DEVOCIONAL: UM MÊS PARA VIVER! DIA 10 – Explorando as Profundezas do Perdão

DIA 10 – Explorando as Profundezas do Perdão

“Quem é destituído do poder de perdoar não tem poder de amar” – (Martin Luther King).

A regra número um do mergulho é nunca prender a respiração. Os instrutores ensinam isso aos alunos porque, quando estamos em águas profundas e respiramos por meio de um tanque de oxigênio, o ar naturalmente enche os pulmões. Se a pessoa prende a respiração enquanto está subindo para a superfície, o ar se expande, distendendo os pulmões e ferindo a pessoa.

A regra número um para mergulhar fundo na vida é nunca reter a amargura.

Lembre-se de que, na maioria dos casos, não desenvolvemos uma ferida purulenta da noite para o dia.

Ela, em geral, começa com uma pequena inflamação que cresce e se transforma numa grande infecção.

Muitas vezes os frutos da amargura são plantados com as sementes da ira.

A Bíblia diz que jamais devemos reter a ira por um período maior que vinte e quatro horas. Por quê?

Porque se você permitir que a ira sobreviva por mais de um dia, ela se transforma em amargura.

Se não expelir o ressentimento, você acabará explodindo.

Expelimos a ira e a amargura quando somos honestos sobre nossos sentimentos.

Nem sempre gostamos de admitir que: Estamos feridos e que uma pessoa conseguiu nos ofender.

O orgulho serve de combustível para a dissimulação, embora por dentro estejamos fervendo.

Se nossa ira não for trabalhada, ela logo se transformará em amargura maligna.

Alguém disse com muita sabedoria, que perdoar é libertar um prisioneiro e, então, descobrir que o prisioneiro era você.

Deus diz que você precisa perdoar para o seu próprio bem, porque: A amargura bloqueia a benção que Ele deseja derramar sobre sua vida.

Se você se abrir para Deus ao perdoar e orar por aqueles que o feriram, as bênçãos fluirão novamente e a cura de sua alma começa a acontecer.

Perdoar de fato é como nadar em um oceano muito profundo, como jamais poderíamos imaginar.

Significa sentir uma onda de amor que lava nossos pecados, nossa culpa e nossa amargura.

Se tivesse apenas um mês para viver, você não gostaria de ser levado para além das águas rasas, na direção do profundo oceano purificador do perdão?

“Quem não consegue perdoar destrói a ponte sobre a qual terá de passar” – George Herbert.

Faça uma lista das pessoas que você precisa perdoar.

Faça uma lista das pessoas a quem você precisa pedir perdão.

Coloque isso diante de Deus em oração e tome uma atitude!

Anúncios

DEVOCIONAL: UM MÊS PARA VIVER! DIA 9 – O “X” da Questão

DIA 9 – O “X” da Questão

“É vaidade desejar viver muito e descuidar-se de viver bem” (Tomás Kempis).

No final das contas, os relacionamentos são tudo o que realmente importa.

Não importa quanto dinheiro temos, onde vivemos ou o tamanho de nossa linda coleção de brinquedos. Nada disso nos conforta, consola, chora conosco ou nos ama.

O investimento que fazemos nas pessoas com quem nos importamos é o único legado que pode perdurar além da vida aqui na Terra.

Deus nos planejou para termos um relacionamento com Ele e também com as pessoas ao nosso redor.

Hoje, porém, vivemos tão ocupados que manter relacionamentos íntimos, mesmo com o cônjuge e familiares próximos, é desafiador.

Trabalhamos longas horas para atender às necessidades das pessoas que amamos, para lhes dar o conforto e os benefícios que talvez nós mesmos não tivemos.

Contudo, deixamos de passar um tempo de qualidade com essas pessoas.

Podemos dar-lhes presentes caros e todo conforto possível, mas temos dificuldades para dedicar a elas nosso tempo e atenção exclusiva.

Então, por que não vivemos como se os relacionamentos tivessem maior valor?

Por que esperamos as pessoas morrerem para lhes enviar flores?

Fomos planejados para ter intimidade social e emocional com aqueles que estão ao nosso redor, mas nossos desejos estão contaminados pela inclinação egoísta de querer ser o centro de tudo.

O amor não pode ser comprado, mas tem um preço alto, chamado sacrifício.

Amar sempre significa arriscar-se a sentir dor.

Para amar outras pessoas, suportar as dores do coração e compartilhar vidas, é preciso um amor maior que o nosso.

Precisamos sentir a plenitude do amor de Deus para que possamos morrer para nossos desejos egoístas e nos entregar livremente aos outros.

O maior sacrifício de amor da história foi à morte de Cristo sobre a cruz.

A maioria de nós não tem a mínima consciência do grande sacrifício que Deus fez. Ele deu seu único filho.

Tendo o amor de Deus como base, você pode descobrir um novo poder na maneira de se relacionar com os outros.

Se você for capaz de pôr fim ao excesso de compromissos e de prioridades invertidas, aceitando o fato de que o tempo que lhe resta na Terra é limitado, poderá ter mais intimidade na vida como nunca experimentou.

“É vaidade desejar viver muito e descuidar-se de viver bem.” – (Tomás Kempis).

“A medida de uma vida, afinal, não é sua duração, mas sua doação.” – (Corrie ten Boom).

DEVOCIONAL: UM MÊS PARA VIVER! DIA 8 – A Toda Velocidade!

DIA 8 – A Toda Velocidade!

“Não pergunte do que o mundo precisa. Pergunte o que o faz sentir-se vivo, e corra atrás disso. Porque o mundo precisa de pessoas que tenham vida” (Howard Thurman).

Você já se sentiu incapaz na vida?

Muitas pessoas dizem que o fato de não tentarem mudar é o fato de se sentirem incapazes para alterar a combinação de forças das circunstâncias presentes na vida delas.

Imagine-se num circuito de MotoCross com uma moto de 250 cc. Ela tem muita potência. Mas, então, ao invés de ligar a moto, você resolve empurra-la por todo o circuito.

Você enfrentaria ladeiras e curvas, lombadas e descidas, empurrando a motocicleta. Isso seria uma loucura, não é mesmo? Pois bem! É dessa maneira que muitos estão enfrentando a vida.

Uma transformação fundamental ocorre quando percebemos que temos todo o poder de Deus à nossa disposição.

Seu ilimitado estoque de força dá o vigor de que precisamos para colocar a vida em movimento.

Numa pista de Motocross acontecem muitos acidentes. Isto faz parte do esporte. Todos nós derrapamos algumas vezes na pista da vida. A questão não é se vamos bater, mas quando vamos bater. É simplesmente parte da vida.

Quando as forças da vida nos atingem com vigor e então batemos e caímos, é bom saber que o nosso Deus é o Deus da segunda chance e que Ele nos quer dar o poder para começarmos outra vez.

Não é apenas um poder para o recomeço; é também o poder para voltar à trilha e andar mais rápido do que nunca.

É possível que você tenha se envolvido em um acidente em seu casamento, com os filhos, com os pais, igreja,amigos ou vizinhos.

Entenda que o fracasso nunca é total.

Temos o Deus da segunda chance, e Ele deseja dar-nos o poder de começar de novo.

Quando nos entregamos a Deus como a fonte de todo poder na vida, vemos resultados que jamais poderíamos alcançar sozinhos, não importa quanto nos esforçássemos.

Vamos fracassar sempre em nossas tentativas de mudar se fizermos tudo por nossa conta, sozinhos.

Deus tem muitos recursos à nossa disposição – combustível ilimitado num circuito incrível que nem podemos imaginar.

É o plano que Deus tem para você, a corrida que Ele traçou para você!

Você foi planejado para seguir por esse caminho a toda velocidade.

Então, busque a Deus. Ligue o motor e saia a toda velocidade.

“Nunca é tarde demais para ser aquilo que você deveria ser” (George Eliot).

DEVOCIONAL: UM MÊS PARA VIVER! DIA 7 – Tirando os sonhos congelados do freezer

DIA 7 – Tirando os sonhos congelados do freezer

“Existem pessoas que colocam seus sonhos numa pequena caixa e dizem: “Sim, eu tenho sonhos, é claro que tenho sonhos”. Então, guardam a caixa bem escondida e a pegam de vez em quando, só para ver se os sonhos ainda estão ali” (Erma Bombeck).

Os sonhos podem ser tão gostosos quanto o doce preferido de sua infância. Lembra-se dele?

Um sonho é algo que nos chama, qualquer coisa que pareça impossível ou maluca, mas algo mais doce e agradável que qualquer outra coisa que possamos imaginar.

Deus nos colocou aqui por uma razão e plantou sonhos dentro de nós de modo que possamos fazer nossa parte para vê-los realizados.

Deus quer descongelar aqueles sonhos que Ele mesmo colocou em seu coração.

Não há nada mais gostoso e agradável do que descobrir e seguir o sonho que Deus plantou em seu coração.

Os sonhos têm mais variedades de sabores do que sorvete. Porém, o simples fato, de querer alguma coisa não significa que seja o sonho que Deus plantou em seu coração.

Assim, como saber se um sonho é de fato de Deus?

Em primeiro lugar, o sonho de Deus nunca será contrário à sua Palavra, porque Deus nunca se contradiz. Se o desejo que você tem vai contra a Palavra de Deus, então não é um sonho d’Ele.

Quando o sonho é de Deus, ele exige fé. O sonho também é de Deus quando faz diferença na vida de outras pessoas. O sonho quando é de Deus, não é egoísta.

Quando estamos feridos, somos tentados a enterrar nossos sonhos no fundo do coração onde eles congelam.

Todas aquelas feridas do passado nos impedem de acreditar que Deus pode usar-nos. Já fracassamos tantas vezes. Somos tão inúteis. Estamos muito fracos e cansados. Queremos desistir do sonho, com medo de que seja tarde demais.

Mas, com Deus nunca é tarde demais. Deus se alegra em curar nossas feridas e transformá-las em fontes de força para realizar os sonhos que Ele tem para nós.

“Existem pessoas que colocam seus sonhos numa pequena caixa e dizem: “Sim, eu tenho sonhos, é claro que tenho sonhos”. Então, guardam a caixa bem escondida e a pegam de vez em quando, só para ver se os sonhos ainda estão ali”.

Lembre-se sempre de que: Independentemente do que estiver passando, nenhum problema pode destruir o sonho de Deus para sua vida.

Portanto, descongele os seus sonhos. Tire os seus sonhos do freezer.

“Nossa vida mais real acontece quando vivemos nossos sonhos acordados” (Henry David Thoreau).

DEVOCIONAL: UM MÊS PARA VIVER! DIA 6 – Arriscando-se Para Encontrar a Grandeza

DIA 6 – Arriscando-se Para Encontrar a Grandeza

“A segurança é, em grande parte, uma superstição. Ela não existe na natureza, nem os filhos dos homens a experimentam. À longo prazo, evitar o perigo não é mais seguro do que a exposição total. Ou a vida é uma aventura ousada ou não é nada” (Helen Keller)

“Macaqueiro” é o nome que se dá ao brinquedo de parques infantis que consiste em uma escada metálica vazada, colocada na horizontal, na qual as crianças se penduram e se deslocam até a outra ponta.

É também chamado de escada horizontal.

Muitos pais já tiveram a experiência de brincar com seus filhos nessa escada horizontal.

Eles se agarram e se deslocam, mas em determinado momento se cansam.

Embora seus pais digam que é para se soltarem, pois serão amparados e seguros, eles têm medo.

Relutam bastante e só depois, vencidos pelo cansaço, se soltam.

Isto acontece também em nosso relacionamento com Deus.

Agarramo-nos a tudo desesperadamente, tentando fazer as coisas com nossas próprias forças.

Lutamos incansavelmente querendo controlar tudo, tentando fazer tudo do nosso jeito, tentando agradar as pessoas, tentando controlar todas as situações.

Agarramo-nos e pensamos que não há ninguém para nos segurar, para nos amparar.

Achamos que é melhor segurar e apertar as mãos.

Enquanto ficamos pendurados com os dedos esbranquiçados, Deus diz: Solte as mãos, vou pegar você. Relaxe. Eu prometo. Amo você e vou pega-lo.

A única maneira de se arriscar para encontrar a grandeza é confiar em Deus em cada área da vida.

Ficar agarrado às barras do macaqueiro é cansativo e impede a realização de sonhos maiores e mais satisfatórios que Deus tem para nós.

“O que nos leva a nos apegar a nossos próprios esforços em vez de nos arriscarmos para encontrar a grandeza que Deus tem para nós?”

Para muitos é a perda do controle.

Para outros, o medo. O medo nos mantém presos às barras mesmo depois de ter chegado a hora de seguir adiante.

O medo nos paralisa e nos mantém confinados a uma visão estreita da vida.

Perdemos muitos momentos pequenos e grandes quando não estamos dispostos a romper o padrão de seguir pelo caminho de menor resistência e tentar coisas maiores.

Mas se soubéssemos que nossos dias estão contados e de repente nossas prioridades se mostrassem claras, seria muito mais fácil ouvir o chamado de Deus e mergulhar.

Se você está cansado de agarrar as barras e sente que está perdendo o controle da vida, solte-se e sinta os fortes braços de um Deus amoroso pegando você.

Na força da graça de nosso Pai celestial, você sentirá segurança e a paz que tanto deseja.

Lembre-se: “Um navio está em segurança no porto, mas não é para isso que servem os navios” (William Shedd).

DEVOCIONAL: UM MÊS PARA VIVER! DIA 5 – Máscara de Oxigênio

DIA 5 – Máscara de Oxigênio

“Essa é sua vida. Você é quem deseja ser?” (Switchfoot)

Quando você viaja de avião, recebe a seguinte instrução: “Em caso de despressurização da cabine, máscaras de oxigênio cairão automaticamente do compartimento acima de sua cabeça. Por favor, coloque a máscara de oxigênio primeiramente em você antes de auxiliar crianças pequenas e outras pessoas que precisem de ajuda”.

Estas palavras também transmitem uma poderosa verdade espiritual: Se você quer extrair o máximo de seu tempo aqui na Terra e viver um estilo de vida sem arrependimentos, precisa envolver-se plenamente com as pessoas a seu redor.

Jesus indica que, antes de podermos realmente amar os outros e fazer diferença na vida deles, devemos primeiro amar a nós mesmos.

A principal razão de colocarmos a máscara de oxigênio primeiro em nós mesmos é podermos respirar e permanecer saudáveis para ajudar a outra pessoa a encontrar o oxigênio de Deus.

Assim como Deus nos criou como seres eternos em corpos temporais, Ele planejou que vivêssemos em harmonia com os outros.

Não devemos ser autossuficientes e independentes, a ponto de nos isolar e evitar outras pessoas.

Se soubéssemos que temos apenas algumas semanas de vida pela frente, certamente não gostaríamos de morrer sozinhos.

Antes, gostaríamos que, aqueles com quem nos importamos, conhecessem nosso verdadeiro eu e soubessem como somos gratos por eles existirem em nossas vidas.

Provavelmente, gostaríamos de dizer-lhes nossas palavras finais, do fundo do coração, antes de partir.

Espero que todos que leem este texto tenham muitos e muitos anos saudáveis e maravilhosos.

Mas, independentemente do número de dias que tenhamos pela frente, precisamos entender que a vida é curta.

Pedimos a Deus que nos ensine a contar os nossos dias e nos ajude a compreender que o tempo é limitado e que devemos gastá-lo com sabedoria e da forma que Ele quer.

Pois, só assim, poderemos cumprir o propósito para o qual o Senhor nos criou.

A realização de nosso propósito como criação divina e conectados a Ele como nossa fonte de vida, permite que sejamos saudáveis nos aspectos físico, emocional e relacional.

”Médico cuida de ti mesmo”!

Só então, você poderá ajudar outras pessoas!

Respirar primeiro não é um ato egoísta. É essencial.