[Exortação] 10 dicas para não se casar com a pessoa errada.

.

Com a taxa de divórcio acima de 50%, aparentemente muitas pessoas estão cometendo um grave erro ao decidir com quem pretendem passar o resto de sua vida. Para evitar tornar-se uma “estatística”, tente interiorizar estes dez pontos a fim de não entrar em uma “fria”.

1. Não queira alguém porque espera que ele/ela mude depois do casamento.

O erro clássico. A regra de ouro é: Se você não pode ser feliz com a pessoa como ela é agora, não se case. Portanto, quando se trata da espiritualidade, caráter, higiene pessoal, habilidade de se comunicar e hábitos pessoais de outra pessoa, assegure-se de que pode viver com estes como são agora.

2. Não escolha alguém se preocupando mais com a química do que com o caráter.

A química acende o fogo, mas o bom caráter o mantém aceso. Esteja consciente da síndrome “Estar apaixonado”. “Estou apaixonado” freqüentemente significa “Sinto atração física.” A atração está lá, mas você averiguou cuidadosamente o caráter dessa pessoa?

Aqui estão quatro traços de personalidade para serem definitivamente testados:

Humildade: Esta pessoa acredita que “fazer a coisa certa” é mais importante que o conforto pessoal?
Bondade: Esta pessoa gosta de dar prazer aos outros? Como ela trata as pessoas com as quais não tem de ser agradável? Ela faz algum trabalho voluntário? Faz caridade?
Responsabilidade: Posso confiar que esta pessoa fará aquilo que diz que fará?
Felicidade: Esta pessoa gosta de si mesma? Ela aprecia a vida? É emocionalmente estável?
Pergunte-se: Eu desejo ser como esta pessoa? Quero ter um filho com esta pessoa? Gostaria que meu filho se parecesse com ela?

3. Você fica com a pessoa errada porque o homem não entende aquilo que a mulher mais precisa.

Homens e mulheres têm necessidades emocionais específicas, e quase sempre, é o homem que simplesmente “não consegue.” A tradição judaica coloca sobre o homem o ônus de entender as necessidades emocionais de uma mulher, e de satisfazê-las.Para a mulher, o mais importante é ser amada – sentir que é a pessoa mais importante na vida do marido. O marido precisa dar-lhe atenção consistente e verdadeira.

4. Não escolha pessoa com quem você não partilha metas de vida em comum e prioridades.

Existem três maneiras básicas de nos conectarmos com outra pessoa:

  • Química e compatibilidade
  • Partilhar interesses em comum
  • Compartilhar o mesmo objetivo de vida

Assegure-se de que você compartilha o profundo nível de conexão que objetivos de vida em comum proporcionam. Após o casamento, os dois crescerão juntos ou crescerão separados. Para evitar crescer separado, você deve entender para que “está vivendo” enquanto é solteiro – e então encontrar alguém que tenha chegado à mesma conclusão que você.

5. Você escolhe a pessoa errada porque logo se envolve sexualmente.

O envolvimento sexual antes do compromisso de casamento é pecado e está fora dos planos de Deus para o homem.
Não é necessário fazer um “test drive” para descobrir se um casal é sexualmente compatível. Se você faz a sua parte e tem certeza que é intelectual e emocionalmente compatível, não precisa se preocupar sobre compatibilidade sexual. De todos os estudos feitos sobre o divórcio, a incompatibilidade sexual jamais foi citada como o principal motivo para as pessoas se divorciarem.

6. Não fique com quem você não tem uma profunda conexão emocional com esta pessoa.

Para avaliar se você tem ou não uma profunda conexão emocional, pergunte: “Respeito e admiro esta pessoa?”

Isso não significa: “Estou impressionado por esta pessoa?” Nós ficamos impressionados por um Mercedes. Não respeitamos alguém porque tem um Mercedes. Você deveria ficar impressionado pelas qualidades de criatividade, lealdade, determinação, etc.

Pergunte também: “Confio nesta pessoa?” Isso também significa: “Ele ou ela é emocionalmente estável? Sinto que posso confiar nele/nela?”

7. Não escolha alguém com quem não se sente emocionalmente seguro.

Faça a si mesmo as seguintes perguntas: Sinto-me calmo, relaxado e em paz com esta pessoa? Posso ser inteiramente eu mesmo com ela? Esta pessoa faz-me sentir bem comigo mesmo? Um outro aspecto de sentir-se seguro é que você não sente que a outra pessoa está tentando controlá-lo. Controlar comportamentos é sinal de uma pessoa abusiva. Esteja atento para alguém que está sempre tentando modificá-lo. Há uma grande diferença entre “controlar” e “fazer sugestões.” Uma sugestão é feita para seu benefício; uma declaração de controle é feita para o benefício de outra pessoa.

8. Não fique com quem você não tem liberdade para abrir o coração e conversar.

Tudo aquilo que o aborrece no relacionamento deve ser trazido à baila para discussão. Falar sobre aquilo que incomoda é a única forma de avaliar o quão positivamente vocês se comunicam, negociam e trabalham juntos. No decorrer de toda a vida, as dificuldades inevitavelmente surgirão. Você precisa saber agora, antes de assumir um compromisso: Vocês conseguem resolver suas diferenças e fazer concessões que sejam boas para ambas as partes?

Nunca tenha receio de deixar a pessoa saber aquilo que o incomoda. Esta é também uma maneira para você testar o quanto pode ficar vulnerável perante esta pessoa. Se você não pode ser vulnerável, então não pode ser íntimo. Os dois caminham juntos.

9. Não use o relacionamento para escapar de problemas pessoais e da infelicidade.

Se você é infeliz e solteiro, provavelmente será infeliz e casado, também. O casamento não conserta problemas pessoais, psicológicos e emocionais. Na melhor das hipóteses, o casamento apenas os exacerbará.

Se você não está feliz consigo mesmo e com sua vida, aceite a responsabilidade de consertá-la agora, enquanto está solteiro. Você se sentirá melhor, e seu futuro cônjuge lhe agradecerá.

10. Não fique com alguém que está envolvido(a) emocionalmente com outra pessoa achando que ele(a) vai mudar por sua causa.

Assegure-se de que você e seu parceiro estejam livres de triângulos. A pessoa apanhada em um triângulo não pode estar emocionalmente disponível por completo para você. Você não será a prioridade número um. E isso não é base para um casamento. Isso pode levar até a um futuro adultério.

Um relacionamento sadio vive sim num triângulo amoroso: homem, mulher e Deus – que une e abençoa o relacionamento de quem o recebe.

Autor: Dov Helle

Fonte: http://comunidadevale.webnode.com.br/

Anúncios

[Exortação] O que é ser “uma só carne”? Casados, vocês já o são?

Voltando ao princípio de tudo, Deus nos ensina que quando nos casamos, temos que deixar pai e mãe para nos tornamos UM com o nosso cônjuge. Isso é casamento!

“Por essa razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e eles se tornarão uma só carne.” Gênesis 2:24 

Uma cerimônia religiosa, a bênção de um pastor ou de um padre, um documento no cartório e uma festa milionária não tem poder NENHUM para fazer isto. É uma questão de obediência a Deus. Se você acha que o que estou dizendo é besteira, me diga: Quantos casais (inclusive os cristãos) tiveram uma linda cerimônia, foram abençoados pelo líder da comunidade, assinaram os papéis no cartório, gastaram fortunas com a festa e hoje estão separados ou vivem como dois inimigos? Acho que não preciso justificar mais nada…

Muitos citam aquele famoso versículo de Marcos 10:9: “Portanto, o que Deus uniu, o homem não separe”. Esse versículo só se torna real se for aplicado conforme o contexto. Se ler todo o capítulo, vai entender que Jesus está falando sobre os casais que realmente se tornaram uma só carne! Estes sim terão o seu casamento guardado por Deus. Viver uma só carne não é uma decisão que você toma só no dia do seu casamento, é uma decisão diária!

Mas afinal, o que é se tornar uma só carne?

Depois que casamos, não podemos mais agir como se fôssemos solteiros e independentes, porque não somos (ou pelo menos não deveríamos ser!). O dinheiro não é mais meu, é nosso! As contas não podem mais ser divididas entre minhas e suas, elas são nossas! Muitos casais enfrentam grandes problemas na área financeira porque ainda não aprenderam a ser uma só carne nessa questão. Ser uma só carne, é ter uma única conta no nome dos dois. Os dois salários se tornam um (caso ambos tenham renda) e as despesas são da família. A forma que esse dinheiro será usado não pode ser decidida apenas por um dos cônjuges, mas pelos dois! É claro que você não vai ligar para o seu marido cada vez que comprar um pão, isso seria ridículo,  mas também não vai comprar uma TV sem consultá-lo, ainda mais se as condições financeiras não permitem. Gastos com valores altos devem ser decididos em conjunto (a não ser que seja um presente surpresa e vocês tenham condições para isso). Deve haver um equilíbrio! Uma sugestão, é combinarem um limite de valor, por exemplo “Para compras acima de R$ 50,00, devemos consultar um ao outro.” Agindo dessa forma, além de obedecerem a Deus, evitarão problemas como o da desconfiança: “O seu dinheiro já acabou? Como assim? Com o que gastou?”, “Será que o salário que ele(a) recebe é exatamente este?”. Não há motivos para desconfiança quando os cônjuges agem com transparência.

Desde que minha primeira filha nasceu, decidimos juntos que eu ficaria em casa para me dedicar a ela, e uma vez me perguntaram: “Você não se sente mal por ser sustentada pelo seu marido? Ter que pedir dinheiro e dar satisfação de tudo?” Bom, nós não enxergamos dessa maneira, pois aprendemos a viver como “uma só carne“. O dinheiro que o meu esposo recebe não é dele, é nosso. As contas não são minhas, são nossas. Eu não lavo só a minha roupa, eu lavo a nossa roupa. Eu não cozinho só pra mim, eu cozinho para nossa família. Eu não mantenho a casa arrumada para me sentir bem, faço isso porque é o nosso lar! Dessa maneira não tem como dar errado. Não preciso pedir dinheiro pra ele, pois temos uma conta conjunta. Ele confia em mim e eu confio nele. O sentimento que tenho é de estar sendo cuidada e protegida pelo meu marido, o provedor do nosso lar. É um sentimento maravilhoso! E sei que para ele também é assim.

Outro problema, é quando um dos dois não coloca em prática o “deixar pai e mãe”. Já viu aquela pessoa que casou mas não sai da casa dos pais? Isso significa desobediência a Deus, ou seja, não viver uma só carne. Desta maneira, seu casamento ficará vulnerável. Não vou perder tempo citando exemplos de problemas que este tipo de atitude traz, pois são inúmeros! Muitos casamentos acabam em divórcio porque mesmo depois de casados, um dos cônjuges continua frequentando a casa dos pais quase que diariamente, colocando a família no meio dos problemas particulares do casal. Sem contar as comparações: “Minha mãe cozinha muito melhor que você!”, “Como era bom morar com meus pais…”, “Meu pai consertava tudo em casa, você não faz nada!”, “Minha mãe lavava e passava a minha roupa toda semana, agora tenho que andar com roupa amassada…”. Meus amigos, se tornar uma só carne é saber que a partir do dia em que você casou, uma nova família surgiu, uma nova história começou. Não há espaço para comparações! Sua família agora é seu cônjuge! Quer evitar problemas? Quer evitar o divórcio? Então deixe o seu pai e sua mãe! Importante: morar junto com os pais depois de casado é sinônimo de problema! Sei que existem exceções, mas no geral é assim, pode acreditar!

Quando casamos não podemos tomar mais decisões sozinhos. Agora somos um! Não posso mais decidir sair do trabalho, ir a uma lanchonete com os meus amigos e não consultar meu marido. Não posso sair sem dar uma satisfação de onde estou, com quem estou e que horas devo voltar. Se você quer viver assim, então não case! Se o seu casamento não está indo bem, posso afirmar que é porque ainda não estão vivendo plenamente um para o outro e de um dos lados (ou dos dois), ainda existe o egoísmo: As minhas coisas, as minhas vontades, os meus programas, os meus amigos, etc e etc. É lógico que você ainda vai fazer coisas que gosta, e muitas vezes sozinho. Eu também faço isso. Saio com minhas amigas, vou tomar um café no shopping com a minha mãe ou minha irmã, mas em momento algum esqueço que sou casada. Meu marido sempre sabe aonde estou, com quem estou e que horas vou voltar, por isso ele confia em mim e vice-versa. Diversas vezes saí para passear e comprei uma roupa ou alguma coisa para as crianças sem consultá-lo, mas eu tinha consciência das nossas condições financeiras e assim que possível o avisava. Ele faz o mesmo. Dessa forma evitamos cobranças desnecessárias e desgaste no relacionamento.

Na área sexual é a mesma coisa. Casamos e agora somos um! O meu corpo serve para satisfazer as necessidades do meu marido e o corpo dele para satisfazer as minhas necessidades. Já disse isso em outros textos e repito: Sexo egoísta não agrada a Deus! Não tenho que me preocupar em me satisfazer, mas sim em satisfazer meu marido. Se os dois tiverem este pensamento, que sexo maravilhoso terão!

“O marido deve cumprir os seus deveres conjugais para com a sua mulher, e da mesma forma a mulher para com o seu marido. A mulher não tem autoridade sobre o seu próprio corpo, mas sim o marido. Da mesma forma, o marido não tem autoridade sobre o seu próprio corpo, mas sim a mulher.” 1 Coríntios 7:3-4

Outra coisa importante são os programas em família. Agora que sou casada, as prioridades são meus filhos e meu marido. Se sei que ele vai estar em casa depois do serviço, não vou ficar arrumando programas com outras pessoas. Uma vez ou outra acontece, mas sempre não! Se meu marido sabe que é dia de fazer compras, deve se preocupar em estar conosco, nos ajudando, e não em fazer programas sozinho ou com os amigos. Eu não posso resolver viajar se meu esposo não está de acordo, nós tomamos decisões juntos! Se você casou, então assuma as suas responsabilidades, não seja egoísta e imaturo(a)! É muito mais fácil tomar decisões sozinho e fazer o que bem entende, mas só os solteiros fazem isso, casados não! E se fazem, estão dando um passo para cair no abismo do divórcio.

Termino esse post dizendo: Se você não tem vivido como uma só carne com seu cônjuge em TODAS as áreas, TODAS as situações e TODOS os dias, sinto-lhe dizer: o seguinte versículo não se aplica ao seu casamento…

“Portanto o que Deus uniu não separe o homem” Mc 10:9

Tome essa decisão hoje, ainda dá tempo!

Fonte: http://salvemeucasamento.blogspot.com.br

[Exortação] Razões porque está errado o namoro entre cristãos e não cristãos

Eu poderia enumerar inúmeras razões porque não concordo com o namoro entre cristãos e não cristãos, mas, vou citar somente uma: A Bíblia, a Palavra de Deus não recomenda.

Talvez ao ler essa afirmação você esteja dizendo consigo mesmo: Que coisa ultrapassada! Qual é o problema? Não tem nada demais. Eu posso evangelizá-lo e levá-lo para a igreja. Vai ver que essa é forma dele conhecer a Cristo! Ah! Que caretice! Isso é palhaçada! Esse tempo já passou!

Pois é, é comum ouvirmos de nossos adolescentes e jovens frases como estas. Para muitos deles não existe o menor problema em namorar um não cristão. Entretanto, o que talvez eles desconheçam é o ensino bíblico de que não devemos nos colocar em jugo desigual com os incrédulos (II Co 6.14). “Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas? E que concórdia há entre Cristo e Belial? Ou que parte tem o fiel com o infiel?

Para Calvino, o jugo desigual era nada menos que manter comunhão com as obras infrutíferas das trevas e estender-lhes a destra de companhia. Em outras palavras isto significa estar ligado ao mesmo tempo, lado a lado na mesma canga. É a metáfora dos bois ou cavalos que têm de andar juntos, desfrutando das mesmas práticas, porque estão presos na mesma canga.

Caro leitor, escolher uma pessoa que compartilha da mesma fé e sonhos é fundamental a construção de um namoro equilibrado e saudável. Como escrevi no meu livro “Namoro.com”, o namoro deve ocorrer entre pessoas que estejam em igualdade de situações. O fato de existir discrepâncias espirituais pode proporcionar um seriíssimo problema relacional entre aqueles que se gostam.

Do ponto de visto bíblico o namoro entre não cristãos e cristãos é absolutamente desaconselhável. Paulo, ao escrever aos coríntios ordena que um cristão ao se casar, deve fazê-lo “somente no Senhor”. Obviamente isso proíbe o casamento com incrédulos e, portanto, namorá-los.

Vale a pena lembrar o que a Confissão de Fé de Westminster diz a respeito do casamento entre cristãos e não cristãos: “A todos os que são capazes de dar um consentimento ajuizado, é lícito casar, mas é dever dos cristãos casar somente no Senhor; portanto, os que professam a verdadeira religião reformada não devem casar-se com infiéis, papistas ou outros idólatras; nem os piedosos prender-se a jugo desigual por meio do casamento com os que são notoriamente ímpios em suas vidas, ou que mantêm heresias perniciosas”

Isto, posto, afirmo sem titubeios que uma aliança não aprovada por Deus proporciona consequências terríveis para o cristão. Como bem disse o meu amigo Mário Freitas, não existe pecadinho e pecadão e sim “Consequênciazinhas e consequêciazões”.

Pense nisso!

Renato Vargens

[Reflexão] Amar a Esposa

Assim devem os maridos amar a sua própria mulher como a seu próprio corpo. Quem ama a sua mulher ama-se a si mesmo. (Efésios 5.28)
            Todos os maridos, ou pelo menos a maioria, declaram amar as suas esposas! Dizem que casaram por amor, mas estes que andam declarando o amor, muitas vezes são adúlteros, violentos, ranzinzas! São homens que não perdem a oportunidade de olhar, galantear outras mulheres nas ruas, e, quando vêem uma mais jovem, olham e a desejam! Em casa em várias ocasiões, dão más respostas  às suas esposas e não raros  espancam-nas, e ainda se dizem cristãos.
 “Porque ninguém aborrece a sua própria carne; antes, a alimenta e sustenta, como também o Senhor a igreja.”(Efésios 5.29
Em outras palavras quem fala que ama, mas trai, trata mal a esposa, ou vive olhando para outras mulheres, com certeza não ama, porque quem ama cuida, deseja, e em hipótese alguma faria alguma coisa que  fosse desleal! Uma vez que devemos cuidar, tratar das nossas esposas como tratamos do nosso corpo, e ninguém quer se auto-afligir, ninguém, se fere, machuca intencionalmente, ninguém vive se desprezando, afinal a nossas esposas são parte de nós mesmos.
            “Porque somos membros do seu corpo.” (Efésios 5.30
Ser membro do mesmo corpo é ser unidos, ligado entre si, ou seja, diante do Senhor não existe duas pessoas, mas uma somente. Quando se casa, passa a fazer parte do mundo e do corpo da mulher e da mesma forma a mulher do homem, e quando tratamos mal a nossa esposa estamos tratando mal a nós mesmo, e tentando desfazer o que Deus fez, estamos ignorando a obra do Senhor, estamos caminhando para a morte eterna.
“Por isso, deixará o homem seu pai e a sua mãe e se unirá à sua mulher; e serão dois numa só carne.” (Efésios 5.31)
Quando a Bíblia nos fala em deixar pai e mãe quer dizer que a nossa prioridade passa a ser a nossa esposa, nem mesmo a nossa mãe, nossa genitora tem preferência, nós não somos uma só carne com pai, mãe, irmãos ou filhos, mas somente com a esposa, ela é parte viva da nossa carne, somos dois em um. Não existe nada e nem ninguém no mundo que possa separar o marido da mulher, somente o pecado, o adultério, e mesmo assim, é impossível ele vir a ser uma só carne com outra, pois ele já tem uma metade em algum lugar.
            “Grande é este mistério; digo-o, porém, a respeito de cristo e da igreja.” (Efésios 5.32
Veja que somos comparados como Cristo e seu amor pela a igreja, os Cristãos. Ele se entregou, sofreu, foi humilhado, crucificado e morto, para que pudéssemos ser salvos. Ele demonstrou o verdadeiro amor! Da mesma maneira devemos amar as nossas esposas até as últimas conseqüências, pois elas são parte de nós, ealém de ser mandamento do Senhor.
 “Assim também vós, cada um em particular ame a sua própria mulher como a si mesmo, e a mulher reverencie o marido.” (Efésios 5.33)
 Devemos aprender a amar as nossas esposas, e até mesmo nos sacrificar por elas, pois estamos fazendo por nós mesmos, e as esposas respeitem, valorizem os seus maridos! Dêem lugar de honra, pois são a mesma carne, são uma só pessoa, portanto devem ser cuidados, amados, reverenciados, pois isto é agradável ao Senhor.
Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus te abençoe.

[Estudo Bíblico] O Papel do Homem no Casamento

COMO O MARIDO DESEMPENHA O SEU PAPEL


Sabemos biblicamente que o homem é o cabeça da mulher( I Co 11:3). Esta função não pode ser exercida de qualquer maneira, mas sob a graça e o amor de Jesus Cristo.

Alguns maridos são autoritários, egoístas, duros e soberbos. Querem dominar a mulher. O que Deus diz?

“Maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela, para que a santificasse, tendo-a purificado por meio da lavagem de água pela palavra, para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem macula, nem ruga, nem cousa semelhante, porém santa e sem defeito. Assim também os maridos devem amar as suas mulheres como a seus próprios corpos. Quem ama a sua esposa, a si mesmo se ama. Porque ninguém jamais odiou a sua própria carne, antes a alimenta e dela cuida, como também Cristo o faz com a igreja”  Ef 5.25-29

(Ver também I Pd 3.7).

I-O MARIDO DEVE AMAR SUA ESPOSA

A palavra AMOR que aparece em Efésios 5, é  AQUELA que “dá a vida a Deus por alguém”. É um amor puro, sacrificial, perfeito e permanente. Por isso Paulo usa Cristo como exemplo. Cristo não é apenas o modelo, mas também é a fonte do amor. Somente através do seu amor em nós, é possível amar como ele amou e entregar a vida a Deus por nossas esposas.

O homem que trata a sua esposa com amor, faz um bem a si mesmo e fortalece a unidade do casamento. Aquele que trata mal a sua esposa, DESTRÓI a si mesmo.

O verdadeiro amor não é apenas um sentimento, mas uma conduta. Por isto queremos assinalar cinco expressões práticas do amor do marido para com a esposa:

1 – AMABILIDADE

Esta é a primeira expressão prática do amor. A amabilidade, doçura, afabilidade, benignidade.. ”não as trateis com amargura” (Cl 3:19)”…tendo consideração para com a vossa mulher como parte mais frágil, tratai-a com dignidade” (1 Pd 3:7).

Devemos ser amáveis com todos, principalmente com as mulheres, respeitando sua feminilidade. Mas muito mais com nossa própria esposa. Há homens que são amáveis com outras mulheres e descuidados e duros com sua própria esposa.

A mulher é como um vaso frágil: mais sensível e delicada. Seus sentimentos estão mais a flor-da-pele. Isto não é debilidade, mas uma característica dada por Deus para desempenhar sua nobre função de mãe, a fim de criar os filhos com ternura e sensibilidade. Por isso Deus quer que o marido a trate com ternura, respeito, suavidade, paciência, carinho, doçura, delicadeza, bondade e amor. Por ser mais sensível emocionalmente, a mulher está mais sujeita a ficar ressentida pelo maltrato do marido.

Ser amável não quer dizer ser frouxo. Muitas vezes o homem deve ser firme. Mas com uma firmeza amável e compreensiva. Quando o marido percebe que tratou mal a sua esposa, deve consertar imediatamente, confessando com humildade e arrependimento.

 2 – ABNEGAÇÃO

É o sacrifício que alguém faz em favor do outro. “… a si mesmo se entregou por ela” (Ef 5.25). É o negar a si mesmo, abrir mão da tranqüilidade, da comodidade e do prazer, em favor da pessoa amada. Isto é amar. Foi isto que Cristo fez pela igreja.

O contrário disto é o egoísmo. O marido egoísta busca sua própria comodidade. Usa a autoridade para seu próprio bem e sempre espera ser servido. Sua atitude é de “senhor”, não de “servo”. Nunca renuncia a comodidade para ajudar a mulher. Este marido está longe da vontade de Deus.

Deus quer que o marido seja abnegado, pareça com Jesus e aja como ele. Deve sacrificar-se a si mesmo pela esposa. Buscar a felicidade e bem-estar dela, tanto no físico como no emocional e no espiritual. O marido deve dizer como Jesus: “eu não vim para ser servido, mas para servir”.

 3 – COMPREENSÃO 

O marido deve conhecer profundamente a sua mulher para compreendê-la, amá-la e ajudá-la. Esta é uma das maiores necessidades da mulher.

Para isso é necessário escutar com atenção o que ela diz. Saber escutar é uma das qualidades mais valiosas que se pode ter. Quando o marido entender o que a mulher pensa e sente, poderá conduzi-la e protegê-la com sabedoria.

Muitas mulheres são tristes e angustiadas por não conseguir compreensão e apoio de seus maridos. Uma mulher que se sente apreciada e atendida pelo marido, dificilmente será rebelde e antagônica.

É necessário que o marido converse com a esposa. Procure entender como ela se sente e quais são as suas cargas, para poder animá-la e confortá-la. O marido precisa abraçá-la e beijá-la com freqüência, quando está preocupada e nervosa. Um abraço e uma palavra amável e terna, mostram a mulher que ela tem ao seu lado alguém que a compreende e a ama. Um gesto de carinho renova as forças e libera a mente de pensamentos negativos.

Alguns homens tem dificuldade de serem afetuosos porque não tem este costume, ou porque nunca receberam carinho na infância. É tempo de romper com toda a timidez e vergonha. Devem ver a importância disto no relacionamento com a mulher. Pode-se conseguir muito mais com um beijo do que com criticas ou autoritarismo.

 4 –PROTEÇÃO E COBERTURA (Ef 5.29)

Quando o homem não dá uma cobertura real e prática, a mulher se vê desprotegida. Ela precisa sentir-se segura e confiante em seu marido. O desamparo e as preocupações sobrecarregam e oprimem a mulher.

O homem deve assumir seu papel, atender os assuntos do governo familiar, resolver todos os problemas que lhe competem, e não passá-los para sua esposa. A mulher se desgasta quando tem que resolver assuntos que vão além de suas possibilidades e não correspondem ao caráter feminino.

A mulher deve poder dizer. “meu marido é o meu pastor, nada me faltara”, como a igreja diz de Cristo: “O Senhor é meu Pastor…” (Salmo 23)

5 – ROMANCE E AFETO CONJUGAL (Ct 7.10-13)

O amor sentimental também deve estar presente no casamento. Tudo que dissemos anteriormente estabelece bases sólidas para que este amor se desenvolva e cresça. O romance não é apenas para a lua de mel, mas para toda a vida.

Os discípulos do Senhor devem ser os maridos mais “apaixonados” por suas esposas. O amor dos mundanos se perverteu em egoísmo. Entretanto, o amor sentimental de um marido cristão nasce do verdadeiro amor de Deus que vive nele. Por isso, os discípulos de Jesus deveriam ser os melhores maridos; os melhores amantes de sua esposas.

Cultive em seu coração este amor. Enamore de sua esposa, valorizando, apreciando e elogiando-a. Seja expressivo com ela. Demonstre seus sentimentos, mandando-lhe flores. Procure aprender a maravilhosa arte do amor e afeto conjugal. Assim fará sua esposa feliz e a você mesmo também! E Deus participa desta alegria.

II – O HOMEM DEVE REPRESENTAR JESUS NO LAR

 1 – ESTABELECER A PRESENÇA DE JESUS NA FAMÍLIA (1 Cor 11:3)  

Assim como é a Imagem de Deus, o homem deve ser a imagem de Jesus no Lar. Deve andar no Espírito, manifestar alegria constante, dar graças à Deus por tudo, deixar fluir o amor, a graça e a Paz do Senhor. LEMBRANDO QUE DEUS ESTÁ PERTO DE UM CORAÇÃO QUEBRANTADO.

2 – ESTABELECER O GOVERNO DE CRISTO

O homem não é o cabeça do lar, mas sim Cristo – o homem é o cabeça da mulher. Portanto deve estabelecer a autoridade de Cristo e não a sua. Se um homem não está sujeito a Cristo, como vai governar sobre sua mulher e filhos? Quando o Senhor delega autoridade ao homem, não lhe dá carta branca para fazer o que quer, mas estabelece critérios específicos e concretos. Todo governo que está debaixo de Cristo deve agir com firmeza, mas com amabilidade e flexibilidade. Sem fazer concessões indevidas, mas com disposição para dialogar e escutar. É importante que saiba discernir a vontade de Deus e que cuide para que ela se cumpra no seu lar. Em Isaías 32:17, lemos que a justiça antecede  a Paz, ou seja, não há Paz sem Justiça e em outro texto de provérbios descobrimos que a VERDADE manifesta a Justiça (Prov. 12:17 “Quem fala a verdade manifesta a justiça;…”. Concluímos então: Quem busca a Paz para o seu governo deve ser VERDADEIRO, humilhando-se e assumindo erros e responsabilidades, para que a Justiça de Deus em Jesus, seja feita em nosso Lar através da Confissão, do Perdão e da Purificação. (PAZ SEJA NA TUA CASA).

3 – MINISTRAR A GRAÇA SALVADORA DE CRISTO

O homem deve exercer o sacerdócio em sua família. Não basta abençoá-la com orações superficiais. Deve se interessar por cada um membro. Dar tempo a cada um, conhecer suas necessidades, lutas e aflições. Dar a cada um dos filhos uma atenção particular. Constantemente ajudar a esposa a ver a dimensão eterna e grandiosa de sua função como esposa e mãe.Cuidar para que ela não se desanime com suas tarefas, que às vezes, parecem triviais e insignificantes. NÃO EXISTE NADA MAIS ROTINEIRO E CANSATIVO QUE O TRABALHO DE DONA DE CASA. QUE DEUS NOS REVELE ESTAS VERDADES.

4 – DOUTRINAR E EDIFICAR SUA FAMÍLIA

É importante usar as circunstâncias ocasionais da vida para ensinar, mas isto não é suficiente. O homem é responsável por ensinar toda a verdade de Deus, de forma ordenada e metódica a sua esposa e filhos. São seus primeiros discípulos. Deve determinar horários concretos para sentar com eles e compartilhar a palavra. Deve haver lugar para a participação de todos e tudo deve ser intercalado com oração. O homem deve considerar a esposa como Ajudadora para isto. Não deve anulá-la, mas tampouco deve passar para ela toda a responsabilidade. Devem trabalhar juntos.

ATITUDES ERRADAS DO HOMEM

  • Não assumir seu papel como cabeça. Quando é assim, a esposa fica sobrecarregada pelo peso de tantas obrigações familiares. Há homens que pensam que sua função se limita a trabalhar fora de casa e trazer o salário no final do mês. A sua esposa deve cuidar do resto(consertos, finanças, saúde, disciplina dos filhos, vida espiritual, etc.). Isto traz um grande desajuste na família e deve ser corrigido.
  • Anular a mulher. alguns querem fazer tudo sozinhos. Não conversam com suas esposas nem buscam a opinião delas. Não delegam responsabilidade, absorvem tudo. Pensam que são completos. A mulher fica frustrada e amargurada. O homem deve dar lugar para que a mulher desempenhe sua função com critério próprio, criatividade, gosto e o seu famoso toque feminino.

Por favor, rogo que assistam a Pregação abaixo sobre a Verdadeiro Propósito do Casamento diante Deus e dos homens. Aconselho a fazerem o Download do vídeo e compartilharem com quem precisa, afim de que matrimônios venham desempenhar o seu verdadeiro propósio.

– Como eu faço o download dos vídeos? Siga os passos abaixo!

1) Inicialmente, clique no vídeo para dar incício.

2) Você verá, no canto superior esquerdo, a palavra “Share“. Clique nela.

3) Surgirá uma pequena Janela com 4 Botões. Clique em “Download Vídeo“.

4) Outra janela surgirá com as opções “Abrir com” e “Download“. Selecione “Download“, caso já não o esteja. E clique em “Ok“. Pronto! Agora é só esperar!

[Estudo Bíblico] A Importância da Sexualidade no Casamento

Pr. Elinaldo Renovato de Lima

Quando Deus fez o primeiro casal, incluiu em sua estrutura emocional e física, os órgãos e o instinto sexual. E o fez com propósitos muito elevados, como tudo que o Criador realizou. Dessa forma, a sexualidade faz parte da vida de qualquer ser humano. Dela, ninguém pode se afastar. Quando alguém diz que é homem ou mulher, está implícita a idéia de sexo, de modo natural. No casamento, a sexualidade exerce papel fundamental, indispensável para o bom relacionamento entre os cônjuges, dentro do plano de Deus para o matrimônio. Vamos refletir um pouco sobre esse importante assunto.

1. VISÃO BÍBLICA DO SEXO

1.1. O SEXO FOI FEITO POR DEUS

– Deus fez o homem, incluindo o sexo, e ” viu que tudo era bom”. Gn 1.31. As mãos que fizeram os olhos, o cérebro, também fizeram os órgãos sexuais. Aquele que criou a mente, também criou o instinto sexual. – Jesus, mesmo em sua missão divina, era homem normal, incluindo a sexualidade, santificando-a na pureza e santidade de seu corpo. Ele foi circuncidado ao oitavo dia . Lc 2.21-23. ” E o Verbo se fez carne…” (homem) Jo l.l. 1

1.2. O PLANO DE DEUS EM RELAÇÃO AO SEXO

– Deus quis, na sua soberania, que o homem participasse DIRETAMENTE da obra da Criação, através da procriação, dando-lhe instrumentos maravilhosos que são os órgãos e o instinto sexual. Nesse plano, observamos os seguintes aspectos, dentro da vontade de Deus:

1) O USO DOS ÓRGÃOS SEXUAIS É PRIVATIVO DOS CASADOS.

– A ordem de crescer e multiplicar não foi dada a solteiros, mas a casados. Gn 1.27,28. – Deus não quis que o homem vivesse só. Gn 2.18,24; Sl 68.6;113.9. – Deus exorta o homem a desfrutar o sexo com a esposa e não com a namorada ou a noiva; Em Cantares de Salomão, tem-se a exaltação do amor conjugal e não entre solteiros. Ct 4.1-12; Ef 5.22-25.

2) A RELAÇÃO SEXUAL DO CRISTÃO

1) SUA NATUREZA

* Prevista por Deus (Gn 1.27-28; 2.24)

* Não era, nem é e nem será pecado (dentro dos princípios de Deus): Hb 13.4;

2) SUA FINALIDADE

* Procriação (Gn 1.27, 28). “De um modo maravilhoso…” Sl 139.13-16.

* Ajustamento mútuo entre marido e mulher (1 Co 7.1-7);

  1. O princípio da prevenção (v. 2);
  2. O princípio do direito mútuo (ou do dever) (v.3);
  3. O princípio da autoridade mútua (v. 4);
  4. O princípio do hábito (v. 5).

* Satisfação (bem-estar, prazer): Pv 5.18-23; Ec 9.9 ; Ver Livro de Cantares de Salomão (4. 1-12;7.1-9)

* Deus valoriza a união sexual entre marido e mulher (Dt 24.5)

3) COMO DEVE SER, NO PLANO DE DEUS

* Exclusiva (Gn 2.24; Pv 5.17);

* Alegre (Pv 5.18); * Santa (1 Pe 1.15; 1 Ts 4.4-8)

* Natural ( Ct 2.6; 8.3)

* Observar o significado do Corpo para Deus como TEMPLO DO ESPÍRITO SANTO E PROPRIEDADE DE DEUS 1 Co 6.19-20

3. O SEXO FORA DO CASAMENTO É PECADO

a) FORNICAÇÃO: prática do sexo entre solteiros ou entre casado e solteiro (Enc. Bíblica Boyer). O fornicário não entra nos céus. Ef 5.5a; 1 Tm 1.10a; Ap 21.8a.

b) ADULTÉRIO: Relação sexual entre pessoas casadas com pessoas que não são seus cônjuges. Mt. 5.27; Mc 10.9; Rm 13.09. É perigoso. Pv. 5.1-5. Grave pecado.

c) PROSTITUIÇÃO: Num sentido geral, envolve todo o pecado do sexo; num sentido estrito, é a relação com prostitutas. Deus proíbe. Dt. 23. l7. Grave pecado: 1 Co 6.l6. É falta de juízo. Pv 7. 4-10;21, 22,23-27; 1 Co 6.15-18.

d) HOMOSSEXUALISMO: – Relação entre pessoas do mesmo sexo. É abominação ao Senhor. Lv 20.13; 18.22; Dt 23.17,18. Vício de Sodoma (Sodomia) Gn 19.5. Deus destruiu cidades por causa disso. Dt 23.17.

– Não entram no Reino de Deus os que praticam tais atos abomináveis. l Co 6.9,10. É considerado no NT como “paixão infame”. Rm 1.24-27. O Homossexualismo feminino chama-se LESBIANISMO. Ver Rm 1.26 comparado com 1 Co 1.27: “Semelhantemente…” Desonra a Deus;

– Usar o corpo de modo animalesco; desvia a finalidade do corpo; não permite a reprodução do ser humano. Só buscar o prazer pelo prazer. É egoísta. A AIDS é uma conseqüência dessa perversão. Infelizmente, o homossexualismo tem chegado até ao meio de diversas igrejas.

4. A SEXUALIDADE NA MEIA-IDADE

– A partir da meia-idade (40-55 anos), começam a surgir dificuldades área sexual. Há uma série de crises: mudanças físicas, emocionais, nervosas, etc.

– A maneira de enfrentar os problemas dessa fase da vida depende da atitude mental de cada um: se confia em Deus, encara com naturalidade, e vence; se não confia, encara como uma tragédia, e é derrotado;

– O que para uns é o fim, para outros é o começo de uma nova fase da vida, cheia de experiências, realizações e expectativas positivas;

4.1. MUDANÇAS PRÓPRIAS DA MEIA-IDADE

– O aspecto físico muda bastante; o espelho parece CRUEL: gorduras onde não gostaríamos que houvesse; barba ficando cinzenta; pele flácida; rugas; calvície, etc.; isso afeta a sexualidade;

– as energias físicas diminuem, mas a resistência pode permanecer e até aumentar, com o uso proveitoso das energias mentais, levando ao equilíbrio emocional.

– Se ficar preso à juventude, querendo parar o tempo, o homem fica frustrado;
– Se tiver visão espiritual, vai ser grato a Deus por estar na meia-idade, encarando as mudanças como algo normal em sua vida;

– O homem passa a ver a mulher mais velha, menos atraente a seus olhos; há homens que se desesperam, se deprimem, e outros dão lugar à tentação, caindo em pecado de adultério, prostituição, etc. há quem busque refúgio na pornografia, filmes e revistas eróticos, mas isso só aumenta o problema. Grandes homens de Deus caíram na armadilha do sexo.

4.2. OS CUIDADOS NECESSÁRIOS A UMA VIDA SAUDÁVEL

Na meia-idade, mais do que em outro período da vida, é importante que se utilize um plano adequado de desenvolvimento emocional e físico. Não se deve querer competir com os jovens, mas importante uma alimentação apropriada, o exame médico regular, de acordo com a idade; controle emocional, descanso sistemático, bom senso, disciplina, além da saudável prática de exercício físico adequado (caminhadas são o mais recomendável).

A Bíblia não condena o exercício físico. Apenas mostra que, em relação à piedade, para pouco aproveita (1 Tm 4.8).

CONCLUSÃO

O homem cristão precisa compreender o valor da sexualidade, e ser grato a Deus por isso. Faz-se necessária uma visão abrangente do tema, de modo a não se deixar levar por conceitos e preconceitos que só fazem prejudicar o bom relacionamento entre as pessoas, principalmente entre marido e mulher, a quem Deus concedeu a bênção da união conjugal, como algo belo, santo e agradável, não só com finalidade procriativa, mas como meio de obter um relacionamento estável, rico em alegria e prazer.

E-MAIL:adrministerio12@hotmail.com

Fontes:http://www.facebook.com/l/b2e2c-M7oU8_4-0QPICckvtwc3A/missoesedever.blogspot.com http://www.facebook.com/l/b2e2ct5ZpLXky-Ll4coigxFLOAA/www.reconciliandocomcristo.com