A “Lei” da “Graça” – O “Princípio” das “Aplicações”

A Lei da Graça – O Princípio das Aplicações

Um querido amigo de longa data, homossexual, enviou-me o link do texto abaixo para reflexão. Achei interessante postá-lo juntamente com a resposta sábia de um instrumento de Deus, para que todos venhamos a refletir e saber argumentar e, com amor, ensinar os que precisam entender a Soberana e Imutável Vontade de Deus. Boa leitura!

Texto

Digo isso a propósito de uma carta dirigida a Laura Schlessinger, conhecida locutora de rádio nos Estados Unidos que tem um desses programas interativos que dá respostas e conselhos aos ouvintes que a chamam ao telefone. Recentemente, perguntada sobre a homossexualidade, a locutora disse que se trata de uma abominação, pois assim a Bíblia o afirma no livro de Levítico 18:22. Um ouvinte escreveu-lhe então uma carta que vou transcrever:

“Querida doutora Laura, muito obrigado por se esforçar tanto pra educar as pessoas segundo a lei de Deus. (…) Mas, de qualquer forma, necessito de alguns conselhos adicionais de sua parte a respeito de outras leis bíblicas e sobre a forma de cumpri-las: gostaria de vender minha filha como serva, tal como o indica o livro de Êxodo 21:7. Nos tempos em que vivemos, na sua opinião, qual seria o preço adequado?

O livro de Levítico 25:44 estabelece que posso possuir escravos, tanto homens quanto mulheres, desde que não sejam adquiridos de países vizinhos. Um amigo meu afirma que isso só se aplica aos mexicanos, mas não aos canadenses. Será que a senhora poderia esclarecer esse ponto? Por que não posso possuir canadenses?

Sei que não estou autorizado a ter qualquer contato com mulher alguma no seu período de impureza menstrual (Levítico 18:19, 20:18 etc.). O problema que se me coloca é o seguinte: como posso saber se as mulheres estão menstruadas ou não? Tenho tentado perguntar-lhes, mas muitas mulheres são tímidas e outras se sentem ofendidas.

Tenho um vizinho que insiste em trabalhar no sábado. O livro de Êxodo 35:2 claramente estabelece que quem trabalha aos sábados deve receber a pena de morte. Isso quer dizer que eu, pessoalmente, sou obrigado a matá-lo? Será que a senhora poderia, de alguma maneira, aliviar-me dessa obrigação aborrecida?

No livro de Levítico 21:18-21 está estabelecido que uma pessoa não pode se aproximar do altar de Deus se tiver algum defeito na vista. Preciso confessar que eu preciso de óculos para ver. Minha acuidade visual tem de ser 100% para que eu me aproxime do altar de Deus?

Eu sei, graças a Levítico 11:6-8, que quem tocar a pele de um porco morto fica impuro. Acontece que adoro jogar futebol americano, cujas bolas são feitas de pele de porco. Será que me será permitido continuar a jogar futebol americano se usar luvas?

Meu tio tem um sítio. Deixa de cumprir o que diz Levítico 19:19, pois que planta dois tipos diferentes de semente ao mesmo campo, e também deixa de cumprir a sua mulher, que usa roupas de dois tecidos diferentes -a saber, algodão e poliéster. Será que é necessário levar a cabo o complicado procedimento de reunir todas as pessoas da vila para apedrejá-la? Não poderíamos queimá-la numa reunião privada?

Sei que a senhora estudou esses assuntos com grande profundidade de forma que confio plenamente na sua ajuda. Obrigado de novo por recordar-nos que a palavra de Deus é eterna e imutável”.

Rubem Alves, na Folha de S.Paulo.

Resposta

“Brilhante o texto! Quem nunca teve essas dúvidas? Se Deus é o mesmo ontem, hoje e eternamente, porque em tempos antanhos determinadas coisas eram proibidas e hoje em dia não mais?

A meu ver a resposta é um tanto quanto simples: a sociedade evolui. A Bíblia, no que diz respeito a exigência de conduta em distintas circunstâncias, pode ser analisada, a grosso modo, em um amontoado de princípios e aplicações.

A meu ver, os princípios seriam imutáveis, as aplicações não.

Temos muitos exemplos, entre eles, o fato de o povo judeu não poder comer carne de porco: princípio imutável = integridade física (saúde) do povo. Aplicação = não ingestão de carne de porco. Atualmente, essa aplicação insubsiste, visto que temos meios muito eficazes de sanar as doenças desse tipo de carne antes de sua ingestão, mas o princípio da integridade fisíca do ser humano persiste.Seria o mesmo, nos dias atuais, a questão do semáforo. Qual é o principio que rege a imposição do semáforo? Proteção e segurança. Qual a aplicação? obedecer às luzes do semáforo. Porém, às 3 da manhã, em uma pista vazia, a aplicação para o princípio da proteção e segurança é passar o sinal, ainda que esteja vermelho. (A aplicação MUDA, mas o Princípio PERMANECE)

Concluindo, as vicissitudes sociais mudam as hipóteses de aplicação dos princípios bíblicos que são imutáveis.

A questão de antigamente poder comprar escravo e atualmente não, não quer dizer que a Bíblia mudou. A Bíblia existe para preservar a vida humana, seja ela natural quer seja e, principalmente, espiritual. A questão é que desde a origem, a sociedade aceitava o ser humano como objeto comercial (escravo) e isso perdurou até meados do século XIX no Brasil. Deus gostava que o alguns homens fossem feitos de escravos? Tenho convicção que não, mas se o pensamento social era aquele, O Espírito Santo de Deus buscava passar para nós, inspirando Moisés e Paulo, o melhor proceder de um cristão ante aquela prática social deplorável(Ef. 6.5-9).

O princípio bíblico que se aproxima dessa situação da escravidão seria o servir uns aos outros independente de sermos servos ou senhores (patrão ou empregado), visto que Deus não faz acepção de pessoas. Que os servos sirvam como que estivéssemos servido a Cristo e que os senhores saibam que o verdadeiro senhor é Cristo, logo somos todos servos. O princípio imutável seria esse(“somos todos servos“). A aplicação à epoca de Paulo? O bom proceder tanto do servo como do senhor, pois assim era configurada a relação de trabalho = escravidão. Atualmente, é pela carteira de trabalho e pela CLT. O princípio não mudou(continuamos todos servos), mas a aplicação sim. Não tendo mais escravidão, se Paulo nos escrevesse agora diria para que observássemos a CLT e a CF juntamente com o princípio descrito no inicio desse parágrafo.

Porém, há evoluções sociais que o Espírito Santo nos constrange em não aceitá-las, como seria o caso do homosexualismo. Princípio bíblico imutável = respeito à criação de Deus, pureza, santificação. Deus criou homem para a mulher e a mulher para o homem e instituiu o casamento para que ambos fossem uma mesma carne e se multiplicassem(necessidade de um casal para isso ocorrer). Aplicação do princípio = homem nao pode ficar com homem nem mulher com mulher, nem mesmo homem com animal, etc. Atualmente, a aplicação é a mesma. Não há um consenso que nos induza a uma diferente aplicação desse princípio.

O argumento da parte de lá é o amor ao parceiro. Mas o principio bíblico imutável, antes de todas as coisas, é o amor a Deus (que nos induz a renunciar a carne, o erro, o pecado e fazer a sua vontade).

Minha humilde e resumida opinião sobre o texto. Penso muitas outras coisas, mas aí seria abusar do espaço.”

Por Josué L. Silva
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s