[e-News] X-Men: Apocalipse insinua que Jesus teria sido um mutante

108588-em-xmen-apocalipse-filme-tem-600x315-1

O novo filme da popular franquia X-Men, produzida pela FOX, apresentará um antigo antagonista do grupo de mutantes nos quadrinhos: Apocalipse.

Dirigido por Bryan Singer, “X-Men: Apocalipse” promete causar polêmica ao envolver religião na história. Pelo que pudemos ver no trailer, a obra irá além dos quadrinhos ao referenciar Apocalipse não só como o mutante mais antigo do mundo, mas que já tenha sido adorado como um deus no Egito antigo.

Um dos momentos marcantes do vídeo que tem por interesse nos mover até as salas de cinema é quando Apocalipse declara já ter sido chamado por muitos nomes: “Já fui chamado de várias coisas em muitas vidas. Rha, Krishna, Jeová…”

O cristianismo já é referencial importante e inerente ao perfil do vilão Apocalipse, desde sua criação nas revistinhas da Marvel. Seu nome e o fato de usar quatro cavaleiros, chamados “Cavaleiros do Apocalipse”, são referências óbvias e até inofensivas.

Mas o filme vai além ao insinuar que Jesus — ou a imagem que o povo de Israel tinha de Deus — teria sido Apocalipse, ou seja, um mutante. E que o processo de inspiração é inverso. Apocalipse seria tão antigo que não se inspirou na Bíblia; são as Sagradas Escrituras que se inspiraram nele.(sic)

Ele tirou isso da Bíblia, diz um dos X-Men, ao passo que uma pesquisadora responde:Ou a Bíblia tirou dele.

O rico trailer expõe ainda que no universo da obra cinematográfica, existem sociedades secretas que veem os mutantes como uma Segunda Vinda (?) e um sinal de Deus.

A guinada religiosa do filme é evidente, e ultrapassa em peso as referências mais brandas que a história original nos quadrinhos faz. Claro, pode ser apenas “sensacionalismo” de trailer, mas para confirmar precisaremos aguardar a estreia do filme.

Confira o Trailer abaixo:

Fonte: GospelPrime

SUPLEMENTO

Quer saber a verdade sobre o Apocalipse? Veja as Palestras abaixo:

Anúncios

Se Música do Mundo é “Pecado” porque Filme Secular não é?

  
       “Não porei coisa má diante dos meus olhos. Odeio a obra daqueles que se desviam; não se me pegará a mim.”        Sl 101:3

 

  
Outro dia, eu estava tomando café e comendo uma cavaca de milho. Definitivamente eu gosto muito de cavacas e enquanto saboreava uma ficava a pensar sobre essa coisa de hábitos e costumes nas igrejas evangélicas. Até que me pus a perguntar: se musica do mundo é pecado por que filme secular não é? Acho que também não sei, talvez porque ninguém até hoje se aventurou em procurar a resposta. Enfim… somos legalistas demais para uma coisa e menos para outra ou não sabemos mesmo o porquê de tudo?

Se compararmos uma com a outra, existirão pontos em comum entre a evangelização atual e a antiga catequese romana. A quebra de hábitos, a forçação em inserir o indivíduo dentro do contexto, das normas, da “doutrina”, etc. Logicamente, um perdido deverá passar pelo processo de regeneração, porém, vejo o homem mais como um cooperador de Cristo do que o autor de tal transformação. O pior mesmo é que a investida  se dá para a preservação denominacional e menos para o crescimento do novo convertido na Graça e no Conhecimento. Daí seguem-se as reafirmações do “isso pOde, isso não pOde” de uma série de coisas que fazem até sentido à luz da Palavra, no entanto, outras são totalmente sem pé nem cabeça. Se musica do mundo é pecado por que filme secular não é?

Não, eu não ouço musica do mundo e nem sou favorável que um cristão ouça. Por outro lado, já não me escandalizo com os irmãos que o fazem. Nem tudo é conveniente e cada um sabe de si. O questionamento me ocorre por causa da forma que muitas vezes um valor é transmitido. Formar é diferente de condicionar. O próprio Deus, por vezes, deu ao Seu povo o direito à escolha e a chance de pensarem antes de se decidirem por algo. Infelizmente, alguns insistem em não ser à Sua imagem e semelhança.

Para eu não ouvir musica do mundo, no passado, já me argumentaram o seguinte:
  • os compositores, em geral, não são cristãos e, portanto, não são inspirados por Deus;
  • os músicos, em geral, não são cristãos e muitos fizeram pacto com o diabo em troca de fama;
  • os cantores querem a glória para si, algo contrário à nossa fé;
  • o ritmo das músicas do mundo induzem ao pecado;
  • suas letras tem duplo sentido ou são opressivas.
Só tem um detalhe (ou alguns detalhes):
  • nem todas as letras de música gospel são compostas por cristãos;
  • cada vez mais músicos não-cristãos participam da produção de cds evangélicos;
  • muitos cantores evangélicos cobram alto valor monetário mais estrutura de palco para se apresentarem em igrejas, congressos e shows. Comportamento típico de popstar;
  • existem letras evangélicas em que não se sabe para quem está sendo cantada;
  • muitos músicos evangélicos se inspiram em músicos do mundo (guitarristas, bateristas…).
E se aproveitarmos as justificativas da musica do mundo para os filmes seculares, temos:
  •  os diretos e escritores, de igual forma, em sua maioria não são cristãos e não inspirados por Deus;
  • atores são adeptos de doutrinas totalmente contrárias às Sagradas Escrituras ou são ateus;
  • o mundo do cinema é regado a status, orgulho e idolatria;
  • as histórias tem mensagens subliminares;
  • as histórias tem mensagens que promovem outras religiões ou Nova Era;
  • as histórias tem cenas de sexo, morte, adultério, prostituição, ira e todas as obras da carne;
  • a trilha sonora é toda ela composta de musica do mundo. 
Logo, seguindo o raciocínio lógico dos catequisadores evangélicos assistir filme secular é pecado. Sim, se a questão passa por isto, por ser ou não ser pecado, então, da mesma forma que musica do mundo é pecado, assistir filmes do mundo também é. Pecado de estimação, tolerado e incentivado, feito debaixo de vossos narizes!  Misericórdia.

Todas as institituições têm seus próprios costumes e o direito de preservá-los. O que se há de pensar é a que preço tudo isto vale a pena. Uma vida vale menos do que uma organização evangélica? É aceitável ver um novo convertido afastar-se da comunhão dos santos por não conseguir bater as metas comportamentais ou não conseguir se adaptar à cultura local? Ser excluído pelos olhares recriminatórios dos irmãos que dizem o amar em Cristo Jesus?

Siga a visão que lhe foi transmitida. Seja fiel ao lugar onde está. Nunca se esqueça de que dELE, por ELE e para ELE são todas as coisas e que, por isso, sua ajuda é dispensável. Entre homem e a Bíblia, que você não erre em sua escolha!

Sola Scripturas.

Somente As Escrituras!