[Estudo Bíblico] Desafios da Educação Materialista

LEITURA BÍBLICA

Provérbios 22

6 – Instrui o menino no caminho em que deve andar, e, até quando en­velhecer, não se desviará dele.

Efésios 6

4 – E vós, pais, não provoqueis a ira a vossos filhos, mas criai-os na doutrina e admoestação do Senhor.

Salmos 119

 9 – Como purificará o jovem o seu caminho? Observando-o conforme a tua palavra.

10 – De todo o meu coração te bus­quei; não me deixes desviar dos teus mandamentos.

11- Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti.

12 – Bendito és tu, ó SENHOR! Ensi­na-me os teus estatutos.

INTRODUÇÃO

Um dos maiores desafios da Igre­ja, nestes dias trabalhosos e difíceis, é a educação materialista, secularizada e relativista que vai, desde o ensi­no fundamental até à universidade. As crianças, adolescentes e os jovens são alvos dessa educação permeada de falsas filosofias e enunciados con­trários às Sagradas Escrituras.

I. O ENSINO OFICIAL EM NOSSO PAÍS TENDE AO MATERIALISMO

1. A educação sexual.

A maio­ria dos pais desconhece o que os seus filhos aprendem sobre sexualidade nas escolas. Trata-se, via de regra, de um ensino antibíblico e pecaminoso. A educação sexual, com base na pu­reza das Sagradas Escrituras, é dever da família e dos educadores realmente cristãos que, na Bíblia, têm a única regra de fé e prática.

2. A Nova Era nas escolas.

A Nova Era é a religião do Anticristo. Esse movimento vem entrando sorrateiramente nas escolas, onde as crianças são levadas a praticar ritos pagãos e técnicas de relaxamento, que muitos males psicológicos, emocionais e espirituais causam aos nossos filhos, levando-os a perder a capacidade de discernir entre o certo e o errado.

II. AS CRIANÇAS SÃO ALVOS PREFERENCIAIS DA EDUCAÇÃO MATERIALISTA

1. O ateísmo incutido na mente infantil.

Quando o comunismo estava no auge, principal­mente no leste europeu, sua dou­trina era ensinada sistematicamen­te a partir das crianças. Em nosso país, o ensino materialista vem pre­dominando, especialmente nas áre­as de Ciências e História, incutindo na mente das crianças a descrença em Deus por meio da falsa teoria do evolucionismo.

2. Crianças ameaçadas pelo materialismo.

As crianças são alvos fáceis do materialismo ateu. Existe um plano diabólico orquestrado con­tra elas. Há países em que as crian­ças não podem sequer agradecer a Deus pelo lanche na hora do recreio.

Os pais cristãos precisam estar mais atentos e orar constantemente por seus filhos. Com sabedoria, ve­rifique quem são os seus professo­res, qual a linha pedagógica da es­cola e o que estão aprendendo, pois é grande a influência do materialis­mo por toda parte. É por isso que a Bíblia adverte-nos a ensinar as cri­anças no caminho em que devem andar (Pv 22.6; Jz 13.8,12).

3. O que a Bíblia ensina so­bre a educação das crianças?

a) No Antigo Testamento as crianças eram Valorizadas. Elas parti­cipavam do louvor a Deus ao lado dos adultos. No Salmo 148, os ve­lhos, os rapazes, as donzelas e as crianças são exortados a louvar a Deus. As mulheres e os meninos ale­gravam-se durante os eventos sa­grados (Ne 12.43).

b) No Novo Testamento as crianças foram apresentadas como exemplo. Jesus foi extremamente cuidadoso com as crianças. Certa vez, o Mestre indignou-se e repreendeu seus discípulos por afastarem-nas de sua presença. Asseverou-lhes: “Deixai vir os pequeninos a mim e não os impeçais, porque dos tais é o Reino de Deus” (Mc 10.14). Os pais cristãos devem, com graça e conhe­cimento bíblico, fazer tudo o que estiver ao seu alcance, a fim de que seus filhos sigam a Jesus.

c) As crianças devem ser ensinadas a caminhar com Cristo. Muitos cristãos não cumprem a ordenança do Senhor em relação às crianças. É preciso cuidar delas (Jo 21.15), e remover qualquer obstáculo que as impeça de caminhar com Cristo (Lc 18.16). Ver também Pv 22.6; Ef 6.4.

SUPLEMENTO – VÍDEO

Vejam no vídeo abaixo o grau de controle na educação contra as evidências científicas da existência de Deus!

EXPULSO – NENHUMA INTELIGÊNCIA PERMITIDA

III. ADOLESCENTES E JOVENS AMEAÇADOS

1.A adolescência.

É a idade que vai do final da infância à juven­tude. A maior parte dos crentes que se desviam do evangelho de Cristo está nessa faixa etária, pois são atra­ídos irresistivelmente pelo mundo. De acordo com as amizades que eles cultivam, podem ter sua personali­dade bem formada, ou deformada. Ler 1 Co 15.33; Rm 16.17; 2 Co 6.14-17. Muitos deles têm como ícones pessoas destituídas do Rei­no de Deus.

2. A juventude.

Em certas es­colas e faculdades, o ensino materi­alista visa incutir na mente dos jo­vens idéias ateístas e anticristãs. Entretanto, o jovem cristão, mais do que os outros, tem a seu dispor re­cursos valiosos para suas decisões. Ele tem a Palavra de Deus e a comu­nhão da Igreja de Cristo para que o orientem em todos os seus cami­nhos (Sl 119.9, 105).

3. Os “pontos de apoio”.

A família, a igreja e os amigos crentes. servem como sustentação para os adolescentes e jovens. Esses “pon­tos de apoio” são muito importantes e podem marcar toda a sua trajetória na busca de um futuro promis­sor. Quando os adolescentes cristãos encontram, na igreja, pessoas de sua idade que temem a Deus, tudo co­meça a caminhar no rumo certo (Sl 119.63). É a promessa divina.

4. Perigos na formação espiritual.

A formação espiritual co­meça no lar. Se o adolescente e o jovem tiverem uma firme base es­piritual na família, poderão encarar, sem medo, a onda de materialismo que varre as escolas seculares. A igreja local pode muito ajudar nes­se particular. É nas escolas secula­res que se ensina a “teoria da evo­lução”, negando o criacionismo bí­blico. Ao mesmo tempo, fazem apo­logias ao homossexualismo e a ou­tros comportamentos condenados pela Bíblia Sagrada. Daí a importân­cia do ensino religioso no lar. A Bíblia diz: “Lâmpada para os meus pés é a tua palavra; e luz para o meu caminho” (Sl 119.105).

5. Amizades perigosas.

Jo­vens e adolescentes cristãos correm o risco de ser envolvidos por ami­zades ímpias. Muitos caem em ar­madilhas, envolvendo-se com dro­gas, sexo ilícito e violência. É preci­so saber escolher os amigos. Diz o salmista: “Companheiro sou de to­dos os que te temem e dos que guar­dam os teus preceitos” (Sl 119.63). Por incrível que pareça, até nas igre­jas, há amizades perigosas. Há pes­soas que não se converteram verdadeiramente, influenciando os sim­ples ao pecado. Pais e pastores, es­tejamos alertas.

6. Perigos dentro de casa na internet, nos filmes e novelas condenáveis.

Há muitos adolescentes, jovens (e até adultos) que se tor­nam viciados e escravos da internet. Não oram, não lêem a Bíblia, não freqüentam a Escola Dominical, pois deixaram-se escravizar por cenas e imagens geradas no próprio inferno. Cuidado com as visitas aos chats, blogs e flogs. Use a internet com dis­cernimento e temor a Deus.

IV. UMA PERSPECTIVA DE VITÓRIA

1. As portas do inferno não prevalecerão.

Respondendo aos discípulos sobre a sua identidade messiânica, Jesus afirmou: Eu “edificarei a minha igreja, e as por­tas do inferno não prevalecerão con­tra ela” (Mt 16.18). Ao longo dos sé­culos, “as portas do inferno” têm combatido fortemente os arraiais dos cristãos, mas não têm prevalecido, nem haverão de prevalecer. Aleluia!

2. Temos uma poderosa arma­dura para vencer.

Com a armadura espiritual a criança, o adolescente, o jovem e o adulto podem vencer os de­safios do materialismo nas escolas e onde quer que ele se apresente (Ef 6.10-1 7). Com o poder de Deus, “somos mais do que vencedores” (Rm 8.37-39).

CONCLUSÃO

Esperamos que essas reflexões despertem os servos de Deus contra os terríveis perigos que rondam e as­saltam especialmente as crianças, ado­lescentes e jovens, através dos ensi­nos materialistas e ateus ministrados.

[Estudo Bíblico] Os Efeitos do Mundanismo na Família

LEITURA BÍBLICA

Gênesis 2.18, 21-24.

18 – E disse o SENHOR Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma adjutora que esteja como diante dele.

21 – Então, o SENHOR Deus fez cair um sono pesado sobre Adão, e este adormeceu; e tomou uma das suas costelas e cerrou a carne em seu lugar.

22 – E da costela que o SENHOR Deus tomou do homem formou uma mulher; e trouxe-a a Adão.

23 – f disse Adão: Esta é agora osso dos meus ossos e carne da minha carne; esta será chamada varoa, porquanto do varão foi tomada.

24 – Portanto, deixará o varão o seu pai e a sua mãe e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne.

INTRODUÇÃO

O Diabo sempre intentou des­truir a família (1 Pe 5.8). Entretanto, Deus tem colocado à disposição do crente um verdadeiro arsenal do Es­pírito Santo através da Bíblia Sagra­da: a oração, o jejum, a leitura bíbli­ca, o poder do sangue de Cristo e a comunhão com o Espírito Santo; são armas poderosas que devemos utili­zar para combater o Maligno em sua fúria contra a família (2 Co 10.4,5; Ap 12.11; 2Ts 3.3; 1 Jo 2. 13,14).

Nesta lição, apresentaremos al­gumas maneiras pelas quais pode­mos vencer esta luta.

I. O CASAMENTO, O LAR E A FAMÍLIA

1. Origem do casamento.

Deus viu que a solidão não seria boa para o homem (Sl 68.6; l l 3.9). Por isso, fez-lhe uma adjutora para vi­ver em sua companhia (Gn 2.1 8, 21-23). Deus uniu o homem à sua mu­lher, a fim de serem “uma só carne” (Gn 2.24). Portanto, a união conju­gal tem de ser monogâmica, heterossexual e indissolúvel. Ou seja: o casamento bíblico é a união de um homem com uma mulher até que a morte os separe. Fora disso, qual­quer tipo de união conjugal é “abominação ao Senhor” (Lv 18.22; 20.13; Rm 1.27; I Co 6.10).

2. Origem da família.

Antes de estabelecer a Igreja, Deus criou a família e determinou regras para o seu desenvolvimento. Embora o Criador haja destinado apenas uma mulher para o homem, o pecado levou o ser humano à poligamia, à fornicação e ao adultério, ignoran­do o padrão da vida conjugal esta­belecido por Deus (Gn 2.24; 4.1).

3. Origem do lar.

O primeiro lar foi formado por Deus. Neste lar havia amor, paz, saúde e alegria (Gn 2.25). Até o trabalho era realizado sem estresse (Gn 2.5,1 5). O mais im­portante, porém, era a presença de Deus (Gn 3.8a). Sendo esta também indispensável ao lar cristão, deve ser buscada e cultivada por todos os membros da família.

II. OS ATAQUES CONTRA O CASAMENTO

1. O ataque no Éden.

O pri­meiro ataque ao casamento ocorreu no Éden. Daquele episódio, surgiu a inclinação inata do ser humano para pecar, trazendo como conseqüência a iniqüidade, as doenças, o envelhecimento e a morte  física e espiritual

2. Formas iníquas de união.

Nestes dias trabalhosos e difíceis, os ataques (e como sempre disfar­çados e “justificados”) contra o ca­samento são os mais diversos. O que dizer do divórcio? Ou do casamento homossexual (Lv 18.22; 20.13; 1 Co 6.9-10, 1 Tm 1.10). Quem assim procede, sofrerá o juízo divino (Gn 19,5,24; l Rs 14.24; Rm 1.26; Hb 13.4; Jd v.7; Cl 6.7). O homossexualismo é um ataque fron­tal ao casamento.

A Igreja do Senhor Jesus, como “coluna e firmeza da verdade” (l Tm 3.1 5), não pode deixar de protestar contra tais coisas. O matrimônio deve ser valorizado conforme reco­menda a Palavra de Deus (Hb 13.4a).

III. OS ATAQUES CONTRA A FAMÍLIA

1. O primeiro ataque da serpente à instituição familiar

No Éden, o Diabo atacou frontalmente o casamento e a família. Por causa do pecado, o primeiro casal foi expulso do jardim (Gn 3.23,24), geran­do uma série de males entre os quais o assassinato de Abel (Gn 4.2-8). O pecado transtornou, profanou e per­verteu o ser humano (Rm 7.8-24).

2. Ataques à família.

Ao lon­go dos tempos, o inimigo vem ata­cando continuamente à família de diversas maneiras:

a) Infidelidade conjugal.

A von­tade de Deus é que os cônjuges se amem mutuamente (Ef 5.25; Tt 2.4). Temos de fugir da infidelidade (1 Co 6. 1 8a). O começo pode ser um olhar, uma conversa, levando em seguida à consumação do pecado. Para evi­tar a infidelidade conjugal, os côn­juges podem adotar medidas sim­ples, mas eficazes, sempre com a graça de Deus:

  • Buscara Deus em oração - orando juntos, diária e constantemente, o casal fortalece os laços espiritu­ais e conjugais (Mt 26.41);
  • Ler a Bíblia diariamente - é indispensável ao casal ler a Bíblia  todos os dias. Alguns dizem que não há tempo, mas a verdade inconteste é que “há tempo para todo o propósito debaixo do céu” (Ec 3.1);
  • O esposo deve dar prioridade a sua esposa - volte a cultivar o cari­nho, o afeto, e a expressão do amor conjugal para com a mulher de sua mocidade (Ef 5.25-28).
  • A esposa deve dar prioridade a sua esposo (Ef 5.33) - A mulher cristã, com prudência e amor, torna-se um esteio contra a infidelidade con­jugal. Buscando a sabedoria divina, ela haverá de preencher as necessi­dades emocionais e afetivas de seu cônjuge.

b) A ausência de Deus no lar.

Nada pode preencher a falta de Deus no lar, a não ser o próprio Deus. A ausência de Deus no lar é a causa de alguns problemas que afetam o casamento e a família como um todo. Como vencer esse terrível ini­migo?

  • Cada membro da família, a par­tir do casal, deve tomar a decisão de servirão Senhor, sem nunca descuidar-se do culto doméstico. Faça como Josué: “Eu e minha casa servi­remos ao Senhor” (Js 24.15). Além disso, freqüente a igreja juntamen­te com o seu cônjuge e filhos.
  • Levar a família a valorizar a igreja local (Sl 122.1; 27.4; 84.10; Ec 5.1). É importante que os pais dêem exemplo aos filhos, não ape­nas mandando-os para a igreja, mas indo com eles à casa do Senhor. In­centive-os a tomar parte nas atividades da igreja local.

IV. FORTALECENDO O LAR CONTRA OS ATAQUES DO MAL

1. Os ataques modernos à família e como vencê-los.

Confor­me já dissemos, são muitos os ata­ques à família nos dias atuais.

a) A inversão de valores.

A fa­mília está sendo destruída por no­velas iníquas, escritas e produzidas por pessoas distanciadas dos valo­res legitimamente cristãos, e pelas publicações que zombam da Pala­vra de Deus (Is 5.20).

b) A tecnologia como instrumento do mal. 

A televisão e a internet, por exemplo, vêm sendo traiçoeira­mente usados pelo Diabo para con­taminar preciosas vidas. A Igreja do Senhor Jesus precisa, no poder do Es­pírito Santo, reagir contra o uso ina­dequado e pecaminoso desses mei­os de comunicação em massa. Se não reagirmos, a família cristã sofrerá pe­sadas conseqüências.

2. É necessário tomar posição

Josué afirmou: “… porém eu e a minha casa serviremos ao Senhor” (Js 24. 15). A maior parte dos ataques contra a família tem sucesso, por­que os responsáveis pelos lares cris­tãos não tomam diante de Deus, uma posição firme e corajosa con­tra essa perversa inversão de valo­res (Ef 6.4b; Dt 22.8).

3. É necessário temer Deus e andar nos seus caminhos.

“Bem-aventurado aquele que teme ao Se­nhor e anda nos seus caminhos!” (Sl 128. l). As promessas de que trata q salmo são bênçãos extraordinárias sobre a família, incluindo o líder, a esposa, os filhos e os filhos destes conforme promete Deus. Mas há um preço a pagar: Deus exige santidade no lar de quem lhe professa o nome (Hb 12.14; l Pe 1.15).

4. É necessário edificar a casa sobre a Rocha (Mt 7.24; Sl 127.1).

Edificar a casa “sobre a ro­cha” é edificar o casamento, o lar e a família, sobre Cristo Jesus, que é a “a pedra”, ou a rocha dos séculos (Mt 21.42; Lc 20.17; 1 Pe 2.7). Mui­tos crentes edificam sua casa sobre a areia (Mt 7.27), e amargam as conseqüências. Como está você construindo o seu lar?

CONCLUSÃO

Hoje, mais do que nunca, é necessário manter a família nos padrões estabelecidos por Cristo. Quando tomamos uma firme posição de manter o nosso lar na Palavra de Deus, como o fez Josué(24.15) certamente levaremos a nossa família a entrar na Arca, que é Cristo(Gn7).

[Reflexão] Amar a Esposa

Assim devem os maridos amar a sua própria mulher como a seu próprio corpo. Quem ama a sua mulher ama-se a si mesmo. (Efésios 5.28)
            Todos os maridos, ou pelo menos a maioria, declaram amar as suas esposas! Dizem que casaram por amor, mas estes que andam declarando o amor, muitas vezes são adúlteros, violentos, ranzinzas! São homens que não perdem a oportunidade de olhar, galantear outras mulheres nas ruas, e, quando vêem uma mais jovem, olham e a desejam! Em casa em várias ocasiões, dão más respostas  às suas esposas e não raros  espancam-nas, e ainda se dizem cristãos.
 “Porque ninguém aborrece a sua própria carne; antes, a alimenta e sustenta, como também o Senhor a igreja.”(Efésios 5.29
Em outras palavras quem fala que ama, mas trai, trata mal a esposa, ou vive olhando para outras mulheres, com certeza não ama, porque quem ama cuida, deseja, e em hipótese alguma faria alguma coisa que  fosse desleal! Uma vez que devemos cuidar, tratar das nossas esposas como tratamos do nosso corpo, e ninguém quer se auto-afligir, ninguém, se fere, machuca intencionalmente, ninguém vive se desprezando, afinal a nossas esposas são parte de nós mesmos.
            “Porque somos membros do seu corpo.” (Efésios 5.30
Ser membro do mesmo corpo é ser unidos, ligado entre si, ou seja, diante do Senhor não existe duas pessoas, mas uma somente. Quando se casa, passa a fazer parte do mundo e do corpo da mulher e da mesma forma a mulher do homem, e quando tratamos mal a nossa esposa estamos tratando mal a nós mesmo, e tentando desfazer o que Deus fez, estamos ignorando a obra do Senhor, estamos caminhando para a morte eterna.
“Por isso, deixará o homem seu pai e a sua mãe e se unirá à sua mulher; e serão dois numa só carne.” (Efésios 5.31)
Quando a Bíblia nos fala em deixar pai e mãe quer dizer que a nossa prioridade passa a ser a nossa esposa, nem mesmo a nossa mãe, nossa genitora tem preferência, nós não somos uma só carne com pai, mãe, irmãos ou filhos, mas somente com a esposa, ela é parte viva da nossa carne, somos dois em um. Não existe nada e nem ninguém no mundo que possa separar o marido da mulher, somente o pecado, o adultério, e mesmo assim, é impossível ele vir a ser uma só carne com outra, pois ele já tem uma metade em algum lugar.
            “Grande é este mistério; digo-o, porém, a respeito de cristo e da igreja.” (Efésios 5.32
Veja que somos comparados como Cristo e seu amor pela a igreja, os Cristãos. Ele se entregou, sofreu, foi humilhado, crucificado e morto, para que pudéssemos ser salvos. Ele demonstrou o verdadeiro amor! Da mesma maneira devemos amar as nossas esposas até as últimas conseqüências, pois elas são parte de nós, ealém de ser mandamento do Senhor.
 “Assim também vós, cada um em particular ame a sua própria mulher como a si mesmo, e a mulher reverencie o marido.” (Efésios 5.33)
 Devemos aprender a amar as nossas esposas, e até mesmo nos sacrificar por elas, pois estamos fazendo por nós mesmos, e as esposas respeitem, valorizem os seus maridos! Dêem lugar de honra, pois são a mesma carne, são uma só pessoa, portanto devem ser cuidados, amados, reverenciados, pois isto é agradável ao Senhor.
Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus te abençoe.

[Estudo Bíblico] O Obreiro e sua Família

O OBREIRO E SUA FAMÍLIA


Pr. Elinaldo Renovato de Lima

 

 

 

INTRODUÇÃO

Ser obreiro do Senhor é a tarefa mais gloriosa na face da Terra. Além dos galardões a que todo crente tem direito, é previsto um, específico para o obreiro: A coroa de glória (1 Pe 5.2-4). Por outro lado, é a tarefa mais pesada, mais incompreendida e a que exige mais responsabilidade diante de Deus. Ele precisa ser exemplo do rebanho (1 Pe 5.3), exemplo dos fiéis (1 Tm 4.12).

I – O OBREIRO: UM CONTRADITADO

Perante as pessoas, mesmo na igreja, é difícil ser obreiro. Certo artigo, de autoria desconhecida diz: “Se o pastor é ativo, é ambicioso; se é calmo, é preguiçoso; se o pastor é exigente, é intolerante. Se não exige, é displiscente. Se fica com os jovens, é imaturo. Se fica com os adultos, é atiquado. Se procura atualizar-se, é mundano. Se não se atualiza, é de mente fechada. Se prega muito, é prolixo, cansativo. Se prega pouco, é que não tem mensagem. Se se veste bem, é vaidoso. Se se veste mal, é relaxado. Se o pastor sorri, é irreverente. Se não sorri, é cara dura”. O que o pastor fizer, alguém pensa que faria melhor.

II – AS QUALIDADES DO OBREIRO E A FAMÍLIA

Na lista de nada menos de 16 qualificações que se exigem para um obreiro (Bispo, Pastor, Presbítero), conforme 1 Tm 3.1-7, temos destaque para o relacionamento familiar: “marido de uma mulher…que governe bem a sua própria casa, tendo seus filhos em sujeição, com toda a modéstia; porque, se alguém não sabe governar a sua própria casa, terá cuidado da igreja de Deus?”. Nas qualificações previstas para o presbítero, temos igual referência(Tt 1.6). Se ponderarmos, veremos que há um peso muito forte das qualidades familiares no meio das listas de qualificações para ser obreiro.

III – O OBREIRO E O RELACIONAMENTO FAMILIAR

1. O OBREIRO COMO ESPOSO

O ministério não dispensa o obreiro dos deveres de esposo. Como tal, ele deve agir da melhor maneira possível. Nenhuma outra atividade exige da família identificação com o trabalho do esposo como a atividade de obreiro.

Como o obreiro pode (e deve) comportar-se como esposo?

1) Amando a esposa. (Ef 5.25-29).

Isso exige demonstrações práticas de carinho, de afeto. (Pv 31.29; Ct 4.1; 1.16), através de palavras, gestos (cf. 1 Jo 3.18). Para muitos, as expressões “eu te amo”, “gosto de você” e outras são coisas do passado. Sem essas pequenas coisas, o casamento do obreiro torna-se azedo, sem graça, e pode abrir brecha para a ação do inimigo.

2)Comunicando-se com a esposa.

a) TEMPO PARA A ESPOSA. O obreiro precisa dar tempo para conversar com a esposa; ter diálogo com ela: saber ouvir (Tg 1.19; Pv 18.23).
b) Pensar antes de falar (Pv 21.23). Só falar a verdade (Ef 4.15,25).
c) Desenvolver a Comunicação Significativa. Evitar a comunicação rotineira. Não responder com raiva (Pv 14.29). Não dá silêncio como resposta: é pirraça; não é para crente. Evitar aborrecer(Pv 10.19).
d) Quando errar, PEDIR PERDÃO.(Tg 5.16). PERDOAR (Cl 3.13; 1 Pe 4.8). Não discutir em público. Não discutir diante dos filhos.

3) Zelando pela esposa (Ef 5.29)

Há obreiros que só querem zelo para si..

4) União com a esposa (1 Co 1.10)

5) Cuidar da parte sexual ( 1 Co 7.3,5).

É importante para o equilíbrio espiritual, emocional e físico do obreiro e sua esposa. Quando o casal não vive bem nessa parte, o diabo procura prejudicar o relacionamento, a fim de destruir o ministério e a família.

6) Honrando a esposa (1 Pe 3.7)

Há obreiros que se envergonham de suas esposas. Isso não é de Deus.

7) Compreendendo seu papel de líder no lar. (Ef 5.22; 1 Co 11.3)

É a liderança fundada no amor, “NO SENHOR”, e não no autoritarismo. Deve ser exemplo para os lares.

2. O OBREIRO E SEUS FILHOS

1) Vantagens de ser filho de obreiro:

Estão debaixo das bênçãos do ministério do pai. É preciso, no entando, que os pais ensinem que os filhos dos pastores não devem ter privilégios na igreja. Há jovens que se prevalecem da condição de filhos de pastor para cometerem abusos, irreverência. Por vezes, o pai “passa a mão por cima”. Isso é ruim.

2) Desvantagens de ser fiho de obreiro:

Dos filhos do obreiro se exige mais do que dos filhos dos outros; são muito olhados; parece que são mais tentados! Daí, a importância da atenção aos filhos.

3) Ataques do inimigo:

a) Comportamento dúbio do pai:
Na igreja é um santo; em casa, neurastênico, violento, sem amor. Isso destrói o lar. Exemplo da família do pastor que quis mudar-se para a igreja.

b) Escândalos na vida do obreiro:
Assassina a confiança dos filhos.

c) Escândalos na vida dos crentes:
Os filhos duvidam da fé, da igreja.

d) Ingratidão da igreja:
Tratamento injusto ao obreiro; mau salário; humilhações.

3. PRIORIDADES NA VIDA DO OBREIRO E A FAMÍLIA

O obreiro precisa ter visão correta das prioridades do seu ministério. É saber definir o que deve ser feito primeiro numa série de atitudes ou comportamentos. É uma questão de ordem nas coisas.

3.1. Visão equivocada. Normalmente, há muitos obreiros que colocam suas atenções na seguinte ordem:

1)DEUS, 2) IGREJA, 3) OBREIRO, 4) ESPOSA, 5) FILHOS.
Qual o equívoco nessa ordem de coisas? A Bíblia não diz “…em primeiro lugar o reino de Deus?”(Mt 6.33). É verdade. Mas é necessário entender o que deve em primeiro lugar, em segundo, etc., não em importância, mas na ordem das coisas.
O Pastor Paul Yong Cho, de Seul, na Coréia do Sul, teve uma experiência com Deus muito séria nesse assunto. Numa vida de viagens e campanhas evangelísticas, mal tinha tempo para conversar com a esposa. Quase desfaz o seu lar. Orou a Deus e o Senhor disse que ele estava errado e sua esposa estava certa, quando reclamava sua maneira de tratá-la: “Se perderes tua mulher, ninguém mais dará ouvidos ao que disseres. Podes construir uma grande igreja, mas se o teu lar se despedaçar, perderás o teu ministério…a igreja depende de tua vida familiar. Trarás mais desgraça ao ministério com teu divórcio do que todos os outros benefícios…ademais, todos os crentes estão olhando para teus filhos….teu ministério primário deve ser teus filhos. Eles devem ser os membros principais de tua igreja. Então, juntos, tu, tua esposa e teus filhos edificareis a igreja. CONSIDERA TUA ESPOSA COMO PARTE MUITO IMPORTANTE DO TEU MINISTÉRIO E ALIMENTA TEU RELACIONAMENTO COM ELA”. O Pr. Cho reformulou sua vida. Tirou UM DIA para estar só voltado para sua esposa (àquele tempo não tinha filhos). Passou a ORAR JUNTO COM ELA, planejar junto com ela. Os resultados, segundo ele, foram excelentes. O ministério progrediu mais ainda.
Deve ter acontecido o que S. Pedro recomenda em 1 Pe 3.7. 3.2.

Visão correta:

1) DEUS, 2) OBREIRO, 3) ESPOSA, 4) FILHOS, 5)IGREJA.
A igreja por último? Exatamente. Ela é MUITO IMPORTANTE. Para cuidar dela, é necessário:

Primeiro: buscar a Deus (Mt 6.33); Isso é indiscutível.

Segundo: cuidar da própria vida de obreiro(1 Tm 4.16) para ser exemplo (1 Tm 4.12b; Tg 2.12);

Terceiro: cuidar da esposa(1 Tm 3.2a; Tt 1.5,6a; 1 Tm 3.12); A falta desse cuidado tem dado brecha para o Diabo destruir muitos ministérios, outrora tão promissores.

Quarto: cuidar dos seus próprios filhos (antes de cuidar dos filhos dos outros)(1 Tm 3.4-5;5.8). É triste procurar ganhar os filhos dos outros e perder toda a família.

Quinto: CUIDAR DA IGREJA. Ela é o alvo mais importante. Sem as pré-condições, há muito insucesso. No Brasil, já se conhecem diversos casos de obreiros que perderam seu ministério de prestígio nacional e internacional por não entenderem esse assunto. Que Deus nos ajude a compreendê-lo bem e colocar em prática a orientação baseada na Bíblia.

4) RELACIONAMENTO COM OS FILHOS:

Deve ser o que de todo pai cristão.(Ao lado da esposa).

a) Afeto. (Fp 2.1,2; Sl 2.12; Os 11.1a,4a);
b) Cuidados espirituais. (Dt 11.18-21; Ef 6.4). O culto doméstico é indispensável.
c)Cuidados gerais: Alimento, educação, saúde e demais necesidades.
d) Comunicação: É preciso dar tempo para conversar com os filhos. Não provocá-los à ira (Ef 6.4); não irritá-los (Cl 3.21). PEDIR PERDÃO, quando errar.
e) Disciplina (Hb 12.7; Pv 19.18). Ver Jr 31.20.

CONCLUSÃO

Esperamos que Deus, o criador da Família, antes mesmo de criar a Igreja ou o Ministério, nos faça entender pelo Espírito Santo, o Professor Excelente, que Ele fez tudo a seu tempo (prioridade) e há tempo para todo o propósito debaixo do céu (oportunidade) e mais ainda que a família tem um importante lugar nas prioridades de Deus. Ela não pode nem deve ser negligenciada. É alto o preço a pagar por aqueles que, em nome da Obra ou da Igreja, não levam em conta o valor da esposa, dos filhos ou da família. Que Deus nos ajude a entender que o primeiro púlpito deve ser o do Culto Doméstico; que as primeiras almas que temos o dever de ganhar para Jesus são nossos queridos familiares.

http://www.facebook.com/l/616845wpWwbhWA63sLBEHVpqd1w/missoesedever.blogspot.com

[Estudo Bíblico] O Papel do Homem no Casamento

COMO O MARIDO DESEMPENHA O SEU PAPEL


Sabemos biblicamente que o homem é o cabeça da mulher( I Co 11:3). Esta função não pode ser exercida de qualquer maneira, mas sob a graça e o amor de Jesus Cristo.

Alguns maridos são autoritários, egoístas, duros e soberbos. Querem dominar a mulher. O que Deus diz?

“Maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela, para que a santificasse, tendo-a purificado por meio da lavagem de água pela palavra, para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem macula, nem ruga, nem cousa semelhante, porém santa e sem defeito. Assim também os maridos devem amar as suas mulheres como a seus próprios corpos. Quem ama a sua esposa, a si mesmo se ama. Porque ninguém jamais odiou a sua própria carne, antes a alimenta e dela cuida, como também Cristo o faz com a igreja”  Ef 5.25-29

(Ver também I Pd 3.7).

I-O MARIDO DEVE AMAR SUA ESPOSA

A palavra AMOR que aparece em Efésios 5, é  AQUELA que “dá a vida a Deus por alguém”. É um amor puro, sacrificial, perfeito e permanente. Por isso Paulo usa Cristo como exemplo. Cristo não é apenas o modelo, mas também é a fonte do amor. Somente através do seu amor em nós, é possível amar como ele amou e entregar a vida a Deus por nossas esposas.

O homem que trata a sua esposa com amor, faz um bem a si mesmo e fortalece a unidade do casamento. Aquele que trata mal a sua esposa, DESTRÓI a si mesmo.

O verdadeiro amor não é apenas um sentimento, mas uma conduta. Por isto queremos assinalar cinco expressões práticas do amor do marido para com a esposa:

1 – AMABILIDADE

Esta é a primeira expressão prática do amor. A amabilidade, doçura, afabilidade, benignidade.. ”não as trateis com amargura” (Cl 3:19)”…tendo consideração para com a vossa mulher como parte mais frágil, tratai-a com dignidade” (1 Pd 3:7).

Devemos ser amáveis com todos, principalmente com as mulheres, respeitando sua feminilidade. Mas muito mais com nossa própria esposa. Há homens que são amáveis com outras mulheres e descuidados e duros com sua própria esposa.

A mulher é como um vaso frágil: mais sensível e delicada. Seus sentimentos estão mais a flor-da-pele. Isto não é debilidade, mas uma característica dada por Deus para desempenhar sua nobre função de mãe, a fim de criar os filhos com ternura e sensibilidade. Por isso Deus quer que o marido a trate com ternura, respeito, suavidade, paciência, carinho, doçura, delicadeza, bondade e amor. Por ser mais sensível emocionalmente, a mulher está mais sujeita a ficar ressentida pelo maltrato do marido.

Ser amável não quer dizer ser frouxo. Muitas vezes o homem deve ser firme. Mas com uma firmeza amável e compreensiva. Quando o marido percebe que tratou mal a sua esposa, deve consertar imediatamente, confessando com humildade e arrependimento.

 2 – ABNEGAÇÃO

É o sacrifício que alguém faz em favor do outro. “… a si mesmo se entregou por ela” (Ef 5.25). É o negar a si mesmo, abrir mão da tranqüilidade, da comodidade e do prazer, em favor da pessoa amada. Isto é amar. Foi isto que Cristo fez pela igreja.

O contrário disto é o egoísmo. O marido egoísta busca sua própria comodidade. Usa a autoridade para seu próprio bem e sempre espera ser servido. Sua atitude é de “senhor”, não de “servo”. Nunca renuncia a comodidade para ajudar a mulher. Este marido está longe da vontade de Deus.

Deus quer que o marido seja abnegado, pareça com Jesus e aja como ele. Deve sacrificar-se a si mesmo pela esposa. Buscar a felicidade e bem-estar dela, tanto no físico como no emocional e no espiritual. O marido deve dizer como Jesus: “eu não vim para ser servido, mas para servir”.

 3 – COMPREENSÃO 

O marido deve conhecer profundamente a sua mulher para compreendê-la, amá-la e ajudá-la. Esta é uma das maiores necessidades da mulher.

Para isso é necessário escutar com atenção o que ela diz. Saber escutar é uma das qualidades mais valiosas que se pode ter. Quando o marido entender o que a mulher pensa e sente, poderá conduzi-la e protegê-la com sabedoria.

Muitas mulheres são tristes e angustiadas por não conseguir compreensão e apoio de seus maridos. Uma mulher que se sente apreciada e atendida pelo marido, dificilmente será rebelde e antagônica.

É necessário que o marido converse com a esposa. Procure entender como ela se sente e quais são as suas cargas, para poder animá-la e confortá-la. O marido precisa abraçá-la e beijá-la com freqüência, quando está preocupada e nervosa. Um abraço e uma palavra amável e terna, mostram a mulher que ela tem ao seu lado alguém que a compreende e a ama. Um gesto de carinho renova as forças e libera a mente de pensamentos negativos.

Alguns homens tem dificuldade de serem afetuosos porque não tem este costume, ou porque nunca receberam carinho na infância. É tempo de romper com toda a timidez e vergonha. Devem ver a importância disto no relacionamento com a mulher. Pode-se conseguir muito mais com um beijo do que com criticas ou autoritarismo.

 4 -PROTEÇÃO E COBERTURA (Ef 5.29)

Quando o homem não dá uma cobertura real e prática, a mulher se vê desprotegida. Ela precisa sentir-se segura e confiante em seu marido. O desamparo e as preocupações sobrecarregam e oprimem a mulher.

O homem deve assumir seu papel, atender os assuntos do governo familiar, resolver todos os problemas que lhe competem, e não passá-los para sua esposa. A mulher se desgasta quando tem que resolver assuntos que vão além de suas possibilidades e não correspondem ao caráter feminino.

A mulher deve poder dizer. “meu marido é o meu pastor, nada me faltara”, como a igreja diz de Cristo: “O Senhor é meu Pastor…” (Salmo 23)

5 – ROMANCE E AFETO CONJUGAL (Ct 7.10-13)

O amor sentimental também deve estar presente no casamento. Tudo que dissemos anteriormente estabelece bases sólidas para que este amor se desenvolva e cresça. O romance não é apenas para a lua de mel, mas para toda a vida.

Os discípulos do Senhor devem ser os maridos mais “apaixonados” por suas esposas. O amor dos mundanos se perverteu em egoísmo. Entretanto, o amor sentimental de um marido cristão nasce do verdadeiro amor de Deus que vive nele. Por isso, os discípulos de Jesus deveriam ser os melhores maridos; os melhores amantes de sua esposas.

Cultive em seu coração este amor. Enamore de sua esposa, valorizando, apreciando e elogiando-a. Seja expressivo com ela. Demonstre seus sentimentos, mandando-lhe flores. Procure aprender a maravilhosa arte do amor e afeto conjugal. Assim fará sua esposa feliz e a você mesmo também! E Deus participa desta alegria.

II – O HOMEM DEVE REPRESENTAR JESUS NO LAR

 1 – ESTABELECER A PRESENÇA DE JESUS NA FAMÍLIA (1 Cor 11:3)  

Assim como é a Imagem de Deus, o homem deve ser a imagem de Jesus no Lar. Deve andar no Espírito, manifestar alegria constante, dar graças à Deus por tudo, deixar fluir o amor, a graça e a Paz do Senhor. LEMBRANDO QUE DEUS ESTÁ PERTO DE UM CORAÇÃO QUEBRANTADO.

2 – ESTABELECER O GOVERNO DE CRISTO

O homem não é o cabeça do lar, mas sim Cristo – o homem é o cabeça da mulher. Portanto deve estabelecer a autoridade de Cristo e não a sua. Se um homem não está sujeito a Cristo, como vai governar sobre sua mulher e filhos? Quando o Senhor delega autoridade ao homem, não lhe dá carta branca para fazer o que quer, mas estabelece critérios específicos e concretos. Todo governo que está debaixo de Cristo deve agir com firmeza, mas com amabilidade e flexibilidade. Sem fazer concessões indevidas, mas com disposição para dialogar e escutar. É importante que saiba discernir a vontade de Deus e que cuide para que ela se cumpra no seu lar. Em Isaías 32:17, lemos que a justiça antecede  a Paz, ou seja, não há Paz sem Justiça e em outro texto de provérbios descobrimos que a VERDADE manifesta a Justiça (Prov. 12:17 “Quem fala a verdade manifesta a justiça;…”. Concluímos então: Quem busca a Paz para o seu governo deve ser VERDADEIRO, humilhando-se e assumindo erros e responsabilidades, para que a Justiça de Deus em Jesus, seja feita em nosso Lar através da Confissão, do Perdão e da Purificação. (PAZ SEJA NA TUA CASA).

3 – MINISTRAR A GRAÇA SALVADORA DE CRISTO

O homem deve exercer o sacerdócio em sua família. Não basta abençoá-la com orações superficiais. Deve se interessar por cada um membro. Dar tempo a cada um, conhecer suas necessidades, lutas e aflições. Dar a cada um dos filhos uma atenção particular. Constantemente ajudar a esposa a ver a dimensão eterna e grandiosa de sua função como esposa e mãe.Cuidar para que ela não se desanime com suas tarefas, que às vezes, parecem triviais e insignificantes. NÃO EXISTE NADA MAIS ROTINEIRO E CANSATIVO QUE O TRABALHO DE DONA DE CASA. QUE DEUS NOS REVELE ESTAS VERDADES.

4 – DOUTRINAR E EDIFICAR SUA FAMÍLIA

É importante usar as circunstâncias ocasionais da vida para ensinar, mas isto não é suficiente. O homem é responsável por ensinar toda a verdade de Deus, de forma ordenada e metódica a sua esposa e filhos. São seus primeiros discípulos. Deve determinar horários concretos para sentar com eles e compartilhar a palavra. Deve haver lugar para a participação de todos e tudo deve ser intercalado com oração. O homem deve considerar a esposa como Ajudadora para isto. Não deve anulá-la, mas tampouco deve passar para ela toda a responsabilidade. Devem trabalhar juntos.

ATITUDES ERRADAS DO HOMEM

  • Não assumir seu papel como cabeça. Quando é assim, a esposa fica sobrecarregada pelo peso de tantas obrigações familiares. Há homens que pensam que sua função se limita a trabalhar fora de casa e trazer o salário no final do mês. A sua esposa deve cuidar do resto(consertos, finanças, saúde, disciplina dos filhos, vida espiritual, etc.). Isto traz um grande desajuste na família e deve ser corrigido.
  • Anular a mulher. alguns querem fazer tudo sozinhos. Não conversam com suas esposas nem buscam a opinião delas. Não delegam responsabilidade, absorvem tudo. Pensam que são completos. A mulher fica frustrada e amargurada. O homem deve dar lugar para que a mulher desempenhe sua função com critério próprio, criatividade, gosto e o seu famoso toque feminino.

Por favor, rogo que assistam a Pregação abaixo sobre a Verdadeiro Propósito do Casamento diante Deus e dos homens. Aconselho a fazerem o Download do vídeo e compartilharem com quem precisa, afim de que matrimônios venham desempenhar o seu verdadeiro propósio.

- Como eu faço o download dos vídeos? Siga os passos abaixo!

1) Inicialmente, clique no vídeo para dar incício.

2) Você verá, no canto superior esquerdo, a palavra “Share“. Clique nela.

3) Surgirá uma pequena Janela com 4 Botões. Clique em “Download Vídeo“.

4) Outra janela surgirá com as opções “Abrir com” e “Download“. Selecione “Download“, caso já não o esteja. E clique em “Ok“. Pronto! Agora é só esperar!