DEVOCIONAL: UM MÊS PARA VIVER! DIA 11 – Escalando os Obstáculos Para Chegar à Unidade

DIA 11 – Escalando os Obstáculos Para Chegar à Unidade

“Precisamos orar com os olhos em Deus, não nas dificuldades” – (Oswald Chambers)

“Sei que Deus não me dará nada com o que eu não possa lidar. Só desejo que Ele não me confie coisas demais” – Madre Teresa de Calcutá

O monte Evereste tem mais de 8.800 metros de altura, mas ao alcançar 8.000 metros, entra-se no que os especialistas chamam de zona da morte. Ali, a altitude é elevada demais para sustentar a vida humana. O corpo é incapaz de se aclimatar a um nível tão baixo de oxigênio, de modo que, se permanecer muito tempo na zona da morte, você morre.

Sabemos que, sair do lugar onde estamos e chegar aonde realmente queremos estar, exige uma escalada.

Os conselheiros dizem que existem três montanhas que costumam impedir que haja unidade nos relacionamentos.

A primeira montanha é a da incompreensão.

Outra montanha que devemos escalar nos relacionamentos é a atitude do “eu primeiro”. A atitude do “eu primeiro” leva as pessoas à zona da morte, enquanto nós egoisticamente tentamos chegar ao cume.

A terceira montanha dessa cordilheira rochosa é a mais mortal: a montanha dos erros. Muitos relacionamentos são abandonados para sempre na montanha dos erros.

A Bíblia revela estratégias para tornar as montanhas relacionais pequenas e transponíveis.

Para perseverar e melhorar nossos relacionamentos, devemos nos prender à corda da aceitação.

Um dos nossos maiores problemas nos relacionamentos é que: Sempre tentamos mudar aqueles com quem nos relacionamos.

Aceitar as pessoas significa parar de tentar muda-las e começar a entendê-las.

Com a aceitação, ganhamos tração por meio de ações amorosas. Nada é mais importante para os alpinistas do que a tração das botas. Não adianta nada ter todos os outros equipamentos se você não estiver com o calçado correto.

O ingrediente básico para relacionamentos fortes são as pequenas ações amorosas, todas aparentemente sem importância, mas que significam muito para a outra pessoa.

Todo alpinista sabe também a importância de estar amarrado à rocha para evitar uma queda. É um ponto de conexão seguro que dá proteção.

Em nossos relacionamentos, esse ponto de ancoragem é o perdão. Os melhores relacionamentos são construídos sobre o perdão porque envolvem pessoas imperfeitas que cometem erros.

Deus está mais do que disposto e sempre disponível para nos ajudar a amar os outros como Ele nos ama.

Com o equipamento correto que Deus provê, podemos desfrutar a visão do cume e desfrutar a escalada.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s