[Exortação] Como identificar se o seu pastor está pregando uma heresia?

heresia

Os nossos dias tem sido marcados pela multiplicação de heresias. Na verdade, existe um número significativo de líderes que por questões espúrias tem fabricado as mais variadas distorções teológicas.  Nessa perspectiva torna-se fundamental que o crente em Jesus aprenda a diagnosticar se o ensino defendido pelos seus pastores de fato é um ensino bíblico. Pensando nisso resolvi elencar sete questões que se observadas poderão auxiliar o cristão a discernir se o ensino pregado é uma heresia ou não.
.
1- Aquilo que o seu pastor está pregando tem base bíblica ou ele está anunciando aquilo que acredita ser uma revelação espirital? Lembre-se nenhuma revelação pode sobrepujar os ensinamentos das Escrituras. A Bíblia deve ser a nossa única e exclusiva regra de fé e nada absolutamente nada pode se sobrepor a ela.
.
2- O texto usado pelo seu pastor está dentro do contexto?  Cuidado com interpretações doutrinárias fundamentadas em versos isolados. Heresias costumam surgir em interpretações individualizadas e departamentalizadas das Escrituras.
.
3- O seu pastor tem usado textos do Antigo Testamento de forma alegórica? Cuidado! Interpretar as Escrituras alegoricamente é extremamente perigoso. Muitas das heresias disseminadas ao longo dos séculos se deveu ao fato de que alguns alegorizaram as Escrituras.
.
4- A fundamentação doutrinária usada pelo seu pastor está de acordo com o ensino geral das Escrituras? Cuidado com ensinos específicos que ferem a Palavra de Deus como um todo.
.
5- O seu pastor se considera um profeta ou apóstolo cuja palavra ou revelação está acima das Escrituras?
Se a sua resposta for sim, lamento lhe informar, mas provavelmente o seu líder espiritual é um falso profeta.
.
6- O seu pastor tem colocado técnicas de autoajuda ou conceitos da psicologia ou psicanálise acima das Escrituras? Cuidado, nenhum ensino, método ou doutrina humana pode prevalecer sobre as Escrituras.
.
7- A mensagem que o seu pastor costuma pregar visa a glória de Deus ou não? Ela é humanista, ensimesmada, e centrada no homem ou focada em Cristo? Lembre-se falsas doutrinas jamais glorificam a Deus e sim aos seus propaladores.
.
Caro leitor, creio veementemente que boa parte dos nossos problemas eclesiásticos se deve ao fato de  não sabermos identificar heresias. Acredito também que isso se deva ao fato de nos últimos anos termos abandonado as Escrituras.
.
O reformador João Calvino costumava dizer que o verdadeiro conhecimento de Deus está na Bíblia, e de que ela é o escudo que nos protege do erro.
.
Em tempos difíceis como o nosso, precisamos regressar à Palavra de Deus, fazendo dela nossa única regra de fé, prática e comportamento.
.
Pense nisso!
Anúncios

[Análise e Exortação] Além de Heresias, o Padre Paulo Ricardo disse que Protestantes são Otários!!

padre paulo

A Paz reine em todos os corações!!

Depois de assistir o vídeo do Pe. Paulo, resolvi fazer algumas ponderações à respeito daquilo que ele falou. Usando como base para argumentação a Bíblia Sagrada.

Desde já lhes informo que podem usar qualquer edição bíblica. Aconselho, aos amados Católicos, seguirem a argumentação, aqui exposta, em suas próprias Bíblias. Está escrito:

A Lei e ao Testemunho! se eles não falarem segundo esta palavra, nunca lhes raiará a alva.”
Isaías 8:20
“Onde não há Profecia, o povo se desvia; mas como é feliz quem obedece à lei“!
Provérbios 29:18

Jesus disse:

“Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam;”
João 5:39
“Jesus dizia, pois, aos judeus que criam nele: Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente sereis meus discípulos;E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.”
João 8:31-32

As palavras: “Lei”, “Profecia”, “Escritura” e “Palavra” referem-se à Bíblia, i.e., à Palavra de Deus. Jesus nos exorta a estudá-la, praticá-la, pois por meio dela seremos Salvos ao conhecer a Verdade. Ele disse:

“Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras, e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha;E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e não caiu, porque estava edificada sobre a rocha.E aquele que ouve estas minhas palavras, e não as cumpre, compará-lo-ei ao homem insensato, que edificou a sua casa sobre a areia;E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e caiu, e foi grande a sua queda.”
Mateus 7:24-27

Os que estudam e praticam são prudentes. Irão receber a vida eterna. Serão salvos no Juízo. Jesus chega enfatizar que apenas os que praticam a Palavra é que são verdadeiramente membros de sua Família. Está escrito:

“Mas, respondendo ele, disse-lhes: Minha mãe e meus irmãos são aqueles que ouvem a palavra de Deus e a executam.”
Lucas 8:21

Portanto há necessidade de aprendermos a Palavra, pois ela é que nos guiará à Verdade. Ela é a bússola para nos mostrar onde seguir. Os que não a conhecem são facilmente presos por vãs filosofias, ensinos… Está escrito:

“Lâmpada para os meus pés é tua palavra, e luz para o meu caminho.”
Sl 119:105

Feito esta breve introdução para ratificação do valor inerente da Palavra, vamos à análise da pregação do Pe. Paulo. Assista ao vídeo abaixo:

Como eu faço o download do vídeo? Siga os passos abaixo!

1) Inicialmente, clique no vídeo para dar incício.

2) Você verá, no canto superior esquerdo, a palavra “Share“. Clique nela.

3) Surgirá uma pequena Janela com 4 Botões. Clique em “Download Vídeo“.

4) Outra janela surgirá com as opções “Abrir com” e “Download“. Selecione “Download“, caso já não o esteja. E clique em “Ok“. Pronto! Agora é só esperar!


No tempo 1:12, ele diz:

Ela(maria) só irá modelar em mim o que Deus quer

Primeiro, tanto Maria quantos os demais irmãos, que são reverenciados pelos católicos, estão MORTOS. Portanto inconscientes. Assim, não há possibilidade de qualquer tipo de intercessão. Vejam um Estudo Bíblico à respeito do que acontece na Morte aqui!

Segundo, a Bíblia não afirma em lugar algum que Maria participa de nosso aperfeiçoamento espiritual. Quem faz isso é Deus, usando seu Santo Espírto através de sua Palavra. Está escrito:

“Com que purificará o jovem o seu caminho? Observando-o conforme a tua palavra.”
Sl 119:9
“Santifica-os na tua verdade; a tua palavra é a verdade.”
João 17:17
“Purificando as vossas almas pelo Espírito na obediência à verdade(i.e. à Palavra)”
1 Pedro 1:22
“Sendo de novo gerados, não de semente corruptível, mas da incorruptível, pela palavra de Deus, viva, e que permanece para sempre.”
1 Pedro 1:23

Pelos versos acima, percebemos que a transformação ocorre à medida que vamos praticando a Palavra. Isso ocorre pela capacitação de Deus através seu Santo Espírito que nos foi outorgado. Está escrito:

“Porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade.”
Filipenses 2:13

No tempo 1:32/2:35, ele diz:

“É o princípio Protestante. É o princípio do Orgulho./ É soberbo.”

Ele estava se referindo ao fato dos protestantes dizerem que têm livre acesso ao Pai, por meio de Jesus, sem a necessidade de Maria e dos Santos.

Ele frisa que isso é um DOGMA PROTESTANTE. O que demonstra falta de conhecimento bíblico, pois se trata de um PRINCÍPIO BÍBLICO. Está escrito:

“Visto que temos um grande sumo sacerdote, Jesus, Filho de Deus, que penetrou nos céus, retenhamos firmemente a nossa confissão.Porque não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; porém, um que, como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado.Cheguemos, pois, com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno.”
Hebreus 4:14-16

Cheguemos com confiança ao Trono! Isso significa diante de Deus com Jesus como nosso intercessor. Noutra parte dessa mesma carta, está escrito:

“Tendo, pois, irmãos, ousadia para entrar no santuário, pelo sangue de Jesus,Pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou, pelo véu, isto é, pela sua carne,E tendo um grande sacerdote sobre a casa de Deus,Cheguemo-nos com verdadeiro coração, em inteira certeza de fé,”
Hebreus 10:19-22

Isso não é SOBERBIA ou ORGULHO! É mandamento bíblico!

No tempo 2:48, ele diz:

“E se Deus quer que você use outros? As criaturas humanas frágeis? O que você faz , oh otário?”

Tudo que Deus quer que façamos está escrito em sua Palavra. E nela não há qualquer mandamento para buscarmos qualquer outra fonte de intercessão que não seja o próprio Jesus. Ele é o nosso único Mediador( I Tm 2:5) e Advogado( I Jo 2:1).

A Bíblia também pede para que não saia palavra torpe de nossa boca, pois o que sai de nossa boca procede do coração. Está escrito:

“Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, mas só a que for boa para promover a edificação, para que dê graça aos que a ouvem.”
Efésios 4:29
“Mas eu vos digo que de toda a palavra ociosa que os homens disserem hão de dar conta no dia do juízo.Porque por tuas palavras serás justificado, e por tuas palavras serás condenado.”
Mateus 12:36-37
“Mas, o que sai da boca, procede do coração, e isso contamina o homem.Porque do coração procedem os maus pensamentos, mortes, adultérios, prostituição, furtos, falsos testemunhos e blasfêmias.São estas coisas que contaminam o homem”
Mateus 15:18-20

Jesus disse que pelos frutos conheceremos a árvore!

No tempo 4:34, ele diz:

O único Mediador é Jesus Cristo inteiro: A IGREJA

Ele faz uma confusão buscando justificar a mediação de Maria e dos Santos, pois todos fazem parte de Corpo Espiritual de Cristo.

Além dos Mortos estarem inconscientes (vide estudo aqui), o verso que diz respeito à mediação de Cristo é bem claro em afirmar a individualidade dEle nesse processo. Está escrito:

“Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem.”
1 Timóteo 2:5

Está se referindo a Jesus como ser humano, como aquele que sozinho pagou o que devíamos, e não como o Deus, cabeça da Igreja!

No tempo 6:40, ele diz:

A Virgem Maria, como a Igreja inteira. Ela age na SALVAÇÃO do mundo

Meu Deus! Misericórdia….

Já sabemos que Maria não é Virgem, pois, além do nascimento de Cristo, ela teve outros filhos! (Ver outro estudo aqui)

Não há, em nenhum lugar da Bíblia, qualquer referência a co-participação de Maria, ou outro Santo, senão única e exclusivamente Jesus, na nossa SALVAÇÃO. Isso é HERESIA! Está escrito:

“Seja conhecido de vós todos, e de todo o povo de Israel, que em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, aquele a quem vós crucificastes e a quem Deus ressuscitou dentre os mortos, em nome desse é que este está são diante de vós.Ele é a pedra que foi rejeitada por vós, os edificadores, a qual foi posta por cabeça de esquina.E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos.”
Atos 4:10-12

Por fim, mais uma incoerência com as Sagradas Escrituras. No tempo 7:10, ele diz:

Esse corpo de Cristo, que é a Igreja, é GERADO por uma Mulher que se chama Maria

Fico preocupado, pois a grande maioria dos cristãos não lêem a Bíblia, então aceitam tudo que lhes é dito ou ensinado. Está escrito:

“Pois todos nós fomos batizados em um Espírito, formando um corpo, quer judeus, quer gregos, quer servos, quer livres, e todos temos bebido de um Espírito.”
1 Coríntios 12:13

A Bíblia ensina que é a presença do Espírito Santo em nós que dá origem ao corpo onde Cristo é a Cabeça.

Amados… fiz essa análise para ajudar os que ainda estão confusos! Meu conselho é que leiam a Bíblia em espírito de oração e com jejum se possível. Peça a Deus sabedoria do alto que Ele concederá!

Para os que quiserem argumentar, peço que usem a Bíblia como fundamento!

Não expressei aqui minha idéias ou conjecturas. Vejam que o fundamento de toda essa análise está na Palavra de Deus que deveria ser o Manual de Regra e Fé de todos que se dizem Cristãos.

Jesus disse: “Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente sereis meus discípulos;

E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.”
João 8:31-32

Paz…
Arauto de Cristo

[Estudo Bíblico] A Sutileza de Satanás no Fim dos Tempos

LEITURA BÍBLICA

“E digo isto, para que ninguém vos engane com palavras persuasivas.

Porque, ainda que esteja ausente quanto ao corpo, contudo, em espírito estou convosco, regozijando-me e vendo a vossa ordem e a firmeza da vossa fé em Cristo.

Como, pois, recebestes o Senhor Jesus Cristo, assim também andai nele,

Arraigados e edificados nele, e confirmados na fé, assim como fostes ensinados, nela abundando em ação de graças.

Tende cuidado, para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo, e não segundo Cristo;

Porque nele habita corporalmente toda a plenitude da divindade;

E estais perfeitos nele, que é a cabeça de todo o principado e potestade;

No qual também estais circuncidados com a circuncisão não feita por mão no despojo do corpo dos pecados da carne, a circuncisão de Cristo;” Colossenses 2:4-11

INTRODUÇÃO

Desde os tempos bíblicos, Satanás vem usando os seus agentes a fim de levar o povo de Deus a desacreditar na Bíblia, na divindade e na obra redentora de Cristo. Temos de estar devidamente preparados para detectar e desmascarar suas sutilezas. Sem dúvida, esse é um dos maiores desafios da Igreja de Cristo nestes últimos dias.

I. OS ARDIS DE SATANÁS

1. Seus disfarces.

Desde a fundação da Igreja, os falsos mestres vêm disfarçando-se entre os filhos de Deus para disseminar suas heresias. Jesus disse que os mestres do erro apresentam-se “vestidos como ovelhas, mas interiormente são lobos devoradores” (Mt 7.15). A Bíblia classifica os tais como “falsos apóstolos” e “obreiros fraudulentos”, identificando-os como agentes de Satanás que se transfiguram “em ministros da justiça” (2 Co 11.13-15). Devemos, por isso, acautelar-nos deles.

2. Suas estratégias.

Os expositores sectários preocupam-se com a aparência, pois costumam apresentar o seu movimento como um paraíso perfeito (2 Tm 4.5). Infelizmente, muitos são os que caem nessas armadilhas. Uma vêz  fisgados por eles, dificilmente conseguem libertar-se, uns por causa da lavagem cerebral que recebem, outros, em razão do terrorismo psicológico e da pressão que sofrem de seus líderes. Seus argumentos são recursos retóricos bem elaborados e persuasivos, para convencer o povo a crer num Jesus estranho ao Novo Testamento (2 Co 11.3).

II. A PERÍCIA DOS HERESIARCAS

1. “Palavras persuasivas” (v.4).

Os falsos mestres, a quem o apóstolo se refere, estavam envolvidos com o legalismo judaico: circuncisão (Cl 2.11), preceitos dietéticos e guarda de dias (Cl 2.16). Há também várias referências ao gnosticismo (Cl 2.18, 23). O verbo grego paralogizomai, “enganar, seduzir com raciocínios capciosos”, descreve com precisão a perícia dos falsos mestres na exposição de suas heresias. O nosso cuidado deve ser contínuo para não nos tornarmos presas desses doutores do engano.

2. O Jesus que recebemos (v.6,7).

O apóstolo insiste que devemos andar de acordo com o evangelho, a fim de ficarmos arraigados, edificados e firmados na Palavra de Deus. Entretanto, a mensagem dos agentes de Satanás é sempre contra tudo o que cremos, pregamos e praticamos. Às vezes, há alguns pontos aparentemente comuns entre nós e eles, e nisso reside o perigo, visto que é por onde tais ensinos se introduzem.

3. A simplicidade do evangelho.

A mensagem do evangelho é simples e qualquer ser humano, independentemente de seu preparo intelectual e origem, é capaz de entender; basta dar lugar ao Espírito Santo, que convence o homem “do pecado, da justiça e do juízo” (Jo 16.8). A conversão ao cristianismo não é resultado de estratégia de marketing, nem de técnicas persuasivas (l Co 2.4). Não é necessário, portanto, um “curso de lógica” para alguém ser salvo ou entender os princípios da fé cristã.

III. AS SUTILEZAS DO ERRO

1. “Ninguém vos faça presa sua” (v. 8a).

O significado de “presa” revela o que acontece, ainda hoje, com os adeptos das seitas. O verbo grego sylagõgeõ, “levar como despojo, prisioneiro de guerra, seqüestro, roubo”, descreve o estado espiritual dos que seguem os falsos mestres. Um dos objetivos dos promotores de heresias é escravizar as suas vítimas para terem domínio sobre elas (2.18; Gl 4.17). Hoje, muitos estão nos grilhões das seitas como verdadeiros escravos.

2. “Por meio de filosofias” (v. 8b).

Não há indícios de que o apóstolo esteja fazendo alusão às escolas filosóficas da Grécia. O estoicismo e o epicurismo eram as filosofias predominantes do mundo romano na era apostólica e são mencionadas em o Novo Testamento (At 17.18). As “filosofias” de que Paulo trata são conceitos mundanos, contrários à doutrina e à ética cristã. Qualquer sistema de pensamento, ou disciplina moral, era, naqueles dias, chamado de “filosofia”.

3. “Vãs sutilezas” (v. 8c).

Engano e sutileza, nesse contexto, significam a mesma coisa. A palavra grega usada para sutileza é apatë, isto é, “engano” (Ef 4.22), “sedução” (Mt 13.22). É usada para referir-se a pessoas de conduta enganosa e embusteira que levam outras ao engano. É mediante tais recursos que os mestres do erro conduzem suas vítimas ao desvio. Tais sutilezas impedem as pessoas de verem a verdade e, como conseqüência, tornam-se cativas das astúcias de Satanás.

4. “Segundo a tradição dos homens” (v. 8d).

Não é a tradição apostólica nem judaica, mas um sincretismo de elementos cristãos, judaicos e pagãos: angelolatria e ascetismo, por exemplo.Eram práticas que se opunham ao evangelho. Trata-se de tradição humana, ao passo que o evangelho veio do céu (Gl 1.11, 12).

IV. OS RUDIMENTOS DO MUNDO

1. O significado de “rudimentos” (v. 8).

A expressão “rudimentos do mundo”, literalmente é: “elementos do universo”, ou “rudimentos do mundo”, em nossas versões. A palavra stoicheion, “fundamento, elemento”, aparece na filosofia grega para os quatro elementos da natureza: terra, água, ar e fogo que, segundo ensinavam os físicos gregos, compõem a totalidade do mundo (2 Pé 3.10, 12). Para outra escola filosófica da Grécia, significava “elementos espirituais”, ou “espírito vivo”, que se difundia por toda a natureza como força vivificante.

2. O apóstolo se refere a que “rudimentos”?

Essa palavra é usada, também, com o sentido de “princípio básico” (Hb 5.12) e de “elementos judaicos” ou “adoração cósmica” do sincretismo helénico (Gl 4.3, 9). O termo deve ser analisado à luz do contexto e, aqui, mostra que são uma referência aos poderes demoníacos que se opunham a Cristo. Veja que o apóstolo contrapõe esses rudimentos a Cristo: “segundo os rudimentos do mundo e não segundo Cristo”.

3. A deidade de Cristo em jogo.

Cristo é superior a todos os poderes (Ef 1.21). Os crentes, portanto, não precisam dos stoicheia, ou poderes demoníacos, apresentados pelos falsos mestres. As vãs filosofias são oriundas dos homens e do reino das trevas e não de Cristo. Há uma diferença abissal entre Cristo e os rudimentos do mundo. Não se trata, por conseguinte, de um demiurgo dos gnósticos, nem dos poderes cósmicos dos adeptos da Nova Era (v. 9).

4. O significado de “toda a plenitude da divindade” (v.9).

Temos, neste contexto, o Deus verdadeiro com toda a sua plenitude. O sentido de “divindade”, no texto original, é “deidade”. Um conceituado dicionário de grego afirma: “deidade, difere de divindade, como a essência difere da qualidade ou atributo”. Na Tradução do Novo Mundo, as Testemunhas de Jeová diluíram o v. 9, traduzindo-o por “qualidade divina”, para adaptar à Bíblia as suas crenças, atitude própria dos falsos mestres.

CONCLUSÃO

O povo de Deus vive em constante batalha espiritual. O inimigo sempre trabalhou para desviar os crentes da vontade divina, induzindo-os a crenças falsas e práticas que desonram ao Criador. Por isso, devemos estar atentos quando um movimento religioso apresenta-se com persuasão e argumentos aparentemente convincentes. Trata-se, geralmente, de alguém que pretende mostrar-nos algo que não está de acordo com a Palavra de Deus.

[Estudo Bíblico] O que significa ‘Seita’?

O que Significa ‘Seita’?

l. Etimologia. O historiador Flávio Josefo e muitos outros escrito­res antigos usaram a palavra hairesis com o sentido de ‘escola’ de pensamento, ‘doutrina’ ou ‘reli­gião’, sem conotação pejorativa. O verbo grego haireõ, de onde vem o substantivo em foco, significa ‘es­colher’. Na literatura clássica tem o sentido de escolha filosófica ou política. Todavia, o Novo Testamen­to traz essa palavra com o sentido de ‘divisão, dissensão’, pois lemos: ‘E até importa que haja entre vós heresias, para os que são sinceros se manifestem entre vós’ (l Co 11.19). A versão Almeida Atualizada traduziu por ‘partido’; a NVI, por ‘divergências’; a Tradução Bra­sileira, por ‘facção’. A mesma pala­vra aparece em Gálatas 5.20 sendo traduzida por ‘dissensão’. […] Con­vém salientar que a palavra grega para ‘heresias’ em o Novo Testa­mento, é a mesma para ‘seita’, hairesis. O termo ‘herege’, que apa­rece em Tito 3.10, hairetikos, é adjetivo que vem do referido substan­tivo grego. O sentido de erro dou­trinário, como ‘heresia’, no campo teológico que nós conhecemos hoje, aparece pela primeira vez em 2 Pedro 2.1. É nessa acepção que re­futamos tais heresias.

2. Conceituação. Atualmente a pa­lavra ‘seita’ é usada para designar as religiões heterodoxas ou espúrias. É uma palavra já desgastada, trazendo em si, muitas vezes, um tom pejora­tivo. São grupos que surgiram de uma religião principal e seguem as normas de seus líderes ou fundadores e cujos ensinos divergem da Bíblia nos prin­cipais pontos da fé cristã. São ameaças ao cristianismo histórico e um problema para as igrejas.

3. Problemas. […] As heresias afetam os pontos principais da dou­trina cristã, no que diz respeito a Deus: Trindade, o Senhor Jesus Cristo e o Espírito Santo; ao ho­mem: natureza, pecado, salvação, origem e destino; aos anjos, à igre­ja e às Escrituras Sagradas. O mais grave erro é quando diz respeito à Divindade. Errar em outros pontos da fé cristã pode até não afetar a salvação, mas a doutrina de Deus é inviolável. Negar ‘o Senhor’ é tra­zer sobre si repentina destruição.

Os novos movimentos internos como a Confissão Positiva e o G-12 não devem ser classificados como seitas, pois além de não afetarem os pontos salientes da fé cristã, seus ensinos e práticas não são neces­sariamente heresias, mas aberra­ções doutrinárias. O efeito destru­tivo pode ser pior do que os movi­mentos externos, pois Satanás se utiliza, muitas vezes, da arrogân­cia ou da ignorância dos mentores dessas inovações para causar divi­sões nas igrejas.

(SOARES, Esequias. Manual de apologética cris­tã. Rio de Janeiro: CPAD, 2002, p. 25-7.)

Nós podemos orar pelos mortos, pedindo misericórdia a Deus para que os desperte na primeira ressurreição?

De acordo com as Escrituras sagradas, nossas orações não irão influenciar no julgamento de Deus para com os mortos. Como cada um será julgado “conforme suas obras” (Mateus 16:27). Isto nos leva à conclusão que o julgamento é algo “individual”, conforme diz o seguinte texto: “Assim, pois, cada um de nós dará contas de si mesmo a Deus”. (Romanos 14:12).

Portanto, nossas orações a favor dos mortos não irão influenciar na decisão de Deus, de salvar ou não. Podemos sim orar a Deus para que Ele “haja conforme sua justiça” em favor deles, pois Ele é sábio o bastante para isto.

Nosso Deus é amor (I João 4:8 e 16) e certamente irá julgar do modo mais justo que existe e de modo que possa ajudar-nos ao máximo a obter a salvação. Vai depender também de nós aceitarmos sua graça e também em permitir que o Espírito Santo nos transforme. Esta transformação que o Espírito Santo quer fazer é chamada de “Santificação”. Santificação é um processo no qual o Espírito santo “implanta em nós o caráter santo de Jesus Cristo”. Este processo ocorre por toda a vida.

Além da graça de graça de Jesus, precisamos passar pelo processo da santificação. A salvação envolve também isto.

Os mortos também serão avaliados por Deus conforme sua “aceitação da graça de Cristo” e conforme “a permissão que deram ao Espírito Santo de efetuar o processo de santificação em sua vida”. Nossas oportunidades de salvação são “em vida”; depois não haverá outra oportunidade. Vejamos algumas das passagens que nos ensinam isto: ?E nós, na qualidade de cooperadores com ele, também vos exortamos a que não recebais em vão a graça de Deus (porque ele diz: Eu te ouvi no tempo da oportunidade e te socorri no dia da salvação; eis, agora, o tempo sobremodo oportuno, eis, agora, o dia da salvação)?; (2 Coríntios 6:1-2 RA). ?Assim, pois, como diz o Espírito Santo: Hoje, se ouvirdes a sua voz, não endureçais o vosso coração como foi na provocação, no dia da tentação no deserto?, (Hebreus 3:7-8). ?É impossível, pois, que aqueles que uma vez foram iluminados, e provaram o dom celestial, e se tornaram participantes do Espírito Santo, e provaram a boa palavra de Deus e os poderes do mundo vindouro, e caíram, sim, é impossível outra vez renová-los para arrependimento, visto que, de novo, estão crucificando para si mesmos o Filho de Deus e expondo-o à ignomínia?. (Hebreus 6:4-6). ?E, assim como aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo, depois disto, o juízo?, (Hebreus 9:27). ?…que retribuirá a cada um segundo o seu procedimento…? (Romanos 2:6).

Por estes versos podemos entender que a única oportunidade de salvação é nesta vida. Não há e nem haverá outra oportunidade após a morte. Lemos em Hebreus 9:27 que ?depois da morte vem o juízo?, ou seja, a única coisa que Deus fará com a pessoa que faleceu será julga-la no céu enquanto esta está dormindo (Deus avaliará os livros no céu, onde têm as anotações de tudo que fizemos na vida). A Bíblia diz que após a morte virá o juízo e não outra oportunidade de salvação.

Portanto, nossa oportunidade de salvação é no momento que se chama hoje. Devemos neste momento atender ao chamado do Senhor: ? Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele, e ele, comigo?. (Apocalipse 3:20). Viva tranqüilo na certeza de que Deus é misericordioso e que fará o julgamento dos mortos da forma mais justa que pode ser feito.

Fonte: Novo Tempo