[e-News] Papa Francisco volta a afirmar que ateus não precisam crer em Deus para serem salvos: “A misericórdia de Deus não tem limites”

papa-francisco1

O papa Francisco havia afirmado, meses atrás, que ateus poderiam ser salvos mesmo não crendo em Deus, se eles seguissem suas consciências na conduta de vida. Dias depois, a Igreja Católica divulgou um comunicado contrariando as declarações de seu pontífice.

Agora, a imprensa mundial volta a noticiar que o papa escreveu uma carta aberta direcionada ao fundador do jornal La Repubblica, Eugenio Scalfari, voltando a afirmar que os não crentes seriam perdoado por Deus, caso seguissem suas consciências.

A iniciativa do papa em escrever foi no sentido de responder uma lista de perguntas feitas e publicadas por Scalfari – que não é católico – em seu jornal.

“Você me pergunta se o Deus dos cristãos perdoa aqueles que não acreditam e que não buscam a fé. Gostaria de começar por dizer – e isso é o fundamental – que a misericórdia de Deus não tem limites, se você for a Ele com um coração sincero e contrito. O problema para aqueles que não acreditam em Deus é obedecer a sua consciência. O pecado, mesmo para aqueles que não têm fé, existe quando as pessoas desobedecem a sua consciência”, escreveu o papa Francisco.

A tréplica de Scalfari foi, em síntese, um único comentário de elogio ao papa: “Mais uma prova de sua capacidade e vontade de superar os obstáculos no diálogo com todos”, afirmou, referindo-se à postura de humildade do pontífice.

Robert Mickens, correspondente no Vaticano do jornal católico The Tablet, afirmou que o discurso do papa é uma tentativa de transformar a imagem da Igreja Católica, que é estigmatizada e vista como conservadora extrema. “Francisco é um conservador. Mas isso tudo significa que ele tenta ter um diálogo mais significativo com o mundo”, afirmou Mickens, em entrevista ao jornal The Independent.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+

SUPLEMENTO

No início do ano, quando Bento XVI renunciou, circulou na NET uma Profecia Bíblica que apontava o sucessor, como o último Rei à frente da Besta(ou da Mulher sentada nEla), então viria o FIM! Está escrito:

“Aqui o sentido, que tem sabedoria. As sete cabeças são sete montes, sobre os quais a mulher está assentada.

E são também sete reis; cinco já caíram, e um existe; outro ainda não é vindo; e, quando vier, convém que dure um pouco de tempo.

E a besta que era e já não é, é ela também o oitavo, e é dos sete, e vai à perdição.” Apocalipse 17:9-11

Houve muita discussão, no entanto, aos poucos, estamos percebendo uma certa abertura ao Universalismo, i.e., Cristo morreu por todo o Mundo e salvará a todos independente de arrependimento. ISSO É HERESIA!!! Jesus mesmo enfatizou a necessidade de arrependimento. Está escrito:

“E, depois que João foi entregue à prisão, veio Jesus para a Galiléia, pregando o evangelho do reino de Deus,

E dizendo: O tempo está cumprido, e o reino de Deus está próximo. Arrependei-vos, e crede no evangelho.”  Marcos 1:14-15

Percebemos a necessidade de arrependimento e aceitação(submissão) do Evangelho! Numa ocasião, onde vários acidentes e mortes ocorreram, Jesus novamente frisou a necessidade de ARREPENDIMENTO, independente das circunstâncias de cada um! Está escrito:

“E, Naquele mesmo tempo, estavam presentes ali alguns que lhe falavam dos galileus, cujo sangue Pilatos misturara com os seus sacrifícios.

E, respondendo Jesus, disse-lhes: Cuidais vós que esses galileus foram mais pecadores do que todos os galileus, por terem padecido tais coisas?

Não, vos digo; antes, se não vos arrependerdes, todos de igual modo perecereis.

E aqueles dezoito, sobre os quais caiu a torre de Siloé e os matou, cuidais que foram mais culpados do que todos quantos homens habitam em Jerusalém?

Não, vos digo; antes, se não vos arrependerdes, todos de igual modo perecereis.” Lucas 13:1-5

Não há margem para salvação sem Cristo!! Assistam ao vídeo abaixo:

Anúncios

[Estudo Bíblico] A Origem do Universo

LEITURA BÍBLICA

Salmos 19
1- Os céus manifestam a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos.
2- Um dia faz declaração ao outro dia, e uma noite mostra sabedoria a outra noite.
3- Sem linguagem, sem fala, ouvem-se as suas vozes.
4- em toda a extensão da terra, e as suas palavras, até ao fim do mundo. Neles pôs uma tenda para o sol,
5- que é qual noivo que sai do seu tálamo e se alegra como um herói a correr o seu caminho.
6- A sua saída é desde uma extremidade dos céus, e o seu curso, até à outra extremidade deles; e nada se furta ao seu calor.

Salmos 136
3- Louvai ao Senhor dos senhores; porque a sua benignidade é para sempre.
5 – Àquele que com entendimento fez os céus; porque a sua benignidade é para sempre.
6- Àquele que estendeu a terra sobre as águas; porque a sua benignidade é para sempre.
7- Àquele que fez os grandes luminares; porque a sua benignidade é para sempre.
8- O sol para governar de dia; porque a sua benignidade é para sempre.
9- A lua e as estrelas para presidirem a noite; porque a sua benignidade é para sempre.

Hebreus 11
3- Pela fé, entendemos que os mundos, pela palavra de Deus, foram criados; de maneira que aquilo que se vê não foi feito do que é aparente.

INTRODUÇÃO

Ao meditarmos sobre a grandeza do Universo, vemos quão magnífico é Deus sobre todas as coisas criadas. A Igreja de Cristo tem por obrigação mostrar a verdade sobre a criação dos céus e da terra através das Sagradas Escrituras. O assunto é de especial importância para todos os crentes, pois visa capacitá-los a combater os argumentos e hipóteses materialistas que se opõem à fé cristã.

I. A GRANDEZA DO UNIVERSO

l. A grandeza do Universo revela o Criador.

“Os céus manifestam a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos” (Sl 19.1). O Universo, onde está situado o pequeníssimo planeta Terra, possui cerca de 100 bilhões de estrelas, além do Sol; sendo apenas um entre um bilhão de outros universos conhecidos! Todavia, Deus a todos conhece, pois todos eles foram criados e são mantidos por Ele.

REFLEXÃO
“Se a existência do cosmos na sua totalidade precisa ser explicada e se não puder ser explicada por causas naturais, então elevemos esperar explicá-la pela existência e acão de uma causa sobrenatural.”
(Mortmer Adler)

2. A diminuta dimensão da Terra em relação ao Universo.

A Terra faz parte do sistema solar, que inclui o Sol e os planetas que, por sua vez, fazem parte de uma galáxia situada num conjunto de 200 bilhões de estrelas. A Terra se desloca nesse sistema à velocidade de 218 quilômetros por segundo!

O Sol é l.500.000 vezes maior do que a Terra, sendo considerado uma estrela de quinta grandeza. A Bíblia afirma: “… não se pode contar o exército dos céus, nem medir-se a areia do mar…” (Jr 33.22).

O Universo é tão grande que Deus considera as nações “como a gota de um balde e como pó miúdo das balanças” … “São “como nada perante ele” (Is 40.1 5,17)

3. A origem do Universo, segundo a falsa ciência.

A falsa ciência ensina, nas escolas seculares, que o Universo “surgiu por acaso” há cerca de 20 bilhões de anos.

Para os materialistas, o Universo não foi feito por um Criador onipotente e soberano. Crianças, adolescentes e jovens são enganados com esse tipo de ensino anticristão.

Todavia, a falsa ciência não consegue explicar o que existiu antes do aparecimento do Universo. Nós, porém, sabemos que somente um eterno Criador infinitamente sábio e poderoso é capaz de explicar a grandeza, a ordem e o funcionamento do macrocosmo (Gn l. l; Jó 38).

II. O QUE DIZ A BÍBLIA SOBRE A ORIGEM DO UNIVERSO

l. Deus criou o Universo.

As Escrituras Sagradas mostram claramente a origem do Universo do seguinte modo:

“No princípio, criou Deus os céus e a terra” (Gn 1.1).

“E disse Deus: Haja luminares na expansão dos céus… e fez as estrelas” (Gn 1.14,16).

Esta é a verdade sobre a origem do mundo de acordo com a Palavra de Deus. As teorias cosmológicas alheias à Bíblia são fraudulentas e enganosas. Do Génesis a Apocalipse a Bíblia reafirma que Deus, de fato, criou o Universo (Ap 4.11; 10.6; 14.7).

2. O Universo foi criado de modo organizado, e não caótico.

a) No primeiro dia, Deus criou a luz cósmica; fez separação entre a luz e as trevas, e criou o “Dia” e a “Noite” (Gn 1.1-5); não era ainda a luz solar, mas a luz cósmica, que está presente em todo o espaço sideral. Terra, os mares e a vegetação (Gn 1.9-13);

b) No segundo dia, Deus fez “uma expansão no meio das águas”, provavelmente águas em estado gasoso, acima e abaixo da “expansão”, e criou os “céus” (Gn 1. 6-8);

c) No teceiro dia, Deus criou a Terra, os mares e a vegetação (Gn 1. 9-13);

d) No quarto dia, Deus criou sol, a lua e as estrelas (Gn 1. 14-19);

e) No quinto dia, Deus determinou que as águas produzissem “répteis”, “aves” e “grandes animais aquáticos” (Gn 1.20-23);

f) No sexto dia, Deus criou os animais terrestres e o homem (Gn 1.24,26). O ser humano não “evoluiu” dos seres irracionais, como a falsa ciência ensina (l Tm 6.20), mas é um ser especial, criado por Deus, como afirma a Bíblia (Gn 1.26-29; 2.7-22; 5.1,2).

3. Deus fez todas as coisas.

João, em seu evangelho, afirma a respeito de Jesus na criação do Universo:

“No princípio, era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por Ele, e sem Ele nada do que foi feito se fez” (Jo 1.1-3; Sl 33.6).

Por outro lado, a Bíblia registra que os escarnecedores ignoram que os céus e a terra foram criados pela Palavra de Deus (2 Pe 3.5).

III. O QUE DIZ A VERDADEIRA CIÊNCIA

l. A verdadeira ciência confirma a Bíblia.

A ciência constata que o Universo veio a existir exatamente como a Bíblia no-lo descreve(… do NADA). Embora não tenhamos suficiente espaço para explorar exaustivamente o assunto, basta citarmos o que escreveu o autor da Epístola aos Hebreus:

“Pela fé, entendemos que os mundos, pela palavra de Deus, foram criados; de maneira que aquilo que se vê não foi feito do que é aparente” (Hb 11 .3).

2. O “deus” dos materialistas.

Eles acreditam no “deus” acaso. Crê em que o Universo, com bilhões de corpos celestes, incluindo a Terra, surgiu mediante uma “grande explosão”.

Essa “fé” no acaso é cega, privada de reflexão e equivale a um fanatismo religioso radical. A Bíblia prevê esse tipo de mentalidade e, por isso, assegura que Deus tornou louca a sabedoria deste mundo (l Co 3.19).

Exaltemos a Deus por conhecermos a origem do Universo, por meio das Escrituras, que assevera com segurança e certeza:

“No princípio, criou Deus os céus e a terra”(Gn 1.1).

CONCLUSÃO

Somente as Escrituras, a inerrante e completa Palavra de Deus, têm a única e mais lógica explicação para a origem do Universo.

Negar a existência de um plano elaborado e executado por um Criador onisciente, onipotente e onipresente é negar a própria lógica do Universo, estudada pela Astronomia, pela Física, pela Química e por outras ciências correlatas.

Cumpre-se o que assegura, de modo eloquente, a Palavra de Deus:

“Os céus manifestam a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos” (Sl 19.1). Ver também Pv 3.19; Is 42.5; 45.12,1 8.