[Curiosidade] “Demônio” aparece fugindo em gravação de vídeo Funk!

Foi disponibilizado na NET um vídeo caseiro, onde duas garotas estão dançando FUNK! Até aí tudo bem!! Isso já se tornou comum, mas no tempo 33s, aparentemente um demônio se manifesta deixando o local!

Assista ao vídeo abaixo e tire suas próprias conclusões!

[Estudo Bíblico] Satanás e seus demônios

Houve Batalha no Céu

E foi precipitado o grande dragão, a antiga serpente, chamada o Diabo, e Satanás, que engana todo o mundo; ele foi precipitado na terra, e os seus anjos foram lançados com ele. Ap. 12:9

Estudar as crenças (ou doutrinas) essenciais do Cristianismo implica em também estudar sobre Satanás e o mal. Embora muitos pensem que ele não exista – o que produz um ambiente ‘perfeito’ para a sua estratégia de atuação – a existência de Satanás é ensinada em sete livros do A.T. e por todos os autores do N.T. O próprio Cristo ensinou a sua existência (Mt.13:39, Lc.10:18,11:18).

1.    Satanás

Satanás é o chefe dos anjos decaídos, uma criatura sobre-humana (Ez.28:12-15), porém, não divino; é um ser espiritual (Ef.6:11-12) que pertence à ordem angelical dos querubins (Ez.28:14); era a mais exaltada das criaturas angelicais (Ez.28:12), cuja personalidade possui intelecto (2 Co.11:3) e sente emoções (Ap.12:17), tem vontade (2 Tm.2:26), e é tratado como ser moralmente responsável (Mt.25:41).

Seu nome significa “adversário” – o que faz oposição a Deus e a seu povo (I Cr.21:1; Jó 1:2; Zc.3:1-2). O N.T. também lhe dá o nome de “Diabo” (Acusador, Difamador), além de apresentar títulos como: Maligno (I Jo.5:19), Tentador (I Ts.3:5), Príncipe deste mundo (Jo. 12:31), Deus deste século (2 Co.4:4), Príncipe da Potestade do Ar (Ef.2:2), e Acusador dos nossos irmãos (Ap.12:10). Na Bíblia, há registros dele através de algumas representações, tais como: Serpente (Ap.12:9), Dragão (Ap.12:3), e Anjo de Luz (2Co.11:14). O seu retrato é de malícia, fúria e crueldade dirigidas contra Deus, contra a verdade de Deus e contra aqueles a quem Deus ama. Além de sua esperteza enganadora apresentando o mal como bem e realçada por Paulo no último texto lido, sua ferocidade destrutiva aparece na descrição dele como um leão que ruge e devora (I Pe.5:8). Como ele foi adversário declarado de Cristo (Mt.4:1-11; 16:23; Lc.4:13; 22:3) do mesmo modo, agora ele se opõe aos cristãos, explorando as fraquezas, orientando mal as forças e minando a fé, a esperança e o amor (Lc.22:32; 2 Co.2:11;11:3-15; Ef.6:16).

A malícia e a astúcia de Satanás devem ser levadas em conta seriamente, porém o cristão não precisa ficar tomado de terror servil por causa dele, porquanto ele é um inimigo derrotado. Satanás é mais forte do que os seres humanos, mas Cristo triunfou sobre ele (Mt.12:29) e os cristãos também o farão, resistindo às suas investidas com as armas que Cristo nos proporciona (Ef.6:10-18; Tg.4:7; I Pe.5:9-10), “porque maior é aquele que está em vós do que aquele que está no mundo” (I Jo4:4).

Reconhecer a realidade de Satanás, levar a sério a sua oposição, ficar atento à sua estratégia, levar em conta a guerra contínua com ele não é cair num conceito dualista de dois deuses, um bom e outro mau, guerreando um contra o outro. Satanás é uma criatura sobre-humana, mas não é divino; ele tem muito conhecimento e poder, mas não é onisciente, nem onipotente, e nem onipresente; ele é um rebelde derrotado e não tem mais poder do que aquele que Deus lhe permite exercer, e está destinado ao lago de fogo (Ap.20:10).

2.    Os Demônios

Muito se pensa a respeito dos demônios. Num ponto de vista pagão grego, são almas dos homens maus já mortos. Há quem diga que sua origem é de espíritos desencarnados de uma raça pré-adâmica (que a Bíblia nunca mencionou).

Ao contrário, a Bíblia nos ensina que os demônios são anjos maus, que um dia foram como os bons, mas pecaram e perderam o privilégio de servir a Deus. Assim como os anjos, os demônios são seres criados, dotados de discernimento moral e elevada inteligência, e desprovidos de corpos físicos. A seu respeito, Wayne Grudem apresenta a seguinte definição: “demônios são anjos maus que pecaram contra Deus e hoje continuamente praticam o mal no mundo”.

Em algum momento entre Gn.1:31, que relata que Deus, ao criar o mundo “viu tudo o que fizera, e eis que era muito bom”, e o texto de Gn.3:1-5 (em que vemos Satanás, na forma de serpente, tentando a Eva para pecar) houve uma rebelião no mundo angelical(não se há certeza se aconteceu antes, ou depois, da criação do homem), na qual vários anjos se voltaram contra Deus e se tornaram maus. O Novo Testamento é claro ao mencionar tais fatos e suas consequências em dois textos: 2 Pe.2:4 e Jd.6. Em ambos, encontramos que anjos se rebelaram contra Deus e se tornaram hostis adversários da Sua palavra. Seu pecado, aparentemente, foi o orgulho – a recusa de aceitar o lugar que lhes foi reservado, pois “não guardaram o seu estado original, mas abandonaram o seu próprio domicílio” (Jd.6).

Satanás, líder de tal rebelião, é chamado de “príncipe dos demônios” (Mt.12:24) e tem uma hierarquia bem organizada de anjos (Ef.6:11-12); é razoável supor que esses sejam demônios. Alguns demônios já estão presos (2 Pe. 2:4; Jd. 6) – mas não ainda no inferno – e alguns estão à solta, cumprindo ordens de Satanás.

Suas Características: Além de serem seres espirituais (Mt.17:18 com Mc.9:25; Ef.6:12), eles possuem intelecto, pois conhecem a Jesus (Mc.1:24); seu próprio destino final (Mt.8:29); o plano de salvação (Tg.2:19), e têm seu próprio sistema doutrinário bem desenvolvido (1Tm.4:1-3). No que diz respeito a sua moralidade, são chamados de espíritos imundos, e sua doutrina leva a uma conduta imoral (1Tim.4:1-2).

Em geral, os demônios tentam subverter o propósito de Deus (Dn.10:10-14; Ap.16:13-16); tentam estender a autoridade de Satanás, cumprindo a sua vontade (Ef.6:11-12) e podem ser usados por Deus na realização dos Seus próprios propósitos (1 Sm.16:14; 2Co.12:7).

Em particular, demônios podem causar doenças (Mt.9:33, Lc.13:11,16) possuir homens (Mt.4:24), animais (Mc.5:13), se opõem ao crescimento dos filhos de Deus (Ef.6:12), e disseminam doutrinas falsas (1Tm.4:1).

POSSESSÃO DEMONÍACA – É a habitação de um demônio numa pessoa, exercendo controle e influência diretos sobre ela, com certo prejuízo para as funções mentais e/ou físicas. A possessão demoníaca deve ser distinguida da influência demoníaca ou atividade demoníaca contra uma pessoa. Nestas duas últimas formas de atuação, o demônio atua de fora para dentro; na possessão, ele opera dentro da própria pessoa. Por esta definição, um crente não pode ser possuído por um demônio já que é habitado pelo Espírito Santo. O crente pode, contudo, ser alvo de opressão demoníaca a tal ponto de dar a impressão de estar possuído.

Efeitos da Possessão Demoníaca

  • 1. Ocasionalmente, doença física (Mt.9:32-33). Porém, a doença e a possessão são distinguidas uma da outra nas Escrituras (At.5:16).
  • 2. Distúrbios mentais são ocasionalmente causados por possessão demoníaca (Mt.17:15), mas não sempre (Dn.4).

Extensão da Possessão Demoníaca

  • 1. Quanto a pessoas: Somente descrentes em Cristo podem ser possessos. Ao tempo de Cristo, a maioria das ocorrências de possessão demoníaca deu-se entre gentios.
  • 2. Quanto ao tempo: Geralmente há um surto de atividade demoníaca quando a luz e a verdade se manifestam mais fortemente.

O Destino dos demônios – todos os demônios serão lançados juntamente com Satanás para dentro do lago de fogo (inferno) depois do retorno de Cristo à terra, no fim da história (Mt.25:41).

——————————————–

Fonte: http://doutrinasessenciais.wordpress.com

Fontes de Estudo:

  1. Anotações da Bíblia Anotada – Charles Caldwell Ryrie – Editora Mundo Cristão
  2. Anotações da Bíblia de Estudo Genebra – R. C. Sproul – SBB
  3. Grudem, Wayne A – Teologia Sistemática – Editora Vida Nova