[Maná Celestial] Esperar no Senhor


Está escrito:

Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas?

E que concórdia há entre Cristo e Belial? Ou que parte tem o fiel com o infiel?

E que consenso tem o templo de Deus com os ídolos? Porque vós sois o templo do Deus vivente, como Deus disse: Neles habitarei, e entre eles andarei; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo.” 2 Coríntios 6:14-16

Amados, descansemos no Senhor, pois no momento certo trará a pessoa preparada por Ele para cada um de nós!

Busquemos a todo custo mortificar a carne através da consagração, i.e., oração e jejum, afim de que não permitamos dar vazão aos nossos “hormônios” e, assim, perder o propósito de Deus em nossas vidas!

Que Deus, nosso Pai, continue a nos capacitar ser fiéis e aguardar nele, em nome de Jesus. Amém e amém!

Feliz Sábado a todos!

Deus, o Senhor da nossa alegria!

Leitura do Dia: Isaías 29:17-24

Deus, o Senhor da nossa alegria!

“O Senhor dará alegria aos necessitados…” v.19a

Estamos a alguns dias do Natal. Mais uma vez, somos agraciados com um enorme presente. Não  imaginemos qualquer artigo que se compra em lojas, que, nesta época, recheiam seus cofres. Não se trata de um presente que se compra com dinheiro.

Certamente, muitos de nós já manifestaram a preocupação de que Cristo está sendo substituído pelo papai Noel. Alguns confirmam tal suspeita, outros a negam. Verdade é que não podemos fechar os olhos diante da realidade consumista. Todavia, ela não deve ser o centro ou o foco do nosso olhar. Mesmo que, para isso, precisemos nadar contra a correnteza.

O texto bíblico proposto expõe-nos a realidade da esperança. Existe alguma palavra melhor que traduza a mensagem do Natal do que a que expressa este sentimento? Isaías, que antes anunciava destruição, proclama, agora, coisas boas, esperança. Ele devolve o ânimo para as pessoas, como se Deus estivesse dizendo: “Não temam, meus filhos e minhas filhas, eu estou com vocês”. Promete alegria, consolo; promete acabar com a exploração, com a maldade, e dar alegria a quem dela necessita.

É este o presente que Deus anuncia e quer nos dar com o nascimento de Jesus. Quer que encontremos nele a esperança de dias melhores; animar-nos para que não nos entreguemos em meio às nossas aflições; motivar-nos para que nos coloquemos a serviço da causa de Cristo, pois de nada adianta saber que algumas situações precisam mudar e nada fazer para mudá-Ias; devolver-nos, em Cristo, a alegria que desejamos.

Oremos:

Senhor, agradecemos-te por mais um Natal que se aproxima. Que ele signifique para nós, antes de tudo, esperança e anúncio do novo tempo. Tempo de alegria, em que jamais seremos desiludidos, em nome de Jesus. Amém.

Fonte: Castelo Forte

Seguir por outro caminho…

Leitura do Dia: Is 8:1-15

 

“O Senhor Deus pôs a sua poderosa mão sobre mim e avisou a mim e aos meus seguidores que não andássemos no caminho que o povo estava seguindo” Is 8:11

 

Como é bom andar no caminho certo!

Deus alertou o profeta Isaías e pediu que o seu povo seguisse por outro caminho, diferente daquele pelo qual seguiam. Como representante do Senhor, o profeta chamou Israel ao arrependimento. Não deu certo! O povo seguiu pelo caminho errado.

Também hoje, muitas pessoas não ouvem o que a Bíblia diz e seguem sua própria rota. Continuam afastando-se de Deus e encaminhando-se para a morte. Mas, será que existe um outro caminho para o ser humano?

É claro que sim. Jesus mesmo diz que ele é o caminho, a verdade e a vida (João 14.6). Esta é a melhor opção de todas, pois leva-nos direto à casa do Pai.

As palavras de Isaías também servem para nós. Assim como ajudava o povo de Israel a encontrar o caminho certo, Deus quer auxiliar a nós para que não nos percamos. Por isso, não tenha medo, siga o caminho proposto por Jesus e o seu destino será a vida, aqui e na eternidade. Ao invés de condenação e castigo, você receberá as bênçãos que o Senhor tem preparado para aqueles que andam no caminho da salvação. Para permanecer na rota certa, leia e estude mais e mais a Sagrada Escritura. Viva em comunhão com os irmãos de fé na sua Igreja, ouça a Palavra de Deus, participe da Ceia do Senhor. Você sentirá como, dia a dia, os seus caminhos vão se aclarando e os seus passos tornam-se mais seguros. Você se sentirá melhor, sua família será mais feliz e o mundo em sua volta terá mais paz.

Oremos:

Querido Deus e amado Pai, orientado pela Bíblia Sagrada, eu quero seguir sempre pelos teus caminhos. Não permitas que eu me desvie de ti orientando-me por pessoas que não dão ouvidos aos teus ensinamentos. Ouve e atende a minha oração, em nome de Jesus. Amém

Fonte: Casa Forte

Silêncio: melhor atitude na injustiça!

“Jesus, porém, não respondeu palavra…” Mc 15:5

Não há na Bíblia um quadro mais tocante que o do Salvador em silêncio, sem responder palavra alguma aos que o injuriavam, os quais ele poderia ter feito cair prostrados a seus pés com apenas um  olhar ou uma só palavra de repreensão. Mas ele os deixou falar e fazer o pior, e ali ficou no poder do silêncio de Deus – o mudo Cordeiro de Deus.

Há um silêncio que deixa Deus operar por nós; o silêncio que pára com os próprios planos e a auto-reivindicação, com os próprios recursos de sabedoria e com suas previsões, e deixa que Deus proveja e responda ao golpe cruel, segundo o seu amor fiel e infalível.

Quantas vezes perdemos a intervenção de Deus porque tomamos nas mãos a nossa própria causa e avançamos em nossa defesa. Que Deus nos dê este poder de guardarmos silêncio; e também nos dê este espírito manso! – A. B. Simpson

 

Tomaram o Salvador, e amarrado o levaram

Como o banco dos réus, e, vis, o interrogaram;

E com astúcia mordaz, torpemente o acusaram.

Jesus, porém, não respondeu palavra.

 

De púrpura o vestiram e o coroaram de espinhos;

“Salve, Rei dos judeus!’: lhe exclamaram escarninhos;

Maltrataram-no ali segundo os seus caminhos

Jesus, porém, não lhes falou palavra.

 

De Deus a ovelha muda, em mão dos tosquiadores,

O Justo do Senhor, em mão dos malfeitores,

O Cordeiro de Deus, que salva os pecadores

Jesus, ali, não respondeu palavra.

 

Olha pois a Jesus, amigo, se és tentado

A tomar a defesa e agir, se mal julgado

Deixa o assunto com o Pai, se és sem culpa acusado

Teu Salvador não respondeu palavra!

Fonte: Manaciais no Deserto

A Verdadeira Fé

“Ora, sem fé é impossível agradar-lhe; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam.” Hb 11:6

       

       Fé para os dias de desespero. A Bíblia está cheia de dias assim. Seus registros são formados deles, seus cânticos são inspirados neles, sua profecia está ocupada com eles e sua revelação veio através deles. Os dias de desespero são as pedras que pavimentam o caminho de luz. Parecem ter sido a oportunidade de Deus e a escola de sabedoria para o homem( … eu que o diga… sei bem o que é isso).

       No Velho Testamento, no Salmo 107, há a história de uma festa de amor; e em cada história de livramento, o ponto de desespero trouxe a oportunidade de Deus. O fim das forças humanas foi o começo do po­der de Deus. Devemos nos lembrar da promessa de uma descendência numerosa como as estrelas do céu e como a areia do mar, feita a um casal já idoso. Leiamos novamente a história do mar Vermelho e daquela liber­tação, e do Jordão com a arca passando em seco. Estudemos mais uma vez as orações de Asa, Josafá e Ezequias, quando estavam em grande angústia e não sabiam o que fazer. Tornemos a ler a história de N eemias, Daniel, Oséias e Habacuque. Cheguemos com reverência ao Getsêmani c nos curvemos junto ao túmulo no Jardim de José de Arimatéia durante aqueles dias terríveis. Busquemos o testemunho da igreja primitiva e pe­çamos aos apóstolos que nos contem a história daqueles dias desesperadores.

       A fé não é responsável pelos nossos dias de desespero. Mas a obra da fé é dar-nos alento e mostrar a solução.

       Não há um exemplo melhor dessa verdade do que o dos três jovens hebreus na fornalha. A situação era desesperadora, mas eles responderam corajosamente: “Se o nosso Deus, a quem servimos, quer livrar-nos, ele nos livrará da fornalha de fogo ardente e das tuas mãos, ó rei. Se não, fica sabendo, ó rei, que não serviremos a teus deuses, nem adoraremos a imagem de ouro que levantaste.” Eu gosto deste “se não”!

       Tenho espaço apenas para mencionar o Getsêmani. Consideremos pro­fundamente o seu “Todavia“, “Se possível… Todavia“! Profunda escuridão tinha descido sobre a alma do Senhor. Confiar-se na mão do Pai significava angústia até ao sangue e trevas até à descida ao Hades – Todavia! Todavia! ­Rev. Samuel Chadwick

Havia Alguém com eles na fornalha,

Uma presença augusta era o Senhor!

 O mesmo Alguém promete estar comigo

Sempre presente, e sei que nunca falha.

Na chama ardente, no maior calor,

Há Alguém comigo, perto o Salvador!

 

Fonte: Mananciais no Deserto