[e-News] “Falso Pastor” Felipe Heiderich, segundo Malta, merece prisão perpétua (vídeo)

Plenário do Senado

Senador Magno Malta relatou em plenário, o drama da pastora Bianca Toledo, que teve o filho de cinco anos, abusado pelo ex-marido, o pastor Felipe Heiderich. Felipe se encontra preso na unidade de Bangu, no Rio de Janeiro. De acordo com o parlamentar, líderes religiosos pediram ao Senador para “expor as verdades com transparência para todo o Brasil”. Magno Malta chegou a classificar Felipe como “falso pastor”.

“Vou fazer um registro doloroso e repugnante a todos nós, cidadãos que amamos a vida. Vossa Excelência sabe da cruzada contra a pedofilia e o abuso de criança que eu comandei nesse país. A minha vida mudou, eu não consigo conviver com um pedófilo. É uma figura asquerosa, enigmática. O pedófilo é uma sombra capaz de enganar a todos”, iniciou.

“Quando eu comandei a CPI da pedofilia, muita gente foi presa no Brasil e a nossa legislação avançou. E nessa minha grande cruzada, eu prendi religiosos, padres e prendi pastores também. Ai ressalvo, não existe padre pedófilo e nem existe pastor pedófilo. Ai alguém me pergunta, ‘nos acompanhamos que padres foram presos e continuam sendo presos e pastores também’. Mas, não existe nem padre e nem pastor pedófilo, o que existe é criminoso e bandido que se valeu da vida sacerdotal para se aproximar de maneira fácil de crianças para poder abusar. E quando um pedófilo agride uma criança e ele é pego, ele foi revelado. Se a investigação for justa e profunda haverá de descobrir uma centena de sofrimentos e de lágrimas e sangue ao longo da vida desse desgraçado”, ressaltou.

“Eu sempre, com muita tristeza e sempre conclamado por lideranças do Brasil inteiro do seguimento evangélico, pastores, líderes de todos os lugares desse país me concitando para que eu fizesse esse pronunciamento por responsabilidade. Porque envolve o nome de pessoas, senador, e eu fui buscar os fatos e o fato é que a pastora Bianca Toledo, casada com o senhor Felipe. Ela descobriu que esse pastor, falso pastor, estava abusando de seu filhinho de cinco anos de idade”, ressaltou.

“Hoje pela manhã falei com a delegada Dra. Cristina. A prisão dele, ele está preso no Rio de Janeiro em uma das unidades de Bangu, foi decretada pelo Dr. Paulo Cesar Vieira Carvalho Filho da Décima Sétima Vara Criminal e eu tenho aqui a decisão do Magistrado.

“O garoto relata todos os fatos, o garoto já foi ouvido por psicólogos. A delegada que tem o caso na mão hoje é a Dra. Cristina, a mesma delegada do caso do abuso coletivo no Rio. Uma mulher linha dura, preparada, sensível como eu e Vossa Excelência. Não admitimos a violência com crianças, não admitimos nem com adultos, mais violência sexual, moral e emocional”, disse.

“Eu sei que ao longo da vida que tenho militado nessa causa que me causa repulsa e revolta porque eu sou cristão eu não cometo a fraqueza de falar em pena de morte, mas nos precisamos ter prisão perpetua nesse país para com esse tipo de gente. Mas abuso de criança, eles são contumazes, por isso eles não podem voltar para a rua”, ressaltou o Senador.

“Então, esse falso pastor, Felipe, foi internado em uma clínica psiquiátrica depois que sua esposa tomou conhecimento do abuso contra seu filho de cinco anos. Algumas ex-funcionárias estavam depondo porque sabiam do comportamento dele com a criança na ausência da mãe. Ele tentou suicídio, foi internado e lá ele confessou o seu abuso e assumiu o seu homossexualismo”, pontuou.

Assista ao vídeo:

[e-News] Bianca Toledo anuncia separação de Felipe Heiderich por caso pedofilia

bianca-toledo

A missionária Bianca Toledo, famosa pela sua experiência de ressurreição, anunciou pelas redes sociais que está se separando do marido, o pastor Felipe Heiderich. Num vídeo em que explica o caso, ela desabafa, afirmando que ele está envolvido com homossexualidade e com pedofilia.

Segundo ela, Felipe fez uma tentativa de suicídio após confessar tudo. Ela levou o caso à justiça e ele agora se encontra acautelado em uma clínica psiquiátrica, diagnosticado com psicose maníaco depressiva, neurose grave e síndrome de múltiplas personalidades. Nos últimos dias, a missionária postou três vídeos, onde relata tudo o que aconteceu com o casal.

No mais recente, postado nesta terça-feira (5), esclarece que está aguardando “a justiça do Céu e a justiça dos homens”. Afirma que, como mãe de filho pequeno, está passando por um dos piores momentos de sua vida. Bianca explica que está sofrendo muito e que o senador Magno Malta, que acompanha a situação iria se pronunciar.

“Eu fui enganada”, afirmou ela, visivelmente emocionada. Explicou aos seus seguidores que continuará levando a palavra de Deus e pediu orações.

Embora não tenha dado maiores detalhes sobre a separação, na descrição do vídeo afirma: “A anulação do casamento foi aceita como legitima diante das provas apresentadas ao juiz e o pedido de prisão foi feito mediante comprovação suficiente”.

Assista ao seu desabafo:

Fonte: GospelPrime

Minha opinião:

Há algum anos, quando conheci a história do ex-casal, fiquei chocado ao ouvir Felipe dizendo que Bianca era resposta de Deus às suas orações feita por anos, enquanto esperava por ela. Por que o espanto? O problema está em que a Bianca estava casada enquanto o Felipe orava por sua futura esposa. Percebem o contrassenso?

Em outras palavras, Deus destruiu o primeiro casamento de Bianca Toledo, afim de liberá-la a se casar novamente com o Felipe. Isso é um absurdo.

Veja o vídeo desse testemunho à partir de 4 minutos:

Está escrito:

Eu odeio o divórcio“, diz o Senhor, o Deus de Israel, e “o homem que se cobre de violência como se cobre de roupas”, diz o Senhor dos Exércitos.” Malaquias 2:16

Deus não age contra a sua Palavra. Guardei essa situação para mim. Descansei no Senhor. E hoje quando vou ler as notícias no Facebook me deparo com a separação do casal “unido por Deus”. Creio que ficou bem claro o equívoco à respeito da vontade de Deus nesse relacionamento.

Infelizmente tudo isso aconteceu e, com muita dor e muito sofrimento, estamos aprendendo mais uma lição através da vida de nossa irmã Bianca. Oremos pelo ex-casal, afim de que Deus venha gerar arrependimento e conversão em Felipe e console o coração de Bianca.

[e-News] Marco Feliciano debate com Felipe Neto e ouve pedido de desculpas

marco-feliciano-e-felipe-neto

No mês passado, Felipe Neto usou o Twitter para atacar o deputado federal Marco Feliciano (PSC/SP). Ao comentar sobre o atentado em Orlando, que matou 50 pessoas em uma boate gay, chamou o pastor de “lixo humano”, responsabilizando-o por propagar o ódio aos gays. A resposta do parlamentar foi chama-lo para um debate ao vivo.

O vídeo desse encontro foi ao ar nesta terça (5) e a versão editada tem 45 minutos, fugindo da tradição do material de curta duração que tornou Felipe um dos youtubers mais populares do país. A expectativa do encontro é que haveria troca de ofensas, algo que o jovem tem costume de fazer. Contudo, ele surpreendentemente pediu desculpas a Feliciano, reconhecendo que não pode confundir uma pessoa com as ideias que ela defende.

Articulado, Neto insistiu que não era “porta-voz” da comunidade LGBT, mas usou de vários argumentos conhecidos do movimento para defender o casamento gay. Por sua vez, Marco precisou usar tanto da Bíblia quanto da Constituição para justificar seu posicionamento tanto como deputado quanto como pastor.

Mostrando não entender exatamente como funcionam os três poderes, o youtuber insistia que os deputados “falharam”, e por isso o STF estaria certo em ter rompido com o preceito constitucional e passado, na prática, a legislar sobre o assunto. Mesmo usando as leis atuais para embasar seus argumentos, Feliciano foi acusado de “misturar as coisas” e usar sua fé como “escudo”.

Ele explicou que seus posicionamentos como deputado não são baseados em opiniões, mas na legislação vigente. Deixou claro ainda que representa os evangélicos, a maior parte de seu eleitorado. Eu falo por esse povo, resumiu.

Felipe, contudo, tentou ensinar teologia ao pastor, fazendo uma dicotomia entre os ensinamentos de Jesus e de Paulo sobre a questão da homossexualidade. Alegou ainda que existe falta de consenso entre os evangélicos sobre o assunto, citando a existência de igrejas “inclusivas”. Curiosamente, tentou classificar alguns ensinamentos da Bíblia como “desaproveitáveis” para os dias de hoje.

O posicionamento do deputado cristão foi alertar para o perigo da jurisprudência aberta pelo Supremo Tribunal Federal ao autorizar que pessoas do mesmo sexo possam realizar união instável. Deixando claro que, pessoalmente, não se opõe à união estável, mas sim ao reconhecimento civil dela. Lembrou ainda que, em outros países, os movimentos LGBT querem forçar as igrejas a realizar cerimonias de casamento gay, algo inaceitável para ele.

A maior parte do vídeo mostra Felipe Neto e Marco Feliciano debatendo sobre pontos de vista religiosos sobre os gays. Em determinado momento, o pastor fez uma declaração controversa, dizendo que quem usa Levítico para pregar contra o casamento gay “é ignorante”. Mencionou ainda conhecer vários homossexuais e que a maioria optou por isso após terem sido abusados ou passado por sérios problemas na vida.

A homossexualidade é ensinada. Ensine a criança o caminho que se deve andar, que ela vai andar por ele, resumiu. O parlamentar voltou a repetir que não é homofóbico, lembrando que não mata e nem ofende pessoas LGBT.

Na parte final da conversa, o tema foi a acusação de Felipe Neto que “a igreja virou negócio” e por isso deveria pagar impostos, algo que é anticonstitucional. Citando a experiência no bairro carioca onde nasceu e cresceu, o youtuber tentou colocar todos os pastores na vala comum de “aproveitadores da fé alheia”.

O deputado lembrou a ele que essa não é a regra e que as igrejas são responsáveis por uma série de programas de cunho social. Além disso, essa intervenção do Estado nas instituições religiosas como “auditorias” fere o princípio do Estado laico.

Felipe Neto encerrou a entrevista, dizendo: “foi esclarecedor, foi interessante, supreendente em alguns pontos”. Diferentemente de Gregório Duvivier, que se negou a debater quando foi convidado por Feliciano durante o programa Pânico.

Assista:


Fonte: GospelPrime

[Apostasia] Igreja Batista decide em assembléia aceitar homossexuais no rol de membros

image004

Vejam a carta do Pastor abaixo:

E assim caminhamos para o fim. Até que ponto chegamos?
Esse não é ainda o ponto final da história.
“Um Caminho ainda mais excelente. ”
I Coríntios 12:28

No último dia 28 de fevereiro do ano em curso, a Igreja Batista do Pinheiro reunida em assembleia extraordinária, aprovou por maioria absoluta de votos (129 favoráveis, 3 contrários e 15 abstenções) o parecer da diretoria executiva 2015 e 2016, que sugeria a aceitação de pessoas homoafetivas como membros da igreja por batismo, carta de transferência e aclamação. Desta forma, corajosamente os membros presentes na assembleia decidiram de forma histórica que qualquer pessoa que confesse Jesus de Nazaré como Senhor e Salvador da sua vida, independente da sua condição social, econômica e sexual será recebida formalmente no rol de membros da igreja.

Celebro esta decisão histórica com muito temor no coração, uma vez que a mesma encerra um debate de 10 anos, onde estudos bíblicos, encontros, mesas redondas, embates, debates e é obvio alguns arranhões (não teria como ser diferente) aconteceram no desenrolar deste período. Durante estes 10 anos fizemos questão de não abrir mão da Bíblia, pois, a mesma continua sendo nossa regra de fé e prática; mergulhamos o mais profundo que pudemos nos estudos exegéticos e hermenêuticos em busca de um consenso que trouxesse paz ao coração na hora de decidir.

Também, não abrimos mão do respeito às opiniões divergentes, exercitando a paciência e crendo que no tempo determinado pelo Espírito Santo de Deus (Eclesiastes 3:1) as ideias, os olhos e os corações seriam abertos para enxergar o real sentido do debate, que constituía em aceitar e amar as pessoas nas suas particularidades, como o próprio Deus nos amou (Efésios 1:18 e 2:4,5).

Nestes quase 46 anos de organização como igreja, nossa comunidade de fé sempre procurou estar atenta e sensível às vozes daqueles que não conseguem ter voz, nem ser ouvidos pela maioria, principalmente do mundo religioso formal. Lamentavelmente, constato numa rápida análise que com o passar dos tempos, o cristianismo e na maioria das suas igrejas se apegaram apaixonadamente muito mais por suas doutrinas, estruturas e estatutos do que pelas vidas/pessoas pelas quais Jesus de Nazaré derramou seu sangue. Tijolos, estatutos, estruturas e tantas outras coisas que geram disputas infindáveis em nosso meio, precisam dar espaço urgente ao grito silencioso do Espírito de Deus que tenta nos lembrar que não fomos chamados para ser régua do mundo, e sim, braços aconchegantes para todos e todas que estão cansados à beira do caminho (Mateus 11:28-30).

Depois de 10 anos discutindo, conversando, orando, chorando e não se deixando vencer pela força coercitiva do fundamentalismo machista e excludente que sempre predominou em nossas leituras e interpretações da Bíblia, recebo esta decisão como uma boa nova do Espírito de Deus que nos mostrou, nas palavras de Helcias Pereira (Coordenador Nacional das APNs), que nos visitava na manhã da decisão: “que nem sempre a arrogância, a ignorância e a estupidez humana prevalecem em relação aos desafios de aceitação ao que é diferente ou mesmo inusitado.” Como diria na mesma manhã da decisão, o irmão Jorge Firemam: “Agradeço a Deus por estar aqui neste dia. Pois para mim era uma questão de honra me fazer presente. O resultado da votação não é apenas pelos “meninos” ou pelas “meninas”, o resultado representa a verdadeira importância do amor e do respeito ao próximo” (Mateus 22:34-40; I João 4: 7-21).

10 anos não são 10 dias ou meses, durante este longo tempo muita gente deu sua preciosa contribuição, costurando com oração, amor e lágrimas a decisão do último domingo. Louvo a Deus pela vida do irmão Júlio Daniel que corajosamente há 10 anos, de forma pura e até inocente declarou sua condição sexual publicamente na igreja, gerando na ocasião, desconforto para alguns e desafio para outros que a partir daquele momento começaram a considerar o tema de forma mais didática e pedagógica em oração. Louvo a Deus por aqueles que não concordando com os debates e os encaminhamentos sobre a temática deixaram a igreja de forma respeitosa e pacífica sem provocar dissenções e dificuldades para comunidade de fé. Louvo a Deus pela vida dos nossos líderes eleitos da gestão 2015 e 2016 que de forma discreta, corajosa e temente ao Senhor Deus produziram um parecer equilibrado e robusto que levou a comunidade a aprová-lo com paz no coração. Louvo a Deus pela nossa pastora e teóloga Odja Barros, que sempre esteve disposta a escrever, pregar e apresentar seminários sobre a temática, sempre a convite da diretoria da igreja, demonstrando equilíbrio, respeito, imparcialidade e um temor ao Senhor Deus que arrebatou nosso povo em vários momentos com a Bíblia aberta e regada de lágrimas. Louvo a Deus por aqueles e aquelas que nestes 10 anos não arredaram o pé da igreja, em detrimento dos debates sobre a temática, sustentando a igreja em oração, recursos e acima de tudo protegendo a comunidade dos ataques e acusações covardes que muitos tentaram colar em nossa história. Parabéns para todos e todas que que fizeram e fazem a história recente da Igreja Batista do Pinheiro por mais esta decisão corajosa, que se soma à prateleira de decisões históricas importantes para a Igreja Evangélica Nordestina e Brasileira.

Mais que uma decisão histórica, nos alegramos como comunidade de fé em darmos mais um passo rumo ao exercício do que acreditamos ser a proposta de Reino de Deus apresentada por Jesus de Nazaré como sendo um espaço de amor, respeito e acolhimento a todos e todas que desejem fazer parte e vivenciar o evangelho. Nas palavras do pastor e teólogo Marcos Monteiro, todo tipo de preconceito, exclusão, racismo, sexismo, machismo, desrespeito ao diferente e ganância precisam ser denunciados como um “desangelho” (não evangelho).

No final do capítulo 12 do livro de I Coríntios, o apóstolo Paulo, após versar sobre os dons espirituais e comparar a igreja com um corpo e seus membros, utiliza as seguintes palavras para introduzir a temática do capítulo 13 que trata do amor: “Passo agora a mostrar-lhes um caminho ainda mais excelente ” (verso 31b). Creio que a decisão do último domingo aponta a direção que a comunidade de fé chamada Igreja Batista do Pinheiro, pretende continuar seguindo que é tentar se manter de forma radical no caminho ainda mais excelente, que é o caminho do amor. Podemos errar, e vamos errar, somos humanos e imperfeitos. Entretanto, minha oração é que nossos erros sejam sempre numa tentativa insistente de se parecer cada vez mais com a proposta de graça e vida inaugurada e vivenciada em todo ministério do Senhor Jesus de Nazaré. Que possamos vir a errar, mais que nossos erros sejam por defender a vida acima de toda e qualquer injustiça, que nossa obsessão seja a mesma de Jesus de Nazaré que em vários momentos da sua breve vida, colocando-se ao lado dos excluídos do seu tempo trocou de lugar com os mesmos, sendo expulso do convívio social (Marcos 5: 14-17). O caminho do amor não é romântico, é duro muitas vezes, mas para quem crer e não abre mão de amar, qualquer preço a pagar é pequeno diante do que o poder do mesmo pode produzir na vida daqueles e daquelas que são alvo deste maravilhoso amor de Deus.

Maceió, 04 de março de 2016
Pr. Wellington Santos

Fonte: Veja Tudo

Minha opinião

Desde a Igreja Primitiva, sempre existiram homossexuais no Rol de Membro das Igrejas. Como Paulo mesmo deixa claro. Está escrito:

“Vocês não sabem que os perversos não herdarão o Reino de Deus? Não se deixem enganar: nem imorais, nem idólatras, nem adúlteros, nem homossexuais passivos ou ativos,
nem ladrões, nem avarentos, nem alcoólatras, nem caluniadores, nem trapaceiros herdarão o Reino de Deus.
Assim foram alguns de vocês. Mas vocês foram lavados, foram santificados, foram justificados no nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito de nosso Deus.” 1 Coríntios 6:9-11

No entanto, como Paulo deixa claro, eles abriram mão da pratica condenada pelo Senhor e, assim, foram batizados e recebidos no Reino!

Por mais que tentem conciliar o politicamente correto com as Sagradas Escrituras, não há salvação sem arrependimento de pecado! Isso implica mudança, renuncia, abnegação, afim de que com o corpo possamos também glorificar a Deus!

A atitude dessa Igreja demonstra que realmente estamos perto do fim, pois a Apostasia é um dos últimos sinais antes do retorno de Jesus!

Maranata, ora vem Senhor Jesus!

[Assunto Polêmico] Por que o Natal é uma celebração cristã e bíblica

Natal

Muitos cristãos — talvez por falta de conhecimento — têm dito que o Natal é uma festa pagã, em razão de o catolicismo romano ter oficializado o dia 25 de dezembro como data de celebração do nascimento do Senhor, a fim de agradar grupos pagãos, no século IV. Ademais, eles afirmam que não há registro nas Escrituras de que o aniversário de Jesus tenha sido celebrado após o seu nascimento. E que, por isso, devemos celebrar apenas a morte do Senhor, obedecendo ao que está escrito em 1 Coríntios 11.23-34.

Em primeiro lugar, em 1 Timóteo 3.16 está escrito: “E, sem dúvida alguma, grande é o mistério da piedade: Aquele que se manifestou em carne foi justificado em espírito, visto dos anjos, pregado aos gentios, crido no mundo e recebido acima, na glória”. Neste versículo se exalta a obra redentora do Senhor Jesus como um todo, mostrando que devemos glorificá-lo por seu glorioso nascimento (ou encarnação), por sua morte expiatória e por sua ressurreição para a nossa justificação.

Não há dúvida nenhuma, à luz da Bíblia, de que o Natal é uma celebração genuinamente cristã, que transcende o paganismo. Ela não foi inventada pela Igreja Católica Apostólica Romana, como muitos têm dito, erroneamente. Essa grande festa de louvor a Jesus Cristo, com ênfase ao seu glorioso nascimento, tem, sim, o abono das Escrituras. E estas nos apresentam pelo menos duas celebrações do Natal de Cristo, em momentos distintos.

Em Lucas 2.8-20 vemos a primeira celebração do Natal de Cristo, que ocorreu na noite do seu nascimento. Anjos glorificaram a Deus pela encarnação do Verbo (Jo 1.1-14), e pastores que estavam no campo, ao receberem dos anjos “novas de grande alegria”, celebraram o Natal juntamente com o Menino Jesus, que ainda estava numa manjedoura.

Quando Jesus possivelmente completou dois anos de idade — ou seja, em um momento diferente do seu nascimento —, o Natal de Cristo também foi celebrado, desta vez com a presença dos magos do Oriente. Estes, diferentemente dos pastores, não visitaram o Menino quando Ele era um recém-nascido, como vemos nos presépios feitos pelo catolicismo romano, e sim quando Ele estava em uma casa.

Em Mateus 2.11 está escrito: “E, entrando na casa, acharam o menino com Maria, sua mãe, e, prostrando-se, o adoraram; e, abrindo os seus tesouros, lhe ofertaram dádivas: ouro, incenso e mirra”. Ao visitarem o Menino, aqueles estudiosos dos astros sabiam que Ele já tinha em torno de dois anos de idade, pois Herodes Magno, depois de chamá-los e inquirir “exatamente deles acerca do tempo em que a estrela lhes aparecera” (v. 7), “mandou matar todos os meninos que havia em Belém e em todos os seus contornos, de dois anos para baixo, segundo o tempo que diligentemente inquirira dos magos” (v. 16).

Diante do exposto, que não nos esqueçamos de que a obra redentora realizada pelo Senhor Jesus Cristo não se restringe à sua morte. Ela, na verdade, está em um tripé: encarnação, crucificação e ressurreição. Se Cristo não tivesse nascido para revelar a glória do Pai (Jo 1.14), não teria morrido para nos resgatar de nossa vã maneira de viver (1 Pe 1.18,19). E, se não tivesse morrido, não teria ressuscitado para a nossa justificação (Rm 4.25). Preguemos o Evangelho de Cristo, celebremo-lo por seu Natal, glorfiquemos o seu nome, independemente da data! Aproveitemos, pois, esse período do ano para apresentar ao mundo o verdadeiro sentido do Natal! Lembremos de que o apóstolo Paulo, em Atenas, aproveitou-se do altar erigido ao “DEUS DESCONHECIDO” para falar do verdadeiro Deus (At 17.22-31).

Ciro Sanches Zibordi

[e-News] Dilma fala sobre a IMPLANTAÇÃO DO CHIP no Brasil, VEJA!

dilmabesta

O vídeo que você vai ver a seguir sobre o pronunciamento dado pela presidenta Dilma no dia 11 de março, causou um certo reboliço na população brasileira e no povo cristão em geral. Para alguns a implantação do chip para facilitar a vida do povo é o início da “marca da besta”, para a Dilma é o resumo de todos os documentos em um só.

A presidenta não explica de forma detalhada sobre como será a implantação do chip, como será feito o procedimento de unificação de todos os documentos. Pelas palavras e gestos da presidenta Dilma que você vai poder ver no vídeo abaixo, aparentemente ela fala de um cartão com chip que receberá todas as informações do indivíduo, mas por ela não detalhar melhor a sua ideia, levantou-se a dúvida e o julgamento de muitos religiosos sobre o assunto.

Ela conta que a ideia está sendo estudada, mas será realizado em breve segundo o discurso da presidenta. Assista e entenda:

SUPLEMENTO