[Ciência & Fé] O universo como evidência para a existência do Criador

O universo como evidência para a existência do Criador

genesis_xlg

Por Dennis Prager

Os céus declaram a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos. Salmos 19:1

.
Durante a semana passada, em Nice (França) tive o privilégio de participar juntamente com 30 estudiosos, maioritariamente cientistas e matemáticos, numa conferência em torno da questão do universo ter sido criado, ou pelo menos afinado, para a vida (em especial para a vida inteligente). Os  participantes – de Yale, Princeton, Harvard, Berkeley, e Columbia, bem como de outras universidades Americanas e Europeias – incluíam pessoas que  acreditavam em Deus, agnósticos e ateus.

Ficou mais ou menos claro que o consenso científico afirma que o universo se encontra calibrado de um modo minucioso de modo a permitir a  possibilidade da vida. Parece que vivemos num universo especial, um onde tanto a configuração da matéria ao nível do início cósmico bem como os valores dos vários parâmetros físicos – tais como a velocidade da luz, a força da atracção gravitacional, e a taxa de expansão do universo – encontram-se certos para a vida. E a menos que alguém se assuste com o termo, parece que o universo foi criado especialmente para a biogénese e para a vida  humana.

Em relação à calibração afinada (inglês: “fine tuning”) do universo, poderia-se escrever um livro só citando os argumentos em favor dela feitos pelos cientistas mais distintos do mundo. Eis aqui só uma pequena amostra, recolhida pelo físico Gerald Schroeder, (Ph.D. pela MIT, lugar onde  mais tarde ensinou a Física).

Michael Turner, astrofísico na Universidade de Chicago e Fermilab disse:

O nível de precisão é semelhante a alguém atirar um dardo duma ponta do universo para o outro, e atingir o centro dum alvo com o diâmetro de um milímetro.

Paul Davies, professor de Física Teorética na Universidade de Adelaide diz:

O que é realmente espantoso não é o facto da vida na Terra encontrar-se equilibrada na aresta duma faca, mas sim o facto do universo inteiro  estar equilibrado do mesmo modo; ele estaria um caos total se alguma das “constantes” fosse ligeiramente diferente.

Roger Penrose, professor de Matemática na Universidade de Oxford, escreve que a probabilidade do universo ter energia usável (baixa entropia) no  momento da sua criação é “uma parte de dez à potência de dez à potência de 123.” Isto é, “um milhão de biliões de biliões de biliões de biliões de  biliões de biliões de biliões de biliões de biliões de biliões de biliões de biliões de biliões de zeros.”

Steven Weinberg, recipiente do Prémio Nobel da Física e um agnóstico anti-religioso, nota que “a existência de vida de qualquer tipo parece requerer  o cancelamento entre diferentes contribuições para a energia do vácuo, com uma precisão de cerca de 120 casas decimais.” Como explica o site, “Isto  significa que se a energia do Big Bang fosse, em unidades arbitrárias, não:

100000000000000000000000000000000000000000000000000
000000000000000000000000000000000000000000000000000
000000000000000000

Mas no seu lugar:

100000000000000000000000000000000000000000000000000
000000000000000000000000000000000000000000000000000
000000000000000001

……….. não haveria vida de qualquer tipo no universo inteiro.”

A menos que alguém seja um ateu com a mente fechada (existem ateus com a mente aberta), numa base puramente científica, não é válido negar que o universo encontra-se calibrado minuciosamente duma forma improvável de modo a gerar a vida, e muito menos negar que o mesmo está feito para a  existência de vida inteligente.

Para além disso, é um dogma ateísta (e não algo científico) classificar a noção da criação como “não-científica”. A alegação de que a ciência não pode sugerir que a inteligência vem de outra inteligência ou que o design vem dum designer é simplesmente uma tautologia e um dogma mascarado de ciência. No entanto, muitos cientistas inadvertidamente disponibilizaram evidências em favor disto.

Como forma de resposta ao argumento do design cósmico, foi avançada a noção do multiverso – a ideia de que existem muitos, provavelmente em número infinito, de universos. Esta ideia esvazia por completo a ideia da calibração minuciosa do nosso universo e, obviamente, esvazia o argumento do design. Afinal, num número infinito de universos, um universo com os parâmetros certos para a vida é mais provável de surgir por acaso.

CABEÇA NA AREIA 01

O problema (para os multiversistas) é que não existe qualquer tipo de evidência que suporte a tese da existência de outros universos – nem poderia  existir uma vez que o contacto com outros universos é impossível). Devido a isso, só se pode chegar a uma conclusão: o facto dos ateus terem  recorrido ao argumento do multiverso é uma admissão tácita de que eles perderam a discussão em torno do design neste universo. As evidências em  favor do design neste universo são tão convincentes que a única forma de evitar a conclusão óbvia (que o universo é obra de Design Inteligente) é  sugerir que o nosso universo é apenas mais um numa linha infinita de universos.

Os ateus mais honestos – cientistas e não-cientistas – têm que aceitar que a própria ciência argumenta de forma sobrepujante em favor dUm Criador Inteligente. (…) Alegar a existência do Criador requer apenas o uso da razão. Alegar que o Criador é Omnibenevolente requer o uso da fé.

Fonte

SUPLEMENTO

[Maná Celestial] A Vitória que vence o Mundo!

Fé

“…E esta é a vitória que vence o mundo, a nossa fé.” 1 João 5.4

Quem nasce de novo se torna vitorioso diante de tentação e do pecado. Exatamente! Vitória é o glorioso resultado do sacrifício de Jesus Cristo na cruz. Quando Ele clamou: “Está consumado!”, foi vitorioso sobre Satanás, sobre o pecado e sobre a morte. Por isso, todos os que agora estão em Cristo, os renascidos, também são vitoriosos em Jesus. Por isso, quando um filho de Deus é tentado e sente sua fraqueza e impotência, ele não cruza os braços, mas dá graças pela vitória que lhe é dada em Jesus Cristo. Quer dizer que um renascido se torna uma pessoa tão forte? Não, ele é fraco, mas Jesus vive nele. “Cristo em mim”, esta é a garantia da vitória no dia-a-dia. O renascimento não é uma invenção teórica, algo irreal, mas um acontecimento poderoso e revolucionário num coração humano! Jesus Cristo, o próprio Deus, faz morada em nossa vida por meio do Seu Espírito. É o próprio Deus que vence através de nós. Por isso, a pessoa que se humilha aos pés da cruz pode jubilar: 

“Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus… nós que não andamos segundo a carne, mas segundo o Espírito”. Romanos 8:1


[Exortação] A Fé que não salva!

A Paz meus amados!

É “bonito” vermos manifestações de “Fé”, no entanto esta em si mesma não pode nos salvar ou aperfeiçoar! Ela deve ser manifestada em relação a Alguém, ou melhor, em Jesus Cristo, pois Ele mesmo disse:

“Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.” João 14:6

Creio que o contexto da “Fé”, que muitos dizem ter, esteja subentendida em relação a Deus, i.e., Fé em Deus. Isto é bom, pois está escrito:
“Ora, sem fé é impossível agradar-lhe; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam.” Hb 11:6

Mas não é suficiente!!! Porquê? Alguém pode perguntar. Porque até os demônios crêem, mas não agradam a Deus! Está escrito:

“Tu crês que há um só Deus; fazes bem. Também os demônios o crêem, e estremecem.” Tiago 2:19

Aliás, parece que os demônios são mais devotos que muitos de nós, pois eles “estremecem“, apesar de não obedecerem, diante de Deus. E a grande maioria de nós não fazemos nem isto e nem aquilo!

Qual é a diferença entre nós e os demônios então? A diferença é que nós temos a possibilidade de sermos obedientes ao crermos e permitirmos que Deus nos transforme quando seu Santo Espírito vem fazer em nós morada, mediante nossa obediência à Palavra de Deus, i.e., a Bíblia! Está escrito:

“Jesus respondeu, e disse-lhe: Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e meu Pai o amará, e viremos para ele, e faremos nele morada.(através do Espírito Santo)

Quem não me ama não guarda as minhas palavras; ora, a palavra que ouvistes não é minha, mas do Pai que me enviou.

Tenho-vos dito isto, estando convosco.

Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito.” João 14:23-26

Tiago resume:

“Mas, ó homem vão, queres tu saber que a fé sem as obras é morta?

Porventura o nosso pai Abraão não foi justificado pelas obras, quando ofereceu sobre o altar o seu filho Isaque?

Bem vês que a fé cooperou com as suas obras, e que pelas obras a fé foi aperfeiçoada.

E cumpriu-se a Escritura, que diz: E creu Abraão em Deus, e foi-lhe isso imputado como justiça, e foi chamado o amigo de Deus.

Vedes então que o homem é justificado pelas obras, e não somente pela fé.

E de igual modo Raabe, a meretriz, não foi também justificada pelas obras, quando recolheu os emissários, e os despediu por outro caminho?

Porque, assim como o corpo sem o espírito está morto, assim também a fé sem obras é morta.” Tiago 2:20-26

A Fé VERDADEIRA é acompanhada por obras de OBEDIÊNCIA a Deus! Assista ao vídeo abaixo e faça uma reflexão sobre sua Fé. Veja se ela está viva ou MORTA! Qualquer dúvida, estou disposto a esclarecer! Paz…

[Reflexão] Cristãos queimados VIVOS!‏

O FIM ESTÁ PRÓXIMO

 A Paz do Senhor Jesus
Enquanto não se ouvir o som da trombeta de Deus, anunciando a volta do Senhor Jesus, ouviremos desses acontecimentos, pois, desde a perseguição ao Mestre Jesus, o povo do Senhor tem sido afligido ao longo da história cristã.
Que o Senhor nos ajude a perseverarmos na fé e na esperança do Grande Dia do Senhor. Oremos por todos os cristãos espalhados pela face da terra.
Abraços
Amelia

Fonte: por e-mail
Cristãos queimados VIVOS(Vídeo)! Agradeçamos a Deus por podermos viver e proclamar a nossa fé.
Cristãos queimados vivos(Vídeo) por muçulmanos sunitas da Nigéria.
Notícias como essa, que deveriam estampar a primeira página dos jornais, são solenemente ignoradas pela grande mídia.
FAÇAMOS NOSSA PARTE! JÁ PASSOU DO TEMPO DE FICARMOS PARADOS DENTRO DAS IGREJAS COMO MEROS ESPECTADORES. ELE ME CHAMOU E TE CHAMOU PRA MUDAR UMA SOCIEDADE E QUE TEMOS FEITO?
É HORA DE DESPERTARMOS DO SONO.

Fé Verdadeira!

Satanás vos reclamou para vos peneirar como trigo! Eu, porém, roguei por ti, para que a tua fé não desfaleça … ” (Lc 22.31,32.)

 

Nossa fé é o centro do alvo a que Deus atira quando nos prova; e se alguma outra graça passa sem ser testada, com a fé isso não acon­tece. Não há melhor maneira de ferir a fé no seu próprio cerne, do que cravar-lhe a seta do desamparo. Isto revela logo se ela é ou não a fé dos imortais. Despoje a fé do gozo que a envolve como uma armadura e deixe que venham contra ela os terrores do Senhor; e será fé real, a que escapar ilesa do ataque. A fé precisa ser provada, e o desamparo aparente é a forna­lha aquecida sete vezes, na qual ela precisa ser lançada. Bem-aventurado o homem que pode suportar a provação. C. H. Spurgeon

 

Paulo disse: “Guardei a fé”, mas ficou sem a cabeça! Cortaram-lhe a cabeça, mas não tocaram em sua fé. Aquele grande apóstolo dos gentios se alegrava por três coisas: havia combatido o bom combate, acabado a carreira e; guardado a fé. Que lhe importava o resto? Paulo ganhou a corrida: ele ga­nhou o prêmio; e hoje tem a admiração não só da terra, mas do Céu. Por que não agimos como se valesse a pena perder tudo para ganhar a Cristo? Por que não somos leais à verdade, como ele foi? Ah, nós não temos a sua aritmética. Ele contava de maneira diferente da nossa. Nós contamos como Iucro o que ele contava como perda. É mister que tenhamos a sua fé e a guardemos, se queremos receber a mesma coroa.

 

Fonte: Manaciais no Deserto