[Exortação] Amados Católicos! Vocês sabiam que, em cada Missa, Jesus é sacrificado novamente? Isso é anti-bíblico!

hostia

No catolicismo romano, a missa é considerada um verdadeiro sacrifício de Jesus a cada celebração.

“Se alguém negar que no sacramento da Santíssima Eucaristia estão contidos em verdade, real e substancialmente o corpo e o sangue juntos com a alma e a divindade de nosso Senhor Jesus Cristo, e consequentemente todo o Cristo, mas disser que Ele está nela somente em símbolo, figura ou força, que seja anátema”. (Canons e Decretos do Concílio de Trento, Texto original com Tradução em Inglês, por Rev. H.J.Schroeder, O.P., Herder Book Co, 1960, pág. 149, Canon 1)

“Se alguém negar que no sagrado sacramento da Eucaristia o Cristo todo está contido sob toda a forma e sob cada parte de cada forma quando separadas, que seja anátema”. (Ibid., Canon 3)

“Se alguém disser que no sagrado sacramento da Eucaristia, Cristo, o filho unigênito de Deus, não deve ser adorado com louvor de “latria”, também manifestado exteriormente, e que consequentemente, não deve ser venerado com uma festividade solene, nem ser solenemente levado em procissão de acordo com o rito louvável e universal segundo o costume da santa Igreja, ou que não deve ser apresentado publicamente diante do povo para ser adorado e que portanto os adoradores são idólatras, que seja anátema”. (Ibid. p.80, Canon 6)

Vamos examinar o que estes cânons, ou leis, da Igreja Católica Romana, realmente dizem. Primeiro a Palavra “anátema” signifca: alguém que é maldito. Eles estão claramente afirmando que a pequena hótia utilizada na comunhão(ou missa) e o vinho, são Jesus e contêm sua “completa divindade“. Porém vemos na Bíblia que Jesus está presentemente sentado à mão direita de Deus Pai. Vemos também que Ele mesmo é Deus e. como tal, tem a mesma natureza de Deus, i.e., sendo infinito e onipresente.

Ele não pode ser limitado à pequena hóstia e, com certeza, muito menos a algo feito por mãos humanas. Por último, somos estritamente proibidos a adorar qualquer imagem ou ídolo, e a curvarmo-nos diante dessas coisas.

O Cânon 6 declara que o povo católico deve louvar e adorar a hóstia e curvar-se a ela. Eles também a levam em procissão, e todos curvam-se diante dela e adoram aquela hóstia que agora para eles é “Jesus”. Está escrito:

“Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra.

Não te encurvarás a elas nem as servirás; porque eu, o SENHOR teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniqüidade dos pais nos filhos, até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam.”  Êxodo 20:4-5

“E eu pronunciarei contra eles os meus juízos, por causa de toda a sua malícia; pois me deixaram, e queimaram incenso a deuses estranhos, e se encurvaram diante das obras das suas mãos.” Jeremias 1:16

Os católicos não somente fazem uma “imagem”, que é a hóstia, proclamando que tal imagem é Jesus, mas também curvam-se e adoram a hóstia. Isto é proibido por Deus. Sempre que uma pessoa adora um ídolo, como a hóstia católica, na verdade está adorando a um demônio ou a Satanás. Está escrito:

“Mas que digo? Que o ídolo é alguma coisa? Ou que o sacrificado ao ídolo é alguma coisa?

Antes digo que as coisas que os gentios sacrificam, as sacrificam aos demônios, e não a Deus. E não quero que sejais participantes com os demônios.”
1 Coríntios 10:19-20

Em outras palavras, quando no passado as pessoas sacrificavam a ídolos, eles estavam na verdade sacrificando a demônios e consequentemente estavam adorando a demônios. O mesmo é verdade na Missa Católica. Quando os católicos carregam a hóstia em procissão, todos se dobram quando ela passa. Eles estão literalmente curvando-se em adoração à hóstia. Esta também é usualmente guardada numa caixa chamada Sacrário. As pessoas se dobram diante desta caixa. Quando fazem isso, elas estão adorando a hóstia. Como vimos, esta hóstia não é o verdadeiro Jesus, e, portanto, elas estão adorando na verdade a um demônio!

CidinhaSacrario

No catolicismo romano, a missa é considerada um verdadeiro sacrifício de Jesus a cada celebração.


“Se alguém disser que na missa um verdadeiro e real sacrifício não é oferecido a Deus; ou que aquilo que está sendo oferecido nada mais é que Cristo, sendo-nos dado para comer, que seja anátema”. (Ibid., p.149, Canon 1)

“Se alguém disser que o sacrifício da missa é somente de louvor e de acções de graça; ou que é uma simples comemoração do sacrifício consumado na cruz mas não um sacrifício propiciatório (para ganhar ou re-obter o favor de, para apaziguar), ou que é de proveito somente para aquele que o recebe, e que não deve ser oferecido pelos vivos e pelos mortos, pelos pecados, punições, satisfações, e outras necessidades, que seja anátema”. (Ibid., pág. 149, Canon 3)

ESTES CANONS, MOSTRAM-NOS CLARAMENTE QUE A MISSA É, NA REALIDADE, UM SACRIFÍCIO.

É interessante, porque a missa, tal qual é praticada pelo Catolicismo Romano, é quase idêntica ao costume de um “sacrifício de sangue” praticado pelo Império Romano durante a época da formação inicial da Igreja Católica. O Rev. Alexander Hislop tem alguns comentários interessantes acerca desta prática.

“Se o deus-sol era adorado no Egipto como a Semente, ou na Babilónia como o Milho, a hóstia é adorada exactamente da mesma forma em Roma. ‘Pão de milho dos eleitos, tem misericórdia de nós, é uma das preces apontadas na Liturgia Romana, dirigida à hóstia, na celebração da missa.’ (The Two Babylons (As duas Babilónias), por Rev. Alexander Hislop, Loizeaux Brothers, 1916, pág. 163)”

ostensorio1

O Ostensório parece-se com o SOL. Será uma alusão ao deus-sol??

A doutrina católica de ressacrificar Jesus a cada vez que a missa é celebrada é claramente proveniente de cerimónias pagãs, e não da Palavra de Deus, a Bíblia. Está escrito:

“Pois Cristo não entrou num santuário feito por mãos, figura do verdadeiro, mas no próprio céu, para agora comparecer por nós perante a face de Deus; nem também para se oferecer muitas vezes, como o sumo sacerdote de ano em ano entra no santo lugar com sangue alheio; doutra forma, necessário lhe fora padecer muitas vezes desde a fundação do mundo; mas agora, na consumação dos séculos, uma vez por todas se manifestou, para aniquilar o pecado pelo sacrifício de si mesmo. E, como aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo depois o juízo, assim também Cristo, oferecendo-se uma só vez para levar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o esperam para salvação.” Hebreus 9:24-28

“Porque também Cristo morreu uma só vez pelos pecados, o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus; sendo, na verdade, morto na carne, mas vivificado no espírito;” 1 Pedro 3:18

Estas e outras passagens afirmam de forma clara e inequívoca que Jesus Cristo foi sacrificado uma só vez pelos nossos pecados. Esta é mais uma prova de que o “Jesus” adorado na instituição da Igreja Católica não é o Jesus da Bíblia. Eles, os líderes católicos, sacrificam o “Jesus” deles consecutivamente, sempre que celebram a missa. Qualquer pessoa que participa e aceita a comunhão através da religião Católica Romana está a abrir-se diretamente para a entrada de demônios através dessa prática de idolatria e adoração a demônios em nome de um falso Jesus.

Alguns podem até dizer: “Eu creio no verdadeiro Jesus Cristo como meu Salvador e Senhor. Eu participo da missa e recebo a comunhão, mas não adoro a hóstia.” Vamos analisar o que o Apóstolo Paulo ensina sobre este assunto na sua carta aos Coríntios:

“Não vos prendais a um jugo desigual com os incrédulos; pois que sociedade tem a justiça com a injustiça? ou que comunhão tem a luz com as trevas? Que harmonia há entre Cristo e Belial? ou que parte tem o crente com o incrédulo? E que consenso tem o santuário de Deus com ídolos? Pois nós somos santuário de Deus vivo, como Deus disse: Neles habitarei, e entre eles andarei; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo. Pelo que, saí vós do meio deles e separai-vos, diz o Senhor; e não toqueis coisa imunda, e eu vos receberei; e eu serei para vós Pai, e vós sereis para mim filhos e filhas, diz o Senhor Todo-Poderoso.” 2 Coríntios 6:14-18

Acredito que você, pessoalmente, pode não crêr que a hóstia é Jesus, mas, se você permanecer na Igreja Católica Romana recebendo a comunhão conforme a ICR a define, você está participando de uma prática idólatra.

Independentemente da sua fé pessoal, sevocê  participa da comunhão conforme é definida pela ICR, que de forma clara afirma que a hóstia da comunhão é Deus, você está a adorar um falso Jesus.

Enquanto permanecer sob a autoridade espiritual da ICR e continuar a praticar seus rituais e cerimônias, você NÃO está separado da “coisa imunda“. Isto quer dizer que você não é salvo? Responda você mesmo, lembrando que as condições para ser salvo são que você creia e aceite o testemunho de Jesus Cristo, de que Ele é o seu único Deus e Salvador. Entretanto, a Palavra de Deus é rápida e clara em advertir que, se você permanecer num situação de corrupção, acabará por ser destruído.

“Não sabeis vós que sois santuário de Deus, e que o Espírito de Deus habita em vós? Se alguém destruir o santuário de Deus, Deus o destruirá; porque sagrado é o santuário de Deus, que sois vós.” 1 Coríntios 3:16-17

Participar de qualquer forma de idolatria corrompe qualquer pessoa. Ora, se você é o templo de Deus, vai continuar a corromper-se?

Fonte: Livro – Prepare-se para a Guerra/Autor: Rebecca Brown

Anúncios