À imagem de Cristo!

Você sabe muito bem que ele é bom e que quer fazer com que você mude de vida. Romanos 2. 4, NTLH
.
Veja a agenda de Deus para 0 seu dia: fazer com que você seja mais semelhante a Cristo.
.
“Pois aqueles que [Deus] de antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho”(Rm 8. 29). Você vê o que Deus está fazendo? Moldando você para ser “conforme à imagem de seu Filho”.
.
Jesus enfrentou medos com coragem; Deus quer que você faça o mesmo.
.
Jesus sabia a diferença entre certo e errado; Deus quer que saibamos também.
.
Jesus serviu aos outros e deu sua vida pelo perdido; podemos fazer a mesma coisa.
.
Jesus lidou com a ansiedade em relação à morte; você também pode.
.
O desejo de Deus, o seu plano, seu derradeiro objetivo, é moldar você à imagem de Cristo.

O coração humilde!

Conduz os humildes na justiça e lhes ensina o seu caminho. SALMOS 25·9

A verdadeira humildade não é fazer pouco de si mesmo, mas pensar em si mesmo da maneira correta. O coração humilde não diz “não posso fazer nada”. Em vez disso, ele diz: “Não posso fazer tudo. Sei do meu potencial e estou feliz com isso”.

Considerar os outros melhores que você não é dizer que você não tem espaço; é dizer que você conhece o seu lugar.

O coração humilde honra os outros.

Mais uma vez, Jesus não é o nosso exemplo? Contente em ser conhecido como carpinteiro. Feliz por ser confundido com o jardineiro. Serviu seus seguidores ao lavar-lhes os pés. Ele nos serve fazendo a mesma coisa. A cada manhã ele nos presenteia com a beleza. A cada domingo ele nos chama à sua mesa. A cada momento ele habita em nosso coração. E por acaso ele não fala do dia em que o senhor “se vestirá para servir, fará que [seus servos] se reclinem à mesa, e virá servi-los?”(Lc 12. 37).

Se Jesus está tão disposto a nos honrar, não podemos fazer o mesmo pelos outros? Faça das pessoas sua prioridade. Aceite sua parte no plano dele. Seja rápido para compartilhar o aplauso. E, acima de tudo, considere os outros mais importantes que você mesmo. Compreendendo o seu real valor!

***Siga-me nas redes sociais para receber reflexões diárias!***

O perfeito Cordeiro de Deus

Quem fará alguma acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica. Quem os condenará? Romanos 8. 33-34

Por que nós, cristãos, ainda nos sentimos culpados?

Nem toda culpa é ruim. Deus usa doses apropriadas de culpa para nos despertar do pecado. Sabemos que a culpa é algo dado por Deus quando ela provoca “Indignação [… ] temor [… ] saudade [… ] preocupação [… ] desejo de ver a justiça feita “(2Co 7. 11).

A culpa que vem de Deus produz arrependimento suficiente para nos transformar. A culpa de Satanás produz arrependimento suficiente para nos escravizar. Não permita que ele coloque algemas em você.

Lembre-se: “A sua vida está escondida com Cristo em Deus”(Cl 3. 3). Quando olha para você, ele vê Jesus primeiro. Em mandarim, a palavra para justiça é uma combinação de dois caracteres, a figura de um cordeiro e a de uma pessoa. O cordeiro está em cima, cobrindo a pessoa. Sempre que Deus olhar de lá de cima para você, é isto o que ele vê: o perfeito Cordeiro de Deus cobrindo você. Tudo se resume a uma escolha: você confia no seu Advogado ou no seu acusador?

 

 

O presente das vinte e quatro horas

Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas lhes serão acrescentadas. Mateus 6.33

Duas coisas a se ter em mente.

Você não possui mais o ontem. Ele sumiu enquanto você dormia. Acabou. Será mais fácil recuperar uma baforada de fumaça. Você não pode mudá-lo, alterá-lo ou melhorá-lo. Sinto muito, não há segunda chance. A areia da ampulheta não vai fluir para cima. O ponteiro do relógio se recusa a girar ao contrário. O calendário mensal vai da esquerda para a direita, não da direita para a esquerda. Você não possui mais o ontem.

Você ainda não possui o amanhã. A não ser que você acelere a órbita da terra ou convença o sol a se levantar duas vezes antes de se pôr uma, você não pode viver o amanhã hoje. Você não pode gastar o dinheiro de amanhã, comemorar os feitos de amanhã ou resolver os enigmas de amanhã. Você só possui o hoje. Este é o dia que o Senhor fez.

Viva nele. Você deve estar presente para vencer. Não sobrecarregue o hoje com os arrependimentos de ontem nem o contamine com os problemas de amanhã.

Sua tarefa planejada por Deus

Se alguém quiser acompanhar-me [… ] tome diariamente a sua cruz e siga-me. Lucas 9. 23

A frase “tome a sua cruz” não se deu muito bem através das gerações. Peça uma definição e você ouvirá respostas como “minha cruz é o meu trabalho ou meu chefe mal-humorado”. Presumimos que a cruz é qualquer aflição constante ou incômodo pessoal. Deus, pensamos nós, distribui cruzes como um guarda distribui pás aos condenados a trabalhos forçados. Ninguém quer receber aquilo. Todo mundo recebe a sua. Todo mundo tem uma cruz para carregar, e nós, do mesmo modo, precisamos nos acostumar a isso.

Vamos falar sério. Jesus está reduzindo a cruz a incômodos ou dores de cabeça? A cruz significa muito mais do que isso. É a ferramenta de Deus para a redenção, instrumento de salvação – prova de seu amor pelas pessoas. Tomar a cruz, portanto, é carregar o fardo de Cristo pelas pessoas do mundo. Ainda que nossas cruzes sejam similares, nenhuma delas é idêntica.

Cada um tem a própria cruz para carregar uma tarefa projetada por Deus. Ela combina com nossas paixões e faz uso de nossos dons e talentos. E serve para nos aperfeiçoar, a fim de que sejamos úteis no testemunho e glorificação do nome do Senhor!

A Parábola do Canyon – O Porquê do sofrimento!

RalPh Connor conta num de seus livros, a história de Gwen, uma adolescente voluntariosa, temperamental, que tinha sido acostuma­da a fazer sempre o que queria.

Um belo dia, sofreu um terrível acidente que a deixou paralítica. Encheu-se de revolta, e enquanto se encontrava nesse estado de rebelião, recebeu a visita do missionário que tra­balhava entre o povo das montanhas onde ela morava.

Ele lhe contou a parábola do Canyon.

“No princípio não havia Canyons, mas somente a campina muito vasta e aberta. Um dia o Mestre da Campina andando pelos seus grandes prados onde havia apenas grama, perguntou-lhe: ‘Onde estão suas flores?’ E a Campina respondeu: ‘Mestre, eu não tenho sementes.’

“Então ele falou com os pássaros, e eles tomaram sementes de todo tipo de flores e as espalharam por toda a extensão da campina, e logo ela estava coberta por uma grande variedade de flores! Então veio o Mestre e ficou muito alegre; mas achou que faltavam ainda as flores de que mais gostava entre as quais a violeta e as anêmonas. Então perguntou por elas à Campina.

“De novo ordenou aos pássaros e de novo eles trouxeram as sementes  as espalharam. Mas, novamente, quando o Mestre chegou, não encontrou aquelas flores de que tanto gostava. E perguntou:

”Onde estão aquelas florzinhas de que tanto gosto? E a Campina res­pondeu tristemente:

”’Oh, Mestre, eu não consigo conservar essas flores, porque o vento sopra aqui com muita força e o sol é muito ardente, e elas murcham logo, e secam, e se vão com o vento.

“Então o Mestre falou com o raio, e com um golpe rápido o raio rasgou a  Campina. E ela estremeceu e gemeu em agonia, e por muitos dias se lamentou amargamente pela ferida escura, recortada e profunda.

“Mas o rio derramou suas águas pela fenda e carregou para ali bastante húmus; e novamente os pássaros carregaram sementes e as espalharam, agora pelo Canyon. E depois de muito tempo as rochas ásperas estavam cobertas de musgo macio, de delicadas trepadeiras e cheias de recantos abrigados, onde podiam crescer em profusão aquelas outras flores, e por todo lado as violetas e as anêmonas, até que o Canyon ficou sendo o lugar favorito do Mestre para descanso, paz e gozo.”

Então o missionário leu para ela: “O fruto – eu vou ler flores – do Espírito é: amor, alegria e paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio – e algumas destas só crescem no Canyon

“Quais são as flores do Canyon?” perguntou Gwen mansamente. E o missionário respondeu: “Benignidade, mansidão, longanimidade; e embo­ra as outras – amor, gozo e paz floresçam no lugar aberto, contudo nunca dão flores tão belas e com tanto perfume como no Canyon.

Gwen ficou um bom tempo em silêncio, e então disse, pensativa, enquanto seus lábios tremiam: “Não há flores no meu Canyon. Só rochas ásperas.”

“Logo vai haver, minha querida. O Mestre vai achá-las ali, e nós também as veremos.”

Caro irmão, quando você chegar ao seu Canyon, lembre-se dessa Parábola!

Fonte: Manaciais no Deserto