Deserto – O Seminário de Deus!

“Decorridos quarenta anos, apareceu-lhe, no deserto do monte Sinai, um anjo, por entre as chamas de uma sarça que ardia. Disse-lhe o Senhor… Vi, com efeito, o sofrimento do meu povo no Egito, ouvi o seu gemido e desci para libertá­-lo. Vem agora, e eu te enviarei ao Egito. ”  At 7.30,33,34

 

Essa foi uma longa espera, em preparação para uma grande missão. Quando Deus parece “tardar”, ele não está inativo. Está preparan­do seus instrumentos, está deixando amadurecer nossos poderes; e no momento aprazado, nos levantaremos à altura da nossa tarefa. Mesmo Jesus de Nazaré permaneceu trinta anos no silêncio, crescendo em sabedo­ria, antes de começar sua obra. – Dr. Jowett

Deus nunca está com pressa. Ele gasta muito tempo preparando aque­les que pretende usar para um serviço mais importante na sua obra. Ele nunca considera o tempo da preparação demasiadamente longo nem des­necessário.

O ingrediente mais difícil de se suportar é, muitas vezes, o tempo. Um golpe agudo e rápido é suportado mais facilmente, mas quando um sofrimento se arrasta por anos longos e monótonos, e a cada dia conti­nua presente, com a mesma rotina enfadonha de irremediável agonia, o coração perde a força, e, sem a graça de Deus, certamente cairá num amargo desespero. Longa foi a prova de José, e, muitas vezes, Deus tem de gravar suas lições no nosso coração por meio do fogo de uma dor prolongada. ”Assentar-se-á como um ourives e refinador de prata”, mas ele sabe por quanto tempo, e como um verdadeiro ourives ele di­minui o fogo no momento em que vê a sua imagem no metal brilhante. Podemos não ver agora o resultado do plano grandioso que Deus está ocultando na sombra de sua mão; e este pode ser-nos ainda oculto por muito tempo; mas a fé pode estar certa de que ele está assentado no trono, esperando calmamente pela hora em que, em arrebatamento e adoração diremos: “Todas as coisas contribuíram juntamente para o bem.” Sejamos, à semelhança de José, mais cuidadosos para aprender as lições na escola da dor, do que ansiosos pela hora do livramento. Há um “se necessário” para cada lição, e quando estivermos prontos, por certo virá o livramento, e descobriremos que não poderíamos ter per­manecido firmes no nosso posto de serviço, sem as lições que apren­demos na fornalha da provação. Deus está nos educando para o futuro, para um serviço mais elevado e para bênçãos mais sublimes; e se temos qualidades que nos habilitam para uma posição de autoridade, nada nos poderá impedir de ocupá-Ia, quando chegar o tempo de Deus. Não roubemos da mão de Deus o amanhã. Devemos dar-lhe tempo para falar conosco e revelar-nos a sua vontade. Ele nunca está atrasado; aprendamos a esperar.

Não corramos afoitamente adiante do Senhor; aprendamos a esperar pelo seu tempo: tanto o ponteiro dos minutos como o ponteiro das horas precisam estar apontando o momento da ação.
Fonte: Manaciais no Deserto
Anúncios

A Fornalha das Aflições

“… que andam passeando dentro do fogo … ” (Dn 3.25)

       As chamas não impediram os movimentos deles; andavam no meio do fogo. Ele foi uma das avenidas pelas quais seguiram em direção ao ponto final. O conforto da revelação de Cristo não é que ela nos ensine a nos emanciparmos do sofrimento, mas a nos emanciparmos atra­vés do sofrimento. 

       Ó Deus, ensina-me a ver que, quando as sombras descem, estou apenas num túnel. Basta-me saber que um dia tudo estará bem.

       Eu sei que um dia chegarei à glória da ressurreição. Mas eu quero mais, ó Pai: quero que seja o Calvário que me leve até lá. Quero ver nas sombras deste mundo as sombras de uma estrada – a estrada para a casa de meu Pai. Diga-me que eu tenho somente que subir esta avenida pois a tua casa fica lá no alto! Eu não sofrerei dano algum do sofrimento, se andar no meio do fogo. – George Matheson

Ó Pai, eu estremeço ao ser provado!

Sei que sairei como ouro refinado,

Mas enquanto no fogo,

Quero ver-te a meu lado.

Quero ver-te, Senhor!

Fonte: Manaciais no Deserto

Moídos feito Trigo!!

Leitura do dia: Is 28:28 

 

Muitos de nós não podem servir de alimento para saciar a fome do mundo, porque precisam ser ainda partidos nas mãos de Cristo. "O cereal é esmiuçado." A bênção de Cristo muitas vezes signifi­ca sofrimento, mas mesmo o sofrimento não é preço alto demais a se pagar pelo privilégio de trazer bênção a outras vidas. O que há de mais precioso no mundo hoje veio-nos através de lágrimas e dor. – J.R.Miller

 

Deus me tornou em pão para os seus eleitos, e se for necessário que o pão seja moído nos dentes do leão para alimentar os seus filhos, bendito seja o nome do Senhor. – lnácio

 

"Para que possamos nos dar inteiramente, é preciso que sejamos consumidos. Nós cessamos de ser bênção, quando cessamos de sangrar”.

 

"A pobreza, a necessidade e a desventura têm levado muitas vidas a atos de heroísmo moral e de grandeza espiritual.” A dificuldade lança um desafio à energia e perseverança. Ela apela para as mais fortes qualidades da alma. Nos relógios antigos, eram os pesos que os conservavam funcionando. Muitos pés-de-vento têm sido utilizados para levar embarcações ao porto. Deus envia as dificuldades, como um incentivo à fé e à ação.

 

"Os mais ilustres homens da Bíblia foram esmiuçados, trilhados, moí­dos e transformados em pão para o faminto.” Abraão é conhecido pelo título de ‘pai dos crentes’. Isto porque ele obteve o primeiro lugar na escola da aflição e da obediência.

 

"Jacó sofreu severas moeduras”. José foi trilhado e padejado, e teve que suportar a cozinha de Potifar e a prisão do Egito antes de ir para o trono.

 

"Davi, caçado pelos montes como uma perdiz, cansado e alquebrado, com os pés feridos, foi triturado e transformado em pão para um reino. Paulo nunca poderia ter sido pão para a casa de César se não tivesse passado pela moedura, açoites e apedrejamento. Ele foi moído até tornar-se em farinha da mais refinada qualidade para a família real."

 

"Tal combate, tal vitória. Se Deus tem determinado para nós grandes aflições, estejamos certos de que no seu coração ele nos tem reservado um lugar muito especial. O crente grandemente atribulado é uma pessoa eleita. "

 

Fonte: Mananciais no Deserto