? Ela faz algum trabalho voluntário? Faz caridade?
Responsabilidade: Posso confiar que esta pessoa fará aquilo que diz que fará?
Felicidade: Esta pessoa gosta de si mesma? Ela aprecia a vida? É emocionalmente estável?
Pergunte-se: Eu desejo ser como esta pessoa? Quero ter um filho com esta pessoa? Gostaria que meu filho se parecesse com ela?

3. Você fica com a pessoa errada porque o homem não entende aquilo que a mulher mais precisa.

Homens e mulheres têm necessidades emocionais específicas, e quase sempre, é o homem que simplesmente “não consegue.” A tradição judaica coloca sobre o homem o ônus de entender as necessidades emocionais de uma mulher, e de satisfazê-las.Para a mulher, o mais importante é ser amada – sentir que é a pessoa mais importante na vida do marido. O marido precisa dar-lhe atenção consistente e verdadeira.

4. Não escolha pessoa com quem você não partilha metas de vida em comum e prioridades.

Existem três maneiras básicas de nos conectarmos com outra pessoa:

  • Química e compatibilidade
  • Partilhar interesses em comum
  • Compartilhar o mesmo objetivo de vida

Assegure-se de que você compartilha o profundo nível de conexão que objetivos de vida em comum proporcionam. Após o casamento, os dois crescerão juntos ou crescerão separados. Para evitar crescer separado, você deve entender para que “está vivendo” enquanto é solteiro – e então encontrar alguém que tenha chegado à mesma conclusão que você.

5. Você escolhe a pessoa errada porque logo se envolve sexualmente.

O envolvimento sexual antes do compromisso de casamento é pecado e está fora dos planos de Deus para o homem.
Não é necessário fazer um “test drive” para descobrir se um casal é sexualmente compatível. Se você faz a sua parte e tem certeza que é intelectual e emocionalmente compatível, não precisa se preocupar sobre compatibilidade sexual. De todos os estudos feitos sobre o divórcio, a incompatibilidade sexual jamais foi citada como o principal motivo para as pessoas se divorciarem.

6. Não fique com quem você não tem uma profunda conexão emocional com esta pessoa.

Para avaliar se você tem ou não uma profunda conexão emocional, pergunte: “Respeito e admiro esta pessoa?”

Isso não significa: “Estou impressionado por esta pessoa?” Nós ficamos impressionados por um Mercedes. Não respeitamos alguém porque tem um Mercedes. Você deveria ficar impressionado pelas qualidades de criatividade, lealdade, determinação, etc.

Pergunte também: “Confio nesta pessoa?” Isso também significa: “Ele ou ela é emocionalmente estável? Sinto que posso confiar nele/nela?”

7. Não escolha alguém com quem não se sente emocionalmente seguro.

Faça a si mesmo as seguintes perguntas: Sinto-me calmo, relaxado e em paz com esta pessoa? Posso ser inteiramente eu mesmo com ela? Esta pessoa faz-me sentir bem comigo mesmo? Um outro aspecto de sentir-se seguro é que você não sente que a outra pessoa está tentando controlá-lo. Controlar comportamentos é sinal de uma pessoa abusiva. Esteja atento para alguém que está sempre tentando modificá-lo. Há uma grande diferença entre “controlar” e “fazer sugestões.” Uma sugestão é feita para seu benefício; uma declaração de controle é feita para o benefício de outra pessoa.

8. Não fique com quem você não tem liberdade para abrir o coração e conversar.

Tudo aquilo que o aborrece no relacionamento deve ser trazido à baila para discussão. Falar sobre aquilo que incomoda é a única forma de avaliar o quão positivamente vocês se comunicam, negociam e trabalham juntos. No decorrer de toda a vida, as dificuldades inevitavelmente surgirão. Você precisa saber agora, antes de assumir um compromisso: Vocês conseguem resolver suas diferenças e fazer concessões que sejam boas para ambas as partes?

Nunca tenha receio de deixar a pessoa saber aquilo que o incomoda. Esta é também uma maneira para você testar o quanto pode ficar vulnerável perante esta pessoa. Se você não pode ser vulnerável, então não pode ser íntimo. Os dois caminham juntos.

9. Não use o relacionamento para escapar de problemas pessoais e da infelicidade.

Se você é infeliz e solteiro, provavelmente será infeliz e casado, também. O casamento não conserta problemas pessoais, psicológicos e emocionais. Na melhor das hipóteses, o casamento apenas os exacerbará.

Se você não está feliz consigo mesmo e com sua vida, aceite a responsabilidade de consertá-la agora, enquanto está solteiro. Você se sentirá melhor, e seu futuro cônjuge lhe agradecerá.

10. Não fique com alguém que está envolvido(a) emocionalmente com outra pessoa achando que ele(a) vai mudar por sua causa.

Assegure-se de que você e seu parceiro estejam livres de triângulos. A pessoa apanhada em um triângulo não pode estar emocionalmente disponível por completo para você. Você não será a prioridade número um. E isso não é base para um casamento. Isso pode levar até a um futuro adultério.

Um relacionamento sadio vive sim num triângulo amoroso: homem, mulher e Deus – que une e abençoa o relacionamento de quem o recebe.

Autor: Dov Helle

Fonte: http://comunidadevale.webnode.com.br/