[e-News] “Eu estou chocado que existam cristãos celebrando o Halloween”, diz ex-bruxo

No mês de outubro, as celebrações de Halloween (“Dia das Bruxas”) começam a encher escolas, empresas, lares e até mesmo algumas igrejas e isto tem sido motivo de alegria para líderes satanistas, como é o caso do fundador da ‘Igreja de Satanás’, Anton LaVey.

“Estou feliz que os pais cristãos deixem seus filhos adorarem ao diabo pelo menos uma noite no ano. Bem-vindo ao Halloween”, declarou o satanista em certa ocasião.

“Estamos empenhados em nos apressar para honrar o diabo de muitas maneiras. Não vemos nenhum mal no Halloween, porque pensamos que é divertido. Nós pintamos nossos rostos, usamos nossos fantasias inocentes – até mesmo as igrejas ficam decoradas com abóboras para Halloween. Essas ações são como dar a licença do demônio, dizendo: ‘Aqui está minha igreja. Você pode ter isso”, acrescentou o líder satanista.

A declaração de Lavey foi citada pelo evangelista e ex-bruxo John Ramirez em um artigo para o site ‘Charisma News’, com o objetivo de alertar os cristãos de que o Halloween não é uma festividade tão inocente como muitos imaginam.

“[Quando celebramos o Halloween] Pensamos que como ‘não estamos realizando rituais demoníacos’ ou ‘sacrifícios humanos’, ainda estamos em condições seguras, mas você sabia que assim que você se vestir com uma fantasia de ‘Dia das Bruxas’ ou se pintar para isso, está fazendo um convite ao diabo? Porque ao fazê-lo, você e sua família estão se dedicando a comemorar o feriado do diabo. Você acabou de fazer um pacto com o inimigo, e você já está sacrificando seus filhos espiritualmente e mudando suas identidade, quando os veste daquele jeito”, alertou Ramirez.

Pastor John ainda se lembra da época que atuava como bruxo e afirma que naqueles tempos sempre valorizou o Halloween.

“Quando éramos adoradores do diabo, o Dia das Bruxas foi muito especial para nós e esperávamos celebrá-lo porque conhecíamos as implicações e o poder das trevas por trás daquela noite. É muito diferente de todas as outras noites no mundo da feitiçaria. Perguntar a importância do Halloween para satanistas é como perguntar a um cristão: ‘O quão importante é a sexta-feira santa e o domingo da ressurreição para você?’. Halloween tem muito peso e importância para aqueles que habitam no lado da escuridão”, contou.

“Lembro-me dos dias que antecediam o Dia das Bruxas. Nós, adoradores do diabo recebíamos nossas instruções do mundo demoníaco sobre o que devia ser feito e sabíamos que aquela seria uma longa noite. Eu dormia o dia todo para descansar e estar pronto para a meia-noite, para que eu pudesse liberar o inferno no mundo até as primeiras horas da manhã seguinte”, acrescentou.

Ramirez explicou que muitas igrejas que celebram o Halloween mudam o nome da festividade na tentativa de “amenizar” o escândalo que ela poderia causar entre as pessoas, mas alertou que isto não tem validade se a intenção continua a mesma.

“Algumas igrejas removem a palavra ‘Halloween’ e em vez disso a chamam de ‘colheita’, mas seus membros continuam se vestindo com fantasias, dando doces e balançando maçãs. Isto entristece o meu coração. Esta tentativa de ‘afastar’ este ‘feriado’ não está adiantando em nada”, explicou.

Ramirez ainda rebateu a justificativa de igrejas que alegam celebrar a ‘colheita’ (Halloween disfarçado) com uma finalidade “evangelística”.

“Se estas igrejas estão tentando usar certas celebrações seculares para fins evangelísticos, para ganhar almas, aqui está a minha proposta como pastor: eu promoveria uma noite de cinema bíblico com pipoca e refrigerantes para crianças e adultos e convidaria amigos e familiares não cristãos”, disse.

“Minha intenção com este evento seria expor a origem e os perigos do Dia das Bruxas, depois transformá-la em uma ótima noite de cinema, com um pequeno ensinamento da Palavra de Deus sobre Seu amor e a obra acabada da cruz, depois do filme. Finalmente, eu faria apelo para quem quisesse se entregar a Jesus e tornaria aquela noite ainda mais especial para que todos se lembrassem dela”, afirmou. “A única colheita que devemos celebrar é a colheita de almas”.

Para muitos que celebram o Dia das Bruxas, essa celebração acontece até o primeiro dia de novembro, que também é conhecido como o Dia de Todos os Santos, que antecede o Dia de Finados, mas segundo Ramirez “não há nada de santo nisso – é demoníaco”.

“Estou surpreso com a forma como o mundo abraça este feriado, porque o Dia de Todos os Santos é enganador. Nós temos uma imagem em nossas mentes que parece sagrado, mas não há nada de inocente sobre isso. Este feriado é praticado em toda a América do Sul e Central e partes distantes do mundo, e até mesmo nos Estados Unidos”, contou.

“Para a cultura espanhola, é chamado de ‘Dia de Muertos’, e eles celebram os mortos através de rituais e cerimônias e até visitas aos cemitérios. No YouTube mesmo podemos ver mais informações sobre do que se trata este dia. Este feriado não tem nada de santo, nem nada a ver com os santos”.

Mas como é possível combater essa escuridão como mensageitos das boas novas de Jesus? A pergunta contundente foi respondida por Ramirez ao final de seu artigo.

“Na Bíblia, quando o Senhor chama aqueles fiéis a Ele de ‘santos’, este termo significa que fomos santificados pelo sangue de Jesus Cristo e pela obra da cruz. Estamos separados para as boas obras e para glorificar a Deus”, lembrou o pastor.

“Como ministro, eu usaria o Dia de Todos os Santos para virar a mesa sobre o diabo e para celebrar a minha salvação e a salvação da minha família e entes queridos. Eu usaria isso como uma oportunidade evangelística na minha igreja para trazer pessoas não salvas para ouvir testemunhos da bondade de Deus e como Ele pode transformar suas vidas também. E naquela noite, eu daria ao diabo uma grande derrota em nome de Jesus, porque muitas almas seriam salvas”, finalizou.

Fonte

DEVOCIONAL: UM MÊS PARA VIVER! DIA 30 – Vivendo a Vida

DIA 30 – Vivendo a Vida

“Aqui está o teste para descobrir se sua missão na vida está terminada: se você estiver vivo, ela não acabou” (Richard Bach)

“Embora ninguém possa voltar e começar do zero outra vez, qualquer um pode começar agora a ter um final inédito” (Carl Bard)

Nada realmente grande acontece sem paixão.

A força motriz por trás de toda magnífica obra de arte, toda música comovente, toda obra literária importante, todo drama poderoso, toda arquitetura surpreendente, é a paixão.

A paixão impele os atletas a quebrar recordes; impulsiona o cientista a descobrir a cura de doenças.

A paixão nos leva a compartilhar o amor de Deus de maneiras criativas e inovadoras com aqueles que estão ao nosso redor.

Deus deseja que nós vivamos de maneira apaixonada.

Fomos criados com a capacidade da paixão porque Deus é um Deus apaixonado, e fomos criados à sua imagem.

Com o objetivo de manter a paixão viva e em crescimento, devemos certificar-nos de alimentá-la com quatro ingredientes principais:

O primeiro e o mais importante: amor.

O amor é o alicerce de uma vida apaixonada e com propósitos.

O combustível que inflama a paixão no casamento e coloca em ação a produtividade no trabalho é o amor; é ele que nos mantém crescendo em nosso relacionamento com Deus. E não Nenhuma obrigação ou obediência legalista.

O próximo ingrediente essencial de uma vida apaixonada é a integridade.

Embora haja diversas definições para esse termo, a integridade é unir aquilo em que acreditamos à maneira como vivemos.

A falta de integridade destrói a paixão na vida.

Nada corrói mais a paixão que dizer que acreditamos em alguma coisa e não a vivermos.

Outro elemento essencial para sustentar a paixão é o perdão.

Nada prejudica mais a paixão que conflitos não resolvidos.

O ressentimento é o grande assassino da paixão.

É por isso que Deus diz que devemos aprender a perdoar uns aos outros.

Se você quer voltar a ter paixão na vida, é preciso aprender a perdoar as pessoas.

Quando carregamos ressentimento, amargura e dor, nossa vida se corrói.

Ninguém perdoou mais que Jesus Cristo. Ele foi a pessoa mais apaixonada do mundo, porque foi a que mais perdoou.

Por fim, precisamos de entusiasmo para manter a paixão na vida.

Entusiasmo significa literalmente “Deus dentro”. Se você quer viver cada dia como se fosse o último, concentre-se em seu relacionamento com Deus.

Amor, integridade, perdão, entusiasmo é a vida apaixonada que recebemos para viver.

Se você tivesse apenas um mês para viver, não é assim que gostaria de viver, sabendo que extraiu o valor de cada Segundo da vida, desfrutando a vida abundante que Deus nos prometeu?

DEVOCIONAL: UM MÊS PARA VIVER! DIA 29 – Morrendo Para Viver

DIA 29 – Morrendo Para Viver

“Nunca tenha medo de confiar um futuro desconhecido a um Deus conhecido” (Corrie ten Boom)

As estatísticas mostram que a morte atinge 100% das pessoas! Você não pode evitá-la; não pode trapacear nem dar um jeito nela.

Quando nosso corpo finalmente se acabar, deixaremos a vida que conhecemos aqui na terra e seremos forçados a entrar no processo seguinte, seja qual for.

Antigamente, ninguém gostava de falar sobre esse assunto, mas há um fascínio cada vez maior em torno daqueles que passam de raspão pela morte e acreditam ter visto o que acontece depois do último suspiro.

Deus colocou você nesta terra por uma razão, e ele tem um plano para sua vida, porém esta vida não é o fim.

A Bíblia é bastante clara em relação a essa realidade. Um dia você deixará de respirar, mas não deixará de viver.

Você viverá para sempre na eternidade. No momento seguinte à sua morte, você sentirá ou a maior celebração ou a maior separação de todos os tempos.

O céu e o inferno são lugares reais, e podemos decidir onde passaremos a eternidade.

Se nosso desejo é experimentar o céu, então devemos viver cada momento aqui na terra preparados para a eternidade.

Você não está realmente pronto para viver até que esteja pronto para morrer.

Basicamente, chegar ao céu tem a ver com quem você conhece. Se você conhece o Filho, você entra; se não conhece, não entra.

O céu é um lugar perfeito para pessoas perfeitas, mas o problema é que não somos perfeitos; todos nós pecamos.

É por isso que Cristo veio para assumir nosso lugar, para que pudéssemos unir-nos a ele no céu um dia.

Isso não significa que o merecêssemos ou que pudéssemos ganhá-la com esforço próprio, mas que, Jesus abriu o caminho para nós.

A Bíblia diz que por causa daquilo que Cristo fez, somos amigos de Deus.

Neste exato momento, se você ainda não fez, pode orar e pedir que Cristo entre em sua vida, perdoe a sua culpa e pecados de seu passado e lhe dê um futuro no céu um dia.

Você não precisa ter medo da eternidade.

Deus o ama mais que você pode imaginar.

É verdade!

Você não pode extrair o máximo de cada momento até saber que a eternidade com Cristo está garantida.

Esse conhecimento o liberta para desfrutar a vida e fazer diferença na vida de outras pessoas.

DEVOCIONAL: UM MÊS PARA VIVER! DIA 28 – Pegadas

DIA 28 – Pegadas

A conscientização do que significa “ser ecologicamente correto” continua a ganhar força.

Queremos ser bons administradores do planeta por causa da responsabilidade que Deus nos confiou em relação à sua criação.

Na mesma medida que procuramos maneiras de aumentar a pegada ecológica, devemos aumentar a pegada espiritual.

Precisamos causar a impressão mais positiva e mais duradoura possível na vida das pessoas.

Para fazer isso, é necessário ter um firme propósito em relação ao tipo de impressão que deixamos.

Do mesmo modo que devemos controlar a emissão de gases tóxicos industriais e diminuir a poluição, devemos lidar com os resíduos que se acumulam em nossa alma.

Pode ser tentador desprezar nossas próprias faltas e deficiências e nos concentrar exclusivamente nos erros alheios. Porém, Deus nos chama a olhar para dentro e examinar nossa própria consciência sem julgar outras pessoas.

Podemos tentar cobrir o lixo da alma, ignorá-lo e fingir que não está ali, mas com isso não eliminamos a poluição que corrói e sufoca nosso coração.

A notícia transformadora da vida é que Jesus Cristo nos perdoa e nos limpa até mesmo do entulho mais oculto.

A boa notícia é que temos esse dom à disposição a cada dia, quer tenhamos 30 dias, quer tenhamos muitos anos pela frente nesta Terra. Se quisermos deixar um legado de graça para aqueles que nos sucederem, temos de começar reconhecendo nossa necessidade pessoal do perdão de Deus.

Ao sentirem o perdão e o amor de Deus pelo presente que é seu Filho, as pessoas muitas vezes estão preparadas para pedir perdão àqueles a quem feriram e estender misericórdia àqueles que as magoaram.

Se julgarmos menos e confessarmos mais nossas próprias deficiências, investiremos num legado eterno: nosso caráter e seu efeito sobre as gerações futuras.

Pedir perdão e admitir que ferimos alguém, e isto nunca será fácil ou natural, quanto gostaríamos.

Mas, se soubéssemos que não teríamos outra oportunidade de acertar o relacionamento, aproveitaríamos todas as possibilidades para expressar nossa tristeza por termos ferido os outros.

Somente a graça de Deus nos permite esquecer as feridas do passado e perdoar os outros.

Somente sua graça pode motivar-nos a deixar de lado o orgulho, a vergonha, a culpa e o arrependimento e pedir que os outros nos perdoem.

Quanto mais colocarmos a prática da graça em nossa vida, maior será o legado que deixaremos.

DEVOCIONAL: UM MÊS PARA VIVER! DIA 27 – Fazendo Um Mundo de Diferença

DIA 27 – Fazendo Um Mundo de Diferença

“A verdadeira medida de um indivíduo é a maneira como ele trata uma pessoa que não lhe fará bem algum” (Ann Landers)

Se você descobrisse que tem apenas um mês para viver e começasse a considerar de que modo poderia deixar um legado global duradouro, poderia sentir-se tentado a pensar: “É tarde demais. Não tenho dinheiro nem poder necessários para fazer diferença neste mundo”.

Mas, nunca subestime o poder de uma pessoa – a habilidade que cada um de nós tem de ser usado por Deus a cada dia para abençoar o resto do mundo.

Raramente encaramos o fato de que temos uma pergunta incômoda no fundo da alma: Como podemos conciliar o fato de vivermos em casas bonitas, termos bons carros e muita comida enquanto bilhões de pessoas vivem hoje com menos de dois dólares por dia?

Não quero fazer você se sentir culpado, mas apenas lembrá-lo de que perdemos a perspectiva.

Perdemos a capacidade de ver além da própria vida por duas razões fundamentais: O desejo humano de controlar o próprio mundo seguro e confortável, e a nossa cultura que nos leva mais a adquirir que a doar.

Se soubéssemos que nosso tempo na terra estivesse esgotando-se, nosso desejo seria fazer tudo o que pudéssemos para impactar os outros.

Não gostaríamos de ter o arrependimento de uma vida mal vivida e voltada para si mesma.

Se de fato soubéssemos que nosso tempo na terra estivesse esgotando-se, nosso desejo seria ter a certeza de que honramos o Deus que amamos, sendo excelentes administradores de tudo o que ele nos concedeu.

Há algum problema em tomar nosso café expresso todos os dias? Em ter coisas bonitas? Em desfrutar as bênçãos em nossa vida? Não. Mas, se quiser sentir a plena Aventura que sua vida tem o propósito de ser, esteja disposto a tomar uma atitude e servir aos necessitados com o amor de Deus.

A Bíblia tem muito a dizer sobre a questão de cuidar das necessidades do pobre.

Somos responsáveis diante de Deus pela maneira como usamos nossas bênçãos para ajudar o pobre e o ferido.

O dinheiro e a maneira como o gastamos também revelam muito sobre quem somos e o que valorizamos.

Deus disse que não há problema em ser abençoado financeiramente, contanto que façamos duas coisas com nosso dinheiro e nossos bens: Desfrutar o que temos, em vez de sempre querer mais, e doar generosamente.

Se fizermos essas duas coisas, cresceremos em maturidade e desfrutaremos um nível de satisfação que o dinheiro jamais pode comprar.

Mas, se armazenarmos nossas bênçãos e consideramos natural o fato de Deus nos dar o que temos, nosso coração ficará endurecido e jamais conseguiremos conciliar as coisas que são mais importantes tanto para Deus quanto para o nosso bem estar!

DEVOCIONAL: UM MÊS PARA VIVER! DIA 26 – Mantendo o Rumo Quando Sua Vida Sofre Um Acidente

DIA 26 – Mantendo o Rumo Quando Sua Vida Sofre Um Acidente

“Ao nascer, você chorava enquanto todos a seu redor sorriam. Viva sua vida de modo que, ao morrer, você sorria e todos a seu redor chorem” (Anônimo)

Não é fácil reunir as peças quando ocorrem os acidentes da vida. Às vezes tudo sai dos trilhos, entramos em rota de colisão e não sabemos como pisar no freio.

Em geral, tudo começa com aquilo que achamos ser apenas falta de tempo. Costumamos pensar que o problema é falha no gerenciamento de tempo. Mas o gerenciamento de tempo é apenas a questão superficial.

Se tivéssemos apenas um mês para viver, provavelmente tentaríamos acertar nossa agenda e buscaríamos as verdadeiras causas do desconforto. Descobriríamos as causas básicas da maioria das colisões da vida.

A colisão de valores é uma das causas.

Você diz que a família é sua maior prioridade, mas o trabalho com frequência tem precedência sobre o tempo que você passa com os familiares.

Você pode dizer que Deus é o número um em suas prioridades, mas a realidade é que ele recebe apenas o que sobra de seu tempo, talento e finanças.

Precisamos definir nosso rumo na vida.

Podemos viajar na direção de Deus ou traçar nosso próprio rumo e tentar fazer as coisas, sozinhos.

Deixaremos um legado duradouro somente quando permitirmos que o Senhor nos dirija. Estamos sempre tentando arrancar o volante das mãos de Deus. Achamos que podemos dirigir melhor que ele.

Temos que aprender a confiar nele o suficiente para dizer: “Eu não sei o que fazer aqui, mas quero fazer o que o Senhor quer mais que qualquer outra coisa. Quero sua vontade. Impeça-me de cometer um erro”.

Quando chegamos a esse ponto, então Deus dirige nosso caminho e nos alinha com os propósitos que tem para nossa vida.

Talvez você se sinta como se sua vida tivesse passado por um acidente, e o que restou dela esteja difícil de ser reconhecido ou restaurado.

Parece que você virou objeto de curiosidade da multidão – uma vida bagunçada para a qual todos olham. Tenho boas notícias: Não é tarde demais para mudar o curso de sua vida!

Deus ainda tem um grande plano para você, mas o primeiro passo é sair do banco do motorista e pedir que ele assuma o volante.

Comece oferecendo a ele o primeiro lugar em todas as decisões e veja sua vida ser transformada.

Deus é o único que pode reconstruir nossa vida e redirecionar nossa vontade quando ela colidir com a vontade dele.