[e-News] X-Men: Apocalipse insinua que Jesus teria sido um mutante

108588-em-xmen-apocalipse-filme-tem-600x315-1

O novo filme da popular franquia X-Men, produzida pela FOX, apresentará um antigo antagonista do grupo de mutantes nos quadrinhos: Apocalipse.

Dirigido por Bryan Singer, “X-Men: Apocalipse” promete causar polêmica ao envolver religião na história. Pelo que pudemos ver no trailer, a obra irá além dos quadrinhos ao referenciar Apocalipse não só como o mutante mais antigo do mundo, mas que já tenha sido adorado como um deus no Egito antigo.

Um dos momentos marcantes do vídeo que tem por interesse nos mover até as salas de cinema é quando Apocalipse declara já ter sido chamado por muitos nomes: “Já fui chamado de várias coisas em muitas vidas. Rha, Krishna, Jeová…”

O cristianismo já é referencial importante e inerente ao perfil do vilão Apocalipse, desde sua criação nas revistinhas da Marvel. Seu nome e o fato de usar quatro cavaleiros, chamados “Cavaleiros do Apocalipse”, são referências óbvias e até inofensivas.

Mas o filme vai além ao insinuar que Jesus — ou a imagem que o povo de Israel tinha de Deus — teria sido Apocalipse, ou seja, um mutante. E que o processo de inspiração é inverso. Apocalipse seria tão antigo que não se inspirou na Bíblia; são as Sagradas Escrituras que se inspiraram nele.(sic)

Ele tirou isso da Bíblia, diz um dos X-Men, ao passo que uma pesquisadora responde:Ou a Bíblia tirou dele.

O rico trailer expõe ainda que no universo da obra cinematográfica, existem sociedades secretas que veem os mutantes como uma Segunda Vinda (?) e um sinal de Deus.

A guinada religiosa do filme é evidente, e ultrapassa em peso as referências mais brandas que a história original nos quadrinhos faz. Claro, pode ser apenas “sensacionalismo” de trailer, mas para confirmar precisaremos aguardar a estreia do filme.

Confira o Trailer abaixo:

Fonte: GospelPrime

SUPLEMENTO

Quer saber a verdade sobre o Apocalipse? Veja as Palestras abaixo:

[e-News] Série de TV mostra o surgimento do Anticristo

trailer

Em 2015 estreou a primeira temporada do seriado “The Messengers”, que mostrava um grupo de humanos transformados sobrenaturalmente em anjos que deveriam impedir o surgimento do Anticristo (que no caso era uma menina de 8 anos).

Não por coincidência, no início de 2016 a TV aberta americana passou a exibir o seriado “Lucifer”, que mostra como o demônio cansou do inferno e decidiu morar em Los Angeles. Embora Deus não tenha gostado da ideia, não é capaz de fazer nada.

Na mesma época, um seriado produzido na Inglaterra chamado You, Me and the Apocalypse [Você, eu e o Apocalipse] foi ao ar pela NBC, emissora com as maiores audiência nos Estados Unidos.

A história mostra uma versão cômica do que seria o Apocalipse nos dias de hoje, com o mundo todo se preparando para morrer enquanto o Vaticano se esforça por achar o novo Messias. Para muitos teólogos o apoio de grupos religiosos será uma das marcas do Anticristo.

Esta semana, estrou no canal A&E a série “Demien”, que deveria ser uma espécie de continuação de A Profecia, filme de terror lançado em 1976. O roteiro, 40 anos depois, mostra um fotógrafo que descobre quem é o Anticristo. A partir daí, ele começar a lembrar de coisas terríveis do seu passado e a perspectiva de ter de cumprir um destino que ele não sabe se deseja.

Ele acaba de completar 30 anos e descobre sobre sua nova condição enquanto cobre a guerra na Síria. De repente, uma mulher que aparenta estar endemoninhada o pega pelo rosto e diz a frase mais famosa do filme original: “É tudo por você!”.

Damien (interpretado por Bradley James) acaba encontrando Ann (Barbara Hersey), uma aliada misteriosa, e um detetive (David Meunier) que começa a conectar todas as mortes e problemas que aconteceram das pessoas que se aproximarem desse homem aparentemente comum. Uma exorcista do Vaticano (Robin Weigert) recebe ordens de apenas coletar dados sobre ele, mostrando a complacência da igreja.

Curiosamente, ele parece não desejar iniciar o apocalipse sobre a terra. Não faz deliberadamente coisas terríveis, mas elas acontecem mesmo assim. Ele parece mais uma vítima de uma força maligna que alguém com poderes sobre ela. Em determinado momento, entra em uma igreja, se ajoelha diante de uma imagem de Jesus e questiona: “O que eu fiz para isso me acontecer?”.

Embora esteja cedo para saber que tipo de sucesso o programa terá, a campanha de lançamento chamou atenção da mídia. Na sua página oficial, os espectadores são convidados a enviar selfies. Elas recebem um tratamento fotográfico instantânea, que lhes confere a imagem de um demônio. Essas imagens são chamadas de #Hellfies (selfies do inferno).

Filmes de terror tem seu público e continuam sendo lançados com frequência. Contudo, chama atenção que a popularização da imagem do Anticristo e de Satanás parece ser algo crescente e não causa nenhum estranhamento.

Fonte: GospelPrime

SUPLEMENTO

Quer saber a verdade bíblica sobre o AntiCristo? Veja a Palestra abaixo feita por mim!

[Apostasia] “Maconheiros de Jesus” usam droga para estudar a Bíblia

maconha

Um grupo de cristãos da cidade Centennial, Colorado (EUA), está chamando atenção por defender que a maconha os aproxima de Deus. Como o nome de “Stoner Jesus”, algo como “Maconheiros de Jesus”, convida “os estudantes da Palavra” para usar marijuana como uma maneira de lhes ajudar a entender os textos bíblicos.

Tudo começou quando Deb Button, 40 anos, casada e com dois filhos, precisou lidar com o divórcio. Ela diz que nunca havia usado drogas, mas aceitou o convite de um amigo. No Colorado, a venda do entorpecente é legalizada.

“Quando eu comecei a fumar me senti tão ligado a Deus”, conta ela. Entusiasmada, começou a divulgar os encontros do grupo na internet e rapidamente atraiu interessados. Aos poucos, a ideia foi se espalhando e hoje reúne além de evangélicos, mórmons, católicos, um ortodoxo grego e até um ateu! “Acho que essa planta é sagrada”, dispara Joye.

Os outros participantes têm suas próprias experiências. “Quando eu estou drogado, não consigo ler rápido, então olho para cada palavra”, disse Cindy Joye, uma das participantes.

“Penso no que cada uma delas significa”, explica. “Jesus não saia com os fariseus, mas com pecadores”, insiste Joye. “Se alguém lhe oferecesse um baseado, ele não diria que não.”

Já Mia Williams, que também participa dos encontros, faz uma defesa enfática.

“A Bíblia não diz que você não pode fumar maconha”, dispara. Ela afirma que foi criada em uma igreja batista conservadora, mas hoje não vê problema no consumo da droga. Cita Gênesis 1:29: “Eis que dou a vocês todas as plantas que nascem em toda a terra e produzem sementes’”, convenientemente deixado de fora a parte do versículo que explica que eram para alimento, não para fumo.

O que chama mais atenção nessa situação é o destaque que a mídia deu ao caso, celebrando como se fosse uma espécie de evolução ou tendência entre os jovens.

Nos Estados Unidos já existe até uma igreja que tem como sacramento a maconha. A Primeira Igreja dos Cannabis, no estado de Indiana é reconhecida pelo governo, mas não se define como uma igreja cristã, tendo sua própria filosofia.

Embora a Bíblia de fato não fale sobre a maconha ou outras drogas de maneira específica, existem muitas recomendações no Novo Testamento sobre a suficiência em Jesus. Ou seja, qual benefício uma droga que altera os sentidos poderia trazer a vida de uma pessoa?

A colunista Jennifer Leclaire, da revista Charisma, comentou a situação esta semana. Ela lembra que em contraponto aos frutos do Espírito Santo, as Escrituras falam sobre os frutos da carne: “Porque as obras da carne são manifestas, as quais são […] feitiçaria” (Gl 5.19-20).

O termo grego que aparece como “feitiçaria” na maioria das traduções, no original grego épharmakeia e pode significa “o uso de drogas de envenenamento ou intoxicação, feitiçaria, artes mágicas”. É a mesma raiz da palavra “farmácia” também chamada de “drogaria”.

Obviamente os tempos são outros e existem muitos medicamentos benéficos, mas o uso de substâncias que alteram a consciência na busca do sagrado tem suas origens em cultos pagãos antigos.

Uma olhada rápida nas ferramentas de busca na internet mostra que existem vários sites brasileiros lidando com a questão se é permitido um evangélico fumar maconha.

Embora o foco da política atual seja a possibilidade de impeachment da presidente Dilma, o Supremo Tribunal Federal (STF) está prestes a descriminalizar o consumo de drogas no Brasil.

Assim como ocorreu com o casamento homossexual, uma eventual aprovação do STF fará com que a questão das drogas seja imposta sobre a sociedade como o “natural” e a igreja precisará lidar com isso.

Não é por acaso que a maioria dos centros de tratamento de usuários de droga é mantido por igrejas. Segundo diferentes pesquisas, o uso da maconha é geralmente um primeiro passo, que conduz ao uso de substâncias cada vez mais fortes, como cocaína ou crack.

Fonte: GospelPrime

[Apostasia] Assembleia de Deus muda estatuto para permitir divórcio de pastores

divorcio1

A denominação mais rígida em sua doutrina dentre as igrejas evangélicas parece que não é mais tão rígida assim: a Assembleia de Deus decidiu mudar seu estatuto para permitir que pastores e demais líderes possam se casar novamente, liberando o divórcio.

A decisão foi ratificada em julho deste ano no CONAMAD (Convenção Nacional das Assembleias de Deus Ministério Madureira), que ocorreu no mês de julho em Brasília e contou com a participação dos líderes da denominação, mas seu teor só agora foi divulgado na internet.

Pelo documento divulgado, a resolução diz que “O ideal divino para o casamento é que ele seja uma união para a vida toda”, mas pondera que devido a violência, adultério, abusos físicos e psicológicos bem como abandono emocional ou espiritual podem fazer com que seja “imperiosa a dissolução do matrimônio”.

Para tanto, caso sejam esgotadas as tentativas de reconciliação, a igreja “admite o divórcio e nova núpcia”. Ou seja: caso o pastor não consiga se reconciliar, poderá se separar de sua esposa e contrair novo casamento, sem que sofra qualquer sanção da igreja. A decisão, no entanto, não é válida para membros, mas apenas para pastores.

A Assembleia de Deus tenta conter os escândalos de separação enfrentados nos últimos tempos, onde diversos líderes de renome deixaram suas esposas por outras mais jovens, o que foi motivo de revolta por parte dos cristãos, principalmente na internet.

O documento redigido e sancionado na convenção foi assinado por um grande número de pastores, e está disponível na íntegra abaixo(obs: para uma melhor resolução, clique ma imagem):

AD1 AD2 AD3 AD4 AD5 AD6 AD7

E aí, pode separar?

Seguindo literalmente os evangelhos, o divórcio não é bem quisto por Deus, e nem pela maioria dos cristãos, que interpretam de forma literal as palavras de Jesus sobre estar em adultério quem casa-se de novo estando seu antigo cônjuge vivo.

Fonte: portaldotrono

[e-News] SUPREMA CORTE DOS EUA MANDA REMOVER MONUMENTO AOS DEZ MANDAMENTOS DO CAPITÓLIO.

Neste exato momento meus olhos contemplam, admirados, uma notícia que trouxe choque!

Suprema Corte de Oklahoma manda que o monumento aos Dez Mandamentos do Capitólio do Estado seja removido… Para que os iramos tenham uma noção de localização, Oklahoma está localizado no chamado “Cinturão Bíblico” dos Estados Unidos, onde há forte influência das religiões.

Captura de Tela 2015-06-30 às 17.23.31

Pesquisando rapidamente sobre a notícia (lida no site da FoxNews, link aqui: http://insider.foxnews.com/2015/06/30/court-10-commandments-monument-must-come-down-okla-capitol ) relembramos uma outra noticia de meados de 2014 em que um grupo de satanistas tinha o intento de erguer um monumento a Baphomet e coloca-lo no gramado deste mesmo Capitólio, para honrar o senhor das Trevas. (link aqui:http://www.vice.com/pt_br/read/veja-como-esta-ficando-o-novo-monumento-satanico-que-deve-ser-construido-no-capitolio-de-oklahoma).

Posteriormente, em Dezembro, eles mostraram a estatua quase pronta, em bronze. Segundo os idealizadores satanistas, a intenção era dispo-la no gramado junto ao monumento dos Dez mandamentos (uma afronta maligna)! Eles disseram que a estatua foi pensada para servir como testemunho da igualdade de representação de todas as religiões sob a lei dos EUA.! link aqui: http://www.vice.com/pt_br/read/a-estatua-satanica-que-deve-ser-colocada-no-capitolio-de-oklahoma-esta-ficando-otima)

Assistimos pasmados o declínio de uma nação que teve sua base cristã desde a fundação, mas que agora naufraga espiritualmente de uma forma absurda, abandonando e rejeitando o Único e Verdadeiro Deus!

Como já nos alertou décadas atras nosso amado e saudoso irmão o pastor David Wilkerson, que disse ter tido uma visão dada por Deus, em que ele via que os Estados Unidos da America estava mergulhado em um caldeirão de bruxa, e a mesma o mexia em suas aguas borbulhantes com uma grande colher…

O resultado não poderia ser diferente! A nação mergulhada em bruxaria, ocultismo, satanismo, paganismo, imoralidade… Abandonaram ao Senhor Deus Todo Poderoso, o Salvador e foram após os ídolos que causam a destruição e a ruína. Como já nos alerta a Palavra de Deus, por meio do profeta Oséias “Israel rejeitou o bem; o inimigo persegui-lo-á.” (Oséias 8:3)

Não há como esperar um futuro abençoado e próspero depois dos últimos acontecimentos que temos presenciado! Certamente o juízo em breve chegará!

Porque a rebelião é como o pecado de feitiçaria, e o porfiar é como iniqüidade e idolatria. Porquanto tu rejeitaste a palavra do Senhor, ele também te rejeitou a ti, para que não sejas rei. 1 Samuel 15:23

Agora falta pouco!

Maranata, vem Jesus!

Via: https://blogaultimatrombeta.wordpress.com/

SUPLEMENTO

O que está acontecendo nos EUA – APOSTASIA –  já nos foi revelado por Profecias contidas em Apocalipse. Confira os Estudos abaixo:

[e-news] O Casamento Gay, a Apostasia e o Retorno de Jesus!

gays eua A suprema corte dos Estados Unidos acabou de aprovar o casamento de pessoas do mesmo sexo em todos os cinquenta estados americanos. A prática já era aceita na maioria dos estados, porém, treze estados (onde há mais evangélicos conservadores) ainda proibiam a prática. Agora, com a decisão da suprema corte, todos os cinquenta estados americanos são obrigados a aceitar o casamento de pessoas do mesmo sexo.

Essa sem dúvida é uma decisão emblemática, tratando-se do país mais “evangélico” do mundo. Se lembrarmos que há apenas dez anos, a grande maioria dos estados americanos repudiava o casamento de pessoas do mesmo sexo, a comemoração dos ativistas pró LGBT diante da suprema corte americana mostra que a virada de jogo foi mesmo surpreendente.

Meu ponto aqui não é tratar de “direitos civis. É preciso reconhecer que, perante a Lei, todas as pessoas têm os mesmos direitos. E que, se alguém pretende “casar-se” com quem quer que seja, em tese, essa pessoa tem o “direito” de fazer isso, desde que não prejudique outra pessoa no caso. Ao mesmo tempo, e isso ainda parece ser realidade nos Estados Unidos, as pessoas e instituições religiosas que discordam continuam tendo o direito de discordar, e, provavelmente, as igrejas não serão obrigadas a realizarem esse tipo de casamento tão cedo.

Porém, o que me chama atenção nesse caso é justamente a rápida mudança no pensamento mundial acerca desse assunto, e a consolidação disso na maior democracia cristã do mundo. Quando a maioria da população em uma democracia é favorável a uma prática, a tendência é que essa prática venha a ser institucionalizada. Foi o caso aqui. E isso mostra que os poderosos ventos de mudança que começaram a soprar mais fortemente no mundo desde o final do século 20, com a queda do muro de Berlim por exemplo, estão se intensificando cada vez, removendo com facilidade marcos antigos, em prol de uma unificação do paganismo na terra. A era cristã está terminando. E, tudo isso parece ter sido minuciosamente planejado.

Talvez seja exatamente isso o que as pessoas estejam comemorando diante da suprema corte americana. Um cartaz no meio da multidão dizia: “a constituição é nosso escudo contra a Bíblia da intolerância e preconceito”. Esse é o ponto mais crucial me parece. Aqui está o verdadeiro motivo da disputa, o qual subjaz por detrás de todos os demais discursos.

Mas o que, como cristãos, podemos dizer disso tudo? Reclamar e exclamar horrorizados expressões como: “é o fim dos tempos”? Talvez seja mesmo, e nesse caso, não deveríamos estar horrorizados, mas com a certeza indirimível de que tudo está acontecendo como tinha que ser. Sim, a era cristã precisa terminar, pois se ela não terminar, Jesus não voltará. O Apóstolo Paulo disse que antes que Cristo volte “primeiro” precisa “vir” a apostasia (2Ts 2.3). E o próprio Cristo disse que os dias que antecederiam sua volta recapitulariam dois importantes momentos da história bíblica. Um dos exemplos evocados por Cristo foi justamente os “dias de Noé”, quando as pessoas “comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento” (Lc 17.26-27). Questões em relação ao casamento, portanto, estariam no centro da agenda do mundo mais uma vez, antes da volta de Cristo. Em Gênesis 6 temos a descrição de padrões de casamento inaceitáveis por Deus, e isso resultou diretamente no dilúvio. É interessante que o arco-íris que estaria nas nuvens como prova da aliança divina, agora esteja numa bandeira que contraria aquilo que o próprio Deus ordenou, porém institucionalizado na forma da lei. Mas, talvez isso faça Deus se lembrar mais uma vez… Mas, o segundo momento evocado por Cristo é ainda mais emblemático: “O mesmo aconteceu nos dias de Ló: comiam, bebiam, compravam, vendiam, plantavam e edificavam; mas, no dia em que Ló saiu de Sodoma, choveu do céu fogo e enxofre e destruiu a todos. Assim será no dia em que o Filho do Homem se manifestar” (Lc 17.28-30). Em Sodoma e Gomorra, um dos maiores pecados, que resultou na destruição das cidades, foi o relacionamento entre pessoas do mesmo sexo!

Tudo isso aponta para uma inquietante realidade e, ao final, para uma surpreendente esperança. Todas as ações malignas no mundo, e que estão a todo vapor como podemos ver, trabalhando para a implantação do paganismo como sistema, apesar disso, estão debaixo dos desígnios daquele que anunciou o fim desde o começo. Todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito (Rm 8.28). Fica, entretanto, o alerta do Senhor: “Aquele, porém, que perseverar até o fim, esse será salvo” (Mt 24.13).

*** Leandro Lima é escritor, teólogo e pastor presbiteriano. Fonte: Pulpito Cristão

SUPLEMENTO

Enquanto isso, aqui no Brasil, o debate sobre esse assunto está acirrado!