DEVOCIONAL: UM MÊS PARA VIVER! DIA 16 – Descobrindo Seu Propósito na Vida

DIA 16 – Descobrindo Seu Propósito na Vida

Quem sou eu? Esta foi a pergunta que Davi fez a Deus e que está registrada no Salmo 8: 3 – 5.

Quem sou eu? Esta é a pergunta que as pessoas constantemente estão fazendo.

Quem sou eu E Como posso descobrir meu propósito de vida?

Quer você esteja fazendo essa pergunta seriamente pela primeira vez, quer já tenha ponderado sobre ela por muitos anos, o ponto de partida é o mesmo.

Assim como um astrônomo precisa de um telescópio para olhar o céu da noite e entendê-lo, você precisa olhar com mais atenção se quiser de fato compreender quem você é e para o que foi criado, terá de olhar para a Fonte de sua criação.

Fomos criados à imagem de Deus. Logo, existe um Criador.

Os cientistas estimam que haja mais de 125 bilhões de galáxias no universo visível.

Cada uma contém milhões de estrelas. Nossa mente pequena e finita não consegue sequer alcançar tal magnitude.

Se esse é o tamanho apenas daquilo que conhecemos da criação, então: ”Qual será o tamanho do próprio Criador?”

Quando se olha para as complexidades da criação aqui nesta Terra, fica evidente que alguém está por trás de tudo. Um Designer inteligente que criou tudo isso.

Edwin Conklin, professor de biologia da Universidade de Princeton, diz que a probabilidade de a vida ter-se se originado de um acidente é comparável à probabilidade de um dicionário ser resultado de uma explosão numa gráfica.

Se não existe um Criador, então estamos aqui por acidente, uma ocorrência arbitrária da natureza.

Se nós estamos aqui na Terra por mero acaso, então como pode haver propósito na vida?

Hoje em dia, muitas pessoas se esqueceram de seu Criador e, assim, perderam completamente o propósito e o significado da vida.

Elas não estão de fato vivendo, mas apenas existindo. Elas não sabem qual é o seu lugar na vida porque se esqueceram de quem são e, portanto, se esqueceram quem são.

Como começamos, a saber, quem somos na vida?

Não importa o estágio em que estejamos – estudante, jovem adulto, solteiro, casado, pais recentes, pais com filhos casados, avós – todos nós podemos aprender mais sobre a pessoa que Deus nos criou para ser ao nos concentrarmos n’Ele.

À medida que desenvolvemos um relacionamento mais próximo com Deus, nós nos tornamos mais semelhantes a Ele.

Quando vemos nosso Criador como a fonte de quem somos, podemos brilhar mais intensamente que qualquer estrela no céu noturno.

Anúncios

DEVOCIONAL: UM MÊS PARA VIVER! DIA 15 – Revelando o Coração

DIA 15 – Revelando o Coração

Os especialistas dizem que 80% da comunicação é não-verbal. São expressões faciais, gestos com as mãos, linguagem corporal.

Assim, numa conversa telefônica, expressamos apenas cerca de 20% do que desejamos transmitir.

Para expressar seu amor às pessoas importantes de sua vida, é essencial dizer-lhes o que você considera mais importante, que lhes peça perdão e relembre momentos passados juntos.

Você precisa ouvir, talvez pela primeira vez, aquilo que seus entes queridos desejam dizer-lhe.

É preciso esclarecer mal entendidos e restabelecer linhas de comunicação interrompidas.

As pessoas de nossa vida precisam saber o que de fato está motivando nossa comunicação com elas.

Para que os outros realmente entendam nossas intenções, temos de pagar o preço de revelar nosso coração.

Uma maneira vital de abrirmos o coração para aqueles que estão em nossa vida é compartilhar nosso tempo com eles.

Em nossa vida sobrecarregada, muitas vezes tentamos relacionar-nos com as outras pessoas de maneira eficaz, tentando poupar tempo, energia e dinheiro.

Contudo, todas as vezes que fazemos economia de comunicação num relacionamento visando à eficiência, esta se perde.

É preciso tempo para comunicar de maneira eficiente.

Precisamos também aprender a ouvir, antes de abrir a boca para falar alguma coisa.

É comum simplesmente fazermos um gesto com a cabeça e um esforço concentrado para dar a impressão de que estamos prestando atenção quando, de fato, estamos pensando no que vamos dizer em seguida.

Nos relacionamentos, as coisas são sérias demais e não podemos enrolar, falar pelas costas ou deixar de ser honestos.

Você ganha respeito quando fala diretamente.

Os grandes relacionamentos, como as grandes organizações, são construídos com base na confiança, que se constrói ao dizer a verdade.

Quanto mais você disser a verdade, mais cultivará uma atmosfera em que todos podem ser honestos.

Isso facilita a comunicação verdadeira que, por sua vez, constrói um grande negócio, uma grande família ou um grande casamento, pois todas as grandes coisas são construídas sobre o fundamento da confiança.

À medida que compartilhamos a verdade e pedirmos a Deus que abra os canais de comunicação, nossa vida se encherá de relacionamentos gratificantes, transparentes e sólidos.

DEVOCIONAL: UM MÊS PARA VIVER! DIA 14 – Agradecendo às Pessoas de Sua Vida

DIA 14 – Agradecendo às Pessoas de Sua Vida

“A gratidão libera a plenitude da vida. Ela transforma o que temos em suficiente e muito mais. Transforma negação em aceitação, caos em ordem, confusão em clareza. Pode transformar uma refeição num banquete, uma casa num lar, um estranho num amigo” (Melody Beattie)

A maioria das pessoas que sabe que seus dias estão contados e compreende a importância de sensações muitas vezes desprezadas.

Elas sabem o que significaria acordar cada dia com o coração agradecido.

Falamos muito de gratidão em nossa cultura, mas é difícil praticá-la.

A concepção mental de consumo instigada pela mídia e pela propaganda, somada à tendência humana de comparação, impede que alcancemos esse ponto.

A gratidão tem o poder de nos transformar, pois expande nosso coração.

Passamos a ter total consciência dos detalhes que amamos na vida, das coisas simples com as quais nos alegramos e, talvez a principal, das pessoas que Deus colocou em nossa vida.

Resumindo: A gratidão expande nossa capacidade de desfrutar a vida.

A ingratidão tem efeito contrário.

Ela faz nosso coração encolher e esfriar.

Ela bloqueia o fluxo da sabedoria e das bênçãos de Deus em nossa vida.

De fato, o oposto de um coração cheio de gratidão é um coração cheio de insatisfação, queixa, reclamação e negatividade.

Se você tivesse apenas um mês para viver, com certeza gostaria de extrair o máximo desse tempo, sorrir e envolver-se plenamente com as pessoas a que ama, apreciar as pequenas coisas, aquelas que podem parecer tolas para os outros, mas que alegram sua alma, e dar graças a Deus por permitir-lhe experimentá-las.

Pode ser o cheiro de pipoca com manteiga no cinema, a linda vista do topo da montanha, o gosto do frango frito que sua mãe prepara ou a maneira como você sente a mão de uma criança pegando a sua.

Todos nós somos abençoados com momentos preciosos assim em nossa existência sobre a terra.

Agradecer àqueles que estão ao nosso redor simplesmente aumenta o amor deles por nós.

Ao expressarmos nossa gratidão a Deus, aumentamos nossa capacidade de experimentar uma vida plena sem arrependimentos.

DEVOCIONAL: UM MÊS PARA VIVER! DIA 13 – Aparando as Arestas

DIA 13 – Aparando as Arestas

“Lembre-se de que todas as pessoas que você conhece temem alguma coisa, amam alguma coisa e perderam alguma coisa.” – H. Jackson Brown Jr.

Sabe-se que lixar é muito útil no trabalho com madeira ou no acabamento de móveis. Mas, esfregar uma lixa na pele não é muito agradável, além de ser abrasiva e doloroso.

Certamente há pessoas na vida que também causam dor e irritabilidade.

Elas, de fato, nos irritam e nos chateiam.

Pessoas-lixas são parte do plano de Deus para sua vida.

Ele permite que pessoas-lixa entrem em sua vida para transformá-lo numa ferramenta mais afiada para os propósitos dele.

Por mais incômodo e perturbador que possamos considerar o processo, Deus coloca intencionalmente algumas pessoas em nossa vida para nos chatear, para aparar as arestas de nosso caráter e nos tronar mais semelhantes a Jesus.

É parte do plano de Deus fazer com que meu caráter seja mais forte e firme, então, ele permite que as pessoas lixas e a pressão moldem meu caráter.

Deus deseja que você aprenda com as pessoas-lixa de sua vida.

Ele as colocou ali por alguma razão.

Deus nos lembra que devemos ser humildes e confiar nele quando nos virmos agitados por causa da ira, do medo ou da irritação.

Para entendermos os relacionamentos a partir de uma nova perspectiva, precisamos reconhecer o benefício positivo que Deus pretende gerar em nossa vida por meio deles.

Da próxima vez que alguém enfrentar você, pare um instante e faça a Deus algumas perguntas:

O que o Senhor está tentando ensinar?

O que o Senhor está tentando construir em meu caráter?

O que o Senhor está tentando revelar sobre a vida?

Você verá pessoas difíceis de sua vida a partir de uma perspectiva completamente nova não apenas quando percebe que Deus teve um motivo para colocá-las em seu caminho, mas também ao notar que ele teve um motivo quando colocou você na vida delas.

Deus deseja revelar um pouco de seu amor, paciência e misericórdia àquelas pessoas e você pode ser a única face de Jesus que elas venham a conhecer.

Deus deseja surpreende-las com seu amor de uma maneira que só você pode fazer.

DEVOCIONAL: UM MÊS PARA VIVER! DIA 12 – Resolvendo os conflitos por meio de uma luta justa

DIA 12 – Resolvendo os conflitos por meio de uma luta justa

“O oposto do amor não é o ódio, mas a indiferença” (Elie Wiesel)

“Eles podem esquecer o que você disse, mas nunca esquecerão como você os fez sentir-se”. (Carl W. Buechner).

A maioria das pessoas não sabe como resolver conflitos.

O conflito é inevitável nos relacionamentos; quando duas pessoas únicas e imperfeitas se unem, elas simplesmente não concordarão em tudo. Ninguém nos ensina de fato a enfrentar e resolver os impasses que a vida traz, sobretudo na família e no casamento.

A bíblia nos fornece os princípios para uma luta justa. Há uma orientação que parece simples, porém é a mais difícil de seguir: permaneça dentro do ringue e longe das cordas. Às vezes o conflito fica um pouco tenso e confuso, mas em nossos relacionamentos mais importantes é preciso ter coragem suficiente para permanecer no ringue até chegarmos a uma solução, não importa quanto tempo leve. Se realmente amamos alguém, devemos reunir todas as forças para confrontar e sofrer as emoções desagradáveis que surgem com o conflito.

Se lhe restassem poucos dias de vida , você não gostaria de alcançar a paz real com aqueles a quem ama? A única maneira é permanecer no ringue e resolver qualquer conflito antes que seja tarde demais.

No começo de uma luta de boxe, os boxeadores colocam um protetor bucal para servir de anteparo para os golpes. Também devemos colocar uma proteção em nossa boca.

As palavras podem cortar fundo e a ferida permanecer aberta e inflamada por muitos anos.

Devemos dispor-nos a assumir o controle de nossa língua, sobretudo no calor da luta, se quisermos construir um relacionamento que perdure depois do conflito.

Depois de colocar o protetor bucal, a próxima regra básica para uma luta justa é não atacar.

Aprenda a atacar as questões sem atacar o outro. Em vez de atacar tente controlar os sentimentos.

Outra estratégia é evitar trazer coisa do passado para o conflito presente.

Pode ser muito tentador desenrolar a lista de ofensas, injustiças e decepções registradas durante todo o período do relacionamento com a outra pessoa.

Decida concentrar-se na questão imediata e permanecer nela até que chegue a uma solução.

No casamento é fundamental permanecer no ringue, lutar segundo as regras e obter uma solução: “nossa”, ou seja, uma solução boa para ambos e que fortaleça o relacionamento.

DEVOCIONAL: UM MÊS PARA VIVER! DIA 11 – Escalando os Obstáculos Para Chegar à Unidade

DIA 11 – Escalando os Obstáculos Para Chegar à Unidade

“Precisamos orar com os olhos em Deus, não nas dificuldades” – (Oswald Chambers)

“Sei que Deus não me dará nada com o que eu não possa lidar. Só desejo que Ele não me confie coisas demais” – Madre Teresa de Calcutá

O monte Evereste tem mais de 8.800 metros de altura, mas ao alcançar 8.000 metros, entra-se no que os especialistas chamam de zona da morte. Ali, a altitude é elevada demais para sustentar a vida humana. O corpo é incapaz de se aclimatar a um nível tão baixo de oxigênio, de modo que, se permanecer muito tempo na zona da morte, você morre.

Sabemos que, sair do lugar onde estamos e chegar aonde realmente queremos estar, exige uma escalada.

Os conselheiros dizem que existem três montanhas que costumam impedir que haja unidade nos relacionamentos.

A primeira montanha é a da incompreensão.

Outra montanha que devemos escalar nos relacionamentos é a atitude do “eu primeiro”. A atitude do “eu primeiro” leva as pessoas à zona da morte, enquanto nós egoisticamente tentamos chegar ao cume.

A terceira montanha dessa cordilheira rochosa é a mais mortal: a montanha dos erros. Muitos relacionamentos são abandonados para sempre na montanha dos erros.

A Bíblia revela estratégias para tornar as montanhas relacionais pequenas e transponíveis.

Para perseverar e melhorar nossos relacionamentos, devemos nos prender à corda da aceitação.

Um dos nossos maiores problemas nos relacionamentos é que: Sempre tentamos mudar aqueles com quem nos relacionamos.

Aceitar as pessoas significa parar de tentar muda-las e começar a entendê-las.

Com a aceitação, ganhamos tração por meio de ações amorosas. Nada é mais importante para os alpinistas do que a tração das botas. Não adianta nada ter todos os outros equipamentos se você não estiver com o calçado correto.

O ingrediente básico para relacionamentos fortes são as pequenas ações amorosas, todas aparentemente sem importância, mas que significam muito para a outra pessoa.

Todo alpinista sabe também a importância de estar amarrado à rocha para evitar uma queda. É um ponto de conexão seguro que dá proteção.

Em nossos relacionamentos, esse ponto de ancoragem é o perdão. Os melhores relacionamentos são construídos sobre o perdão porque envolvem pessoas imperfeitas que cometem erros.

Deus está mais do que disposto e sempre disponível para nos ajudar a amar os outros como Ele nos ama.

Com o equipamento correto que Deus provê, podemos desfrutar a visão do cume e desfrutar a escalada.