[e-News] Eles desafiam Darwin

ID0

Cientistas brasileiros se aliam a um grupo de acadêmicos americanos e começam a defender nas universidades do País que a vida teria sido criada por uma mente inteligente

Rodrigo Cardoso (rcardoso@istoe.com.br)

Toda vez que é instada a dissertar sobre o início do universo e da vida, a maioria da comunidade científica apoia-se nos princípios de Charles Darwin (1809–1882), o biólogo e naturalista inglês que explicou a origem da diversidade da vida na terra com a Teoria da Evolução. Para esses darwinianos, novas espécies de seres vivos surgem por meio de mudanças graduais, geradas pela descendência e guiadas pela seleção natural. Cresce no País, no entanto, um grupo de cientistas de currículos robustos dispostos a quebrar o paradigma da biologia evolutiva, defensores da Teoria do Design Inteligente (TDI). A vida, para eles, não se desenvolveu na Terra de forma natural, mas projetada por uma mente inteligente. “Conhecimentos científicos em bioquímica e biologia molecular cada vez mais apurados nos permitiram abrir a caixa preta chamada célula e enxergar nela um conjunto imenso de máquinas moleculares dotado de uma complexidade irredutível”, diz Marcos Eberlin, professor do Instituto de Química da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). “Não dá para pensar num motor desse tipo produzido por forças naturais. Foi decisão de uma inteligência que existe no universo.” Autor de mais de 650 artigos científicos com mais de dez mil citações e comendador da Ordem Nacional do Mérito Científico, Eberlin é o porta-voz brasileiro da TDI, um movimento que nasceu nos Estados Unidos no final dos anos 80. Por lá, há cerca de três mil adeptos, como químicos, bioquímicos, biólogos e físicos. Aqui, os seguidores ganharam corpo com a Sociedade Brasileira do Design Inteligente, constituída no mês passado. Com Eberlin na presidência e um comitê científico composto por alguns ex-darwinistas, a entidade recentemente deu vida ao 1º Congresso Brasileiro do Design Inteligente, em Campinas, no interior de São Paulo.

ID

Ao final do ciclo de palestras, no domingo 16, que contou com a presença de cientistas do exterior, como o filósofo com especialização em biologia evolucionária Paul Nelson, entre os 370 participantes, o número de membros da sociedade saltou de 220 para 300. “Seremos 500 até o final do ano, mil até o ano que vem e cinco mil em cinco anos”, afirma o químico da Unicamp. “Não somos inimigos de Darwin, mas amigos da ciência. Queremos restabelecer a verdade científica”, diz ele, que é membro da Academia Brasileira de Ciências (ABC). Por enquanto, porém, eles têm causado controvérsia na comunidade científica. Para o especialista em genética evolutiva Diogo Meyer, a TDI tem credibilidade quase nula. “Eles não são da área para a qual pretendem contribuir. São químicos, pessoas que atuam na biologia molecular, bioquímica, e não trabalham com a evolução, diversidade biológica ou genética”, afirma ele, que é biólogo do Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo (USP). “É como se eu, que trabalho com evolução, argumentasse contra as interpretações mais convencionais da Revolução Francesa.”

ID1

Para os darwinianos, a TDI é um movimento de criacionistas que tenta dar uma roupagem de teoria científica à fé deles. “A gente diz por que a evolução dá conta de explicar as estruturas complexas das moléculas celulares, mas quem está atacando uma ideia já vigente precisa arregaçar a manga e mostrar serviço, o que não ocorreu até agora”, afirma Meyer. Evangélico batista, o químico Eberlin argumenta que tentam rotular o selo de religião na TDI para classificá-la como pseudociência. A universidade da qual ele é docente chegou a divulgar o Congresso sobre Design Inteligente em sua página no Facebook mas, de acordo com Eberlin, sofreu pressão para remover o anúncio. A Unicamp explicou, por meio de sua assessoria, que após verificar que o evento não conta com participação institucional concluiu que não justifica a sua divulgação. O porta-voz da TDI chama seus opositores de pitbulls de Darwin. Para eles, o químico, presidente da Sociedade Internacional de Espectrometria de Massas, é um charlatão. O docente, porém, continua aceitando convites para palestrar em universidades e explanar que fomos planejados e não gerados por processos naturais.

Foto: João Castellano/Ag. Istoé

SUPLEMENTO

Confira os vídeos abaixo para melhor compreensão do assunto:

[e-News] Genesis 3D será lançado em 2014! Veja o Trailer! Surpreendente!

genesis-3d-278x200

Reunir Jurassic Park e Avatar em um único filme parece ser uma receita de sucesso dos estúdios de cinema de Hollywood. Mas essa é a pretensão de um ministério cristão que deseja produzir em 3D a narrativa literal do primeiro capítulo de Gênesis.

Mesmo antes de seu lançamento oficial, previsto para 2014, já reiniciou o debate de evolucionistas e criacionistas. Os produtores do filme “Genesis 3D” já divulgaram abertamente seu desejo de expor a “mentira da evolução”, ao mostrar visualmente o relato da Bíblia sobre a criação da vida no planeta.

O criador do filme, Eric Hovind, já conseguiu filmar parte da narrativa usando a melhor tecnologia de animação em 3D disponível, mas ainda faltam cerca de US$ 150.000 para concluir o projeto. Para isso, lançou uma campanha de angariação de fundos pela internet, tendo arrecadado quase US$ 120.000 em apenas 10 dias.

Hovind está chamando o filme de “declaração ousada de fé”, dizendo acreditar que os espectadores poderão experimentar a história da criação de uma forma muito pessoal. Essa ideia de imersão na narrativa foi determinante para o uso de efeitos em 3D.

Sua ambição é clara: “Genesis 3D trará à vida o relato de Gênesis como nunca foi feito antes. Não apenas com grandes efeitos visuais, mas também usando a investigação acadêmica e relatos de alguns dos principais cientistas e teólogos do movimento Criação”.

“Ministérios de renome como Answers in Genesis e o Institute for Creation Research manifestaram o seu entusiasmo e ofereceram consultoria de PhDs para o roteiro de Genesis 3D”, comemora. Para Hovind existe muito material científico para apoiar a verdade que está enraizada na mensagem criacionista.

Para ele, o filme será uma grande barreira para os evolucionistas, pois “confronta diretamente a mentira da evolução que está tão impregnada na nossa cultura… Nós queremos mostrar às    pessoas como a ciência e a Bíblia se encaixam perfeitamente… Será uma ferramenta evangelística fenomenal”.

Assim que a produção do filme começou a ser comentada pela mídia, grupos ateus mostraram sua indignação. David Silverman, presidente do American Atheists, condenou o projeto em um comunicado de imprensa.

Seu ataque se concentrou na iniciativa de arrecadação de fundos para completar a obra. “Como temos visto em quase todas as religiões na história do mundo, as vítimas doutrinadas pela religião farão qualquer coisa, inclusive pagar grandes somas de dinheiro, para ter suas crenças antiquadas de imortalidade validadas. Filmes chamativos podem fazer cristãos sentirem que existe validade no mito de que são imortais, encobrindo o conhecido e a verdade através de efeitos especiais.”

Do outro lado, dezenas de pastores, evangelistas, líderes cristãos e igrejas já endossaram o projeto e pedem para que as pessoas que creem na Bíblia orem por isso e divulguem o filme “Genesis 3D”.

Hovind explica que seu objetivo é fazer com que o filme chegue nos cinemas em primeiro lugar e, em seguida, para o 3D Blu-ray e DVD, preferencialmente dublado em várias línguas. “Este projeto tem sido um passo de fé desde o início. É incrível ver Deus provendo de diferentes maneiras, exatamente o que precisamos”.

Ralph Strean, da produtora Sevenfold Films é o diretor do filme de animação. Para ele “Algumas pessoas não conseguirão se abrir para o Evangelho até que entendam que Gênesis é histórico e cientificamente correto. Queremos apresentar a verdade da maneira mais excelente possível”.

O processo de captação de recursos de Genesis 3D utiliza o sistema do crowdfunding, onde as pessoas podem dar livremente quantias de dinheiro para ajudar na concretização de uma ideia. O valor mínimo é US$ 10 e através do site Indiegogo é possível ver como está o projeto.

Dependendo da quantia doada, as pessoas ganham ingressos para assistir o filme nos cinemas, ou cópias do futuro lançamento em DVD/BluRay e até convites para a cerimônia de lançamento seguida de um jantar com os produtores.

A parte mais custosa é a do lançamento e promoção do filme, que terá um custo aproximado de 800 mil dólares. Os produtores não têm dúvida do sucesso de seu empreendimento e farão uma nova campanha na internet. Em se confirmando suas expectativas, nos próximos anos eles filmarão os outros capítulos de Gênesis. Com informações The Blaze, WND e Christian News Service.

Fonte: http://noticias.gospelprime.com.br/genesis-3d-trailer-dublado/

Veja o Trailer abaixo:

Enquanto o Filme não chega aos cinemas, contente-se com o documentário Evolução Vs Deus abaixo:

[Curiosidade] Resposta do jovem Einstein ao seu Professor Evolucionista! Perfeito!

einstein

UMA RESPOSTA INTELIGENTE

Professor: Você é Judeu não é filho?
Estudante: Sim senhor

Professor: Então, vc acredita em Deus?
Estudante: Absolutamente senhor

Professor: Deus é bom?
Estudante: Claro que sim

Professor: Deus é o todo poderoso?
Estudante: Sim

Professor: Meu irmão morreu de câncer mesmo orando a Deus todos os dias para curar ele. A maioria de nós tentaria ajudar os que estão doentes. Más Deus não fez. Como pode Deus ser bom então? Hunn??
(Estudante ficou em silencio)

Professor: Vc não pode responder, pode? Vamos começar de novo meu jovem.
Deus é bom?
Estudante: Sim

Professor: Satanás é bom?
Estudante: Não

Professor: De onde Satanás se originou?
Estudante: De… Deus… (Caso queira saber como isso aconteceu, clique aqui)

Professor: Vc está correto. Me diga filho, existe maldade no mundo?
Estudante: Sim

Professor: Se Deus criou tudo, então quem criou a maldade?
(Estudante não respondeu)

Professor: Existem doenças? Imoralidade? Ódio? Feiura? Todas essa coisas terríveis existem no mundo, não existem?
Estudante: Sim senhor

Professor: Então quem as criou?
(Estudante não respondeu)

Professor: A ciência explica que temos cinco sentidos para identificar e observar o mundo a nossa volta. Me diga filho, alguma vez vc viu Deus?
Estudante: Não senhor.

Professor: Alguma vez vc sentiu o seu Deus? Sentiu o gosto? Cheirou? Alguma vez vc já teve alguma sensação de Deus nesse sentido?
Estudante: não senhor, eu temo que não.

Professor: E ainda assim vc continua acreditando nele?
Estudante: Sim

Professor: De acordo com perícia testável e Protocolo de demonstração, a ciência diz que seu Deus não existe. O que vc diz a respeito rapaz?
Estudante: Nada. Só tenho fé.

Professor: Claro, a fé. Esse é o problema da ciência tem que enfrentar…

Estudante: Professor, existe no mundo o calor?
Professor: Sim

Estudante: E também existe frio?
Professor: Sim

Estudante: Não senhor, não existe.
(a classe ficou silenciosa com essa mudança dos eventos)

Estudante: Senhor, vc pode ter muito calor, até mais calor, super calor, mega calor, calor branco, pouco calor e até calor nenhum. Más não existe nada chamado frio. Podemos alcançar 458 graus abaixo de zero que seria a total ausência de calor, más não podemos ir nada além disso. Não existe o Frio. Frio é apenas uma palavra que usamos para descrever a ausência total de calor. Não se pode medir o frio. Calor é energia. O frio não é o oposto do calor, apenas a ausência dele.
(Professor ficou em silêncio)

Estudante: E a escuridão professor? Existe a escuridão?
Professor: Sim. O que seria a noite se não existisse a escuridão?

Estudante: Vc está errado de novo senhor. Escuridão é a ausência de algo. Vc pode ter pouca luz, luz normal, luz brilhante, um flash. Más se vc não tiver luz constantemente vc não tem nada e isso é chamado escuridão, não é? Na verdade escuridão não existe, se existisse vc seria capaz de torna-la ainda mais escura, não poderia?

Professor: Mas o que vc está tentando provar jovenzinho?
Estudante: Senhor, estou provando que sua filosofia é falsa.

Professor: Falsa? Pode me explicar como?
Estudante: O senhor está usando uma premissa de dualidade. Vc discute que existe vida e existe morte, um bom Deus e um mau Deus. Vc está vendo Deus com o conceito de uma coisa finita, algo que podemos medir. Senhor, a ciência não pode nem explicar o pensamento. Diz que usa eletricidade e eletromagnetismo, más nunca o viu e muito menos totalmente o entende. Para ver a morte como o oposto da vida tem que ser ignorante ao fato que a morte não pode existir como uma coisa substantiva.

A morte não é o oposto da vida e sim a ausência dela. Agora me diga professor, vc ensina aos seus alunos que o homem evoluiu do macaco?
Professor: Se vc está se referindo a teoria da evolução do homem, sim é claro que ensino.

Estudante: Alguma vez vc teve a oportunidade de observar a evolução com seus próprios olhos?
(professor balança a cabeça e sorri quando percebe aonde o argumento vai leva-lo)

Estudante: Desde que ninguém nunca observou o processo da evolução e não pode nem provar que ela é um processo continuo. Vc não está apenas ensinando a sua opinião senhor? E se ensina sua opinião vc não é mais cientista do que um padre. Certo senhor?

Estudante: Existe alguém aqui que tenha alguma vez escutado o cérebro do professor? Sentido? Tocado ou sentido cheiro? Parece que ninguém nunca o fez certo? Então de acordo com as regras lógicas de protocolo de demonstração a ciência diz que o senhor não tem cérebro. Então, com todo o respeito senhor, como podemos confiar em suas palestras?
Professor: Imagino que vc terá que aceita-las por fé meu jovem.

Estudante: É isso ai senhor!.. Exatamente!!! O link entre o homem e Deus é a mesma fé que mantém todas as coisas vivas e em movimento!!!

Compartilhem para aumentar o conhecimento sobre a fé!
A propósito supõe-se que esse estudante seja EINSTEIN. Acredite se quiser!!! rsrsr Independente de quem tenha sido, a linha de raciocínio é coerente!  😉

Postado por Jewish College Night Parties
Tradução: Fred Litig

SUPLEMENTO

Assista ao vídeo abaixo Gravado numa Universidade, onde os Professores e Alunos Evolucionistas são levados a compreender que NÃO possuem fatos científicos, mas sim TEORIAS! Então eles têm que exercer a FÉ para acreditar no Evolucionismo! Muito interessante. Confiram:

Abaixo está um antigo vídeo que circula na NET e  ilustra o acontecido no texto acima! Confiram:

[Ciência & Fé] O universo como evidência para a existência do Criador

O universo como evidência para a existência do Criador

genesis_xlg

Por Dennis Prager

Os céus declaram a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos. Salmos 19:1

.
Durante a semana passada, em Nice (França) tive o privilégio de participar juntamente com 30 estudiosos, maioritariamente cientistas e matemáticos, numa conferência em torno da questão do universo ter sido criado, ou pelo menos afinado, para a vida (em especial para a vida inteligente). Os  participantes – de Yale, Princeton, Harvard, Berkeley, e Columbia, bem como de outras universidades Americanas e Europeias – incluíam pessoas que  acreditavam em Deus, agnósticos e ateus.

Ficou mais ou menos claro que o consenso científico afirma que o universo se encontra calibrado de um modo minucioso de modo a permitir a  possibilidade da vida. Parece que vivemos num universo especial, um onde tanto a configuração da matéria ao nível do início cósmico bem como os valores dos vários parâmetros físicos – tais como a velocidade da luz, a força da atracção gravitacional, e a taxa de expansão do universo – encontram-se certos para a vida. E a menos que alguém se assuste com o termo, parece que o universo foi criado especialmente para a biogénese e para a vida  humana.

Em relação à calibração afinada (inglês: “fine tuning”) do universo, poderia-se escrever um livro só citando os argumentos em favor dela feitos pelos cientistas mais distintos do mundo. Eis aqui só uma pequena amostra, recolhida pelo físico Gerald Schroeder, (Ph.D. pela MIT, lugar onde  mais tarde ensinou a Física).

Michael Turner, astrofísico na Universidade de Chicago e Fermilab disse:

O nível de precisão é semelhante a alguém atirar um dardo duma ponta do universo para o outro, e atingir o centro dum alvo com o diâmetro de um milímetro.

Paul Davies, professor de Física Teorética na Universidade de Adelaide diz:

O que é realmente espantoso não é o facto da vida na Terra encontrar-se equilibrada na aresta duma faca, mas sim o facto do universo inteiro  estar equilibrado do mesmo modo; ele estaria um caos total se alguma das “constantes” fosse ligeiramente diferente.

Roger Penrose, professor de Matemática na Universidade de Oxford, escreve que a probabilidade do universo ter energia usável (baixa entropia) no  momento da sua criação é “uma parte de dez à potência de dez à potência de 123.” Isto é, “um milhão de biliões de biliões de biliões de biliões de  biliões de biliões de biliões de biliões de biliões de biliões de biliões de biliões de biliões de zeros.”

Steven Weinberg, recipiente do Prémio Nobel da Física e um agnóstico anti-religioso, nota que “a existência de vida de qualquer tipo parece requerer  o cancelamento entre diferentes contribuições para a energia do vácuo, com uma precisão de cerca de 120 casas decimais.” Como explica o site, “Isto  significa que se a energia do Big Bang fosse, em unidades arbitrárias, não:

100000000000000000000000000000000000000000000000000
000000000000000000000000000000000000000000000000000
000000000000000000

Mas no seu lugar:

100000000000000000000000000000000000000000000000000
000000000000000000000000000000000000000000000000000
000000000000000001

……….. não haveria vida de qualquer tipo no universo inteiro.”

A menos que alguém seja um ateu com a mente fechada (existem ateus com a mente aberta), numa base puramente científica, não é válido negar que o universo encontra-se calibrado minuciosamente duma forma improvável de modo a gerar a vida, e muito menos negar que o mesmo está feito para a  existência de vida inteligente.

Para além disso, é um dogma ateísta (e não algo científico) classificar a noção da criação como “não-científica”. A alegação de que a ciência não pode sugerir que a inteligência vem de outra inteligência ou que o design vem dum designer é simplesmente uma tautologia e um dogma mascarado de ciência. No entanto, muitos cientistas inadvertidamente disponibilizaram evidências em favor disto.

Como forma de resposta ao argumento do design cósmico, foi avançada a noção do multiverso – a ideia de que existem muitos, provavelmente em número infinito, de universos. Esta ideia esvazia por completo a ideia da calibração minuciosa do nosso universo e, obviamente, esvazia o argumento do design. Afinal, num número infinito de universos, um universo com os parâmetros certos para a vida é mais provável de surgir por acaso.

CABEÇA NA AREIA 01

O problema (para os multiversistas) é que não existe qualquer tipo de evidência que suporte a tese da existência de outros universos – nem poderia  existir uma vez que o contacto com outros universos é impossível). Devido a isso, só se pode chegar a uma conclusão: o facto dos ateus terem  recorrido ao argumento do multiverso é uma admissão tácita de que eles perderam a discussão em torno do design neste universo. As evidências em  favor do design neste universo são tão convincentes que a única forma de evitar a conclusão óbvia (que o universo é obra de Design Inteligente) é  sugerir que o nosso universo é apenas mais um numa linha infinita de universos.

Os ateus mais honestos – cientistas e não-cientistas – têm que aceitar que a própria ciência argumenta de forma sobrepujante em favor dUm Criador Inteligente. (…) Alegar a existência do Criador requer apenas o uso da razão. Alegar que o Criador é Omnibenevolente requer o uso da fé.

Fonte

SUPLEMENTO

[Curiosidade] O que veio primeiro o “OVO” ou a GALINHA? Veja a resposta científica!

ovo-ou-galinha

Desde muito cedo, somos confrontados com a “Teoria da Evolução” e, em alguns momentos, quando estamos brincando com isso, indagamo-nos:

“Quem veio primeiro o ovo ou a galinha?”

Para os Evolucionistas, a resposta é clara: “o Ovo“, já que, na perspectiva de Evolução, deveria ocorrer algum processo de mutação no estágio embriológico que, num passe de mágica, daria condições de surgir um ser bastante diferente daqueles que foram os seus progenitores!

Já para nós criacionistas: “a Galinha“, pois Deus criou cada ser da mesma forma que é hoje, não houve macro-evoluções, i.e., mudanças pequenas dentro de cada espécie ocorreram, mas que dessem origem a algo muito diferente de seu antecessor não! E isso foi comprovado em relação ao ovo e a galinha! Assistam ao vídeo abaixo e compartilhem com seus amigos céticos, afim de que tenham a oportunidade de refletir cientificamente sobre a existência de Deus!

Para adquerir o Seminário Completo com 8 Palestras feitas pelo Cientista Adauto Lourenço, acesse: http://www.lojafiel.net/DVD-Como-Tudo-Comecou–DVD–Criacionismo-_cod_362