[e-News] Em culto, Bolsonaro diz que seu indicado para o STF será “terrivelmente evangélico”

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) compareceu ao culto realizado pela bancada evangélica em uma sala da Câmara dos Deputados na manhã desta quarta-feira, 10 de julho, e voltou a falar sobre as vagas que serão abertas no STF. Dessa vez, afirmou que o nome que indicará será “terrivelmente evangélico”.

Bolsonaro discursou no culto, enfatizando que os Poderes da República devem ter representatividade de todos os setores da sociedade: “Muitos tentam deixar de lado os evangélicos, dizendo que o Estado é laico. O Estado é laico, mas nós somos cristãos”.

Em seguida, falou sobre o Supremo Tribunal Federal: “Nós somos terrivelmente cristãos. E esse espírito deve estar presente em todos os Poderes. Por isso meu compromisso: poderei indicar dois ministros para o Supremo Tribunal Federal. Um deles será ‘terrivelmente evangélico’”, afirmou, fazendo referência a uma frase da ministra Damares Alves.

De acordo com informações da revista Época, o culto organizado pela Frente Parlamentar Evangélica na Câmara dos Deputados “geralmente é tranquilo e conta com cerca de 15 parlamentares”.

“A maior parte do público, em uma sala de comissões da Câmara, é de servidores, que fazem orações e cantam músicas de louvor. Um deputado faz uma curta pregação, de caráter mais genérico, para contemplar todas as correntes do mundo evangélico”, escreveu o jornalista Guilherme Amado.

Nesta quarta-feira, porém, o cenário foi amplamente diferente, e a sala onde o culto aconteceu estava completamente lotada. Além do presidente Bolsonaro, o deputado federal Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara, e outros seis ministros, compareceram ao evento, de acordo com informações do portal O Antagonista.

Veja um trecho do discurso do presidente Jair Bolsonaro no culto realizado na Câmara dos Deputados:

Fonte

[e-News] Acredito que Deus atua na história e Ele está de volta ao Brasil, diz futuro chanceler

O futuro ministro das Relações Exteriores do Brasil, Ernesto Araújo, publicou um artigo apontando que Deus estará presente na administração Bolsonaro. O chanceler declarou ainda que a política brasileira deverá ser guiada pela Palavra d’Ele.

Araújo escreveu um longo texto para a revista The New Criterion, uma publicação conservadora dos Estados Unidos, e afirmou crer que a “Divina Providência uniu as ideias de Olavo de Carvalho à determinação e ao patriotismo do presidente eleito, Jair Bolsonaro”. O filósofo em questão é um dos articuladores do movimento conservador brasileiro que elegeu o futuro mandatário.

O chanceler foi enfático ao criticar a postura politicamente correta que se impôs na sociedade e que constrangeu muitos políticos a excluírem a fé de suas rotinas em público: “Ao longo dos últimos anos o Brasil se tornou uma fossa de corrupção e aflição. O fato de que as pessoas não falavam sobre Deus e não traziam a sua fé para a praça pública certamente era parte do problema […] Agora que um presidente fala sobre Deus e expressa a sua fé de um jeito profundo e sincero, isso deve ser visto como um problema? Pelo contrário, eu estou convencido que a fé do presidente Bolsonaro foi instrumental, não acidental, para a sua vitória eleitoral e para a onda de mudança que está limpando o Brasil”.

Os críticos de Araújo o consideram um diplomata ainda inexperiente, apontando a defesa de ideias mais radicais que ele adota em termos de diplomacia como um risco para o país. Fato é que, internacionalmente, o Brasil é visto como um “anão diplomático”, por conta da postura adotada até aqui desde a retomada das eleições diretas para a presidência.

Ernesto Araújo aproveitou o artigo para rebater as críticas: “Meus detratores me chamaram de louco por acreditar em Deus e por acreditar que Deus atua na história — mas eu não me importo. Deus está de volta e a nação está de volta. Uma nação com Deus; Deus através da nação. No Brasil (ao menos), o nacionalismo se transformou no veículo da fé, a fé se tornou o catalisador do nacionalismo, e ambos acenderam uma empolgante onda de liberdade e de novas possibilidades”.

Por fim, o futuro chanceler afirmou que a vitória de Bolsonaro nas urnas faz parte de “uma onda de mudança que está limpando o Brasil” de um sistema corrupto “que sufocou a economia”: “Um sistema tão estabelecido nunca reformaria a si mesmo. Apenas encontraria novas máscaras para estender seu poder […] Uma mudança de verdade apenas poderia vir de fora, dos domínios intelectuais e espirituais […] Então o que quebrou esse sistema? Olavo de Carvalho, a Operação Lava Jato e Jair Bolsonaro”.

Gospel+

[e-News] Jair Bolsonaro é batizado em Israel (vídeo)

bolsonaro

O jornal Extra do Rio de Janeiro publicou que Jair Bolsonaro foi batizado em Israel. (veja o vídeo abaixo)

No vídeo que circula nas redes, o pastor Everaldo conduz uma cerimônia de batismo por imersão, seguindo a tradição da maioria das igrejas evangélicas. Bolsonaro está entre as pessoas que decidiram confessar publicamente sua fé em Jesus Cristo como Filho de Deus e salvador, sendo batizado em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, conforme a instrução bíblica.

Bolsonaro até o momento não se identificava publicamente como evangélico. Ele é amigo de vários pastores, como Marco Feliciano, e Silas Malafaia. Sabe-se ainda que sua esposa é membro da Assembleia de Deus Vitória em Cristo no Rio de Janeiro.

Nota do BLOG: 

Particularmente desconhecia que Bolsonaro tenha tido uma experiência com Cristo. Espero do fundo do coração que a conversão do deputado federal pelo Rio de Janeiro tenha sido genuína. Espero também que o seu batismo não tenha sido fruto de um marketing político, até porque, com vistas a um cargo eletivo, os políticos são capazes de fazer qualquer negócio.

Esperemos o tempo. Ele nos dirá o que de fato aconteceu a Bolsonaro.

Renato Vargens